1. Spirit Fanfics >
  2. Altos e baixos! >
  3. Capítulo 12

História Altos e baixos! - Capítulo 12


Escrita por: bruna_asantos

Notas do Autor


Olha eu aqui de volta depois de algum tempo kkkkk, passando pra dizer tbm que essa fanfic passará por algum anos.

Capítulo 12 - Capítulo 12


Fanfic / Fanfiction Altos e baixos! - Capítulo 12 - Capítulo 12

Helena estava preocupada pois Atílio apenas chorava mas nada dizia, ela então pegando um lençol e cobrindo sua nudez foi até ele:

- Atílio o que está acontecendo? 

- (........

- Por que você está chorando? 

- (........ 

- Responde porra.

- A Lorrane perdeu o bebê 

- É o que? 

- A Lorrane perdeu o bebê, da pra entender porra? Ou eu preciso desenhar.(diz ele elevando um pouco o tom de voz) 

- Ei abaixa o tom por que eu não sou surda, você altere a voz com a sua mulher, não comigo.

- Desculpa, eu estou nervoso né, entende minha situação.

- Eu entendo, e o que você vai fazer? 

- Eu vou voltar para o Brasil 

- Mas e a reunião ? 

- Eu não posso ficar aqui

- Eu te entendo.

- Você volta comigo ou vai ficar aqui?

- Vou ficar, ainda tenho três reuniões importantíssimas 

- Então tá bom, tchau.(diz ele dando um selinho na mulher e indo em direção da porta)

- Atílio?!

- Sim? (Diz ele virando)

- Me liga quando chegar lá, fica bem!!!

- Ligo sim, obrigada!!!!

Atílio saiu a passos ágeis, foi até o quarto onde estava hospedado, e em uma agilidade que até então ele não conhecia jogou todos seus pertences espalhados pelo quarto dentro da mala, desceu as escadas pois o elevador estava ocupado, fez o check-out e pegou o primeiro avião para o Brasil.




//Brasil// 04:30 am

Atílio chegou ao aeroporto, pegou o primeiro táxi que cruzou seu caminho, e foi direto ao hospital, chegando lá Lorrane estava dormindo sobe efeito de remédios, ele entrou no quarto, parou e ficou olhando pra ela por alguns instantes, ele nem se atentou que ela havia acordado, e com uma voz de choro ela o desperta:

- Atílio...

- Atílio...

- Oi desculpa, não vi que você havia acordado.

- Quando você chegou?(diz ela com a voz banhada em choro)

- Cheguei agora pouco... não chora vai, não foi sua culpa(diz ele limpando algumas lágrimas fujonas que desciam pelo seu rosto)

- Você deve estar me odiando né? Mas com toda razão, eu não servi nem pra segurar um filho seu, meu Deus eu sou o pior dos seres humanos.

- Eiei, não diz assim, você não teve culpa nenhuma(fala ele pegando na mão da mesma) e eu não estou com raiva de você, e nem teria motivos para isso, não se culpe, aconteceu o que tinha que acontecer, realmente é muito triste, mas não cabe a nós ficarmos julgando de quem foi a culpa, por que ninguém teve culpa.

- Mas Atílio era a minha primeira filha, você entende?

- Meu bem, é claro que eu entendo, mas você é jovem, pode engravidar quantas vezes quiser.

- Você jura?

- Juro, agora deita aí e dorme, que eu vou estar sentado ali naquela poltrona.



A mulher voltou a dormir e Atílio foi tentar fazer o mesmo, ele nunca se sentiu tão cansado, com tanto vazio, ele ficou lutando contra seus próprios pensamentos até que pegou no sono.

Seu telefone estava no silencioso, por isso ele não escutava as notificações que chegava, Helena estava desesperada por não saber notícias de Atílio, por isso ela encheu seu WhatsApp de mensagens:

WhatsApp 

- Atílio, você já chegou no Brasil?

- .........

- Atílio como você está?

- .... 

- Atílio eu estou preocupada com você.

- ???!???



Quando foi pela manhã a enfermeira despertou os dois para o café da manhã, Atílio ainda um pouco confuso foi ver como Lorrane estava, e após verificar que estava tudo bem despediu se dela e foi para casa tomar um banho e poder relaxar, ao chegar em sua casa, foi direto ao banheiro, onde deixou suas roupas espalhadas por todo lugar, entrou para debaixo do chuveiro, e deixou que como aquela água que escorria pelo seu corpo descia pelos ralos, levassem consigo todos os seus pensamentos e preocupações, ao sair do banheiro ainda enrolado no roupão, ele foi até a cozinha onde preparou um sanduíche, pegou um copo de suco que se encontrava na geladeira , sentou se a mesa, pegou seu telefone e começou a comer, assim que ligou o telefone virou várias mensagens de Helena, ele então rapidamente a respondeu:


WhatsApp 

- Oie Helena, desculpa a demora, mas é que só tive tempo de pegar no celular agora, cheguei ao Brasil, e está tudo bem comigo, obrigado pela preocupação.


Helena estava em reunião por isso nem viu muito a mensagem, Atílio após terminar sua pequena refeição deitou na cama e logo pegou no sono.


——————————————————————

Se passaram uma semana daquele ocorrido, Helena já havia chegado ao Brasil e desde aquele dia não respondeu e nem teve notícias de Atílio.


Passaram se alguns anos e muita coisa mudou na vida deles, Atílio estava sossegado com sua mulher, Helena também sossegada mais sem ninguém, eles não se encontravam desde o último ocorrido no hotel, eles não tinha nada a discutir sobre o filho, pois o mesmo já era maior de idade, e não precisa que os pais tomem as suas próprias decisões.

Até que o esperado aniversário de Alicia e João Marcelo chegou, os gêmeos completariam 16 anos e havia uma belíssima festa como os aniversariantes desejavam, a festa aconteceria na casa de Angra de Helena, por volta do meio dia a mansão de Helena estava um verdadeiro pardieiro, gente andando pra lá e pra cá, doces chegando, comida chegando, e aquilo tudo estava stressando Helena.


Por volta das seis da tarde já estava tudo pronto, os convidados chegariam por volta das sete, Eduarda e Marcelo juntamente com os gêmeos já estavam prontos, e estavam no jardim esperando os convidados, enquanto Helena estava em seu quarto se arrumando.


Os convidados começaram a chegar, sentaram se as mesas e aproveitam dos belos quitutes que estavam sendo servidos.

Atílio juntamente com a mulher foi um dos últimos convidados a chegar, ele foi até a ex enteada:

- Feliz Aniversário meninos!!!!

- Obrigada Atílio.(diz os dois em um coro)

- Toma esses presentes são pra vocês.

- Obrigada!!!(diz os mesmos pegando as caixas da mão de Atílio)

- Como você está linda Duda.

- Obrigada Atílio 

- E sua mãe? 

- Está lá em cima se arrumando. 

- Ei, você lembra da sua ex mulher mas não lembra que eu estou aqui? 

- Lorrane menos por favor? Eu perguntei por educação. 

- Como vai Lorrane, tudo bem?(pergunta Marcelo Motta)

- Ah estou bem sim, muito obrigada por lembrar que eu existo.


Helena estava lá em seu quarto decidindo que roupa usaria, foi então que ela optou por um vestido até as coxas, com uma lasca na perna direita, seus saltos bege , uma leve maquiagem, cabelos soltos, alguns acessórios. Ela então desceu para o local onde estava acontecendo a festa, chegando lá ela cumprimentou alguns convidados que ali estava, dentre eles Branca e Arnaldo.

- Helena eu pensei que você nem fosse vim mais ahahahha

- Marina que eu deixaria de vir no aniversário dos meus netos, ainda mais acontecendo na minha casa? Seria uma desfeita não acha? 

- Claro, tem razão.

- Senta aqui com a gente Helena(diz Arnaldo)

- Daqui a pouco eu volto, vou terminar de cumprimentar os outros convidados.


Helena se retirou e foi até a mesa em que estava Virgínia, Pedro e etc...

Enquanto isso Atílio e sua mulher chegam a mesa de Branca: 

- Atílio querido pensei que não viesse mais. 

- Como vai Branca? Cheguei já faz um tempinho, estava ali conversando com Duda.

- Ahh senta aqui .

- Vocês viram a Helena? Até agora não apareceu(diz ele sentando se a mesa)

- O que tanto você quer com a Helena? Já é q segunda vez que você pergunta sobre ela.(diz Lorrane elevando um pouco a voz)

- Fale baixo por favor? Eu estou perguntando dela, por que se você não sabe hoje é aniversário dos netos dela, e seria uma falta de educação ela não vim.

- Mas se a dignissima não está preocupada por que você está? 

- Hei vamos parando aí galera, a Helena esteve aqui agora pouco e está ali na mesa onde se encontra Virgínia.(diz Branca)

Como que quem fosse invocada Helena chega na mesa de Branca sem ver que Atílio estava lá e diz:

- Pronto voltei...

- Senta aqui do meu lado Helena, diz Branca.

- Ah obrigada(diz ela sem graça ao ver Atílio)

- Viu quem chegou Helena?(diz Arnaldo provocando)

- Vi sim, como vai Atílio? 

- Vou bem e você?(diz ele não tirando o olho dos lábios rosados de Helena)

- Estou bem, obrigada!!!!

- Começou a bajulação (diz Lorrane)

- Você é muito ciumenta não acha não? Ahahah(diz Branca)

- Eu tenho que cuidar do que é meu, por que tem muita mulher de olho.

- O que é seu e das outra também né? Ahaha até parece que não conhece o Atílio (diz ela em um tom banhado em ironia)

- Pois fique sabendo que o Atílio encontrou o amor da vida dela , e ele está muito sussegado,

- Mas ele nunca havia perdido o amor da vida dele, olha a Helena aqui ahahahhaha.

- Helena é passado.

- Coisa boa a gente nunca esquece(diz Helena em um tom banhado em malícia)

- Gente estamos em um aniversário de criança, por favor, Deconfiem.(diz Atílio)

- Hahhahaha eu esqueço as vezes .



E eles ficaram conversando amenidades lá por um bom tempo, até que todos foi cantar os parabéns, e Atílio aproveitou essa fuga pra arrastar Helena pra parte externa da casa.

- Atílio você está ficando louco? Está na hora dos parabéns.

- Eu estou ficando louco, você me deixa louco(diz ele dando vários beijinhos no pescoço, boca dela)

- Eu estava com saudades (diz ele)

- confesso que eu também, mas agora não podemos, todos vão perceber. 

- Faz assim, eu deixo a Lorrane em casa e volto pra ficarmos juntos pode ser? 

- O Marcelo vai dormir na casa da namorada, mas o difícil vai ser você enrolar sua mulher.

- Não se preocupe com isso

- Então vai lá vai(diz ela dando um beijo nele)

- Te amo

- ahahahha

Eles voltaram para o local onde estava cantando Parabéns, já estava sendo distribuído o bolo, Atílio e Helena sentaram se a mesma como se nada tivesse acontecido. 

Após todos  comerem, dançarem beberem a vontade, deu a hora de todos irem embora, Atílio foi o primeiro que despediu de todos e foi embora.


Casa de Atílio 

- Lorrane eu vou ter que ir na empresa, deu um problema na construção de Buenos Aires.

- Mas agora Atílio?

- Agora, é o meu trabalho, o que posso fazer? 

- Não demore

- Ah claro que eu vou demorar, pensa que é fácil resolver esses problemas? Agora deita e não precisa me esperar(diz ele dando um selinho na moça)


Ele pegou seu carro e saiu, foi direto para a casa de Helena, esperou todos sairem de lalá para tocar a campainha.

Campainha toca:

- Pode deixar que eu atendo Tadinha, e pode ir deitar, você está dispensada, amanhã o pessoal vem pra organizar a bagunça que ficou, boa Noite!!!

- Então tá bom, boa Noite!!!

Ela esperou Tadinha sair para abrir a porta:

- Cheguei.

- ahaha pensei que você nem fosse conseguir vir.

- Eu tenho um jeito pra tudo, só não tenho pra morte(diz ele dando um selinho nela)

- Entra, não vou te deixar plantado aí fora.

- Obrigada!!!!

- Aceita algo para beber?(diz ela fechando a porta)

- Um vinho talvez.

- Claro vou pegar.

Helena foi até a cozinha, pegou um belo vinho que estava na geladeira, pegou duas taças e foi em direção a sala, colocou em cima da mesa, onde Atílio serviu os dois.

- Façamos um brinde.

- E brindamos a que?

- Ao nosso encontro. 

- Ao nosso encontro.(diz ela encostando a taça na dele)

Após várias conversas Atílio não conseguia mais prestar atenção na conversa de Helena, mas sim em seus lábios rosados, temida por uma coragem ele a puxou pela cintura e deu lhe um beijo digno de novela, ela sem muita reação apenas atribuiu o beijo, ele foi descendo suas mãos para o feixe do vestido de Helena, foi onde teve o ato interrompido:

- Aqui não, Tadinha pode estar acordada.

- Vamos pro seu quarto então? 

- Vamos, pode deixar esse vinho ai, depois eu guardo.

Eles subiram rapidamente as escadas e foram a passos ágeis em direção ao quarto de Helena, Atílio mais que depressa fechou a porta do quarto, e colocou Helena sobre a cama, deitando sobre ela, ele começou a beijar seu pescoço, foi descendo as carícias, até que ele retirou a roupa dela, onde teve a visão do paraíso, ele então abocanhou os seios de Helena, onde ela soltou um gemido, Atílio teve sua roupa tirada por uma Helena sedenta, ela foi dando beijos no peitoral do mesmo, ele desceu os beijos para o ventre de Helena, até que eles partiram para o bloco dezoito, onde Atílio adentrou Helena com todo desejo que guardava a anos, e ele gemia como nunca, e não estava nem aí para que alguém ouvisse, até que depois de muito tempo os dois chegaram ao ápice e caíram suados na cama :

- Meu Deus Helena que pique hein? 

- Uai esqueceu de como eu era na cama? 

- Jamais

- Aguenta segundo rauld? 

- Meu Deus ahahahahah

- Aguenta ou não? 

- Você sabe que sim.

E lá foram os dois, essa noite estava longe de terminar. 


Notas Finais


Desculpem qualquer erro de escrita, mas esse capítulo foi escrito às pressas, prometo melhorar no próximo!!!😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...