História Alpha Necessitado - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bebê, Jikook, Jimin, Jungkook, Mpreg, One-shot, Yaoi
Visualizações 275
Palavras 4.868
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hey Hey Hey

Como havia prometido eu estou trazendo um bônus.

Peço perdão pelo lemon, não sou boa com essas coisas, mas sempre busco dar o meu melhor para ficar pelo menos aceitável.

Boa leitura então, amores

Capítulo 2 - Plano C ;bônus


Fanfic / Fanfiction Alpha Necessitado - Capítulo 2 - Plano C ;bônus


Mais dois mês se passaram, e ao decorrer desses sessenta dias, aquele em específico era especial, já que se era comemorado o aniversário de três meses de Park Jeon Hyun. Porém também outra data comemorativa era-se celebrada: aniversário de casamento de Jimin e Jungkook. 


Dois anos estavam completando naquele dia. Duas datas importantíssimas para ambos em jogo diário, e isso deixou pelo menos Jimin muito animado para que o dia chegasse, que com certeza não seria deixado passar batido. E realmente não fora, pois naquele exato momento a família passava a manhã no parque sobre uma toalha de mesa e diversas comidas em sua volta. Era de fato uma bela manhã para se realizar um piquenique; pequeninas nuvens pintavam o céu, mas a predominância do azul claro encorajava o sol das nove da manhã a dar as caras. O verde das folhas das árvores e da grama balançavam em uma melodia agradável graças a gostosa brisa que se instalou na sombra ao qual o casal se instalara. Ao redor deles, várias famílias e casais também obtiveram do mesmo pensamento em aproveitar o dia no parque, e a voz das crianças correndo ao redor das suas toalhas ou se divertindo com as formigas era de certa forma envolvente para Hyun, que mantia seus olhos abertos a todo momento procurando pelos gritos alheios. 


O bebê já mostrava indícios de progressão etária; agora com três meses, deixava claro que havia herdado a calma de Jungkook, pois era extremamente quieto, mas quando um carinho lhe era feito não deixava de mostrar seu sorriso sem nenhum dentinho ainda presente. Todavia, seus momentos de euforia às vezes vinham a tona, e este era completamente derivado de Jimin. E agora estava sendo explorado, já que Jungkook estava com seu filho no colo fazendo o mesmo se entreter com os semblantes cômicos que fazia, tendo seu marido assistindo tudo aos sorrisos e estimulando o prosseguimento. 


Hyun sorria e fazia sons desconhecidos pelos pais, mas eram adoráveis de se ouvir. Seus olhos estavam bem arregalados para tudo o que se encontrava a sua volta, sempre se assustando ao escutar alguns grito de uma criança, mas seus papais nunca o deixariam chorar por esse motivo, já que recebia tantos abraços e tantos beijinhos em seu par de bochechas gordinhas. E isto só lhe acarretava em mais sorrisos e sons que Jimin deduzia ser a palavra "papai", mas ainda era muito cedo para ter um diagnóstico. 


Entretanto, Hyun chegou a um momento em que lágrimas despencaram de seu rosto em um choro baixo, confundindo um pouco seus pais por ter sido em um momento bem aleatório. Porém, o ômega lembrou-se que já se fazia consideradas horas desde que o pequeno acordara, consequentemente poderia estar sedento por seu leite. Portanto, retirou a blusa de mangas longas que usava, e devagar pegou seu filho dos braços do marido e encaminhou sua boca até o bico de seu mamilo um tanto volumoso devido o ganho do leite no período de gestação. Jimin pôde comemorar quando Hyun automaticamente parou de chorar e começou a chupar seu mamilo buscando por alimento. 


E Jungkook observava tudo com suas orbes brilhando; adorava presenciar os momentos de amamentação, eram tão mágicos, principalmente por ver a felicidade que o Park se encontrava ao poder dar alimento ao seu bebê. Todavia, aquele momento lhe deu um tempo para refletir; a outra data comemorativa ainda estava um tanto deixada de lado, no caso seria o do aniversário de casamento. E não era de agora que Jeon estava planejando alguma coisa, queria selar aquela dívida que fora deixada em aberto por parte do loiro a aproximadamente dois meses atrás, quando este o largou em um estado de puro necessitamento -de ambos- para dar atenção ao seu filhinho empata foda mais lindo deste mundo. 


Lindo, com certeza sem exclusões. Mas não deixa de ser um inconvenientezinho de primeira. 


E hoje Jungkook daria um jeito de ter novamente seu ômega por uma noite apenas. Hyun ainda possuía uma grande dependência dos pais, mas poderia sobreviver sozinho em algumas horas. Afinal, ele não irá passar o total de horas que passa dormindo sozinho, até porquê aquele filhote de ômega dorme igual um condenado que não via uma cama a anos. Seus pais sempre se perguntaram a quem havia puxado esse dom de ser tão preguiçoso. 


O alfa olhou para seu filho, chegando mais perto de Jimin para que as orbes do pequeno se encaixassem com a sua, ato que deu muito certo pois em segundos Hyun mamava olhando para o papai acima de si. O moreno levou sua mão até a do menor, comparando aquela palminha a sua e suspirando prolongadamente. Adorava fazer aquilo, amava sentir aquela sensação de que aquela mãozinha foi construída por si, tão pequenininha… tão frágil… tão perfeita. 


Hoje aquele anjinho não o impediria de fazer nada contra a tentativa de roubar Jimin para si. Tinha todo o Plano C em sua cabeça. 


-O que foi, meu amor? - Jeongguk perguntou ao ver o semblante de dor do loiro. 


-O Hyun tá me mordendo. - Disse entre os dentes, seguido de uma risada. - Esse menino é tão guloso que não consegue ficar nem um segundo sem leite. 


-Dá um desconto para o seu papai, meu filho. - O moreno sussurrou rente ao ouvido do filhote. - Ele ainda precisa de forças para essa noite. 


-O que disse, Jeon? 


-Nada, docinho. Só disse para Hyun que eu o amo. - Disfarçou com um sorriso afagando as mechas também morenas do pequenino. 


-Como se ele não soubesse disso. - Jimin disse olhando para o alfa, que não se aguentou e deixou um selinho naqueles lábios que lhe imploravam para algo mais profundo. 


Mas hoje eles teriam algo mais profundo. Assim como o corpo do aloirado teria. Tudo isso naquela noite. 





[...]




A campainha da casa fora tocada e em poucos minutos a silhueta de uma mulher baixa, dona de mechas castanhas escuras e orbes da mesma cor abriu a porta. Esta sorriu para o tão familiar rosto visitante, já lhe dando um forte abraço e parabenizando ali mesmo pelo filho e por estar tão bem para um menino de apenas três meses. Jeongguk se reverenciou antes de adentrar a casa da sogra, deixando seus sapatos no canto destinado a colocação de pertences como casacos, sapatos e guarda-chuvas. 


Caminhou até a tão conhecida sala e já avistou seu marido aninhando seu bebê nos braços, já mostrando aquele semblante sonolento praticamente migrando a sua terra dos sonhos. O alfa se aproximou e tocou os dois ombros do Park não o deixando parar com a música que cantarolava para Hyun. Jungkook deslizou suas mãos em um vai e volta sobre a região tocada desfrutando da canção tão bonita e ao mesmo tempo relaxante, vinda de uma voz tão bela quanto a beleza de seu próprio dono. Olhou seu filho já dormindo tranquilamente enrolado em seus lençóis grossos por baixo de uma roupa não muito designada ao frio, porém Jimin sempre fazia questão de levar uma manta para qualquer lugar onde levaria seu filhote, alegando não o querer ver passar necessidades. 


Esse menino seria tão mimado quando crescesse. A tarefa de Jeon era impedir isso enquanto ainda poderia haver tempo, talvez controlar um pouco os quereres de seu marido já seria uma ótima iniciativa. 


-Durma bem, meu amor. - Jimin sorriu e beijou o topo da pequena testa de Hyun, em seguida ergueu um pouco o bebê para o alto e assim permitiu com que Jeongguk também concedesse seu "Beijo de boa noite". 


-Oh, ele já dormiu? - A senhora Park perguntou ao adentrar a sala, recebendo uma confirmação não verbal por parte de ambos. - Certo. Jungkook, você quer comer alguma coisa? Você ficou a tarde inteira fora. 


-Não, senhora. Eu já comi algo, não precisa se incomodar. - Sorriu para a mulher que assistia seu filho colocando Hyun sobre o grande sofá. - Vamos, Jimin? 


-Vamos, Kookie. - Se levantou e caminhou até seu alfa, entrelaçando sua mão com a do mesmo. - Mãe, qualquer coisa é só nos ligar. 


-Meu amor, eu já cuidei de um bebê antes. Ainda não perdi minhas habilidades. - Soltou uma risada baixa para não acordar o neto e beijou a testa do loiro e também do moreno. - Meus meninos… tão lindos juntos… Aproveitem a noite, tudo bem?


O casal assentiu e se direcionou a porta. Calçaram seus sapatos e em poucos minutos já estavam no carro dirigindo para o destino ao qual Jeon fez deste um absoluto segredo durante a breve conversa que tiveram assim que deixou seu ômega na casa da mãe. Era evidente que o loiro estava ansioso pela resposta, mas sabia que seu marido não era fácil assim de se chantagear. Todavia, já possuía uma certa desconfiança do que realmente poderia se tratar essa surpresa; Jimin ainda não havia esquecido o episódio de dois meses atrás, na verdade este estava completamente fresco em sua mente. Como poderia se permitir esquecer? Nunca mais fora tocado de um jeito tão profundo desde que Hyun nascera, aquela fora definitivamente a última. E querendo ou não sentia que tinha culpa no cartório por isso, porém não era algo que ele fazia de propósito, queria sim ser tocado por Jungkook e sentia muita falta de um tempo a sós com seu alfa. Se analisar com precisão os dois lados da história, talvez a falta seria maior por parte de Jimin. 


Mas o tempo era algo que não era viável. Principalmente a idade que o pequeno ômega se encontrava. E devido este ser o primeiro filho, consequentemente os primeiros sentimentos e problemas como sendo um pai, o loiro talvez tenha se dedicado demais ao próprio filho e se esquecido de seu alfa. Mas estava a fim de mudar isto hoje a noite; o fogozinho da relação ainda tinha nome, e este era Park Jimin. 




[...]




O ômega estranhou ao ser levado para casa. Realmente este ser o destino não era de seu esperado, porém lembrou-se de que seu marido era Jeon Jungkook, e dele até mesmo sua residência pode se transformar em uma completamente desconhecida por ti quando deseja lhe fazer uma surpresa. 


Foi puxado até a porta principal, mas quando Jeon ousou abrir a porta, virou seu corpo para encarar o loiro, encostando suas costas sobre a superfície de recepção da casa. 


-Feche os olhos, Hyung. 


Hesitante, o Park obedeceu e assim Jeongguk abriu a porta finalmente ajudou o mais velho a adentrar a casa. Ambas suas mãos eram puxadas pelas do maior e caminhava a passos travados por ansiar esbarrar em alguma coisa. O sorriso preenchia seu rosto pela ansiedade que só lhe faltava rasgar o peito, milhares de teorias eram criadas em sua mente do real conteúdo para com todo aquele suspense. E como o Park conhecia muito bem o teto que morava, sentiu ser guiado até a sala de estar e parar em um lugar totalmente desconhecido por seu cérebro. 


-Pode abrir. 


E assim Jimin fez. Seus olhos se arregalaram para o que via. Uma cabana construída a partir de lençóis e alguns móveis de cozinha. O estofado cinza do sofá era possível ser removido, portanto fora usado como uma das paredes da cabana. Em suas laterais dois bancos de mesma cor eram postos e uma mesa branca fora colocada para dar mais comodidade para a entrada. A construção havia um grande e grosso edredom branco que possuía uma parte pendurado a lâmpada da sala por uma corda, deixando o interior com uma grande elevação e a estabilidade por lá ser mais favorável ao casal. 


O ômega não acreditava no que presenciava. Aquela cabaninha estava ali, somente para os dois, a noite inteira, agarradinhos sobre sua proteção. Com certeza não obteria melhor presente de aniversário de casamento do que aquele. Suas mãozinhas automaticamente cobriram seu rosto tentando assim uma trágica maneira de disfarçar a euforia; estava tudo incrível. Jungkook havia se superado para dar ao seu ômega o melhor dia possível, jamais podendo ser verdadeiramente grato ao tempo perdido para a construção e procedimento daquilo tudo. 


-Eai? Você gostou? - Jeon perguntou apoiando suas mãos sobre os ombros do loiro. 


-Se eu gostei? Não só gostei como amei. - Jimin apressadamente se virou e tratou de iniciar logo um beijo de agradecimento. Seus braços foram passados sobre o pescoço do mais novo e acabou ficando na ponta dos pés para matar de uma vez a pouca diferença de altura que possuíam. As mãos do moreno caminharam até a cintura alheia às depositando por ali, não antes de deixar um leve aperto expressando que havia gostado daquele ato. - Obrigado, Jungkook. É o melhor presente que poderia me dar. 


-Você merece isso e muito mais, meu bem. - Sussurrou e mordeu de leve o lóbulo da orelha do marido. - Vamos entrar? 


O Park assentiu e tratou de se abaixar e engatinhar até o interior da cabana. Diversas luzinhas eram grudadas sobre o edredom deixando o local muito bem iluminado, algumas homenagens por escrito românticas penduradas pelas paredes e um grande colchão deixava o solo muito mais confortável, junto das diversas almofadas que ali foram colocadas. Um notebook também estava ali no meio com sua tela já aberta. 


-Oh, Kookie… isso está tão bonito… 


-Eu fico muito feliz que tenha gostado, Jimin. Como eu já disse: Você merece muito mais. 


Era agora. O ômega precisava de agir e aquele era definitivamente o real momento. Engatinhou até o mais novo e se pôs entre as suas pernas, iniciando mais um ósculo. Todavia, aquele beijo possuía um teor lento, torturante e propositalmente desenhado daquele jeito pelo aloirado para fazer Jeon ficar mais sedento por ti. Jimin empurrou o peito do moreno para trás, o fazendo involuntariamente cair sobre o colchão e assim poder se acomodar melhor entre suas grossas coxas. O mais velho ao menos deixou o marido dizer alguma coisa, estava tão necessitado quanto o mesmo que já mexia seu quadril para frente e para trás, roçando de forma gostosa os dois membros, sendo que um já estava mais desperto que o outro. 


-J-Jimin… o que está fazendo? - Jeon perguntou ao que o loiro intensificava suas reboladas nem um pouco sutis em seu colo. 


-Matando a saudade, querido. - O mais velho sorriu ao voltar a beijar o marido enquanto suas mãozinhas vagavam até a calça do alfa, tratando de começar a desabotoar seu zíper. - Deixa eu matar a saudade, Kookie… por favor…


-A-Agora não, meu amor. Eu sei que você quer brincar, e nós vamos. Mas agora eu queria muito só ficar deitado contigo enquanto assistimos alguma coisa. O que acha? 


Na verdade Jeongguk queria, e muito, algo mais quente. Afinal já está a muitos meses sem tocar Jimin, não passando apenas de beijos diários que trocavam. Porém, tudo aquilo fazia parte do Plano C; ele primeiro provocaria Jimin ao máximo para o deixar sedento por mais, até que se fingiria de inocente buscando por mais provocação, até que chegaria o momento que daria o bote mortal em sua presa. E por enquanto tudo estava indo muito bem. Seu jogo de palavras no carro funcionara com excelência para acarretar em um aloirado cruzando as pernas para não revelar que havia ficado excitado. 


Esse na verdade era um dos motivos de Jimin ter estranhado. O mais novo estava um completo pervertido no carro, dizendo coisas que remexiam seus quereres, e do nada o moreno vem com histórias contrárias. Todavia, nada poderia impedir o Park de ficar deitadinho namorando gostoso seu alfa ao que assistiam um filme. 


Namoraria de um jeito bem manhosinho seu marido para depois transar com o teor oposto… ah sim, é um ótimo plano. Precisava aproveitar ao máximo aquela noite. E mal podia esperar para a sua segunda fase. 




[...]




Os créditos finais do filme apareciam na tela. Haviam escolhido um longa infantil para assistirem já que fazia bons tempos que não sentiam um clima nostálgico lhes predominar. E por mais que aquele filme fosse direcionado ao público infantil, o que aconteceu durante seus minutos era algo que com certeza nenhum pai autorizaria seu filho a assistir. 


Jimin provocou o máximo Jeon por essas duas horas. Não parava de lhe beijar o pescoço desejando que Jungkook apenas desligasse aquele mísero notebook e o desse atenção. Beijou tento a região que não se conteve em deixar um belo chupão perto de sua clavícula, sentindo o aperto em sua cintura ficar mais forte com o ato e propositalmente deixar um gemido escapar bem baixo rente ao seu ouvido. O mais novo sabia que o loiro não pegaria leve nas investidas, tanto é que teve que se segurar ao assistir as mãozinhas vagando por seu corpo e apertar forte o seu membro. Não resistia aos toques do marido, nunca resistiu e não seria agora que conseguiria, mas como vingança, seus lábios atacaram o lóbulo da orelha alheia, sugando com vontade e depois partindo até a curvatura de seu pescoço, onde deixou uma bela de uma fungada que fez os pêlos do mais velho se arrepiarem por completo. 


Claro que além dessas cenas o carinho prevaleceu. Jeongguk distribuiu diversos selinhos pelo rosto de Jimin enquanto o mesmo por um milagre se via distraído com alguma cena, fazendo o menor rir e ainda ganhar um singelo afago em seus cabelos. Mas aqueles momentos eram realmente raros já que o ômega não parava de provocar o coitado do seu alfa. 


-Agora você vai me dar atenção, Kookie? - Jimin perguntou seguindo o marido que se levantara para deixar o notebook de lado, aproveitou a oportunidade para se posicionar no meio de suas pernas já encontrando o sorriso malicioso do moreno. - Agora a gente pode brincar? Hum…


O ômega beijava o pescoço do mais novo fazendo o mesmo segurar com força os fios dourados entre seus dedos, os puxando ao que um gemido arrastado deixou sua garganta. A mãozinha do Park empurrou o peito de Jeon mais uma vez o deitando no colchão, e assim atacando com necessidade os lábios finos do moreno. Jeongguk apenas deixou suas mãos sobre a cintura alheia, vez ou outra apertando à medida que cada botão de sua camisa deixava uma casa. Jimin suspirou ao separar o tecido da blusa para os lados e se deparar com o abdômen de seu alfa, não tardando a deixar uma trilha de beijos por toda a sua extensão, dando uma atenção especial às linhas bem desenhadas que formavam seus gominhos, ao qual fez questão de morder cada um e beijar logo em seguida. 


Jeon ajudou seu loirinho a retirar a sua calça, a jogando para qualquer lado da barraca. As mãos do ômega brincavam com a barra da cueca vermelha que apenas deixava seu marido mais quente que o seu normal, enquanto seus olhos miravam o grande volume por baixo do único tecido que o Park julgaria inconveniente, mas não para uma situação provocativa como a qual acabara de idealizar. A marca de pré gozo manchava a peça íntima, fazendo Jimin passar devagar sua língua pela região úmida acarretando em um gemido sôfrego da parte de seu alfa. Seu músculo fora ganhando mais flexibilidade com a ajuda de alguns dedinhos que estimulavam a glande em um esfregar gostosamente torturante ao sentir do mais novo, que no momento segurava com força os fios de Jimin tentando descontar seu prazer ali. 


Se estivessem em qualquer outra foda habitual, o mais velho não demoraria tanto como agora. Afinal, adorava pagar um boquete digno dos deuses para seu marido, porém, não lhe custava nada fazer um pequeno agrado ao mesmo. Sabia as falhas tentativas que Jungkook obteve ao tê-lo de volta para si e agora que possuíam um tempo sozinhos poderia dar o que seu moreno verdadeiramente merece. 


Suas mãos tiraram a cueca finalmente, podendo ter novamente a visão daquele pau grande que tanto amava chupar e principalmente sentar. As veias saltadas apenas fez a saliva querer escorrer da boca do ômega e mal podia esperar para cair de boca naquele cacete que expelia uma grande quantidade de pré gozo. Jimin antes desceu sua atenção até as coxas do moreno, passando a beijar cada uma delas e aprofundar os selares até as zonas internas já percebendo Jungkook se contorcendo e logo suspirar de modo cortante ao ter cada um de seus testículos sugados pela boquinha gulosa do loiro. 


-A-Assim eu vou gozar, meu amor… cacete como isso é bom… - Gemeu manhoso ao que recebeu uma massagem na região interna das coxas bem próximas a virilha. 


-É melhor que me ter te chupando, Kookie? - Perguntou fazendo movimento de vai e vem com seus polegares vendo o mais novo negar com os olhos fechados. - Que bom, porque eu tô louco pra me acabar nesse teu pau gostoso.


Sussurrou perto do ouvido do alfa para voltar até sua posição inicial. Beijou a glande que a todo momento liberava mais lubrificante natural, passando a língua pela mesma a fim de limpá-la por inteiro e já sentir um pouco do gosto de Jeon. Selou toda a extensão de seu membro para enfim enfiá-lo por inteiro na boca já sentindo-se enjoado pelo estímulo em sua garganta. Voltou e tratou de chupar com afinco o pau do mais novo, fazendo propositalmente os barulhos de sucção serem exageradamente altos. 


-Ah… isso Jimin, awn… - Jungkook gemia segurando com força os próprios cabelos. - Aishi que saudade que eu tava se sentir isso… awn caralho… - Seus gemidos eram desconexos ao que o aloirado chupou somente a glande. -  Ah bem na cabecinha, isso… - Puxou o ar entre os dentes sentindo que daqui a pouco seu fim estaria chegando. - Que boquinha gostosa, meu bem… puta merda que gostoso…


-Kookie, você vai me dar leitinho? Eu quero leite, Jungkookie… - Perguntou continuando a chupar gemendo pela estocada que havia levado sentindo sua visão embaçar. - Goza na minha boca, Jeon…


-Awn caralho… - O pedido fora o suficiente para Jungkook chegar ao seu fim gozando na boca de seu marido, que engoliu tudinho e ainda limpou todos os resquícios de porra que ficaram em seu membro. - Agora é a minha vez, docinho. Vai ganhar sua recompensa.


Jimin tremeu pelo apelido fofo ter saído tão pornográfico. Suas roupas foram rapidamente arrancadas sem paciência alguma pelas duas partes e já de prontidão, se jogou no colchão e logo se empinando para Jungkook, o fazendo morder os lábios ao ter aquela bunda enorme sedenta por atenção. O moreno retirou sua blusa e massageou cada uma das nádegas sem antes deixar um fraco tapa em uma, as separando devagar fazendo Jimin gemer manhoso pela lentidão. O pau de Jeon automaticamente se endureceu novamente ao olhar para o cuzinho piscante e melecado de lubrificante natural; lambeu os lábios antes de tocar-lhe com a pontinha da língua já fazendo o loiro tremer abaixo de si. Seu músculo circulou o buraquinho do mais velho deixando a saliva escorrer até suas bolas e pingar no colchão, Jimin já gemia manhoso por não ter logo aquela língua lhe arrombando bem fundo e forte. 


Todavia, finalmente ele poderia comemorar por Jungkook afundar seu rosto entre as nádegas fartas alheias. Jimin gemeu alto sentindo a língua do moreno ir cada vez mais fundo dentro de si, lhe fodendo gostoso e ainda acompanhado por alguns dedos do mais novo que ajudavam no trabalho. Seus olhos reviraram de prazer, sentia tanta saudade de seu moreno chupando sua entradinha para depois estar propício a receber seu pau lhe fodendo bem gostoso. Apenas pela ansiedade o Park gemeu mais alto, e isso era o que Jeon almejava, queria o ver gritar até perder sua voz, portanto não tinha dó quanto aos seus movimentos carregados de saudades.  


-Você gosta assim, Jimin? - Perguntou roçando seus dedos na próstata do loiro o vendo arquear suas costas. Sua mão vaga envolveu o membro do menor e estimulou sua glande com o polegar - Meu menininho manhoso, tão necessitado… tão gostoso. - Sussurrou rente ao ouvido do loiro ao que o terceiro dedo lhe penetrava sem aviso prévio. Jeongguk chupou o lóbulo da orelha do menor, puxando entre os dentes os demais piercings ali presentes, iniciando logo em seguida uma trilha de beijos pelas costas de seu ômega até que sua visão predominasse em sua bunda novamente. - Me diga... diga o que você quer. 


-E-Eu quero que você me foda, Jeon. Fundo, forte e bem gostoso. - Pediu manhoso revirando seus olhos ao mais uma vez sentir a língua alheia lambendo a região externa de seu cuzinho. Estava muito sensível a tudo o que acontecia contigo, tão sensível que pensaria que poderia desmaiar com Jeon lhe masturbando tão gostoso como estava fazendo. - P-Por favor, Jungkookie…


-Com todo prazer, anjinho. 


Jeongguk pegou sua calça e retirou de seu bolso um preservativo, e assim que  Jimin percebeu se virou de frente para o alfa, mais uma vez o empurrando só que mais leve para que o moreno pudesse se sentar no colchão e se encostar contra a parede feita pelo estofado. 


-Deixa eu ficar por cima, Kookie?


-Claro que deixo, Hyung. Senta bem gostoso, do jeitinho que você sabe. 


Jimin então se posicionou e começou a lentamente descer já sentindo toda a extensão de seu alfa lhe preenchendo. Havia se esquecido de como era bom sentar naquela rola, céus se tivesse se lembrado do sentimento teria dado um jeito de sua mãe ficar com Hyun mais vezes. Seus lábios se entreabriram em um gemido mudo ao que descia com mais afinco, sentindo a grossura do membro de seu marido lhe rasgando internamente e aquela familiarizada dor lhe assolar. Todavia, Jungkook o ajudou a completar o processo, segurando em sua cintura e devagar forçando o corpinho a terminar de cobrir seu membro. 


-Céus que aperto bom… você me engole tão bem, docinho. - Propositalmente Jeon gemeu arrastado no ouvido de Jimin para tentar o fazer se acostumar com a dor. 


Ao que breves minutos se passaram, o loiro começou a se movimentar, subindo e descendo com rapidez ao que Jungkook lhe estocava todas as vezes que o Park sentia todos aqueles gloriosos centímetros sendo retirados de si e logo depois lhe penetrando novamente. As mãos grandes do moreno seguravam com força a sua cintura cada vez indo mais fundo dentro do marido que já gemia descontroladamente. Suas pernas tremiam e a posição começava a lhe incomodar, mas não dava importância pois sempre que se cansava o mais novo tomava posição e lhe estocava com mais força, abrindo suas bandas para facilitar os movimentos. 


-Own Jeon… i-isso me fode, fode o meu cuzinho. - Jimin suplicou por mais revirando seus olhos já doloridos devido a repetição em massa do ato. Suas mãos seguravam com força os seus ombros apertando os músculos de seus braços. - Ah… a-assim, assim Jeonggukie… caralho você fode tão gostoso garoto…


-Cacete, Park. - Jungkook deitou o menor no colchão e continuou a estocá-lo. 


A essa altura do campeonato Jimin já estava rouco de tanto gemer, estava exausto e louco para finalmente gozar. Jeon alternou entre chupar os mamilos avantajados pelo leite e com sua mão novamente masturbar o pênis esquecido para facilitar na chegada do orgasmo de seu loiro. O ômega suspirou ao sentir a língua áspera do maior rodear seus biquinhos em uma velocidade completamente oposta ao das estocadas, o fazendo arranhar suas costas com suas unhas, recebendo uma fraca mordida em seu biquinho sensível pela ação. 


O moreno captou os lábios do mais velho em um beijo de lhe fazer contorcer ao que levava forte e com precisão em sua bunda. Seu lábio inferior fora chupado ao que sua glande era também estimulada, fazendo com que seus pézinhos enroscassem sobre as costas de Jeon para lhe ajudar com os movimentos. 


Mais algumas estocadas foram necessitadas para que ambos chegassem aos seus fins. Jimin gozou em um grito agudo e arqueando as costas enquanto sentia seu abdômen completamente sujo por sua própria porra. 


-Céus… eu estou exausto. - Jimin disse se colocando por cima de Jeon e se deitando sobre seu peitoral. - Com que cara eu vou voltar a casa da minha mãe com essas marcas no meu pescoço?


-Fica tranquilo, você pode ficar no carro enquanto eu pego o Hyun. Dou a desculpa de que estava com sono e acabou dormindo. - Ambos riram do plano. Logo depois um silêncio gostosinho foi presenciado. O clima estava perfeito; apenas os dois ali ouvindo apenas o som das próprias respirações se acalmando. - Feliz aniversário, meu amor. - Jungkook levantou o queixo do loiro e lhe deu um selinho. 


-Feliz aniversário, Kookie. - Voltou a repousar seu rosto sobre o peito do alfa, sentindo a região subir e descer calmamente. - Acho que eu te devo desculpas. Eu estava tão encantado com o fato de ser pai que acabei dando atenção demais ao nosso bebê e me esqueci que tinha outro bebê para cuidar. Você me perdoa?


-É claro que eu perdoo, meu amor. Mesmo eu achando que você não tem culpa de nada. - Suas mãos faziam um cafuné nos fios dourados. - Sabe a primeira coisa que ensinarei ao nosso filho?


-Hum…


-A não ser um empata foda com seus amiguinhos. Já não basta ser com seus papais, ninguém merece ser e ter um serzinho inconveniente em dobro. 


 




Notas Finais


Finalmente hein... Já tava demorando para esse casal ficar junto.

Mas enfim, espero que tenham gostado desse bônus. O meu intuito principal não era fazê-lo, mas a pedido de vocês eu acabei cedendo <3

Peço perdão se tenha deixado passar batido algum errinho na correção, ok?

Bom, é isso então. Tchau Tchau seus lindinhos ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...