História Alma Perdida ( Jookyun) - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Monsta X
Personagens I'M, Joo Heon
Tags Jookyun, Kpop, Monsta X, Romance, Yaoi
Visualizações 38
Palavras 1.106
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela, Sobrenatural, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OOOI GENTE!! eu sou a Bora-Ya, tava louca pra escrever esse yaoi com meu OTP eterno ♡ espero que gostem!!

Capítulo 1 - Milagres


Fanfic / Fanfiction Alma Perdida ( Jookyun) - Capítulo 1 - Milagres

 Capítulo 1, Milagres.

Nem me lembro a última vez em que senti o perfume de uma flor ou o leve toque da chuva caindo sobre meu corpo.

Há anos eu vago no mundo dos vivos, Mas aqui, para mim o mundo não tem cor.

Uma alma perdida, sem um lar e sem qualquer lembrança, apenas com um velho moletom preto e uma calça jeans rasgada, vejo meu reflexo no vidro de uma vitrine, e a única coisa que percebo é que eu parti muito jovem.

Talvez eu esteja sendo punido por algo ou é meu momento de paz.

Eu só queria que a divindade olhasse por mim por um momento, me mostrasse uma saída deste lugar. Ou o motivo de eu estar aqui.

Por vagar por tantos anos eu nem sei mais oque é amar.

Caminho pelas ruas sem rumo, nunca sei oque me espera.

As vezes, sem perceber eu apenas observo as pessoas, mesmo no meu mundo sem cor a vida perece tão bela.

Sentado na areia da praia, vejo as crianças construindo seus castelos. Casais aproveitando um belo encontro.

Seria demais desejar viver outra vez as pequenas coisas da vida? Eu só queria outra chance.

Anoitece, E eu continuo a vagar pelo centro da grande cidade.

Mas algo está diferente desta vez, continuo minha caminhada e… "Passos"… eu definitivamente ouvi passos. Olho ao meu redor e vejo um jovem de cabelos loiros, lábios carnudos e rosados. Ele caminha lentamente em minha direção. Mas ele parece não me ver. Eu posso ouvi-lo, como isso é possível?

Ele se aproxima, parece distraído com o celular. Ele passa por mim e me esbarra de leve. Eu senti seu toque. E nesse momento, como mágica, tudo ganha cor novamente. Fico paralisado, não sei nem mesmo oque sinto neste momento. Ele olha para mim.

- Oh… me desculpe, eu estava distraído.

- Anh? Você pode me ver?

- Claro que posso! - ele sorri.

Continuo sem reação.

- Está tudo bem? Você parece estranho.

- T-tudo bem…

- Então até algum dia… eu preciso ir.

- Espere… - eu o seguro pela mão. - Você pode me ajudar? - não sei oque eu estou fazendo exatamente, mas eu não posso deixar ele ir.

- Como posso ajudar? - ele tinha um olhar despreocupado.

- Eu… perdi minha memória e não tenho um lugar para ir.

- Você está perdido? Teve um acidente? Vamos até a polícia então.

- NÃO! - ele me olha assustado. - Desculpe, mas eu não posso te explicar agora. Por favor me ajude. - meus olhos se enchem de lágrimas enquanto eu o seguro pelas mãos.

- Tudo bem… mas você precisa me dizer toda a verdade.

- Eu prometo que vou explicar tudo.

- Então vamos, eu tenho um quarto sobrando no meu apartamento. Fica perto então podemos ir andando. - ele ainda parece meio desconfiado.

Ele lança um olhar curioso sobre mim.

- Eu ainda não sei seu nome.

- Chang kyun… Im Chang kyun e o seu?

- Lee Jooheon.

- Eu gostei. Do nome. - ele sorri pra mim. Era realmente um sorriso encantador e as covinhas davam um toque especial.

Chegamos a um pequeno prédio residencial.

- É aqui.

Ele entra e eu vou logo em seguida. Subindo as escadas ele se vira.

- Se alguém perguntar, você é meu primo mais novo do interior.

- Ah… sim. Então, eu deveria te chamar de hyung? - suas bochechas ficam rosadas, eu estava tentando descontrair a situação.

- Não exagere!

Ele segue o caminho até a porta do apartamento. Nós entramos. A casa é simples.

Um pequeno sofá com uma mesa de centro que haviam algumas latas de cerveja e salgadinho sobre ela.

Tiro meus sapatos sujos se poeira e me acomodo no sofá.

- Venha ver seu quarto.

Eu o sigo.

O quarto não era necessário, pois eu não dormia mais.

O real motivo de eu estar ali era o Jooheon.

- É perfeito! Obrigado por me deixar ficar essa noite.

- Pode ficar o quando quiser, no entanto, você precisa me dizer oque está acontecendo. - ele parecia sério, afinal um estranho o pediu abrigo.

- Podemos falar disso amanhã? Eu estou cansado demais pra isso.

- Tudo bem. Tem lençóis limpos no armário. Boa noite.

- Boa noite. E obrigado por tudo.

Eu fecho a porta me jogo na cama. Eu não estava cansado, apenas tenho medo da reação dele em saber oque eu sou.

Eu sinto que meu coração bate de novo quando estou com ele.

Preciso ficar ao lado dele.

No dia seguinte.

Eu me levanto, Jooheon ainda está adormecido.

Vou até a cozinha e preparo o café da manhã. Omelete com presunto e tomate.

Me distraio com a comida e quando me viro, ele está a me observar. Nos encaramos por alguns segundos.

- Você dormiu bem? Eu quis preparar algo para te agradecer por ter me deixado ficar.

- Faz muito tempo desde que eu comi algo decente pela manhã, obrigado.

Ele vem em minha direção, para ao meu lado.

- Changkyun você poderia me dar um pouco disso? - ele aponta para o omelete que eu estava segurando nos meus palitos.

- Você quer o meu?

- Sim… esse no seu palito.

Eu levo o palito com omelete em direção a ele, ele aproxima seu rosto e abre a boca.

Eu o olho e em seguida coloco o omelete em sua boca.

Sinto meu coração acelerar nesse momento.

- Hmmm… você realmente cozinha muito bem! - ele sorri tão graciosamente que seus olhos quase se fecham.

- Fico feliz que você tenha gostado. - ele obviamente via minha felicidade de estar ali.

- Então oque foi? Você fugiu de casa e não tem pra onde ir? Por isso mentiu da amnésia?

Eu realmente queria ficar com ele por mais tempo.

- Como você sabia? - por isso… Eu menti.

- Eu observei você, parece ser de uma família rica, você é jovem tem uma boa aparência. Em outras palavras você é bonito. - ele diz isso sorrindo para mim, isso me dá mais coragem para continuar mentindo.

- V-você me acha bonito?

Ele concorda com a cabeça.

- Eu também gosto da sua aparência Jooheon.

- Isso é bom! Vejo você mais tarde. Tenho que trabalhar.

- Ah… sim, eu vou esperar por você.

Ele termina de comer.

- É melhor que esteja esperando mesmo.

Ele pega sua coisas, e vem até mim. Com um toque leve acaricia meus cabelos negros.

- Tenha um bom dia Changkyun.

- Você também hyung. - as bochechas dele se coram novamente.

E assim começa minha segunda chance.

CONTINUA...


Notas Finais


Obrigada por ler até aqui, vejo vcs em breve...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...