História Almas da Lua - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Aventura, Lobos, Magia, Romance, Sobrenatural
Visualizações 23
Palavras 2.625
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Fluffy, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Violência
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 11 - Lição número 3: O casamento dos lobos


Fanfic / Fanfiction Almas da Lua - Capítulo 11 - Lição número 3: O casamento dos lobos

Almas da Lua

 

Lição número 3: O casamento dos lobos

 

 

Fazia um tempo que já evitavam um ao outro, Aster não tinha certeza do porquê, mas sabia bem que Atticus ainda priorizava ser aceitado pelos Full Moon, ou seja, ainda não tinha mudado de ideia sobre deixar que a união entre ela e Bellamy acontecesse. Basicamente, nada havia mudado, além do fato que ela agora se sentia vazia e estranha.

As semanas se passaram rapidamente desde o ocorrido, e com o tempo, ela aprendeu a gostar um pouco mais de seu noivo, apesar de o mesmo viver ocupado e ficar pouco ao seu lado.  Sem ele, ela explorava os arredores, mas claro, sempre acompanhada de uma supervisão.

As chuvas haviam ficado mais fortes ultimamente e por isso Miran e Nia tiveram que adiar seus planos de se casarem, porém, finalmente uma frente de Sol apareceu, e hoje eles estavam preparando a cerimonia que aconteceria mais a noite. Toda a matilha estaria presente, inclusive ela e o alfa dos Full Moon.

Agora em seu quarto ela tirava o vestido mais apropriado para a situação, ele era azul bebe e ia até seus joelhos, Aster estava doida para usá-lo desde a primeira vez que o havia visto em seu armário, este que tinha sido preparado pelo próprio Bellamy. Então ao vesti-lo se olhou no espelho dando alguns toques finais e pegando um enfeite de flor.

Ao colocar a flor em seu cabelo se olhou no espelho, estava satisfeita com o resultado, mas não conseguia ficar animada por mais que se esforçasse em colocar um belo sorriso no rosto. Precisava deixar aquela sensação de lado, precisava se esforçar para não arruinar o dia de Miran e Nia, afinal, ela como a filha da Lua era responsável pelas bênçãos finais.

Sim, sim, sim, ela teve que ensaiar todos esses dias para fazer certo e não errar, só não estava muito confiante com o seu latim, afinal tinha uma frase inteira para ser dita. Ela não podia pagar mico na frente da matilha inteira, na frente dele, o que iriam pensar? Então essa é a herdeira? Toda atrapalhada.

Atrapalhada, era a verdade, mas não podia envergonhar Bellamy e os noivos, então se esforçaria para acabar não tropeçando no caminho ao altar. Também teria que se esforçar para agir normalmente na frente de Atticus, porque estava bem obvio a estranheza entre os dois, e Atlas, sendo a observadora que sempre fora, foi a primeira a perceber.

Aster chacoalhou a cabeça tentando afastar os pensamentos negativos, caminhou até a porta e logo viu Bellamy a sua espera, ele estava muito elegante e apresentável para a cerimônia. Seu cabelo estava repartido perfeitamente e seu terno era branco com alguns detalhes vermelhos.

- E então querida, já podemos ir? – Perguntou gentilmente.

- Podemos sim. – Aster sorriu ao pegar em seu braço estendido.

Ambos caminharam por entre a floresta, o casamento iria acontecer logo ao lado de onde moravam, então só precisaram andar um pouco para chegarem lá. Aster sorriu maravilhada com o resultado final, o lugar estava todo enfeitado com flores e banquinhos de madeira, sem falar das luzes penduradas e do caminho de pétalas brancas até o altar.

- Ficou tudo tão lindo. – Murmurou ao observar os convidados conversando entre si e a senhora Imogen que discutia com Miran no altar.

- Quando nos casarmos você terá tudo isso e muito mais. – Disse fazendo com que ela se sentisse culpada, estava ciente que ele não era sua alma gema, ou sabe se lá o que, mas desejava que ele fosse, pois, ser destinada a Atticus parecia somente complicar as coisas, e não se encaixava no contexto. – O que houve? Parece triste.

- Estou bem, só um pouco nervosa. – Mentiu. – Acho melhor eu ir até lá.

- Sim, claro. – Bellamy se soltou de Aster e sorriu de maneira reconfortante. – Não se preocupe, tenho certeza que você fará tudo certo.

- Eu espero que sim. – Aster despediu-se com um aceno e caminhou até o altar, suas mãos suavam frio ao perceber que todos olhavam para ela, com a mesma forma avaliativa. Miran sorriu para ela enquanto a senhora Imogen permanecia com a mesma carranca de sempre.

- Aster! Fico muito feliz por estar aqui para nos dar sua benção, realmente não sei como agradecer! – O homem lhe abraçou arrancando um sorriso seu.

- Porque não começa soltando-a, olha o jeito que age com a herdeira Miran, ela não é como você, tenha respeito. – A mais velha criticou fazendo ele abaixar a cabeça sem graça.

- Ah, perdão princesa.

- Não tem problema, eu não ligo. – Aster viu a avó de Bellamy critica-la com o olhar, mas a mesma não se importou, arrogância não fazia parte de sua personalidade. – O prazer é todo meu de poder abençoa-los. Gosto muito de vocês dois e desejo que sejam imensamente felizes.

Miran sorriu após ouvir suas palavras, estava pronto para dizer alguma coisa, mas foi interrompido pela ressente presença de outro lobo. Aster sentiu seus pés congelarem ao ouvir aquela voz estranhamente familiar e desejou poder desaparecer ao vê-lo parado a seu lado.

- Olha só, o homem mais sortudo da noite. – Atticus disse ao se aproximar de Miran para lhe dar um abraço. – Parabéns pelo dia meu amigo, espero que cuide bem de nossa doce Nia.

- Obrigado Atti, pode ter certeza que irei dar meu melhor para cuidar dela. – Miran estava com olhos brilhantes de alguém apaixonado, o que fez Atticus sorrir convencido.

- É assim que se fala. Agora me diz, já que o padrinho, no caso eu, está aqui, o que estamos esperando para começar esse casamento?

- Nia já deve estar chegando. – Aster se pronunciou fazendo a atenção se voltar para ela. Os olhos azuis de Atticus então a avaliavam minuciosamente, porém ele não parecia tão afetado por sua presença. – Acho que ela deve estar dando um tempo.

- É, deve ser isso.  – Miran concordou, ele olhava para frente procurando sua noiva, seus pés descalços batendo freneticamente na grama. – Ah! Lá está ela!

O homem concertou sua posição encarando a silhueta feminina que caminhava até eles. Nia estava linda, vestia um vestido branco que ia até debaixo dos joelhos, seus cachos dourados estavam enfeitados com pequenas flores assim como seu tornozelo, e os pés andavam pela grama verde descalços. Uma música de tambores começou a ser tocada enquanto a mesma se aproximava e Aster imaginou que talvez essa seria a marcha nupcial dos lobos, bem peculiar pelo visto.

- Miran e Nia. – Imogen se pronunciou quando os dois já estavam lado a lado, ambos sorrindo alegremente. – Hoje estamos aqui para unir suas almas como diz a tradição, mas antes preciso perguntar se ambos estão aqui por pura e espontânea vontade, pois, como dizem as regras de nossa matilha o divórcio é proibido e o casamento é irrevogável. Então, sim ou não?

- Sim. – Responderam em união.

- Ótimo. Agora todos os convidados e vocês devem assumir sua forma original lupina, para que possamos prosseguir com a união. – Todos naquele lugar se transformaram em lobos, menos Aster, a senhora Imogen e Atticus. O que fez a garota se perguntar como ninguém desconfiava do comportamento dele. - Matrem Luna, hic sumus, eius filii congregata in unum locum, te rogamus, omnipotens benedicat hoc iugo, et eorum animas, et eorum corda sunt coniuncta semper, quod usque ad finem vitae suae, et nihil separat eos, mea dea, nos ab eo petere. Eos, benedicat eis, diligentes, et sic dilexerunt. O regina lux, semper prope, gratias tibi ago.

Os noivos, agora em forma de lobo, tinham as cabeças abaixadas enquanto a velha anciã punha sua mão sobre eles. A mesma recitava palavras sussurradas impossíveis de serem ouvidas, logo depois tirando da mesa duas fitas vermelhas e prendendo na pata de ambos.

- Herdeira. – Imogen chamou Aster, fazendo com que todos olhassem-na na expectativa, inclusive ambos Miran e Nia. A garota então se aproximou em passos incertos, sabia o que deveria fazer, mas isso não diminuía seu nervosismo.

Suas mãos tremulas pegaram a areia que havia em um dos potinhos e ela fechou seus olhos, pensava nas palavras que deveria dizer em sua cabeça, e logo que os reabriu, sabia que deveria pronuncia-las em voz alta.

- Ego, filia Luna, heres ad lucem, in nomine mater mea et ego benedicam haec animas, ut possint vivere in pace et in amore invicem aeterno, ut eius vinculum fieri quotidie magis fortis, et quod nihil mali separata. Benedicam tibi. – Aster jogou a areia que estava em sua mão no ar, fazendo com que ela se espalhasse pelo ar. Ela estava impressionada pelo fato de não ter se esquecido de nenhuma palavra, só esperava ter pronunciando-as da maneira correta. – Eu vos declaro mates.

Todos os lobos uivaram em forma de comemoração, e Aster sorriu ao ver os dois encostarem o focinho um no outro, a cena realmente foi mais emocionante do que esperado. Atticus também parecia feliz por seus dois amigos, e ele acenou para Aster que logo retribuiu o gesto.

 

Assim que a cerimonia acabou a festa começou, todos pareciam muito animados, dançando e conversando um com os outros. Nia e Miran não poderiam estar mais apaixonados, dançavam e dançavam perdidos em seu próprio mundinho, enquanto isso ela e Bellamy estavam sentados aproveitando a vista.

- Sabe. – O alfa interrompeu o silencio. – Espero que possamos ser tão felizes quanto eles um dia, apesar de não nos conhecermos bem ainda, sei que posso aprender a ama-la, se é que já não amo. – Ele disse, e novamente Aster se sentiu mal por tudo aquilo, se ela se cassasse com Bellamy não haveria voltas, ela não podia prendê-lo sabendo quem realmente é o certo, seria errado e egoísta esconder esses fatos dele, mas...

- Sim, também espero poder ama-lo um dia. – Mentiu novamente fazendo com que ele a olhasse de forma avaliativa.

- Aster, eu...- Antes que pudesse terminar de falar, foi interrompido por um lobo que parecia extremamente cansado.

- Alfa, precisamos de você na fronteira, é uma emergência. – Bellamy pareceu surpreso com o pedido, mas logo suas feições se tornaram serias e sua postura enrijeceu.

- Já estou indo. – Respondeu brevemente. – Atticus!

- Alfa. – O garoto de olhos azuis logo apareceu na frente deles, não esperava ser chamado por seu líder justo naquele dia. – Me chamou?

- Chamei. – O homem sorriu para Aster antes de se levantar pronto para partir. – Por que não leva minha noiva para dançar? Preciso resolver um assunto, mas estarei de volta, enquanto isso faça companhia a ela.

- Ah, não precisa. –Aster havia dito, porém, o alfa já não estava lá. A garota então olhou para Atticus sem saber o que fazer, suas mãos tremiam e sua mente estava conflituosa, como se a mesma não conseguisse raciocinar direito.

- Vamos logo coelhinha, não é como se eu fosse te morder. – O garoto pegou sua mão à puxando para a “pista de dança”, ela queria poder sair correndo, contudo percebeu ser tarde mais ao sentir seu corpo rodopiando ao lado do dele.

- Eu não danço bem. – Ela murmurou, logo ouvindo uma risada que parecia encher sua audição e faze-la olha-lo surpresa. – O que foi?

- Tem como parar de me evitar? Não cansou de achar desculpas estupidas ainda?

- Te evitar? É você que está me evitando, e eu realmente não danço bem. – Aster suspirou enquanto tentava não pisar no pé dele.

- Não estava te evitando, precisava de tempo para pensar.

- Sobre o que? Assim, sobre eu ser sua alma gêmea ou sei lá o que, bem, eu sinto muito por isso, mas a decisão não foi minha. – Ironizou sem perceber a tristeza nos olhos de Atticus. – E além do mais, o que isso muda? Você ainda me odeia e o casamento entre mim e Bellamy irá acontecer de qualquer forma.

- Eu não te odeio. – Disse com firmeza. – É só muita informação para processar, afinal, eu sou um alfa agora, um alfa sem matilha.

- Sinto muito pelo que aconteceu com os New Moon, porém, você precisa parar de se esconder Atticus, principalmente agora que sabe da verdade.

- E o que? Serei morto publicamente, Bellamy me deceparia na frente de todas as matilhas. – Ele rosnou ao pensar na humilhação que passaria se fosse pego. – Não, fui tolo ao imaginar que se fizesse tudo certo seria poupado, eu sou um New Moon, sou uma ameaça, sou uma aberração, é claro que me matariam.

- Atticus, se você está aqui agora é por algum motivo, sua deusa se mostrou misericordiosa, acho que ela não deseja seu fim. – Aster olhou no fundo dos olhos dele segurando seu rosto delicadamente. – E você não é um monstro e nem uma aberração, eu tenho certeza que não é.

- Espero que esteja certa, coelhinha. – Ele sorriu fazendo com que ela sorrisse também, ambos dançavam, até que uma música muito familiar começou a tocar e Aster olhou para os lados surpresa.

- É sério? Vocês ouvem James Blunt? – Perguntou sorridente enquanto escutava a batida familiar de Same Mistake.

- O que esperava?

- Não sei, talvez a playlist da tribo com uns batuques na maneira.

- Somos lobos, não homens da caverna. – Aster riu repousando sua cabeça no peito dele. – Ei, tem algo que eu quero te mostrar.

- Agora?

- Agora. – Atticus enlaçou suas mãos levando-os até mais dentro da mata, Aster estranhou seu comportamento repentino mas decidiu não dizer nada. Estava tudo escuro, entretanto uma luz no final foi perceptível, era a lua que brilhava iluminando as águas do rio.

- Que lugar é esse? Não tinha visto ele antes. – A garota perguntou admirada.

- Do outro lado desse rio fica o território humano, essa é a divisão entre os dois mundos. – Ele se sentou indicando para que ela fizesse o mesmo. – Gosto de vir aqui para pensar nas coisas.

- Entendo o porquê. – Aster sorriu ao observar o lugar. – Aqui é lindo.

- Sim. – Suspirou. – Aster, sobre o que aconteceu a algumas semanas atrás...

- Não precisa dizer nada Atticus, eu entendo, você não tem que se forçar a gostar de mim.

- Aster, me escuta. – Ele disse, segurando seus ombros fazendo ela o olha-lo. – Nessas semanas estive pensando sobre tudo o que aconteceu e eu estou tão confuso quanto você, talvez até mais. – Pausou antes de recomeçar. – O que eu quero dizer é que eu nunca poderia te odiar, porque quando eu parei para entender, apesar de querer negar, eu sei que...que estou me apaixonando por você.

Ouve um breve silencio, ambos se encararam, a atmosfera pareceu até mesmo ficar mais pesada conforme eles trocavam mais olhares. Atticus parecia surpreso por ter admitido aquelas palavras tão facilmente, e um certo medo o invadiu do nada.

- Mas, você não precisa sentir o mesmo que...- O garoto sentiu a textura macia dos lábios de Aster nos seus, e para a surpresa de ambos ela havia o beijado, fazendo o coração dele bater dez vezes mais rápido do que o normal.

A garota não sabia bem o que estava fazendo, havia agido por completo impulso e era primeira vez na vida que fazia algo do tipo. Ele então a beijou de volta tornando o momento ainda mais eletrizante, ela podia jurar que sentia as pequenas faíscas nas suas veias, e ele podia jurar que seu coração explodiria a qualquer segundo, ambos nunca haviam sentido tal sentimento, era algo fora desse mundo.

- Me deixe reformular. – Atticus disse ao se separarem. – Acho que já estou apaixonado por você.

 

 

 

Então enquanto me reviro nos lençóis, e mais uma vez não consigo dormir, saio pela porta e subo a rua, olho as estrelas debaixo dos meus pés, lembro das coisas certas que fiz erradas, então aqui vou eu. – Same Mistake – James Blunt.

 

 

Almas da Lua

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...