História Almost forbidden love - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias EXO, Huang Zitao "Z.Tao", Kris Wu, Lu Han
Personagens Kris Wu, Xiumin
Visualizações 4
Palavras 2.148
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Esse capítulo irá conter uma segunda parte pois não consegui terminar hoje e não queria deixar vocês sem nada. Então, aqui vai a primeira parte, boa leitura. ><

Capítulo 5 - Reencontros.


Kris sempre foi muito presente em minha vida, mas de uns tempos pra cá, ele se manteve distante, sim, aquilo me machucava, mas estava me convencendo de que o mesmo não se importava com isso. O que mais ele precisava digerir? O que ele não era capaz de entender? Eu sinceramente não entendo. Por que pra ele é tão difícil? Nós nos amamos, o que mais importa? Sei que pra ele deve ser mais complicado, ou talvez eu tenha me entregado demais, talvez eu tenha me permitido amar além da conta. Sinto muito por mim. A vida estava sendo difícil sem Kris, nada mais era como antes, mas os meninos estavam dispostos a me ajudar com o que precisasse, com o tempo, me aproximei cada vez mais de Kyungsoo. Ele sabia como eu me sentia, talvez por ter mais noção do que aconteceu. Tentei dar um fim em minha vida por muitas vezes, mas acabei percebendo que, provavelmente, apenas iria fazer quem eu amo sofrer. Eu nunca seria capaz de machucar alguém, nem a mim mesmo. Por esse motivo, decidi que não faria mais nada, decidi "deixar rolar". Dizem que quando o amor é verdadeiro, nada impede de duas pessoas ficarem juntas. Nesse exato momento, só espero que pra ele, também seja verdadeiro. Kris havia mudado seu número de telefone, eu nunca mais tive notícias de si. Ao menos, gostaria de saber se o mesmo estava bem, e eu espero que sim. Ele sempre foi muito forte em todos os assuntos, raramente vi ele chorar. O que mais o tocava era sua família, no caso, nós e sua mãe. Desde seus doze anos, passamos todos os seus aniversários juntos, era uma festança só, os meninos sempre comemoravam todos os aniversários. No começo, deixei que todos vissem o efeito da falta de Kris sobre mim, deixei que eles vissem meus choros, meus momentos de angústia e também minha solidão. Confesso que não me importava, sempre fomos todos amigos. Em algum momento da minha vida, me vi mais perdido do que nunca. Era o aniversário dele, bom, todos estavam mals por não saberem ao menos onde ele estava. Principalmente eu. 


   – Baek, alguma notícia?


   – Não, ainda nada... - Disse o menor olhando Chan pelo vidro do quarto do hospital. -


Chan havia sofrido um acidente de carro, ele estava fora de risco, mas todos além de tristes, estavam extremamente preocupados. O acidente havia ocorrido há três dias, Chan ainda não havia acordado mas o médico disse que era normal e que o mesmo poderia acordar a qualquer momento. Todos perceberam a preocupação fora do normal de Baek mas ninguém opinou, afinal, eles sempre foram os mais grudados. Eu sempre duvidei que Chan e Baek se gostassem, talvez pelos olhares que trocavam, pela preocupação, pelos gestos de carinho, as demonstrações camufladas, o jeito como eles conversavam. Tudo era diferente, e por muitas vezes quis perguntar a um dos dois, mas deixei passar. Mais uma semana havia passado, ele ainda não havia acordado e Baek não saia dali a não ser que estivesse morrendo de fome e precisasse dormir ou tomar banho. Depois de muita, mas muita insistência consegui convencê-lo a irmos tomar um café em uma lanchonete próxima ao hospital. Aquele era o momento perfeito e eu não poderia perder essa chance, eu precisava saber e ele teria que me contar querendo ou não. 


   – Você não pode ficar assim, precisa comer, descansar, viver, você sabe que ele vai acordar, ele não corre risco nenhum. 


   – Eu sei, mas quero que eu seja a primeira pessoa a perguntar se está tudo bem com ele. Eu devo isso a ele, por tudo o que ele já fez por mim e pela importância que ele tem. 


   – Baekhyun, me diga a verdade. Você o ama, não? 


   – Lógico que sim, Xiu. Crescemos juntos, você sabe disso. 


   – Você entendeu o que eu quis dizer! Você o ama como eu amo Kris? - Disse o mais velho vendo o menor abaixar a cabeça. - Por favor me diz o que tá sentindo. 


   – Sim, eu o amo... É muito bom dizer isso a alguém depois de tanto tempo. Desde sempre me vi apaixonado por Chanyeol, mas... Eu tenho medo de dizer a ele, por favor, Xiu. Não conte a ninguém, muito menos a ele. Não quero perdê-lo também. 


   – Ele irá acordar, sei que não é bom pensar no "e se" mas, Baek ele precisa saber disso. E se ele também o amar? Já pensou na felicidade que podem estar deixando ir? 


   – E se ele fizer como Kris? E se ele me abandonar e fugir de mim como fizeram contigo?! Eu vi o modo como ficou, Xiumin. E eu sinto muito por você, mas não quero isso pra mim. - Dizia Baekhyun se levantando da mesa com os olhos marejados saindo do local. - 


Confesso, as palavras de Baek machucaram como um tiro. Mas, por um lado, o menor estava certo do que estava falando. Mesmo que machucado, quero a felicidade dele. Sei que Chanyeol não fugiria de si, ele é diferente de Kris em muitos aspectos. Por mais que eu me mostrasse forte, todos sabiam que, passe o tempo que passar, aconteça o que acontecer, eu sempre estarei morto por dentro. Kris... Eu sinto sua falta. 



                                   ~~~~~



Cinco meses se foram, Chan já estava em casa finalmente. Eu nunca falaria de meus sentimentos a ele, até porque, como eu disse, não quero que o mesmo faça como Kris. Aliás, ainda nenhum sinal dele, Chanyeol havia me chamado para sair, e eu claro, aceitei o convite sem pensar duas vezes. Chegado o dia de sair com ele, fui até o local combinado o aguardando ansioso. 


   – Oi. - Disse Chan me cumprimentando com um beijo no rosto logo se sentando ao meu lado. - 


   – Estava preocupado, demorou um pouco. Mas que bom que veio. Por que me chamou aqui? 


   – Preciso conversar contigo... É algo sério, e já aproveito para pedir que não fique chateado. 


   – Ok. Diga. 


   – Você sabe que eu sempre quis fazer faculdade, mas nunca deu, né? Então... Eu estava concorrendo a uma bolsa e eu ganhei. 


   – Sério? Que bom, a!!! Parabéns, você merece. - Dizia Baek animado abraçando Chan com força. - 


   – Baek, é que... A faculdade dura quatro anos, e a bolsa é dos Estados Unidos. 


   – Que? Não, Chanyeol. Estados Unidos é muito longe, você pode fazer uma aqui. Chan, pra que isso? Por favor... Já não basta a falta que Kris faz. Você não, eu preciso de você aqui. 


   – É minha única chance... 


Não consigo acreditar, sinto que estou perdendo Chanyeol e tenho medo de que ele não volte. Mas não posso ser egoísta, é o sonho dele... Mesmo que doa em mim, precisamos ficar longe um do outro agora, e tudo que eu mais queria é que tivéssemos algum tempo para aproveitar, eu queria ter os "últimos dias" com ele, mas não será possível. 


        [… Aeroporto de São Paulo... 13:47.] 


   – Aproveite o máximo que puder, ok? Estaremos te esperando cheios de saudades. - Disse Suho abraçando Chanyeol. - Tome cuidado, se agasalhe e volte logo. Vá falar com ele... - Dizia ele apontando para Baekhyun. - 


   – Ei, pequeno. Não vai se despedir de mim? 


   – Chan.... É... Boa viagem. - Baek suspirou selando os lábios de Chan rapidamente se levantando e saindo de perto do maior. - Eu te amo. Volte logo, por favor... 


Chanyeol havia partido, tudo aconteceu tão de repente. Acho que o mesmo nem ligou por eu ter selado seus lábios, e talvez seja melhor assim. Alguns dias se passaram, e a única coisa que não passou foi a saudade que já tomava conta de mim. Ele ainda não havia dado notícias, mas a vida lá devia estar sendo agitada. Enfim eu entendi o que Xiumin estava sentindo, entendi o sofrimento de alguém que não tem a quem ama do lado, isso é desumano. E eu não desejo esse sentimento a ninguém. Dias e mais dias, não que isso fosse ruim. Ou talvez seja. Finalmente, recebi uma mensagem de Chanyeol. 


   _ Baek! Como vai? Como estão todos, notícias de Kris? _


   _ Oi Chan, está tudo bem. Kris ainda está sumido. Você também sumiu... Me desculpe. _


   _ Pelo que? _


   _ Pelo beijo... _


   _ Você realmente quis dar? _


   _ Sim. _


   _ Então, sou obrigado a dizer que gostei. Que também queria a muito tempo... Que decidi fazer a faculdade aqui pra tentar apagar o que sinto, que te amo desde que nos conhecemos, e que estou com saudades tua. _


   _ Chanyeol para de ser idiota, você tá falando sério? Porque eu estou. _


   _ Estou sim. Que esses quatro anos passem logo... _



Chanyeol havia se declarado pra mim? Minha cabeça, batimentos e emoções estavam sem entender, mas eu nunca estive tão feliz em toda minha vida. 



                                   ~~~~~



Fiquei sabendo da história de Baek e Chan e realmente havia ficado feliz por eles assim como todos os outros garotos. Dois anos depois, depois de muito choro pra mim, Kris ainda não havia voltado, eu não aguentava mais esperar, e se ele não voltasse? Eu devia ainda o amar? O que esse garoto tem? Eu já não via outra saída, eu já não enxergava mais uma solução, eu só queria morrer, era apenas isso. De uns tempos pra cá, nunca mais andei de regata ou camiseta. Os cortes que fazia por meu corpo para aliviar a dor eram realmente assustadores. Estávamos em outubro, era frio na cidade, porém o dia estava lindo, bom, naquela altura do campeonato, pra mim, dia nublado era dia lindo. 


                                       ... 


   – Alô, senhora Wu? Aqui é o Chen, amigo do Kris... Se tiver o contato dele, por favor. Avise o de que Xiumin tentou se matar... Ele está em coma e sofreu lesões graves, grato. - Dizia Chen no áudio mandado a mãe de Kris. - 



                                  ~~~~~



Quase três anos, foi o período em que sumi. Eu não sei como suportei, mas suportei. Lógico que com o tempo, havia me convencido de ter esquecido Xiumin, mas tinha medo, já havia pensado isso antes. Canadá era um bom lugar pra se morar, eu esperava voltar lá depois que fosse embora, porque querendo ou não, eu teria que voltar. Faltava um mês para meu próximo aniversário e eu estava planejando uma festa, afinal fiz muitos amigos no tempo em que morei aqui e eles gostavam de comemorar "datas importantes". Ok. Aproximadamente as seis da tarde recebi um áudio encaminhado de uma conversa da minha mãe esperando que fosse apenas uma piada antiga das quais ela sempre me mandava. Erro meu, meu coração parou por alguns segundos e eu nunca desejei tanto ter asas para voar até ele. Idiota, era isso que eu era, se eu tivesse assumido e aceitado tudo desde o começo ele nunca estaria assim. Tudo culpa minha... Passagem de volta comprada, meu avião saia em duas horas, eu nem arrumei as malas, apenas deixei tudo para trás e segui ao aeroporto. 


                                       ... 


Já estava em território brasileiro, do aeroporto ao hospital onde ele estava eram duas horas, estava sem meu carro então peguei um táxi direto para o hospital, estava exausto mas presisava vê-lo. Não sabia quem iria encontrar lá, nem ao menos qual seria a reação dos meninos, mas eu não me importava tanto naquele momento. Duas horas depois, finalmente cheguei ao hospital. Após mostrar meus documentos, dar o nome dele e terem me dito qual era o quarto onde ele estava e em qual andar ficava. Segui até lá sem expressão alguma vendo Chen, Suho e Lay, não contive o choro ao ver que aquilo era real, não vi mais nada, apenas senti Suho me abraçar chorando também. Eu não sabia o que fazer, não soube como reagir. 


   – Não suma mais, nunca mais Kris. Por favor... Por favor... Vá ver ele, deve estar com saudades. 


Concordei abraçando também Lay e Chen rapidamente indo em direção ao quarto de Xiumin, ele estava exatamente igual a última vez que o vi. Lindo, como sempre, pensei me sentando na poltrona ao lado da cama de hospital não me contendo e voltando a chorar. 


   – Isso tudo é culpa minha, tudo isso que está acontecendo com você é culpa minha. Todas as vezes que me afasto pensando que vou te esquecer, basta olhar pra você que tudo vem a tona, que tudo se resolve. Quantas saudades eu senti, você não sabe quantas vezes eu chorei arrependido mas tive medo de voltar. Tive medo de te ver com outro, de te ver feliz... Sem mim. Me perdoa, eu te abandonei como um covarde, você não sabe o quanto eu desejei voltar no tempo para mudar as coisas, pra te dar o valor que merece, pra viver o amor que temos. Ou que eu tenho... Eu não sei mais, foram quase três anos... Os piores de minha vida, prometo não fugir mais, mas se você não me amar como antes, não haverá motivos pra continuar. 


    - Kris... 

 



Notas Finais


Obrigada e me desculpem os erros. ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...