1. Spirit Fanfics >
  2. Almas >
  3. Destino

História Almas - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Não me matem, não desisti das outras fanfics, porém não consegui me segurar tive que postar essa. Essa fanfic vai ter só mais uma parte, encurtei o máximo que pude espero que gostem.
Já estou acabando a segunda parte então essa semana ainda posto a última parte.
Inspirada no anime: Tasogare Otome x Amnesia
Essa fanfic é bem dramática, então deixei uma imagem engraçadinha para tirar um pouco da tristeza....

Capítulo 1 - Destino


Fanfic / Fanfiction Almas - Capítulo 1 - Destino

- Eu estou falando Teme, eu tenho certeza que nesse corredor que está fechado tem um fantasma. - Sasuke escutava todo aquele blablabla de modo tedioso, nunca acreditou em fantasma e com toda a certeza não era aquele blablabla que o faria acreditar. 

- É verdade Sasuke-kun, eu ouvi falar que ela leva todos aqueles que olharem para o espelho que está na sala daquela biblioteca. -  Sakura falava enquanto apontava para a sala, todos até mesmo Sasuke olharam para a sala, não era difícil vê-la já que ela era á última sala e ficava de frente para eles. Aquele corredor tinha uma faixa amarela onde as letras pretas se sobressaltam NÃO ULTRAPASSE, eles sabiam que alguns se arriscavam a passar, porém nunca voltavam do mesmo jeito que entraram, muitos saíram da escola sem nem mesmo dar explicações, outros apenas sumiram e ninguém sabe o que verdadeiramente aconteceu. 

- Eu ouvi dizer que o nome dela é Hinata, Hyuga Hinata. - Tenten dizia também olhando para aquela sala, definitivamente aquilo tudo era assustador e ela não estava muito afim de saber mais sobre isso e muito menos ir lá. 

- Só de olhar já estou com medo. - Ino definitivamente não queria nem estar perto dali, queria estar aproveitando sua ora de lanche, mas Naruto quis passar por aquele caminho tão assustador, e ela acabou sendo vencida e olha onde ela foi parar. 

- Hyuga? - Kiba colocou a mão no queixo pensativo, ele conhecia aquele sobrenome, mas de onde? 

- Você já ouviu falar Kiba? - Naruto olhou para ele esperançoso, ele com toda a certeza estava apavorado, mas a curiosidade estava falando mais alto. 

- Eu não me lembro.... - Kiba ia dizendo quando foi interrompido por gritos. 

- SASUKE.... 

- SASUKE-KUN? - Sakura gritava vendo o Uchiha entrar naquele corredor, não foi difícil para ele pular aquela faixa tão baixa e entrar naquele corredor, ele estava de saco cheio daquela conversinha, preferia estar com um fantasma (se é que existe algum), do que aqueles chatos que falavam mais que velhas fofoqueiras conversando. 

Ele nada disse somente olhou por cima dos ombros e ali todos tinham entendido, ele ia provar que não existe fantasma porcaria nenhuma. 

....... 

Sasuke apertou os olhos, com toda a certeza ele não estava vendo aquilo, com toda a certeza era seu cérebro lhe pregando uma peça, já que muito ouviu-se falar sobre fantasma naquela escola. Mas nada nem ninguém o preparou para aquilo. 

- Olá Uchiha-san. - Sasuke olhou para trás e suspirou ao descobrir que tinha fechado a porta porque seria o mínimo estranho seus amigos o virem tão abalado, ou com medo? Com toda a certeza não, acho que somente curioso, talvez. 

- Quem é você? - Em hora alguma aquela linda mulher deixou de estar sentada em um sofá de três lugares de cor cinza, que por incrível que pareça estava limpo, muito menos havia deixado seu livro de lado que estava tão delicadamente apoiada em sua coxa aberto em uma página aleatória, e menos ainda o olhou, o que deixou o Uchiha inquieto e nervoso.  

 - Bem, você sabe quem eu sou. - E naquela hora Sasuke esqueceu o que era respirar, se perguntasse qual seu nome, com toda a certeza ele não se lembraria, mas com certeza aqueles lindos olhos de lua ficariam gravados em sua alma.  

Hinata delicadamente apoiou seu livro na mesinha de centro, descruzou as pernas coisa que foi torturante para o Uchiha, e se levantou olhando-o, foi até ele e simplesmente estendeu a mão. 

- Prazer meu nome é Hinata, Hyuga Hinata. - Sasuke não sabia se ria, se gritava (bem, ele era um Uchiha e não ia sair como uma Maria escandalosa daquele lugar), se ficava bravo, mas a única coisa que seu corpo fez foi aceitar a mão estendida. 

- Você consegue me tocar, isso é bom. - Hinata sorria de modo tão inocente que quase, mais quase mesmo fez o Uchiha sorri. 

- Como você sabe meu nome? - O Uchiha tinha esquecido daquele pequeno detalhe, era tudo muito confuso, definitivamente aquela mulher não era um fantasma, ela tinha a pele bastante pálida, sem nenhum traço de rosado ou bronzeado, porém o seu toque era estranhamente quente? Ele não sabia dizer, talvez macio? Acolhedor? Era tão difícil explicar o que ele estava sentindo naquele momento, que ele se viu bastante irritado e frustrado. 

- Eu sei o nome de todos que estudam aqui, eu ando muito pela escola então sei um pouco de tudo por aqui. - Hinata lentamente soltou a mão do Uchiha e estranhamente sentiu frio, talvez solidão. Suspirou a solidão era o que ela mais sentia ao longo desses 70 anos em que simplesmente apareceu naquela escola, sem saber o que realmente aconteceu para que ela tivesse aparecido como um simples fantasma. 

- Como eu nunca te vi antes? - Já era o segundo ano do Uchiha naquela escola, ele se formaria no ano seguinte, e por mais que tivesse muitos alunos naquela escola ele a teria visto, não teria? Era estranho pensar nisso, já que agora ele se viu em uma bolha dentro do seu grupinho de populares, onde só se conhece aqueles que tem uma beleza digna de modelos e uma conta bancária digna de um milionário. A escola também era grande talvez ela só ficara trancada naquela biblioteca simplesmente escondendo sua beleza, mas quando Sasuke desceu seus olhos pelo corpo de Hinata, e até mesmo demorou bastante na parte dos seios (definitivamente Hinata tinha os seios mais bonitos que já viu, apesar de existir a blusa de uniforme atrapalhando Sasuke deslumbrou que ela não usava sutiã, já que dava para ver o bico de seu peito e o tão empinado ele era), Sasuke sentiu que se demorasse mais ali ele com toda a certeza ficaria duro, então evitando qualquer constrangimento ele desceu o olhar, com toda a certeza aquele uniforme que ela usava não era o uniforme obrigatório da escola, apesar da blusa de frio ficar colada no seios de Hinata e desenhar sua linda cintura fina, como se aquela blusa fosse feita para ela, a saia era bem longa ia um pouco a baixo do joelho e era todo preto e a meia calça também preta, apenas o lenço vermelho no pescoço quebrou um pouco do preto, já o uniforme que as meninas usavam continha uma saia xadrez vermelha e pequena demais se comparado a de Hinata, a blusa social branca e uma blusa de frio preta que normalmente usavam aberto ou nem usavam. 

- Nós não vemos aquilo que não queremos ver, você não acredita em fantasmas então é normal que você não me veja quando estou cercada de outras pessoas - Hinata sorriu sem mostrar os dentes, e o Uchiha franziu o cenho. 

- E....- Antes que o Uchiha se pronunciasse os dois escutaram gritos do corretor. 

- SASUKE-KUN você está bem? - Sakura gritava em desespero. 

- Sakura será que a Hyuga levou ele? - Naruto dizia choroso. 

- DEIXA DE SER IDIOTA. - E logo ouviu-se o que parecia um barulho de soco. 

Sasuke olhou para a Hinata pela última vez, ele ainda não acreditava que ela era um fantasma, porém algo estava o incomodando, será que a veria novamente? 

- Foi um prazer Uchiha-san. - Hinata fez uma reverência e sorriu, foi uma experiência e tanto para a Hyuga, desses 70 anos que ela está naquela escola ninguém nunca a viu e menos ainda a tocou, e ela queria muito mais daquilo, porém sabia não podia desejar mais do que já tem: à solidão. 

  Sasuke saiu sem se despedir, o que ele diria? Adeus? Tchau? Até mais? Ele não era o tipo de pessoa que cumprimentava, muito menos era legal com alguém, ou se despedia, mas lá no fundo ele sabia ele estava com medo de se despedir, era uma sensação tão estranha, um sentimento tão estranho, suspirou, e achou melhor esquecer tudo aquilo, com toda a certeza ele devia ter pegado algum tipo de resfriado para estar se sentindo daquela forma. 

- Teme você viu algum fantasma? - Naruto entrou na frente de Sakura que franziu o cenho ela que era a namorada ela que tinha que perguntar primeiro. Ninguém se atreveu a ultrapassar aquela faixa, e não estavam mais se aguentando de curiosidade, Sasuke tinha demorado muito e já estavam cogitando que Sasuke havia mesmo sido levado pela Hyuga. 

- Não. - Disse simplista e saiu andando pelo corredor que dava acesso ao terraço, precisava pôr a cabeça no lugar.  

.............. 

 - Sasuke-kun o que ouve? - Sakura olhava para o namorado de forma preocupada, desde o momento que Sasuke saiu daquela biblioteca ele não era mais o mesmo, andava distraído, suspirando, fazia até mesmo cara e bocas engraçadas, mas aquilo já deixou de ser engraçado a duas semanas atrás, agora depois de três semanas já começou a preocupa-la. 

- É mesmo Teme você nunca escuta o que eu falo. - Eles estavam todos reunidos como sempre, os populares, eles costumavam na hora do lanche ir para perto de alguma árvore, ou até mesmo ia atrás de algum nerd para poderem se divertir um pouco, mas hoje Sasuke resolveu ir ao terraço e o porquê? Nem ele mesmo sabe, ele só queria respirar talvez. 

- Deve ser porque você só fala besteira. - Naruto emburrou a cara e cruzou os braços na altura do peito, aquilo foi cruel.  

 Sasuke apenas revirou os olhos e olhou para o parapeito do terraço, e lá estava ela, aquela que o assombrava como um fantasma (literalmente), as três malditas semanas ele tinha medo de fechar os olhos porquê era a imagem dela que vinha, e a desgraçada estava lá. Ele olhou para todos os lados para ver se alguém também a olhava, mas nada, todos conversavam como se nada nem ninguém estivesse ali, não era difícil alguém percebe-la, Hinata era bonita e seu uniforme diferente com toda a certeza chamaria a atenção, porém ninguém a olhava era como se ela fosse INVISÍVEL. 

- O que você tanto olha Sasuke? - A voz de Gaara se fez presente fazendo com que o Uchiha olhasse para ele. 

- Não é nada. - Sasuke olhou mais uma vez para onde ela estava e ela não estava mais lá. 

...... 

- Precisa de alguma coisa Uchiha-san? - Do que ele precisa? Bem, talvez não ter ido ali naquela maldita sala, e muito menos estar naquela maldita porta pensando se bateria ou não, se sairia como se não tivesse nem ido lá, porém toda a ideia que Sasuke teve foi por água abaixo e lá estava ela, sussurrando de uma forma tão delicada em suas costas que o fez se arrepiar.  

- Não. - Sasuke virou de forma mais lenta possível para que ela não percebesse sua ansiedade, porém ao constatar que ela estava de maio azul escuro e cabelos molhados o fez ter sentimentos totalmente distintos, tesão, curiosidade, surpresa, e muitas outras confusas e irritantes sensações. 

- Está tudo bem? - Hinata franziu o cenho definitivamente o Uchiha estava com o olhar estranho. 

- Não sabia que fantasmas, nadavam. - Sorrio de lado, definitivamente Sasuke duvidava que aquela mulher com um corpo e rosto tão lindo não passava de uma assombração. 

- Eu consigo tocar em um objeto, consigo nadar, e fazer algumas outras coisas, só não consigo ser vista, tocada e também não sinto fome, por isso não como. - Hinata entendia que Sasuke não acreditava que ela era um fantasma, nem ela as vezes acreditava nisso, mas infelizmente era a sua terrível e cruel realidade.  

- Eu não acredito. - Sasuke disse firme. 

- Eu sei que você não acredita que eu sou um fantasma, nem eu as vezes acredito nisso, mas você viu não viu? Ninguém olha para mim, eu estando diferente ou não. - Sasuke franziu o cenho, quando ele olhou para ela no terraço ela estava de costas seus cabelos e saia balançavam de uma forma tão sensual  e por ser tão longos que iam até o meio de sua bunda, deixava Sasuke mais tentado em pega-los para ver se são tão macio como parecia ser, e era quase impossível Hinata tê-lo visto estando de costas. 

- Mas isso não prova nada. - Hinata abriu a porta e deu passagem para Sasuke também entrar. 

- Venha, quero te mostrar uma coisa. - Hinata pegou a mão de Sasuke e o guiou até um espelho, era estranho aquele espelho na biblioteca, mas por mais que Hinata ficasse tentada a saber o porquê dele estar ali menos ela conseguia descobrir. A biblioteca, não era grande, tinha apenas quatro armários pequenos cheios de livro, dois ficavam do lado esquerdo, no meio havia um grande sofá com a mesinha de centro, no lado direito mais dois armários também cheios de livros, havia também uma janela grande que ficava exatamente no meio da parede contraria a porta, e atrás do último armário no lado esquerdo bem grudado na parede havia um espelho tão grande que ia quase até o teto, porém ia até o chão, e Hinata se posicionou  bem em frente a ele com o Uchiha logo atrás dela. 

- Você vê. - Hinata disse em um fio de voz. Sim Sasuke via, porém só via a ele, e mesmo que Hinata tentasse toca-lo, nada fazia efeito, era como se ela não existisse dentro daquele espelho, era como como se ela não existisse. 

..... 

Sasuke com toda a certeza jamais imaginou ver uma cena como aquela. Se alguém tivesse contado ele não acreditaria, porém lá estava sua namorada e seu melhor amigo se beijando na sala de aula, em pleno intervalo, e imaginar que ele sumiu só por um tempinho fazia seu ódio só aumentar, ele queria socar Naruto, mas pensando bem, ele fez a única coisa sensata que ele deveria fazer naquele momento, suspirar e ir embora. 

 - Sasuke??? - Ele definitivamente não esperava que Sakura o visse, mas ele deveria imaginar já que ela estava de frente a porta sendo esmagada por um Uzumaki que insistia em empurra-la mais e mais contra a mesa da professora. 

 - Sasuke. -Ele olhou para seu melhor amigo com todo o ódio que ele estava sentindo, fazendo o Uzumaki soltar Sakura. 

 - Sasuke não é o que você está pensando. - Sakura dava passos cautelosos até o Uchiha, ela sabia que o que ela fez era irreversível, ela perdera seu grande amor para sempre. 

 - Eu não estou pensando em nada, eu vi. - A voz de Sasuke fez Sakura parar onde ela estava, não estava próximo a Sasuke, mas o ódio e a forma ácida ao qual ele falou, fez com que ela entendesse a burrada que ela havia feito. Quando ela beijou o Uzumaki ela não pensou, ela só queria que ele calasse a boca, ou talvez ela só queria se sentir amada, quantas vezes Sasuke disse que a ama?? Ah é, nenhuma. 

  - Sasuke. - Sakura estava de cabeça baixa de vergonha, suas lagrimas já molhavam o chão de madeira, e ela sabia que não é e não seria somente esse chão a testemunha de suas enumeras lagrimas que ela derramaria por ter traído Sasuke. 

  - Sakura. - Ela não queria escutar aquela voz ainda mais quando soava como pena, por que ele não sentia vergonha também? Era o que ele deveria sentir não é? Ela levantou a cabeça e constatou o que ela já imaginava, o seu grande amor havia ido embora, mas ela não deixaria por isso mesmo, ela iria lutar para tê-lo de volta, mesmo sabendo que o que ela havia feito era irreversível. 

  - SAKURA. - A voz de Naruto parecia tão longe, assim como o sinal que havia soado para que todos voltassem as suas respectivas salas.  

Ela corria naqueles corredores como se sua vida dependesse disso, e todo seu esforço valeu a pena quando o viu entrar no corredor mal assombrado o que fez ela parar na mesma hora e se perguntar o que ele fazia ali, mas não tinha muito tempo ela tinha que alcança-lo. 

 - SASUKE. - Ele nem ao menos olhou para trás e a única coisa que ela viu ao entrar naquele corredor que tanto temia foi a porta sendo trancada pelo Uchiha. 

 - SASUKE ABRE A PORTA, POR FAVOR. - Lágrimas e mais lágrimas escorriam por seu belo rosto, enquanto ela batia naquela porta como se quisesse arromba-la. 

….. 

E novamente naquele dia ele a viu, tão linda como no primeiro dia, lendo seu livro ao qual ele não sabia nem o título, mas para ele não importava, ele estava se sentindo em paz ali, como se tudo tivesse sido esquecido e até mesmo o escanda-lo que Sakura fazia ao lado de fora não o alcançasse, era tudo silencioso e acolhedor. Sorriu de lado. Era estranho ele se sentir confortável com um fantasma, coisa que ele nem acreditava alguns meses atrás? Ele teve vontade de ri de si mesmo, mas a voz tão doce e calma o despertou. 

 - Senta. - Hinata batia sua mão direita no sofá para que Sasuke sentasse a seu lado, quando foi que ela havia largado o livro? Ele não sabia, mas ao olhar para a mesa de centro lá estava ele, pousado tão delicadamente e ainda aberto, teve vontade de saber o que ela tanto lia, mas seu corpo rumou para sentar ao lado dela, teve vontade de sorri novamente, até seu corpo o traíra naquele momento. 

Ele olhou para a Hinata achando que ela diria algo, mas ela nada disse apenas olhava a janela que tinha naquele cómodo. 

 - Vamos dar uma volta? - O Uchiha a olhou intrigado, mas não pelas palavras ditas por ela, mas sim pela mão dela estar sobre a sua. 

 - Me desculpe. - Ela logo tirou sua mão de cima da dele, estava sem graça?? Sasuke sorriu de lado. 

 - Tudo bem. - Ele definitivamente não queria dizer aquilo, ele queria dizer para que ela continuasse o tocando, porém seu orgulho falou mais alto.  

 - Não se preocupe ela não está mais aqui. - Ele franziu o cenho, ele não estava com medo da Sakura, mas a única coisa que recebeu em troca foi uma doce gargalhada, fazendo-o automaticamente sorrir se lado. 

 - É bem estranho, mas eu nunca vim aqui. - Hinata olhava tudo admirada apesar de passar anos naquela escola ela nunca havia ido lá, e era lindo, era um enorme jardim, com árvores, plantas, alguns bancos e mesas de cimento, tudo tão lindo e bem cuidado. Sasuke a olhou intrigado e ela sorriu. 

 - Uma vez eu tentei passar pelos portões, eu queria ver o mundo além daqui, mas quanto mais eu corria para fora, mais longe ficava o portão, eu entrei em desespero, mas eu entendi eu estou presa a esta escola. Eu sempre olhava esse jardim da janela da biblioteca mas, eu sempre tive medo de não poder chegar nela, assim como não pude sair daqui. - Era estranho para Sasuke sentir pena de alguém, ele nem se quer acreditava fielmente naquela história, mas ao olhar aqueles lindos olhos cor de pérola ele pode ver a dor, a angustia, o que fez ele ter vontade de abraça-la e foi o que ele fez, a abraçou coisa que assustou os dois, mas logo depois cederam para aquela deliciosa sensação. 

 - Obrigada, eu precisava disso. -  E como ela precisava, lagrimas escorriam sem que ela percebesse, desde que apareceu naquela escola sem saber ao certo o porquê e como, ela se sentia perdida, sozinha e INVÍSIVEL. 

  - Tudo bem. - Era estranho pensar que Hinata nunca tinha ido naquele lugar, o jardim ficava bem afastado da escola, porém ainda fazia parte da mesma, até onde ele sabia aquele jardim estivera ali desde à construção da escola a 70 anos atrás, apesar de estar bem mais arrumada e bem cuidada, ela sempre foi da escola. 

 - O que é isso? - Hinata se separou do abraço de Sasuke, fazendo ele soltar um palavrão baixinho, ele estava gostando daquele abraço. 

 - Eu ouvi dizer que a 70 anos atrás, quando a cidade estava sendo construída e também a escola houve uma epidemia que chegou a matar muitas pessoas até mesmo famílias inteiras, ninguém nunca soube o que realmente foi essa epidemia, mas ouvi dizer que ela parou do dia para a noite como se ela jamais tivesse existido, aí fizerem esse pequeno memorial para que eles nunca esquecessem das pessoas que morreram para que a cidade fosse erguida. - Sasuke olhava aquela pedra um pouco oval, de tamanho médio, para quem escutasse a história acharia a pedra pequena para o tamanho do sacrifício. 

 - Não é possível. - Sasuke foi tirado de seu devaneio e olhou para Hinata, ela que estava agachada em frente a pedra e tinha tirado um pouco do mato que tinha se formado ao redor do memorial, seu rosto assustado fez Sasuke se aproximar e abaixar para ver o que tinha deixado Hinata tão assustada. 

Hinata Hyuga e lá estava o que tinha assustado tanto Hinata, Sasuke pela primeira vez em toda sua vida não sabia o que fazer e muito menos o que dizer, ele estava tão espantado quanto ela.  

 - Voc-você morr-morreu por causa da epidemia? - Sasuke nunca havia gaguejado antes, não que ele tivesse se lembrado, mas naquela ora ele se sentiu tão imponente que simplesmente se sentia perdido. 

 - Eu não sei. - Hinata se levantou, mas não deixou de olhar o seu nome naquele memorial, ela não se lembrava do seu passado e nem de como morreu, ela se sentiu triste sim, mas por incrível que pareça ela não chorou. Talvez sua morte não tivesse sido tão triste assim, ou simplesmente por não se lembrar ela se sentiu mais perdida que triste. 

 - Eu sinto muito. - E naquele mesmo momento a ficha do Uchiha caiu, ela era mesmo um fantasma, ela realmente estava morta e o nome que estava escrito naquele memorial jamais o faria esquecer. 

 - Tudo bem. - Hinata o olhou sorrindo de um jeito meigo, mas o Uchiha podia ver através dos seus olhos a tristeza e como ela estava perdida sem saber o que pensar, assim como ele. 

…….. 

 - Você não à ama. - Assim que chegaram na biblioteca, Hinata foi dizendo o que ela queria dizer desde que o Uchiha foi se esconder da Haruno ali. Sasuke arqueou uma de suas sobrancelhas, ele não havia entendido nada do que ela estava dizendo. 

 - A Haruno, você não a ama. - Hinata quase riu do rosto de indignação que o Uchiha fez, oras mas ela não podia ser sacrificada por falar a verdade poderia? 

 - Por que você acha isso? 

 - Porque você não chorou. - Hinata dizia enquanto se sentava no sofá. 

 - E eu deveria chorar por uma mulher? - Hinata segurava o riso, era muito engraçado a cara de revolta do Uchiha, e ver ele cruzando os braços a baixo do peito em total desprezo foi ainda mais engraçado. 

 - Se você a amasse sim.  

 - Homens não choram. - Hinata arqueou uma de suas perfeitas sobrancelhas, aquilo soou bem infantil. 

 - Se você diz. - Hinata deu de ombro, ela sabia que o Uchiha era teimoso, e ela não iria discutir sobre isso, até porque ela nem mesmo sabia se já havia chorado por um homem. Ela somente sabia porque sempre via, garotos e garotas naquela escola sempre chorando por amor, por traição, amor não correspondido ou até mesmo felicidade de ouvir um sim eu te amo. 

……. 

Assim que viu Hinata esperando-o no portão da escola, usando um kimono todo branco, sorriu de lado, ela estava linda, apesar de que aquele kimono só o fazia lembrar o que ela realmente era, um fantasma.  

 - Pronto para o festival? - Hinata dizia muito animada, apesar de ele não estar nem um pouco animado, ele gostava de estar com ela, então somente isso o fazia ficar animado. 

Depois daquele não tão fatídico dia da traição de Sakura, Hinata e ele se viam todos os dias, ela até mesmo participava das aulas com ele, o corrigia quando ele respondia algo errado, fazendo ele a olhar de lado irritado, e ela cair na gargalhada. Sasuke nunca gostou muito de pessoas grudentas, mas estar com ela jamais se tornaria chato ou até mesmo irritante, ao contrario, a cada dia mais ele a queria por perto. 

 - SASUKE-KUN. - Sakura acenava para ele junto com os outros populares, Sakura não desistiu dele e todos os dias ela tentava algo, e mesmo ele sempre sendo rude ela não desistia, e ele sabia ela não desistiria tão cedo.  

 - Se quiser ir Sasuke. - Ele olhou para ela, e se perguntou mesmo que um instante que se ela fosse viva, ela aceitaria namorar com ele? Balançou a cabeça para poder afastar esses pensamentos, estava passando tempo demais com ela e já estava alucinando. 

 - Vamos?? - Sasuke olhou para o grupo novamente, porém a única coisa que fez foi virar para o outro lado, apenas a companhia dela era o bastante para ele. 

 …… 

 - Hahahahhaha, você viu a cara dele quando você sempre acertava as argolas, mesmo mirando errado? Hhahahha. - Era deveras engraçado jogar com um fantasma te ajudando. E naquele dia Sasuke deu seu sorriso mais sincero, ele tinha que admitir, foi um dos dias mais divertidos de toda sua vida. 

 - E a cara dele quando você me deu o urso " o urso está flutuando, o urso está flutuando", achei que ele ia desmaiar, hahhahahahahhah…. - Hinata não pode terminar o que estava falando já que Sasuke tinha a puxado e andava apressadamente. 

 - Onde está me levando Sasuke-kun? - Era tão bom escutar o kun vindo da boca dela, ele teve que suprimir um suspiro de excitação. Nem ele sabia onde queria ir, mas sabia o que queria fazer, e ao ver aquele corredor proibido tão conhecido por ele, suspirou de alivio. 

 - Por que estamos…..?? - Hinata não entendeu o que fazia na sua tão conhecida biblioteca, mas ao sentir os lábios do Uchiha no seus ela se assustou, porém logo fechou os olhos, ela ansiava por isso tanto quanto ele. O beijo era urgente, ansiavam tanto por isso que colaram mais ainda seus corpos. 

 - Hinata…. - Hinata não queria que aquele beijo acabasse nunca, então o beijou novamente. 

 - Sasuke. - Sasuke se assustou quando assim que se separou de Hinata viu lágrimas escorrendo em seu perfeito rosto. 

 - E- eu te machuquei….?? - Sasuke se calou assim que sentiu Hinata tocar seu rosto. 

 - Claro que não Sasuke-kun estou chorando de felicidade, eu não me sinto mais sozinha, obrigado por tudo. 

….. 

Sasuke mais uma vez enfiou a mão em seu bolso, ele definitivamente não sabia o porquê de olhar aquele pequeno embrulho o tempo todo, talvez ele estivesse com medo de perde-lo, já que era para alguém tão especial para ele. Pensar em especial fez ele voltar e lembrar tudo o que viveu esse ano naquela escola, nem em um milhão de anos se imaginaria apaixonado por um fantasma, era deveras estranho, mas ao mesmo tempo era um sentimento tão bom e tão puro quanto Hinata.  

Era Natal e ele definitivamente não deveria estar ali, deveria estar com a família, ou amigos tomando todas mas não, ele queria estar ali com ela, ela agora mais do que nunca fazia parte dele e ele também sabia que fazia parte dela. 

 - É lindo não é?? - Sasuke a procurou em toda a escola, já perdendo a paciência se lembrou do segundo lugar favorito dela, o terraço. 

 - É sim. - Sasuke ficou ao seu lado encostando-se no parapeito olhando-a, ele não se referiu de forma alguma as luzes que iluminava a cidade e muito menos os enfeites que tinha nas casas, e sim ela, a neve caindo de forma lenta parando em seus cabelos, ele estava fascinado em como seus cabelos e sua saia balançava conforme o vento soprava. 

 - Eu tenho um presente para você. - Hinata o olhava com um sorriso meigo, ela havia pensado muito em qual presente daria a ele. 

 …….. 

 - Toma, espero que goste. - Já na biblioteca, Hinata segurava um porta retrato. Ela não teve muito tempo para embrulha-lo, definitivamente foi muito difícil achar um presente que talvez o Uchiha fosse gostar, com as mãos tremulas e muito nervosa Hinata passou o porta retrato orando baixinho a kami-sama para que Sasuke gostasse do presente. 

 - Como ….?? - Sasuke disse confuso, mas foi logo cortado por Hinata. 

 - Aqui tem um clube de fotografia sabia? No festival tiraram essa foto, apesar de que eu não apareço na foto, o seu sorriso sempre me fará lembrar que eu estava ali, e presenciei a coisa mais linda que já vi, o seu sorriso sincero. Acho que esse presente é mais para mim que para você, mas imaginei que você ia querer se lembrar desse dia, assim como eu. - Hinata limpou algumas lagrimas que teimavam em cair. Na foto ela não aparecia, mas Sasuke a olhava, ela estava ao seu lado e ele teve que virar um pouco seu pescoço para encara-la, seu sorriso era tão verdadeiro, realmente estava tão feliz, que teve que se segurar para não chorar. 

 - Eu adorei, obrigado. - Hinata suspirou aliviada e sorriu, estava muito feliz por ele ter gostado do presente, Sasuke se aproximou e a beijou, ele não ia dizer em voz alta, mas esse dia foi um dos mais felizes de toda sua vida 

 - Esse foi o dia mais feliz de toda minha existência. - Bem, se ele não falava Hinata falava, ainda abraçado a ela ele a beijou novamente, nunca se cansaria disso. 

 - Eu também tenho um presente para você. - Sasuke tirou um pequeno embrulho do seu bolso e a entregou esperançoso. Hinata sorria como uma boba apaixonada, fazendo Sasuke também sorrir, bem não era apenas ela a boba apaixonada ali.  

 - Sasuke é lindo. - Hinata segurava o colar pela corrente de prata, a corrente era bem fina e apenas um pequeno coração de pedra de tom claro o enfeitava, o colar era tão delicado quanto ela. 

 - Quando meu avô morreu, reunimos para nos despedirmos dele, eu nunca fui muito ligado a ele, mal o visitava, sempre ouvi dizer que ele não era um bom homem, por isso meus pais evitavam vê-lo. Foi até estranho ver todos da minha família ali, já que eram poucas as pessoas que realmente gostavam dele. Eu achei esse colar em uma caixinha no quarto dele, achei bonito e o peguei. - Hinata arqueou uma de suas sobrancelhas. 

 - O que foi? Eu estava entediado, não que ele fosse ressuscitar e me tirar o colar. - Sasuke deu de ombro e Hinata riu. 

 - SOCORRO POR FAVOR, NÃO FAÇAM ISSO. - Quando Hinata tocou o pingente flashes do dia que foi morta passou em sua cabeça, era como se ela estivesse vivendo as mesmas coisas de anos atrás, agora. 

 - Hina est- está tudo bem? - Sasuke tentou se aproximar dela, porém ela se afastou e se encolheu em um canto longe dele, seu olhar era uma mistura de pânico, ódio, tristeza e esclarecimento. 

 - Sasuke es-esse pingente era me-meu. - Ela não tinha como conter suas lagrimas, elas caiam com tanta intensidade que ela jamais conseguiria conte-los, e mesmo que conseguisse ela não o faria. 

 - Com- como? - Sasuke a olhava de longe com os olhos arregalados, ele não estava acreditando no que estava ouvindo. 

 - Eu- eu não mor-morri com a epidemia, me ma-mataram. - Hinata tremia e se encolhia mais e mais, toda dor, todo ódio, veio à tona. Ela somente viu poucos flashes, mas o suficiente para que todo sentimento que teve na hora de morrer voltasse. 

 - Hinata. - Sasuke tentou se aproximar dando curtos passos, a compaixão que estava estampada em seu rosto faria qualquer um ceder, mas não Hinata. 

 - Po-por favor Sasuke não, eu-eu vi, olhos- olhos negros como os seus, poré-porém haviam uma frieza eu-eu…. - Hinata apertou seus olhos e ouvidos com toda a força, ela não queria se lembrar, não queria ouvir ela própria gritando de dor. 

 - Hina…. 

 - Por favor Sasuke vai embora.  

 - Hinata não… - Disse Sasuke com a voz baixa e tremula. 

 - Por favor. - Hinata se sentou no chão e abraçou o próprio corpo. 

 -  Tudo bem. - Sasuke apenas fez o que achou melhor tirar o colar de perto de Hinata e ir embora, ela não o queria mais. 

    ……. 

Sasuke nunca imaginou sentir tanta dor como naquele momento, cinco dias, cinco malditos dias que estava sendo covarde o suficiente para não ir ver Hinata, e o pior era que ele sabia que ela estava sofrendo, e ele? Bem, estava sendo um desgraçado correndo da rejeição, ele sabia que Hinata tinha o expulsado por medo, mas que ia precisar dele mais cedo ou mais tarde, porém ele era um covarde imaginando que estava fazendo o certo não se aproximando mais dela, afinal ela era um fantasma, mais cedo ou mais tarde isso ia acontecer já que ele não tinha a intensão de ficar preso aquela maldita escola. 

 - Sasuke, está tudo bem? - Fazia também 5 dias que ele estava trancado no quarto saindo apenas para comer, já que havia um toalhete em seu quarto.  

 - Vai se ferrar. - Ele sabia que sua família estava preocupada consigo, porém ele não estava nem um pouco a fim de ver gente nem mesmo sua própria família. 

 - Viu? Te falei mãe que ele estava bem. - Sasuke rolou os olhos, aquele Itachi era um desgraçado. 

 - Itachi. - Sasuke sabia que tinha um dedo de Mikoto no meio, suspirou não queria deixar sua mãe preocupada, mas adoro escuta-la reprovando o Itachi com que tinha dito. 

 - Vamos, logo logo ele melhora, ele só está com TPM. - Ah, mas Itachi ia ver só. 

….. 

 Sasuke olhava aquele maldito colar, os tão 6 dolorosos dias de Sasuke foi por culpa daquele objeto, amaldiçoou o dia que invadiu o quarto de Madara e roubou aquele colar. Ele ia jogar aquele colar desgraçado fora, andou até a cómoda para mandar aquele maldito colar para longe. 

 - SOCORRO POR FAVOR NÃO. - Sasuke soltou o colar tão logo que ele o tocou.  

 - Não pode ser. - Falou em um sussurro, ele viu aqueles homens nojentos a segurarem a levando para um lugar que ele conhecia porém não sabia ao certo onde a levariam, então se agachou e tocou novamente. 

 - Por favor Kami-sama à proteja. - Ele quis chorar naquela hora, viu Hinata com as mãos todas ensanguentadas unidas em uma prece, ela estava sentada já que o lugar era tão pequeno que não permitia que ela ficasse em pé, ele sabia onde ela estava e ia para lá naquele mesmo momento. 

 - Sasuke. - Ele escutou o sussurro de sua mãe, mas ele não podia parar, não agora. 


Notas Finais


Obrigado por lerem


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...