1. Spirit Fanfics >
  2. Alteridade >
  3. Quadragésimo Segundo

História Alteridade - Capítulo 43


Escrita por:


Capítulo 43 - Quadragésimo Segundo


Os dias se passaram e Eileen permanecia pensativa sobre a conversa que tivera com seu filho na escola de magia. De certa forma, sentia-se culpada pelo que estava prestes a ocorrer com seu filho e seu sobrinho. Na verdade, ela se sentia omissa por estar sendo completamente conivente com a loucura que Lucius ainda pretendia. Ela havia tentando conversar com Klaus, mas seu marido, sempre muito preocupado com a imagem que teria ante ao mundo bruxo, respondeu que tudo aquilo não passava de “besteiras de adolescentes” e que em breve, todos estariam acostumados com a ideia do casamento.

Ainda não convencida, certo dia, Eileen esperou que o jantar se encerrasse para encontrar Narcissa na biblioteca da mansão Malfoy. Chovia forte e os relâmpagos entravam pela janela, deixando algumas silhuetas assustadoras pelo cômodo. A lareira estava acesa e Cissa parecia organizar alguns livros de magia antigos em sua estante.

– Cissa – chamou minha tia.

– Boa noite, Ei – respondeu minha mãe – ainda não foi se deitar?

– Na verdade, eu tentei dormir um pouco – mentiu – mas fiquei pensando sobre algo.

Minha mãe, ainda organizando os livros, deu uma pequena pausa e fechou os olhos, procurando não descompassar sua respiração. Após alguns segundos, ela retomou sua atividade, tentando demonstrar indiferença. Ela já sabia o que viria a seguir.

– O que te aflige? – perguntou.

– Receio que não esteja muito satisfeita com esse casamento entre nossos filhos – iniciou Eileen – acredito que podemos estar sendo...

– Egoístas? – completou minha mãe – É, eu já pensei nisso também – ela se virou para minha tia.

– E por que a gente simplesmente não desiste disso tudo e espera pra ver com mais calma? – ela se aproximou da outra, olhando-a com firmeza.

– Porque isso não depende de mim ou de você – contestou minha mãe, virando-se novamente para a estante – você sabe muito bem que isso é coisa do Lucius.

– Mas, se você também não concorda com isso, por que não embargamos sua decisão?

– O que Klaus pensa sobre isso? – desviou.

– Cissa, Klaus está mais preocupado com aparências do que com o bem estar de nosso filho. Ele parece mais com Lucius do que eu.

Narcissa hesitou por alguns segundos e virou-se para a outra, caminhando em sua direção e apoiando as duas mãos no ombro da minha tia.

– Eu não recomendaria que você tentasse conversar com o Lucius... As coisas podem piorar.

– Cissa! Não posso ver meu filho deprimido por minha causa.

– Olha, se for fazer alguma coisa e eu puder ajudar, me avise. Só, por favor, não me peça para fazer nada que me envolva diretamente ou possa estragar o meu casamento.

A mãe de Drachen assentiu.

– Obrigada pelas palavras, Cissa. Pelo menos sei que não estarei completamente só nessa aventura.

xXx

Desconsiderando o período que estive em Durmstrang, aquele estava sendo um dos piores momentos da minha vida. Eu já não aguentava mais jornalistas o dia inteiro me perseguindo como várias sombras. Tudo o que eu fazia e como eu fazia se tornava notícia rapidamente. Isso impedia com que eu visse Harry com a mesma frequência do que antes. Além disso, pelo iminente risco da minha gravidez, todo me observavam o dia inteiro, o que também dificultava minhas fugas, inclusive noturnas, para ver o Harry. O máximo que fazíamos era andarmos juntos no intervalo, mas sempre na presença de Ron, Hermione e, é claro, Drachen. Meu primo era outra pessoa que estava completamente insatisfeita com tudo o que estava acontecendo. Era claro que o afastamento de Neville de nós todos era implicitamente causado pelo casamento entre Drachen e mim. Aquela situação se tornava mais insustentável a cada minuto e eu tinha medo de que qualquer um de nós pudesse perder o controle. Como se não fosse o suficiente, o período de provas já havia começado e faltava muito pouco para a última ser realizada. Isso indicava que, além do casamento se aproximar cada vez mais, o veredito sobre nossa aprovação também estava quase ali.

Não demorou até que o dia do resultado final chegasse. Felizmente, ou não, fomos todos aprovados sem qualquer dificuldade. Os dias estressantes valeram a pena. A formatura aconteceria em breve. No decorrer de todos aqueles dias, não conseguimos chegar nem perto de algum plano que parece plausível o suficiente para nos livrarmos daquele problema todo. Além do mais, eu já estava no último estágio da gravidez, portanto, estava muito fraco e indisposto. Minha barriga já estava bem desproporcional ao meu corpo, o que me fazia sentir um enorme peso para carregar. Como se não fosse o suficiente, os bebês sugavam um pouco da minha força vital e da minha magia, pois para que se desenvolvimento mágico se desse por completo, eles necessitavam da minha força.

Numa quarta-feira, após eu ter me sentido um pouco mal devido à grande carga que eu levava dentro de mim, fui parar na enfermaria. Drachen, quem teoricamente deveria me acompanhar, deu qualquer desculpar para que Harry fosse comigo. Era claro que, apesar dele ter interesse em saber como estava o seu bebê, ele também entendia que Harry necessitava daquilo e seria uma boa oportunidade para que eu pudesse conversar com ele sem ser importunado.

Depois que a enfermeira já havia me dado uma poção para me revitalizar, ela me deixou descansando em uma das macas com Potter ao meu lado.

– A formatura já é esse final de semana – comentei.

Harry parecia muito perturbado com alguma coisa. Diferentemente do que ele costumava ser, ele parecia bem retraído e misterioso, como se estivesse pensando em alguma coisa e não quisesse que ninguém sequer desconfiasse do que se tratava. Ele segurava minha mão e não olhava diretamente em meus olhos, acariciando-a lentamente.

– Eu sei disso – respondeu sem aparentar qualquer coisa diferente de tensão.

– Isso quer dizer que o meu casamento está chegando, Harry. Meu pai não me disse nem a data. Ele pode muito bem marcar para o dia seguinte à formatura.

– Eu também sei disso – confirmou.

– Você está muito quieto para alguém que está preocupado. Você já tem algo em mente e não quer me contar?

Ele não respondeu nada por alguns segundos, ainda encarando minha mão, como se sua mente estivesse desprendida de seu corpo.

– Draco – iniciou, finalmente direcionando seu olhar para mim – você sabe que eu faria qualquer coisa por você, não é mesmo?

Antes de responder, hesitei, analisando-o com cautela. Aquela pergunta, apesar de parecer despretensiosa, ela parecia inferenciar algo.

– Do que estamos falando? – questionei.

– Eu acho que não há nada a ser feito, se não uma loucura.

– Que tipo de loucura?

Aquele era um típico pensamento grifinório. Loucuras. É claro que milhares de ideias absurdas passaram pela minha cabeça, mas eu não as cogitei por nenhum minuto sequer. Já Harry, provavelmente pensara nas mesmas coisas e, agora, as via como única opções possíveis. Infelizmente, eu não poderia deixar de concordar com todas as tolices que eu tinha certeza que passavam pela sua cabeça.

– E se a gente precisasse fugir? – ele propôs, me olhando firmemente.

– Harry, você sabe muito bem que meu pai...

– Eu te fiz uma pergunta. Preciso que você me responda.

– Você sabe que sim – respondi, inseguro.

– Tudo bem – ele levantou – o resto fica por minha conta.

– Mas quando nós iremos?

– Não vou te dizer isso agora – respondeu – só te peço para que esteja preparado para quando eu der o sinal.

– Sinal? – indaguei, confuso.

– Você saberá quando eu o der.

xXx

Faltavam apenas algumas horas para a cerimônia de formatura e a mansão Malfoy estava à mil por hora. Além dos meus pais e meus tios estarem completamente ocupados se arrumando para o evento, milhares de jornalistas já se localizavam ao lado de fora da propriedade. Eu estava no meu quarto, recebendo a ajuda de Drachen para me vestir, já que a imensa barriga dificultava todo e qualquer movimento que eu tentasse executar.

Enquanto isso, na suíte principal, meu pai terminava de dar o nó de sua gravata quando minha tia Eileen entrou no cômodo.

– Lucius?

– Pois não, Eileen?

– Acho que preciso conversar com você – ela iniciou.

– Receio que este não seja um momento apropriado para isso – afirmou o loiro – é algo urgente?

– É algo urgente – ela disse, como se repetisse o que ele dissera em outro tom.

– Inicie – ele terminou se ajeitar a gravata e vestia o paletó do smoking dinamarquês que comprara para a ocasião.

– Como o casamento de nossos filhos também diz respeito a nós, queria que você me informasse melhor sobre a data e o local. Quero me organizar e...

– Não – ele interrompeu-a – você não precisa se preocupar com nada. Eu já tenho tudo sobre controle.

– Eu sei disso – ela concordou, como se estivesse completamente interessada da mesma maneira que ele – mas eu gostaria de estar ciente de tudo o que irá acontecer.

– Querida prima – ele disse, parando em sua frente e repousando as mãos sobre os ombros da mulher – ninguém saberá de nada. Seria uma pena se mais gente soubesse de como tudo acontecerá e por algum momento pudesse... sei lá, ficar tentando a acabar com tudo?

– Do que você está falando? – Eileen sentiu seus batimentos acelerarem e a adrenalina percorrer suas veias: Lucius sabia. Foi nesse momento que ela avistou um pedaço de papel com uma espécie de marca vermelha impressa no mesmo.

– Você acha que não a vi conversando com o Draco no dia do palanque? Você pareca entretida demais. Eu sabia que ele a havia ganhado com suas conversinhas bobas – ele a soltou, caminhando até a janela e observando a mídia que estava fora dos limites da mansão.

– Isso é loucura! Você acha que essa mentira se sustentará até quando?

– Até quando eu achar conveniente. Essa gravidez do Draco está me proporcionando todo o prestígio que perdi quando O Lorde caiu.

– Francamente – ela disse já saindo do quarto – você é um ser mesquinho e egoísta. Espere só para ver o que vai acontecer.

Depois de sair do quarto, ela dirigiu-se a um dos quartos de hóspedes, onde estava alojada com seu marido. Apesar da pouca conversa, ela já havia conseguido a informação que necessitava e sabia muito bem a quem destinar a informação que conseguira.


Notas Finais


Agora é oficial: restam apenas TRÊS capítulos para o fim da fic! Grandissíssimas emoções os aguardam. Como o prometido, o final da fic será absolutamente imprevisível e eletrizante! Quero comentáriooooooooooooos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...