História Alpha Red - Capítulo 34


Escrita por: e LiccaChan963

Postado
Categorias Naruto
Personagens Itachi Uchiha, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Colegial Naruto, Colegial Sasusaku, Fraternidade, Gaaino, Itasaku, Lolauchiha, Naruhina, Sasusaku, Universidade
Visualizações 238
Palavras 3.161
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Esporte, Festa, Ficção Adolescente, Hentai, Luta, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


PAUSA PARA LOLAUCHIHA QUE FOI ATÉ A COLUMBIA VISITAR OS ALPHA RED!!!!! SERÁ QUE ELA É A DIABÓLICA HEHEE
Quem não sabe, eu estou morando em New York e esperando o novo semestre pra entrar na nossa Universidade favoritaaa!! Quem quiser acompanhar é @jaadhumpel do instagram.

Capítulo 34 - Corações Partidos


Fanfic / Fanfiction Alpha Red - Capítulo 34 - Corações Partidos

Sakura estava ansiosa, mal podia esperar pra ver seu namorado depois da conversa com a Ariela. Estava tão ansiosa que não esperou até vê-lo mais tarde por isso foi até o dormitório masculino antes da neve cair.

Olhou em volta se certificando que não havia nenhum monitor, aproveitou que todos os meninos possivelmente estariam observando o treino dos NY BLOOD ou na aula e subiu as escadas do dormitório masculino, a procura do quarto de Sasuke.

Não podia ficar muito tempo no corredor.

Queria fazer uma surpresa à ele, tinha uma novidade, afinal.

Bateu na porta.

Sasuke custou um tempo até abrir a porta, parecia sonolento, tinha acabado de sair do banho e processou devagar a namorada em pé na sua porta. Sasuke na mente dele, com o sorriso dela, só significava uma coisa. Puxou-a pela mão; e Sakura adentrou o quarto entre beijos e mãos bobas, enquanto rapidamente foi prensada contra a porta recém fechada.

O beijo foi interrompido depois de pouco tempo pelos dois sorrindo.

– Só me faltava você pra acordar de vez. – Sasuke deu um pequeno sorriso, encarando-a.

– Quem sabe se eu te beliscar você acorda de vez. – Ela provocou-o.

– A que devo a sua visita tão de repente, senhorita? – Sasuke perguntou dando um selinho rápido nos lábios dela, que por um segundo prendeu a respiração, mal podia conter a ansiedade.

– Vou voltar para as diabinhas! – Despejou de uma vez, a felicidade estampada em seu rosto foi incapaz de distinguir a expressão que Sasuke fez na hora.

– A Kurenai te aceitou de volta? – Sasuke se afastou sentando-se na cama, fazendo menção para que Sakura o acompanhasse e sentar-se no seu colo.

– Nunca a vi voltar atrás em uma decisão. – Revirou os olhos.

– Me esclarece como pretende voltar então.

Sasuke podia não entender como Sakura planejava voltar, mas tinha a ideia nítida do porque ela queria isso, mas não queria julgar precipitadamente, preferia ouvir da boca de Sakura.

– Conversei com a Ariela e ela garantiu que podia dar um jeito de me fazer voltar, voltar pras diabinhas, Sasuke! – O sorriso da Haruno ia de orelha a orelha, nunca quis sair da torcida e a possibilidade certa de voltar a fazia se sentir como antes de Sasuke chegar e bagunçar tudo; sua cabeça, suas certezas, sentimentos e resumidamente toda a sua vida. Isso a fazia se sentir no controle novamente.

– Me deixa entender. – Ele disse sério, fazendo Sakura se levantar do seu colo. – A história que demos pra todos de você sair porque queria focar na faculdade foi pro ralo? – Sasuke se levantou e a encarava com os olhos julgadores, por mais que não fosse totalmente sua intenção. – Só me diz que isso não tem a ver comigo e a Ino, naquele dia em que você estava desacordada. – Lembrou, chateado.

Sabia que a volta de Raven e Ariela mexeria com a órbita da Alpha Red.

– Claro que não, por que teria? – A falta de animo dele começava a incomodá-la. 

– Você vai passar sua melhor amiga pra trás a troco do seu capricho alimentado pela Ariela. – Sasuke respondeu irritado com a possibilidade.

– Meu intuito é voltar ao controle do reino, isso jamais estaria algo ligado aquele dia, que eu fui drogada! – Disse virando a situação. – Eu quero a minha vingança com a Raven e isso não tem nada a ver com a droga do desabafo de vocês dois! – Afirmou tentando segurar as lágrimas que acumulavam em seus olhos. – E antes de você chegar, eu era a melhor diabinha e antes da Ino chegar era eu quem iria liderar todas elas! – Acrescentou puxando o folego.

– E não foi a Ino que te vingou? Você está entrando na vingança da Ariela, isso não tem nada a ver com você... – Sasuke argumentou, não concordava com nada daquilo.

– Sinto muito se não me apoia, Sasuke. – Deu-lhe as costas e seguiu em direção à porta.

– Não pode tomar o lugar da Ino quando bem entender como se ela não fosse nada, por uma vingança que não é sua. É o sonho dela de ela estar lá, o seu é outro. – Ele expôs o que pensava, sem medir palavras e isso fez Sakura congelar perante a porta e apertar a maçaneta.

– Não é da Ino que tenho raiva, mas sim da Raven e os seus segredinhos juntos, é bom ver que escolheu um lado. – Finalizou com ironia o olhando em cima do ombro. Sasuke se levantou, mas não disse nada. – Engraçado eu sempre ficar do seu lado e você não ficar do meu, ao contrário do seu irmão que nunca faltou comigo em NADA! – Praguejou saindo pela porta brava, e irritada com ele.

Não importava o ponto de vista dele, importava que Sasuke era seu namorado e lhe devia lealdade. Seja qualquer que fosse a sua decisão.

Aguardou na porta para ver se ele a seguia, mas não, apenas o ouviu socar a porta entre eles.

Ambos estavam machucados.

 

 

Cada história tinha o seu drama, e a realeza da Alpha, por mais que fosse alvejada, permanecia firme e forte, mas não intacta.

Itachi esperava Raven encontrá-lo depois do treino, ele tinha lhe dado uma tarefa e claro, precisavam conversar sobre problemas internos da coroa.

– Fez o que eu pedi? – Itachi perguntou saindo da quadra, Raven estava com um casaco grosso e uma boina, tinha acabado de encontrar Itachi saindo.

– Quando que uma missão dada não é missão cumprida? – Raven deu de ombros e Itachi a olhou satisfeito, não a beijou ou abraçou, só seguiu seu caminho e ela o seguiu.

– Precisamos falar sobre algumas coisas. – O rei anunciou e Raven lhe dava toda a atenção, estavam próximos ao dormitório masculino e era pra lá que eles seguiam. – Eu não estou feliz com as postagens da Diabólica. – Ele disse.

– Olha, eu era jovem e estupida, o Sasuke se aproveitou de mim. – Raven alegou parando de andar fazendo Itachi a olhar. – Ele ficou comigo bêbada porque sempre me quis, e fez isso de novo. – Soltou e Itachi arqueou uma sobrancelha. – Eu errei aquele dia e em Londres ele só repôs um favor que me devia por arruinar nosso relacionamento. – Disse se defendendo e Itachi colocou as mãos no bolso, tranquilo.

– Éramos jovens, você tem razão. Não somos mais, a chance que eu estou te dando, é pra fazer esse meu último ano valer a pena. – Ele declarou a segurando pela nuca. – Quando você foi embora nosso lance acabou, eu sabia que ele gostava de você e passei por cima dele por capricho, é justo ele passar por cima de mim agora. – Explicou sem a soltar.

– E como eu posso fazer isso? – Raven sorriu mordendo seu lábio inferior, sendo guiada até a boca de Itachi.

– Eu te mostro daqui a pouco. – Ele provocou voltando a andar e Raven o acompanhou; dessa vez com o braço do líder em volta de seus ombros. – Como eu ia dizendo, eu não tenho gostado das postagens da Diabólica...

– Desde que eu perdi o controle três anos atrás, ela vem sendo um lixo. – Raven revirou os olhos, afinal era Raven quem controlava a merda que era jogada no ventilador.

– Não importa o que está fazendo, eu quero que pare. – Ele anunciou e Raven fez uma careta.

– Eu não sei do que você está falando. – Ela disse, mas no fundo sabia.

– Se é verdade o que eu ouvi, a Sakura vai voltar para as diabinhas, mas eu sei que a Ariela quem colocou isso na cabeça dela. – Itachi desabafou. – Eu não sabia que isso ia dar tanto problema. – Ele revelou por ter juntado as duas algumas vezes nas férias.

Conhece aquele ditado? Inimigo do meu inimigo é meu amigo?

– Você costuma dormir com todos os seus problemas? – Raven alfinetou e Itachi riu, por mais que não devesse.

– Sem ironia Rav. – Ele sussurrou adentrando a casa dos Alpha Red. – Eu não devia ter ficado com ela e agora ela está fazendo isso para nos atingir e pegou um aliado bem forte. – Disse em relação à Sakura.

– Nós temos a líder das diabinhas e o rei do nosso lado, Sakura não é rainha de verdade sem o rei. – Raven deu de ombros entrando no quarto de Itachi e tirando o casaco.

– Até Sakura pegar a liderança das Diabinhas e quererem me destronar para colocar o Sasuke. – Itachi teorizou tirando o uniforme dos NY BLOOD. – Ariela já cansou de espalhar por ai que sou rei por causa dela. – Reclamou.

E essa era uma boa frase de ser analisada: Itachi sempre sabe de tudo. Ele é o rei e é isso que seus súditos e ditos cujos fazem: entregam-lhe informações das mais variadas possíveis e é assim que se mantem um reino, estando por dentro de todas as fofocas.

– Itachi tira isso da sua cabeça. – Raven foi até ele séria. – Você se destacaria em qualquer lugar e todo mundo sabe disso, ela era uma simples diabinha, não importa se ela te conheceu primeiro, se não fosse ela, outro te convidaria para a Alpha. E ser rei por causa dela? Por favor, nós criamos esse conceito depois dela e ele permanece intacto por quatro anos, é nossa história e não dela. – Ela disse séria e bem convicta do que estava falando. – E outra, eu não vou deixar ela pegar a liderança da Ino. – Raven afirmou e Itachi estreitou os olhos.

– Com tanto calouro que não sabe de nada, eu só precisava de alguém que me lembrasse disso. – Itachi murmurou a abraçando.  – Mas como eu disse, não faça! Se colocar Ino e a Sakura uma contra a outra, vamos incendiar a faculdade! – Ele temeu a soltando e entrando no banheiro.

– E vamos deixar a Sakura pegar a liderança? – Raven questionou. – Você sabe que eu gosto de fogo. – Raven riu tirando sua blusa, ouvindo Itachi abrir o chuveiro.

– Só que ele não pode passar dessas paredes. – Ele afirmou a buscando para dentro do banheiro.

 

 

Hinata havia passado a tarde inteira se preparando para o próximo debate de sua turma, ela queria estar bem preparada, e pra isso tinha que concentrar, o que ficou impossível depois de perceber que Naruto estava no mesmo lugar que ela e resolveu sentar-se uma mesa a sua frente para simplesmente encará-la.

No principio pensou que se o ignorasse ele se cansaria e iria embora, mas ele não se moveu, parecia ter criado raízes ali.

Então suspirou recolhendo os livros e suas anotações, teria mais paz estudando em seu quarto.

– Hinata, espera. – Naruto segurou levemente o braço dela.

– Naruto... – Virou-se o olhando séria como se pudesse repreendê-lo assim.

– Preciso falar com você, Hina. – Pediu quase suplicante.

– Você quer, não diga que precisa. – Foi dura, estava cansada da indecisão dele, que todos viam, menos ele mesmo.

– O Sasori, não te merece! – Foi objetivo. Apesar de falar baixo aquele velho clichê enquanto acompanhava Hinata para fora da biblioteca.

– Sabe Uzumaki, não te entendo. – Olhou séria nos olhos dele após saírem da biblioteca, tinha a esperança dele ver o que estava fazendo com ela e consigo mesmo. 

– Eu gosto de você, Hina! – Foi sincero. – Não suporto te ver sendo usada por um cara imbecil.

– Eu já fui usada por um cara imbecil. – O repreendeu voltando a andar e ele a seguiu, não entendia o porquê de toda aquela resistência. – Não adianta me seguir Naruto! Será que não enxerga como você brincou comigo? – Ela parou e se virou, relembrar os momentos passados pelos dois...  Tudo isso ainda a magoava.

– Eu nunca usei você. Me encantei por você desde a primeira vez que te vi. – Olhou dentro dos olhos dela, mesmo não sabendo que a feria ainda mais.

– Não me jure seu falso amor, você não sabe o que é amor! – O renunciou e por mais que fosse uma menina tímida e às vezes ingênua, não era idiota. – Eu me apaixonei por você, achei que iria me pedir em namoro e ao invés disso mentiu pra mim, me fez virar piada da Diabólica tirando qualquer esperança que eu tinha de ser levada a sério. – O Rosto da Hyuuga ficou vermelho de raiva.

Naruto ia assimilando aos poucos o quanto Hinata estava magoada e sentida por tudo aquilo.

– Não estou preparado pra algo sério. – Ele tornou a repetir e Hinata riu de nervoso.

– Que horas você disse que sentiu minha falta mesmo? Eu só vejo você correndo atrás da Ino e brigando com seu melhor amigo por causa dela. – Revirou os olhos. – Não sou cega, todo mundo vê isso, só vocês dois que não.

– A Ino não passa de uma amiga. – Esclareceu mais para si mesmo que para a Hinata. Sem pensar se acreditava realmente nisso ou não, era uma frase ensaiada há bastante tempo. – Eu gosto de você. – Ele reafirmou e Hinata fez uma cara de desagrado.

– Não Naruto, quem gosta de verdade não termina porque quer transar com a amiga gostosa. – Hinata resmungou brava e Naruto se sentia diferente enquanto ouvia o que Hinata tinha a dizer. Desde que transou com Ino, enquanto estavam bêbados, tudo tinha mudado e não era pra melhor. – Eu sei que está chateado por ela ter escolhido o Gaara, basta colocar isso na sua cabeça. – Hinata tentava convencer Naruto cego de seus próprios sentimentos. Talvez por negação ou culpa, mas existiam fatos que não podiam ser negados naquela altura.

– Eu sei que minha vida é uma bagunça, mas estou querendo arrumar. Eu gosto da Ino, mas o Gaara a ama, o que eu posso fazer? Eu gosto de você também, mais do que dela. – Ele começou a calcular sozinho e enquanto ele falava Hinata só queria se afastar mais do furacão, mas alguma coisa a impedia.

– Quanto mais rápido aceitar, mais rápido vai poder seguir em frente. – Hinata o aconselhou depois de respirar fundo.

– Podemos tentar recomeçar, Hina. – Ele tornou a repetir, como se tudo o que Hinata dissera tivesse entrado por um ouvido e saído por outro. Mas na verdade ele estava mastigando os fatos e tentando um mais uma vez na esperança de Hinata ter enlouquecido.

– Recomeçar uma amizade juntos, talvez. – Deu um curto sorriso a ele. 

– Já é o suficiente pra te proteger daquele cara. – Começou brincando apesar de terminar sério. Ele não queria nada de mal pra ela e nem havia desistido deles, mas ela tinha razão ele precisava organizar seus sentimentos.

– Você pode não gostar dele, mas foi o Sasori que me ajudou a superar os seus estragos. – Disse firme vendo as árvores ao redor do campus que logo se encheriam de neve.

– Você realmente se apaixonou por ele... – Naruto murmurou olhando o chão, estava chateado, não conseguiu assimilar o tanto que devia, só sabia que estava triste, mesmo que Hinata tivesse lhe proposto amizade.

– Você também está apaixonado, só tem que aceitar isso. – Jogou lhe mais uma vez a conclusão que muitos já tinham chegado. Naruto não fora capaz de responder, por isso ela lhe deu as costas e foi embora, por mais que ele voltasse a lhe chamar.

 

 

Ino não sabia se classificava encontrar Gaara como sorte ou azar... Estava feliz de ver que ele estava bem, mas não tinha certeza se “bem” era a palavra apropriada.

Estava tão fria aquela tarde, as notícias diziam que a primeira neve cairia e mesmo o uniforme de inverno das diabinhas não era o suficiente. Colocou seu sobretudo e foi até o campo extremamente vazio, não existiam tantos loucos assim para fazerem atividades ao ar livre,  a não ser Ino, com sua mente perturbada.

Ela estava triste por saber que provavelmente a recaída de Gaara teria sido sua culpa. Mas Ino estava disposta a encarar a vida da maneira que ela era: cheia de ações e consequências.

Acendeu seu cigarro, um péssimo hábito que até então era segredo. Precisava se aquecer do frio, e não só o externo, mas também o interno que se instalou depois de ver Gaara e não conseguir fazer nada a não ser ir embora.

Sua cabeça estava latejando de tanto pensar, fumaria um maço e só sairia de lá com os dedos congelados, quando a neve começasse a cair. Esse era seu pensamento, fones de ouvido, cigarro e frio.

Bom, era até o momento que viu um vulto se aproximar. Apagou o cigarro e o escondeu, podia ser qualquer pessoa, se a pegassem ela estaria em problemas por mais que fosse maior de idade, era líder das torcedoras.

Mas existia a segunda e pior opção, por isso se levantou: Gaara.

 

– Eu não vim por sua causa. – Ino agiu na defensiva, dando alguns passos a frente para passar por Gaara e sair, mas ele não se moveu da entrada.

– Mas eu vim por sua causa. – Ele disse a encarando sério.

– Olha, sobre Vegas...

– Quem é exemplo nessa faculdade pra te julgar? – Ele interrompeu. – Eu não disse que concordo, mas eu entendo.

– Eu pensei que você correria pra ela.

– Eu sei que esperava que eu fosse ficar com ela novamente... – Ele riu sem o mínimo de humor. – Eu sou um idiota com ciúmes do Sasuke, achando que a levando até você provaria alguma coisa...

Foi difícil, estava disposto a não olhá-la mais nos olhos, mas depois de expor para si tudo o que aconteceu e organizar o que estava fazendo com a sua vida, algumas coisas valiam a pena repensar. E alguns meios justificavam alguns fins.

– Eu não deveria ter pedido um tempo...

– Você não precisava de um tempo, mas eu sim. – Gaara continuou, tinha muito mais o que falar. – Quando você terminou eu não senti nada, sabia que estava me testando por causa da Kit, eu passaria no teste. Quando entrou no carro com o Neji eu sabia que ficaria com ele e que estava te perdendo outra vez. Mas só quando te vi no corredor e ele atrás de você, eu senti um vazio e eu só queria preencher isso. – Confessou

– Me desculpa.

– Eu tenho que pedir desculpa por não dizer e demonstrar o que eu sentia, quando já sabia disso. – Afirmou lembrando-se de todas as dúvidas que teve por não se sentir suficiente. Ino podia não ser o remédio, mas fazia parte do seu tratamento e ele só queria estar limpo e sair daquele poço de onde entrou.

– Eu estava guardando muito tempo essa vontade de dizer, mas não tinha certeza se devia. – Ino disse se aproximando um pouco mais pegando a mão também gelada de Gaara. – Mas só você faz isso comigo. – Disse enquanto guiou a mão do ruivo no seu peito acelerado. – Eu te amo Gaara. – Ela disse.

E mesmo que Gaara não quisesse, o sorriso surgiu involuntário e tão leve quanto o ar invadiu sem semblante o preenchendo com um sentimento que lhe fazia tanta falta e o preenchia por inteiro. O abraço para o qual Gaara a puxou, conseguiria facilmente colar qualquer pedaço de coração partido e amenizar qualquer ferida. E enquanto iam tornando de baixo da arquibancada um lugar mais quente, ele não podia deixar de dizer o que também sentia.

– Então vamos devagar pra dessa vez dar certo. – Ele pediu falando tão perto que suas boas ainda se encostavam. – Porque eu também te amo. – Sussurrou a trazendo de volta para o beijo.


Notas Finais


VAMOS BOTAR ORDEM QUE TA TUDO BAGUNÇADO!!!
SEGUNDA GUERRA DECLARADA? O QUE FALTA?

Alguém concorda com o Sasuke? Ariela está manipulando a Sakura?
E se tivermos lobos em pele de cordeiro e não percebemos nada disso até agora? HEHEHEHE

Revelado a loucura de Naruto: apaixonado! Será que agora isso tudo faz sentido?
Quem postar #TeamSakura, eu quero um TCC sobre o porque ela tem que continuar como rainha se ela não foi a primeira rainha hehehehe e claro, o jogo pode virar a qualquer momento, por mais que a Ino agora esteja com outros planos. Será que ela encontra a paz?

De qualquer forma o inverno chegou e vamos ver quem vai morrer congelado por causa do orgulho!
Qual é o preço de estar no trono? Ou lutar por ele.
Próximo capítulo começa a tão esperada viagem até a casa do lago. Vai da merda?
#TeamAriela ou #TeamRaven? #Rumoaos500favs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...