1. Spirit Fanfics >
  2. Almas Sujas >
  3. Cap 2

História Almas Sujas - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


(Personagem criado por mim)

Capítulo 2 - Cap 2


Fanfic / Fanfiction Almas Sujas - Capítulo 2 - Cap 2

JAE PIERRE

Jae Pierre era um rapaz que todos admiravam, vindo de uma família rica e extremamente importante na Alemanha e Japão. Era muito bonito e sempre foi o centro das atenções das pessoas ao seu redor por seus vários talentos. Estava sempre sorrindo, tinha muitos amigos e amigas, podia namorar a garota que quisesse e nunca lhe faltava nada, isso, na visão exterior.

Jae tinha uma personalidade completamente diferente quando estava sozinho, ele odiava todos ao seu redor, tudo o desprezava ele queria por um fim nessa agonia de viver uma vida que ele nunca quis apesar de ser julgada a vida perfeita, Jae tinha problemas sérios de raiva e costumava sempre malhar para aliviar- se, com isso conseguiu um belo corpo e força. Todos o conheciam, todos o admiravam, todos queriam ser como ele, mas Jae tinha duas faces. No aniversário de 7 anos do garoto, Jae havia ganhado um gato, gato esse que sempre o irritava por soltar pelos, se esfregar em suas pernas, derrubar coisas e também o cheiro da caixa de areia, certa noite Jae estava dormindo e o seu gato, que se chamava mail, andou por cima de si em sua cama, o garoto acordou furioso e apertou o pescoço do gato que se contorcia em agonia até parar de se mexer, ele jogou o corpo do animal pela janela e no dia seguinte, acordou mais leve, calmo e com uma sensação imensa de prazer e satisfação. Desde esse dia, o ato cruel contra animais começou a se tornar mais frequente, ele sempre fazia algo a noite, escondido de todos para saciar sua vontade psicopata, até.. que aos 15 anos, isso começou a ficar entediante mas ele não queria parar, então ficou meses se preparando para fazer o mesmo, com pessoas. Após sua primeira vítima, um cara que sempre o pedia dinheiro emprestado para bebidas e drogas que foi morto pelo rapaz por espancamento, Jae decidiu que investiria nisso, e passava seu tempo livre pesquisando sobre como realizar assasintos perfeitos e dos 15 até os 17 (idade atual) Jae Pierre já matara 8 pessoas. Sua família sempre o apoiou em tudo, sempre o incentivavam a fazer coisas novas e enchiam Pierre de responsabilidades, tais como um dia, herdar toda a fortuna de seu pai e ser chefe de enormes empresas. O garoto sempre teve o desejo de dar um fim em sua família, mas ele sabia que dependia deles pra muita coisa.

Janel: Jae querido! Venha comer algo!

Gritava a mãe do rapaz lá do andar de baixo, chamando o filho que estava em seu quarto revisando um plano a ser realizado naquele mesmo dia. O garoto guarda tudo em uma pasta e tranca em um cofre, depois disso, desce até a cozinha.

Janel: Oque estava fazendo?

Jae: Ainda pesquisando algo sobre a faculdade, minha formatura é hoje a noite e eu ainda não decidi a melhor opção.

Janel: Tenho certeza que será aceito em qualquer uma! Chá?

Jae: Na verdade, eu vou comer na cafeteria aqui perto pode ser?

Janel: Claro! Volte antes de seu pai chegar, ele tem algo pra você.

Jae: Tá bom!

O garoto se despede da mãe com um beijo em sua testa e um sorriso singelo, e sai para a cafeteria.

                        /Na cafeteria/

Jae: Um café forte com adoçante por favor!

Atendente: Bem vindo Jae, é pra já!

Ele recebe o pedido e senta ali mesmo, nos bancos que haviam em frente ao balcão. Estava quase terminando quando nota uma menina de cabelos brancos se aproximar do balcão e fazer seu pedido.

Jae: Sem açúcar? Que tipo de pessoa você é?

A garota o olha e o ignora, oque era novo para Pierre pois todos o tratavam como um membro da família.

Jae: Sabe quem é?

Atendente: Ela vem sempre aqui mas nunca fala nada além do pedido então não sei qual o seu nome.

Jae: Ah.. Aqui está, pode ficar com o troco.

Disse Jae pagando com uma nota de 100 um pedido de 8,70 e vai até a mesa da garota que lhe deixou intrigado. Ele fica parado lá frente ela esperando que ela dissesse alguma coisa, mas foi novamente ignorado. Planejava ficar mais um pouco mas ao ver as horas percebe que tem que voltar para casa. Ele da um sorriso discreto e risada anasalada e vai embora.

Chegando em casa, poucos minutos após entrar na sala, seu pai chega.

Pietro: JAE! Venha aqui meu filho!! Hahahah!

O pai de Pierre era sempre muito animado e orgulhoso do filho. O homem chegava em casa e foi direto de encontro a Jae.

Jae: Oi pai, bem vindo!

Pietro: Meu garoto! Finalmente se formando em!?

Jae: É.. hahah.

Pietro: Eu como o melhor pai do mundo, nao podia deixar por isso então eu quero lhe entregar pessoalmente o seu presente.

Jae: E oque seria?

Pietro: Venha comigo, irá descobrir quando chegarmos.

Janel: Não voltem tarde! A formatura é daqui a poucas horas.

Jae: Sim senhora.

Pai e filho entram em um carro e Pietro dirige até o local do presente. Pierre já sabia oque era, seu pai era péssimo em esconder algo. Era uma casa enorme á algumas quadras da de seus pais para que ele morasse lá. Chegando no lugar, em frente a enorme mansão Pierre sai do carro acompanhado de seu pai.

Pietro: Adivinha? Isso aqui é pra você!

Jae: Fala sério?! Nossa! Obrigado! Uau!

Pietro: Hahahha.. sabia que ficaria muito surpreso, nem desconfiava né?

Jae: Realmente não estava esperando.

Pietro: Agora você irá morar sozinho e irá se concentrar melhor nos estudos e nas empresas, mas não deixe nos visitar! A mobília já está toda aí então só iremos mandar trazerem suas roupas. Agora vamos voltar porque eu pessoalmente irei levá-lo a sua formatura, e quando chegar, já pode se mudar pra cá!

Jae: Certo, muito obrigado.

Os dois voltam pra casa e estavam prontos para saírem mas o pai de Pierre recebe uma ligação e tem que sair para uma reunião de emergência, então o garoto acaba indo sozinho em seu carro para a escola. Ao chegar lá, é recebido por uma multidão ao seu redor e vários elogios de garotas atiradas que eram afim dele. Ele adentra a escola e vai para uma das principais mesas do salão, onde estavam mais 2 amigos e 3 garotas. Papo vai, papo vem, e na mesa surge um assunto sobre feminismo e empoderamento feminino, até que uma das garotas, que estava ao lado de Pierre, pronuncia-se sobre o debate.

Yuna: Feminismo é um movimento idiota criado por lésbicas. Não tem utilidade alguma. Me diz uma vez em que feminismo salvou alguém? É desnecessário, nós mulheres não precisamos dessa proteção exagerada, parecem até que tem medo de homens ahahhaha.

O restante da mesa riu junto com a garota apenas para abafar a idiotice que saira de sua boca.

Jae: Não sabia que tinha opiniões tão fortes Yuna. Fiquei até mais interessado em você.

Yuna: S-Sério? Ah..hahah, eu posso ficar falando por horas sobre vários assuntos assim.

Jae: Então teremos uma noite muito agradável.

Em meio a conversas e debates que rolavam na mesa se ouve um alvoroço na mesa de bebidas, que parecia uma briga.

Louise: Que bagunça é essa?

Os colegas de Pierre saem da mesa para irem ver o alvoroço e resta apenas ele e Yuna.

Jae: Que tal aproveitarmos essa distração e dar uma "passeada" no andar de cima?

A garota sorri pra ele entendendo sua intenção e aceita o convite. Chegando em uma sala bem afastada, que ficava a alguns metros da diretoria, os dois entram aos beijos e Pierre fecha e tranca a porta. 

Yuna tirava a camisa de Pierre enquanto o garoto marcava seu pescoço, uns minutos ali e eles se separam.

Jae: Espere um pouco aqui. Eu tenho algo pra você.

O garoto entra em um apertado banheiro que tinha na salinha deixando Yuna curiosa e bem exitada. Ele volta usando luvas e sacola nos pés, e parecia segurar algo atrás das costas.

Yuna- Jae oque que é isso? É algum fetiche? Eu posso fazer oque quiser, é só me contar.

Jae: Porque não cala a boca? Pra sempre?

Yuna: O-Oque quer dizer? Porque está agindo assim? Oque voc- 

O rapaz chega próximo de Yuna e a empunha-la uma faca em seu estômago.

Yuna- S-Socorro!!

A garota não consegui gritar mas pediu por ajuda alto o suficiente para qualquer um que passasse em frente aquela porta neste exato momento, escutasse algo.

Ele a golpea novamente, inúmeras vezes, no mesmo e exato local até que sangre até a morte. Por fim ele a deita no chão e faz um corte raso em seu pescoço, como uma marca e antes que pudesse se levantar para esconder o corpo, ele percebe a presença de uma outra pessoa que ali assistia seu crime. A garota que ali estava apenas sai sem qualquer expressão de medo ou surpresa, oque deixou Pierre confuso.

Jae: MERDA!

Ele sai de cima do corpo de Yuna e leva consigo a faca que usou. Ele segue silenciosamente a menina por trás e quando chega perto o suficiente, a golpea com a parte de trás da faca, a fazendo desmaiar. Ele carrega a menina até a sala que estava antes e depois de reparar em seu rosto, lembra que é a garota da cafeteria a qual também tinha falado na escola.

Pierre: Então, Não/Negativo está bisbilhotando assassinatos alheios han? Que merda! Não posso matá-la mas nem deixar ela sair por aí.

O rapaz suspira e antes que qualquer coisa, limpa a sujeira que tinha feito ao matar Yuna. Limpando também o local e tomando cuidado com qualquer pista que poderia levar até ele. Ele coloca o corpo de Yuna no banheiro que havia na sala e pega a garota da qual ele se referia como Negativo em seus braços e tenta sair com ela, desmaiada pelos fundos da escola. Quase chegando a saída, Jae é parado por um zelador.

Zelador: Jae? Oque houve? Ela está bem?

Jae: Sim, ela acabou bebendo muito e eu a estou levando pra casa dela, eu a conheço.

Zelador: Quer ajuda?

Jae: Não precisa, mas obrigado!

Zelador: Você é um menino de ouro hahha!

Pierre da um sorriso de agradecimento pelo elogio e segue levando Negativo para o carro que, depois de entrar, vai até a sua nova casa com a garota. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...