1. Spirit Fanfics >
  2. Alone with You >
  3. Handcuffs and Cigarette

História Alone with You - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


manokk isso começou com uma AU de twitter e eu resolvi escrever a f0d4 dos JakuSama

to postando porque eu simplesmente amei como ficou e é meu primeiro nsfw JakuSama então né kk aproveitem

Capítulo 1 - Handcuffs and Cigarette


Samatoki chegou no residencial em que Jakurai morava e logo direcionou-se para o terceiro prédio à direita, subindo as escadas e depois informando seu nome para o porteiro. Haviam várias pessoas ali, pois parecia ter uma feirinha e coisa parecida e o Aohitsugi teve uma ideia: mandou mensagem para o médico avisando sobre sua chegada e que estava usando o vibrador à controle remoto, dado de presente a ele. O yakuza sabia bem que o amante amava realizar todos e quaisquer fetiches que ele tivesse. 

Samatoki não se surpreendeu quando o objeto dentro de si começou a vibrar na intensidade que ele havia pedido para o Jinguji pôr. Andar até o elevador foi tarefa árdua, principalmente por estar sentindo que suas pernas iriam falhar com ele a qualquer momento. Seu rosto já adquiriu um tom rosado e o yakuza não sabia como disfarçar direito, o jeito era ficar com a mão sobre o rosto. Não podia se abaixar por conta da quantidade de pessoas dentro do elevador e precisou aguentar aquela coisa vibrando até ver que tinha parado no vigésimo andar. "Finalmente!", pensou. Andou rapidamente e como pôde até o apartamento do médico e tocou a campainha, aguardando ansiosamente por ele

— És lindo, Samatoki. — disse, assim que abriu a porta para o outro. 

— Ah, porra, eu não tô mais aguentando! — ele partiu para cima do mais velho, atacando os lábios alheios num beijo obsceno. — Vem, vamos logo p'ro teu quarto. 

Jakurai foi bonzinho em desligar o objeto para que o amante pudesse ir até o cômodo. Uma vez lá, o Aohitsugi percebeu que o quarto estava bagunçado, ele sabia o motivo e simplesmente não ligava. Tudo o que importava era o presente e ele consistia nos dois juntos, sem Ramuda. 

— Heh, cadê as algemas? Não tens noção do quanto eu quero que uses elas em mim. — Samatoki despiu-se o mais rápido que conseguiu e bem a tempo de presenciar o Jinguji, nu, prendendo o longo cabelo num coque meio desarrumado. Algumas mechas emolduravam o rosto dele e céus, ele ficava tremendamente sexy assim. — Caralho… 

— Queria saber onde elas estavam? — Jakurai segurava as algemas na canhota. — Sabes o quê fazer, não é? 

Aohitsugi apenas lançou um olhar provocante para o outro e deitou-se na cama, os braços sobre a cabeça indicando sua submissão naquele momento. Jinguji foi até lá e ficou por cima dele, algemas em mãos e mantendo contato visual com o yakuza. Em seguida, buscou pelos pulsos do amante e algemou-o à cabeceira. Samatoki umedeceu os lábios, fixando seu olhar em Jakurai. Ele sabia bem que depois de ser algemado, o médico não iria se segurar. Adorava isso

— Quero fundo, viu Jakurai? — a voz rouca do Aohitsugi apenas atiçou ainda mais o médico. 

E nem precisou pedir mais uma vez. O yakuza afastou mais as pernas para que ficasse mais confortável para o Jinguji e então sentiu uma breve sensação de vazio, visto que Jakurai trocara o pequeno vibrador pelo próprio membro. Samatoki mordeu o lábio inferior para reprimir um gemido. 

— 'Tá do jeito que gostas, Samatoki? — o mais velho perguntou, naturalmente esperando uma resposta enquanto iniciava a movimentação dentro do amante. 

— Ainda pergunta, porra? Dá p'ra perceber daqui que eu tô apertando mais ainda. — o yakuza mexeu os quadris um pouco e conseguiu arrancar um gemido rouco do médico. — Mhm, continua, Doutor. 

Jinguji deitou-se sobre o amante e decidiu marcar o pescoço do outro com mordidas e chupões, fazendo o Aohitsugi gemer baixinho e ofegante. Embora aquilo estivesse maravilhosamente gostoso, Samatoki só ficaria satisfeito quando ele fizesse o que causou toda aquela confusão: rebolar com vontade no pau de Jakurai. E o yakuza tinha ciência que o caminho mais rápido para se obter isso era provocando bastante o amante. 

— Doutor, eu tô com uma puta vontade de sentar em ti. Quero foder esse teu pau gostoso até tu implorar p'ra parar. — Samatoki dizia entre gemidos, mantendo as orbes vermelhas fixadas nas orbes azuis do outro. 

— Tão sedento assim por mim? — Jakurai mudou um pouco a ritmagem, causando alguns espasmos em seu amante. — Gosto disso. 

O residente de Shinjuku tirou as algemas de Samatoki e, em seguida, saiu de dentro dele para que pudessem mudar de posição. Com Aohitsugi por cima e ele deitado de costas, Jinguji poderia observar as expressões eróticas do amante de outro ângulo, coincidentemente o seu favorito. O yakuza, sem demora, pôs a extensão do médico inteira em si e ficou parado por uns momentos para se acostumar. 

— Vamos, Doutor, é só pedir

— Rebola, Samatoki. 

Ouvir aquilo foi tudo o que ele precisava para iniciar seu rebolado. Resolveu não demorar muito naquilo e, inclinando-se para trás e apoiando as mãos nas pernas alheias, começou a subir e descer no pau do médico. Então, ele teve uma ideia. 

— Ja-Jakurai, passa um cigarro e acende p'ra mim, hm? — o maior não tardou a avistar a caixa de cigarros de Samatoki. Assim que pegou um e o isqueiro, pôs na boca do outro e acendeu para ele. 

Aohitsugi precisou deixar Jakurai encarregado de continuar aquilo para que pudesse fumar à vontade. O médico não se conteve, para a felicidade do mais novo. 

— D-Doutor, vai, fuma um pouquinho também. — Samatoki pôs o próprio cigarro bem perto dos lábios do mais velho, que surpreendentemente acatou a oferta. 

Jakurai fitava o de fios brancos enquanto tragava e depois expeliu a fumaça, ainda olhando para o Aohitsugi. A visão do outro fumando tão casualmente, como se fizesse isso há muito tempo, excitou Samatoki de uma maneira inexplicável. E a forma de demonstrar isso foi sentando com ainda mais vontade. 

— Parece ter gostado de me ver fumando, Samatoki. — Jinguji sorriu de canto e passou o cigarro para o homem em cima de si. 

— Tu ficas fodidamente gostoso fumando, Jakurai. Deveria fazer isso mais vezes. 

Eles terminaram aquele cigarro e prosseguiram com o momento deles. 



--



— Eu 'tô acabado. Minhas pernas 'tão tremendo p'ra porra. — o mais baixo riu da própria situação. — Mas valeu a pena. 

— Desculpa por não ter me controlado. 

— Desculpa? Ah Doutor, foi incrível! Quero é que perca o controle comigo. — Samatoki já procurava por suas roupas, afinal não podia demorar muito. — Bem, preciso ir. 

— Volta aqui amanhã, pode ser? 

— Hm, claro. — ele se vestiu com ajuda do médico e, após isso, Jakurai foi deixá-lo até a entrada. Antes de ir, despediu-se do amante com um beijo. — Até amanhã. 


Jinguji sorriu e observou Samatoki tomar distância. Esperaria ansiosamente pelo dia seguinte, dia em que ficaria, novamente, à sós com ele. 


Notas Finais


recomendo ouvir Alone with You - Ashlee (aliás, essa música que deu o título pra essa one)

link pra minha au, pra quem tiver interesse em ler: https://twitter.com/fyorinha/status/1261868266223538178


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...