1. Spirit Fanfics >
  2. Almas Trigêmeas - Terceira Temporada (Deltas) >
  3. Tragédia

História Almas Trigêmeas - Terceira Temporada (Deltas) - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Oi!

Como podem ver pelo título, este capítulo é um tanto quanto trágico, contém abuso sexual e morte de personagem.
Boa leitura!

Capítulo 6 - Tragédia


Fanfic / Fanfiction Almas Trigêmeas - Terceira Temporada (Deltas) - Capítulo 6 - Tragédia

Shisui já não conseguia ser o mesmo com seu irmão mais velho, agora que entendia seus sentimentos via tudo de forma diferente e a sensação de posse que sempre havia sentido pelo primogênito Uchiha-Senju só havia se intensificado, não suportava ver Kagami próximo a alguém mais, principalmente se esse alguém era ômega. Estava disposto, disposto a enfrentar tudo, todo o preconceito e olhares feios que sabia que viriam, inclusive sua própria família, apenas para ter ao alfa menor a seu lado, mas todos esses pensamentos se viram freados naquele dia, em que presenciou a terrível cena.

 

- Vamos delta, não é disso que você gosta? – falou o enorme alfa com sarcasmo enquanto empurrava a si mesmo dentro do menor, que mesmo tentava não podia se desvencilhar.

- N-NÃO! – o outro alfa gritava entre lágrimas, sendo segurado por mais três, testemunhando como um a um aquele grupo de alfas ultrajavam a seu companheiro, que só podia chorar. Shisui estava em choque, sentia vontade de vomitar.

- Bonito, não? – falou a ômega com um sorriso, chegando a seu lado e o chamando a atenção – É isso o que acontece com aberrações nojentas, é isso o que merecem. – o moreno estava em choque, a encarando horrorizado – Veja Shisui, veja o que acontece quando não se segue o correto. – tentou desviar o olhar, mas seu rosto foi brutalmente virado por um alfa, o qual não havia notado a presença até agora, a terrível imagem de Yagura Morita sendo violentamente abusado por seis alfas, enquanto seu companheiro, Utakata Nakajima, completamente destroçado pela surra que havia recebido, só gritava pedindo que parassem, enquanto tentava em vão se desvencilhar, sentindo-se tão destroçado que já nem podia se transformar, era terrível e todos à volta pareciam estar se divertindo com a situação, ninguém fazia nada para ajudar, pelo contrário, alguns gritavam incentivando o terrível ato, enquanto riam do casal delta – É isso o que acontece quando não se segue as regras, Shisui. Seria terrível se acontecesse com alguém próximo à você, não acha? – e seu coração bateu com força pelo medo ante a evidente ameaça no tom de Yui, sentia-se acurralado agora.

 

_____     x    _____

 

                Uma semana depois a notícia da morte de Yagura Morita e Utakata Nakajima havia se espalhado por toda a escola, o alfa menor não havia suportado todo o ocorrido, se suicidando dois dias depois, deixando seu companheiro em uma depressão tão profunda, que em menos de três dias o havia acompanhado, após todos seus órgãos internos terem se deteriorado, seu lobo havia morrido pelo ausência de seu mate, e com ele o humano.

                Uma onda de diferentes sentimentos havia se espalhado pela escola, a maioria acreditando que o casal delta havia recebido seu merecido e que haviam buscado seu destino, por andarem em um caminho torto e pecaminoso, ainda que havia uma pequena parte de estudantes que não concordavam com isso, sentindo-se revoltados por todo o ocorrido, dentre eles Nagato Uzumaki Senju, um dos únicos que havia tentado parar a atrocidade da semana anterior, mesmo também havia acabado apanhando.

 

- Só pode ser brincadeira. – falou o alfa ruivo, agora com seus catorze anos, sem acreditar no que via.

- Não se meta nisso, Nagato. – respondeu Shisui, sentindo-se envergonhado por ter sido pego no ato, em meio a um beijo com a ômega loira.

- Como não quer que me meta se essa vadia com quem está faz parte do grupo que matou Morita e Nakajima?

- Não fale assim de minha ômega. – reclamou o mais velho, sentindo seu coração parar por uns segundos ao ouvir o leve choramingo.

- Sua... ômega? – Kagami, que havia chegado naquele momento, tinha os olhos cheios d’água, sem entender porquê sentia-se tão machucado e traído.

- Gami... – sussurrou, vendo como o mais velho negava com a cabeça, antes de dar a volta e sair correndo, com Nagato logo atrás, seguido de Izumi, Yahiko, Konan e Itachi. Sentia-se isolado, como se houvesse feito algo muito errado e todos lhe houvessem dado as costas.

- Esqueça-o, está fazendo o correto. – ouviu a voz de Yui, sua namorada, lhe falar de forma “doce” – Afinal não quer que alguém se machuque, não é? – a mulher sorriu ao ver o reflexo do medo nos olhos do alfa – Você só precisa de mim. – e mesmo com o gosto enojado pelas palavras ouvidas, o alfa correspondeu ao beijo da bela loira.

 

_____     x    _____

 

 

                O pequeno Obito Uchiha Senju olhava assustado a tudo, havia sido difícil deixá-lo na escola pela primeira vez, hoje a seus cinco anos, ainda era muito apegado a seu papi Madara e havia sido por isso que Hashirama havia sido tão contra à ideia de seu esposo de  continuar a educar o caçula em casa, como o vinha fazendo até então.

                Com seu pequeno corpinho trêmulo e as pequenas mãozinhas no rosto, escondendo-o, chorava, sentindo-se sozinho sem seu papi ali, sem ninguém o qual conhecesse, até que um menino que ao longe o observava, se aproximou.

 

- Olá! Por que está chorando? – perguntou o garotinho de fios prateados.

- M-meu papi me deixou. Meu papi não me quer mais. – respondeu o pequeno entre lágrimas, ainda com o rostinho escondido, sem encarar ao outro, um odor diferente, de anis e carvalho, adentrando suas narinas, o fazendo mexer o narizinho, a fim de sentir mais do delicioso odor, que o fez sentir minimamente melhor. Acabou levantando o rosto para ver de onde vinha o delicioso, mesmo fraco, odor, encontrando um garotinho de cerca de dez ou onze anos, o encarando com um sorriso.

- Não deveria chorar, é muito lindo para chorar. – falou o garotinho acinzentado, limpando suavemente as lágrimas do menor, ainda sozinho. O pequeno Obito não entendeu o motivo, mas o doce sorriso, misturado ao delicioso odor de anis e carvalho o haviam acalmado de tal forma que só ocorria com seu papi e sem saber porquê, correspondeu o sorriso alheio, aceitando a mão que o maior lhe estendia, de repente a falta de Madara já não lhe pesava tanto. 


Notas Finais


Espero que tenham gostado do capítulo.
Nos vemos amanhã, no próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...