História Almas Trigêmeas - Segunda Temporada - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Tags Hashimada, Hashimito, Tobimada, Tobimito
Visualizações 52
Palavras 1.375
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi!

Conforme prometido, teremos mais um pequeno capítulo hoje, espero que gostem.
Boa leitura!

Capítulo 4 - Os Irmãos Senju


Fanfic / Fanfiction Almas Trigêmeas - Segunda Temporada - Capítulo 4 - Os Irmãos Senju

Butsuma Senju era considerado por muitos, um dos alfas mais orgulhosos de que se tinham notícias. Sempre fechado e mal-humorado, seus pais haviam ficado realmente em dúvida se seu filho poderia algum dia encontrar sua cara metade, uma ômega que o completasse e o aturasse e por isso foi uma surpresa quando um dia chegou com uma bela mulher de longos cabelos albinos e exuberantes orbes rubis, a qual tornou-se sua mulher.

                Com sua esposa, o alfa teve quatro filhos, os quais eram: o primogênito Hashirama, um alfa doce, extrovertido e infantil; seu segundo filho Tobirama, um alfa sério, maduro e em alguns momentos mal-humorado, como seu pai; seu terceiro filho Kawarama, um beta amável, simpático e corajoso; e seu pequeno caçula Itama, o único ômega, um pequenino doce, lindo e chorão, em sua opinião.

                Orgulhoso e tradicional, o Senju quase havia tido um ataque cardíaco, quando seu filho beta havia chegado um dia com a ideia de estar apaixonado, o que para o patriarca não era um problema, pelo menos não até saber de quem se tratava a paixão secreta de seu filho, ninguém mais que seu pequeno e ômega caçula.

                Enlouqueceu, brigou com o garoto, desejando tirá-lo aquelas ideias doentias e vendo que não seria possível, enviou-o a um colégio interno, muito longe de onde moravam, talvez dessa forma o garoto pudesse esquecer a ridícula ideia dessa paixão descabida e caso não ocorresse, simplesmente resolveria a questão casando-o com uma beta de boa família e seu caçula com uma alfa forte e dominante.

                Hashirama e Tobirama não concordaram com o que seu pai havia feito, mas não podiam fazer nada, já que nesse momento ambos enfrentavam seus próprios problemas, já que haviam acabado de descobrir sua Lua, em meio a um festival da cidade, e para a surpresa de ambos, era a mesma pessoa, uma linda ruiva, de longos cabelos, olhos azuis e suave odor a amêndoa e coco, de nome Mito Uzumaki.

                Havia sido complicado aproximar-se da garota, a família desta era contra e muitos deles, incluindo a irmãzinha menor desta, de treze anos, Kushina, não acreditavam no sentimento sincero de ambos, como poderiam acreditar em um relacionamento sadio a três? Para eles, Hashirama e Tobirama só queriam divertir-se com a única ômega da família.

                Foi difícil conquistar a confiança de seus sogros, o cortejo foi longo, quase um ano demorou para que ambos alfas conseguissem a mão de sua Lua em casamento, sob a bênção dos pais desta.

                Butsuma, como o preconceituoso que era, obviamente era contra, dois alfas com uma ômega? Era descabido. Porém não podia fazer nada, seus filhos eram maiores de idade e pior, alfas, podiam fazer o que quisessem, sem precisar de sua aprovação e sem que ele os pudesse controlar, por isso resolveu deixá-los em paz e concentrar toda sua atenção em seus dois filhos menores, que o davam ainda mais trabalho que os mais velhos.

                Estavam felizes, tinham sua mate e em pouco tempo se casariam, porém a tristeza de seus irmãos os preocupava, e foi em um dia, onde haviam combinado de se encontrar em um parque, com seu irmão beta, que havia fugido do internato, que o encontraram.

                Haviam combinado de encontrar Kawarama ao lado da barraca de algodão doce, próximo ao carrossel, quando sentiram o doce e suave aroma, que impregnou suas narinas e os fez suspirar. Tobirama, que era mais atento, foi o primeiro a perceber, tencionando seu corpo e movendo os pés sem nem mesmo perceber. Hashirama ao perceber seu irmão se distanciando, encarou na mesma direção, sentindo seu coração disparar e seu lobo se mover dentro de si, indo atrás do mais novo, que já encontrava-se às costas do perfumado ser que havia sentido.

 

- São 61,64 ienes. – falou o vendedor da barraca, o castanho percebeu que o garoto de costas buscou algo em seu bolso, porém antes que pudesse alcançar o dinheiro ao vendedor, Tobirama foi mais rápido e pagou ao homem, chamando a atenção do ômega, que virou-se em sua direção, paralisando ao encontrar a ambos alfas, agora lado a lado, e sem que ele se propusesse, um sorriso escapou de seus lábios. Porém, o que não esperavam era que, no exato momento em que seus olhos se conectaram ao par de ônix à sua frente, três odores explodiram e ambos alfas puderam sentir mais intensa, a agradável essência de algodão doce e rosas, nenhum dos dois podia crer, tinham outro ômega e o mais incrível, novamente o compartilhavam.

 

                Seus corpos começaram a esquentar e seus lobos a arranhar suas entranhas e uivar desesperados, querendo avançar e marcar ao ômega à sua frente, que assustado, começou a retroceder, sem sucesso, já que a cada passo seu para trás, os alfas davam dois à frente.

                Batendo com as costas em uma parede, o ômega paralisou, sentindo-se acurralado, seu medo crescente, por não saber o que ocorria. Desejando acalmá-lo, liberaram mais seus odores, vendo como o menor fechava os olhos, desfrutando ambos os perfumes, um fresco e um picante. Conjuntamente, os alfas sorriram, seus olhos mudando de cor, o que antes era castanho se tornando em um brilhante dourado e o antes avermelhado adquirindo um intenso verde.

                Seus lobos uivaram, suas presas saíram e seus rostos aproximaram-se à perfumada pele contrária, ambos prontos para marcar à sua presa, antes mesmo de tomá-lo, quando um par de mãos puxou ao menor e ambos irmãos, puderam ver um moreno os encarando furioso.

                Os alfas rosnaram pela intervenção, porém nada puderam fazer para impedir que aquele homem levasse sua recém descoberta Lua, seus lobos uivando desesperados, implorando para que fossem atrás dos desconhecidos, foi nesse momento que ouviram a voz de seu irmão.

 

- O que houve? Por que estavam com o Uchiha?

 

_____     x    _____

 

                Kawarama teve dificuldades para acalmá-los e levá-los embora, ambos alfas ao perceberem que o menor sabia quem era seu ômega, ou pelo menos o pai deste, o interrogaram, desejando que o beta os levasse até o lar do garoto de perfume a algodão doce e rosas, o lindo moreno que encontraram no parque, porém este se recusou, mesmo após ouvir a voz de comando, era um beta, aquilo não o afetava, pelo menos não a ponto de se submeter.

                Três dias depois, quando o cio dos alfas havia acabado e estes haviam se acalmado, os três irmãos puderam conversar melhor, os dois mais velhos sentindo-se mal ao verem o barraco onde o menor se escondia.

 

- Tajima Uchiha, esse é o nome do alfa que viram. Ele é conhecido de otou-san, os dois não se dão muito bem, na verdade se detestam. – o beta os revelou naquela manhã, enquanto tomavam café na pequena mesa de quatro lugares.

- Ok, então nosso ômega é o filho do inimigo, rival, ou não sei que, de otou-san. Isso não é bom. – expressou o mais velho dos três com um suspiro, sentindo-se desanimado.

- Otou-san nunca vai permitir que nos aproximemos desse ômega. – o do meio jogou a cabeça para trás, frustrado, enquanto o mais novo os encarava com as sobrancelhas franzidas.

- Estão brincando, não é? Vão desistir assim? Antes mesmo de tentar? São alfas ou ratos? – perguntou o beta com irritação, seus irmãos, mesmo sendo alfas, às vezes pareciam mais fracos e covardes do que ele.

- É claro que somos alfas. – argumentou irritado o alfa menor.

- Então portem-se como um. Sou um beta, não tenho isso de parceiro destinado, dessa ligação tão profunda entre dois seres de classes diferentes, mas sei o que é o amor e jamais desistiria da pessoa que amo, vocês vão desistir? Tão fracos assim são? – as palavras do menor os atingiu como golpes, tão estúpidos eram para deixar seu mate antes mesmo de tentar? Com energias renovadas, ambos decidiram.

- Não. Iremos lutar por ele e não vamos desistir até tê-lo a nosso lado, como nosso esposo. – o mais velho e mais alto dos três falou.

- Precisaremos da sua ajuda, Kawarama. – o albino concluiu, tirando um sorriso do menor dos três.

- É claro, porém tenho uma condição. – ambos mais velhos o encararam aguardando a proposta, que os pegou de surpresa – Os ajudo com seu ômega e vocês me ajudam com o meu. Irão me ajudar a fugir com Itama. 


Notas Finais


E por hoje é isso, espero que tenham gostado.
Comentários deste e do capítulo passado serão respondidos todos amanhã.
Nos vemos amanhã, no próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...