1. Spirit Fanfics >
  2. Altivez >
  3. Capítulo 77

História Altivez - Capítulo 77


Escrita por: Libsriangirl

Capítulo 77 - Capítulo 77


 Lily Pritchett Jackson
Portland, Oregon
14 de agosto de 2007
05:33

– Só estou com uma dor no braço. Mas, vai passar – Frances dá um enorme e exagerado sorriso para a minha mãe que olha para o chão e morde o lábio. Tia Sharon arregala os olhos para mim e logo após olha para tio Dan que começa a rir

– Bem, tudo o que posso dizer é que Joana não vai voltar a incomodar por um bom tempo! Ela foi presa no aeroporto. Foi presa por tentar contra a vida de Petra Pritchett a mulher que vai encontrar Osama! – ele diz em um tom cômico

 Então. Ela alertou o pentágono, isso é uma ótima jogada! Com todo o poder que a minha mãe tem, duvido que Joana não vá para uma prisão de segurança máxima. Vai ser bem difícil a tirar de onde quer que ela seja colocada

 Tio Dan está usando uma calça jeans preta que não é nada apertada, mas, marca bastante... Eu sei que é errado, mas, que homem! É uma pena eu não estar solteira e é uma pena ele ser melhor amigo do meu pai!

– No fim das contas deu tudo certo – tio Dan coloca suas enormes mãos na minha cintura e me dá um beijo na bochecha. Olho para o céu e peço para que me dê algum motivo, bem pequeno para eu não dar em cima dele agora mesmo!

– O celular de alguém está vibrando! – minha mãe diz entre dentes enquanto verifica se Frances não tomou algum tiro e não está sentindo

– É o meu, é River. Ela ficou de me ligar. Oi! Amor – ela diz calmamente quando atende. Ela leva às duas mãos até a boca para abafar um grito. Minha mãe toma o celular dela e fala com tia River. Em um silêncio ensurdecedor ela desliga o telefone e encara tio Dan que acaba de me abraçar por trás... nossa como é enorme...

– River esta gravida, a inseminação deu certo. O divórcio de Frances saiu. Safira acaba de marcar seu casamento com Hades. Apolo e Pilar vão ser os organizadores do leilão Pritchett a partir de hoje! – nossa são notícias muito boas

 A minha mãe não queria ter que organizar o leilão. Ela fez isso por pouco tempo e não gostou nada. Foi ótimo minha vovó Ellie ter escolhido Pilar, ela leva jeito! Bem, e talvez isso a aproxime da família de novo

 Depois que a filha dela com Michael nasceu, ela se distanciou da nossa família. Não é nenhuma novidade para nós que aquela menina é filha do meu pai. Foi coincidência demais ela ter nascido poucos meses depois de ele ter terminado com Pilar

 Minha mãe corre para Frances e a beija apaixonadamente. Eu vou precisar me acostumar com isso. Para mim vai ser complicado me acostumar com Frances não estando com Safira. Sharon ainda está em choque com a notícia de que vai ser mamãe de sem dúvida uma ou um mini River

 Tio Dan me abraça por trás. Sinto tudo arrepiar. A pele dele é tão macia. Ele é tão musculoso. Assim que ele se afasta sinto minha alma ir com ele. O encaro ir até a minha mãe e a abraçar

 Ele está tão feliz. É como se todas as conquistas da tia River fossem dele também. Isso me atrai para caralho. Ele não liga de aplaudir uma mulher. Claro, ele faz o que todos deviam fazer e ele mesmo nos repreende sobre o parabenizar por algo que é obrigação dele, mas, como não enaltecer esse homem e tudo que ele faz?

 Fico aqui o encarando feito idiota. Dan passa por mim e corre para a casa onde alguns dos seguranças já estão fazendo uma bela limpeza. Sinto alguém tocar meu braço. É tia Sharon. Sorrio para ela

– Me ajuda a entrar? – ela pergunta com seu doce sorriso. Tia Sharon é uma mulher magnifica. É naturalmente ruiva e é dona de um belo sorriso. Ela é um pouco mais baixa que eu, ela tem 1,69 e eu tenho 1,74. Ela passou um tempo longe de todos. Agora, bem, com a gravidez de tia River. Acredito que elas vão finalmente oficializar a relação delas. A guio até a casa. Devagar a ajudo a subir as escadas – Eu vi como você estava o olhando, não te condeno, ele é um deus! – ela diz baixinho entre risos

– Eu não posso fazer nada, é tão injusto! Sou louca por ele desde os meus 19 anos! – cochicho para ela enquanto andamos até o quarto dela. Abro a porta para ela que entra – Vai precisar de alguma ajuda? – pergunto para ela que nega com a cabeça

– Mas, eu conheço alguém que pode precisar – ela arqueia uma das sobrancelhas e segurando um sorrisinho entra e fecha a porta. Não é uma má ideia, não é mesmo

Ando até a porta ao lado. Bato duas vezes. Dan abre a porta. Ele está com um saco de gelo na mão esquerda e está usando uma camisa branca que já tem um pouco de sangue

– Voltou a sangrar de novo! – ele reclama enquanto se afasta da porta. Entro e fecho a porta. Ele se senta ao pé da cama e faz uma careta. Deve estar doendo bastante. Tiro meu blazer e abro alguns botões da minha camisa branca

– Me deixa ajudar com isso! – digo enquanto ando até ele. Deixo meu blazer em cima da cama ao seu lado esquerdo. Afasto sua enorme mão de perto do machucado – Não é tão grande. Só abriu um pouco. Não precisa nem de pontos – digo enquanto pego o saco de gelo e o levo comigo até o banheiro. Pego a caixinha de primeiros socorros e pego um band-aid. Volto para o quarto

– Então eu não entendo o porquê de estar ardendo tanto – ele franze o cenho. Ando até ele e me posiciono entre suas pernas que estão abertas. Consigo até sentir sua respiração em minha pele, mas, finjo que nem estou notando. Ele está caindo gradualmente na isca. Assim que eu gosto.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...