História Aluga-se um Namorado - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, Kai, Xiumin
Tags Baekai, Baekhyun, Chankai, Exo, Fluffy, Kai, Kaibaek, Top!baekhyun, Xiuchen
Visualizações 67
Palavras 1.970
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Fluffy, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 5 - Casa de Campo


Baekhyun suou frio quando foi avisado que o chefe estava o chamando na sala dele, Baek nunca havia levado nenhuma advertência, e nem conhecido o chefe. Foi contratado pelo gerente mas nunca conheceu o manda chuva de todo o lugar, então só tinha uma possibilidade seria demitido, talvez tivessem descoberto sobre ele e Jongin. Ah, como ele queria esganar Jongin agora, chegou a frete da porta e observou o nome escrito na porta, Kim Junmyeon, respirou fundo e girou maçaneta, que fosse o que Deus quisesse.

Junmyeon estava sentado de costas para Baekhyun e jogava um dardo no alvo, não se virou até acertar. Então se virou comemorando com um yeees, tirou um pente pequeno do bolso e passou pelos cabelos negros os alinhando, se é que isso era possível. Depois o guardou novamente, se encostou na mesa e cruzou os braços olhando para Baekhyun.

- Senhor... – Baekhyun tentou se explicar pelo que nem sabia mas foi impedido pelo indicador de Junmyeon.

- Olá Baekhyun, eu olhei sua ficha, você é um bom funcionário não é?

- Sim senhor.

- Seria uma pena se eu tivesse que demiti-lo. – Baekhyun sentiu a garganta seca, precisava daquele emprego.

- Sim senhor.

- Hmmm, sabe. Ouvi boatos sobre você, mas eles não podem ser verdadeiros. – Junmyeon balançou a cabeça e riu consigo mesmo um pouco, depois o sorriso sumiu do seu rosto e ele olhou para Baekhyun sem expressão alguma.

- Que boatos? Sen...senhor? – Baekhyun já sabia que estava na sua hora, mas queria ter esperanças.

- Que você se infiltrou na festa de Kim Jongin, como se fosse um convidado. – Junmyeon se aproximou de Baekhyun tão rápido que ele nem percebeu, seus olhos estavam colados um no outro e Baekhyun quase caiu de bunda no chão com a tensão que estava sentindo. – O que devo fazer com você senhor Byun?

- Eu posso explicar senhor.

- Nã, não será necessário, está tudo bem, sem problemas. Venha aqui assinar o papel para suas férias. – Junmyeon se afastou sem mais nem menos de Baekhyun e se sentou em sua cadeira, assinando um papel.

- Férias? – Baekhyun estava como uma barata tonta agora, sem rumo.

- Sim, F - é - r - i - a - s. 

Junmyeon assinou as férias de Baekhyun e entregou a ele o dispensando, mas o mesmo continuou no lugar ainda tentando processar.

- O Jongin pediu isso?

- Sim, e também, já faz um ano que você não pega férias. Não acha que está na hora?

- Eu gosto de trabalhar senhor.

- Sim sim, não precisa me provar seu bom serviço, mas conheço Jongin e devo alguns favores a ele, então estou ajudando um amigo. Se divirta senhor Byun.

Baekhyun agradeceu a Junmyeon, e saiu da sala ainda surpreso com tudo, andou distraído pelo corredor e acabou esbarrando em alguma coisa, ou melhor em alguém. Hyorin, sua colega de trabalho e também a garota por quem Baekhyun nutria uma paixonite, ele se abaixou e a ajudou a levantar, recolhendo as toalhas que ela trazia consigo.

- Desculpe-me.

- Tudo bem Baek. – Baekhyun gostava em como o apelido dele soava nos lábios dela. – O que estava fazendo na sala do chefe?

- Ah, ele me deu férias.

- Oh, isso é bom, você trabalha demais merece. – Hyorin olhou para baixo um pouco acanhada e Baekhyun a achou fofa como sempre.

- Você também mocinha, trabalha demais. – Baekhyun ergueu uma das mãos e bagunçou os cabelos dela um pouco mas logo se arrependeu, porque sempre agia como um idiota perto dela?

- Vou sentir saudades, se divirta. Eu tenho que voltar ao trabalho agora, a gente se vê. – Hyorin se despediu de Baekhyun com um leve beijinho na bochecha e voltou aos seus afazeres.

- Também vou sentir saudades. - Baekhyun gritou assim que ela virou o corredor, provavelmente não tinha o ouvido. 

 Então foi para casa, já que não iria trabalhar, encontrou a mãe cozinhando uma sopa. Nem fazia frio mas Baekhyun comeu com gosto, gostava da comida da mãe, e de certa forma nos últimos dias ela parecia mais disposta, apesar de ainda passar boa parte do tempo deitada. Depois do almoço Baek foi para o quarto, pegou a velha mala dele que já tinha um rasgo pequeno na lateral, abriu o guarda roupas e jogou algumas de suas roupas sem jeito na mala. Nem se importando em amassa-las, depois pegou o celular no bolso e haviam duas mensagens de Jongin, Baekhyun acabou passando o número para o outro no encontro do restaurante, e agora Jongin sempre mandava alguma coisa para ele. Mesmo que a maioria ele não respondesse, Jongin disse que iria buscar Baekhyun no fim de semana e para ele estar pronto, por isso, já estava fazendo as malas. Jongin também fez questão de contratar uma enfermeira para ficar com a mãe de Baekhyun, claro que ele não achou uma boa ideia, mas também não poderia deixar a mãe sozinha por um mês, então aceitou.

- Mãe eu estou de férias do serviço. – Baekhyun disse para a mãe, assim que entrou no quarto dela.

- Oh, que bom filho.

- E...lembra do Jongin mãe?

- Aquele seu amigo?

- Sim, ele me convidou para passar as férias com ele.

- Está me pedindo permissão? – a senhora Byun acabou se levantando e se sentando na cama, levou uma das mãos até a bochecha de Baek e a acariciou.

- Claro mãe, não vou te deixar aqui sozinha se você não quiser.

- Está tudo bem, você vai se divertir não vai? Você precisa filho, e o Jongin parece ser um bom rapaz, fico feliz que tenha amigos como ele.

- Eu consegui alguém para ficar com a senhora neste tempo, e qualquer coisa é só me ligar.

- Eu vou ficar bem filho, apenas divirta.

As vezes Baekhyun se zangava com o jeito tão tranquilo da mãe, queria mais era que ela dissesse que precisava dele, para ter um motivo de dispensar Jongin, mas pelo jeito teria que ir com ele.

[Sábado 09:23 AM]

Jongin apertou a campainha incessantemente e foi recebido por um Baekhyun emburrado que não lhe deu nem bom dia. A enfermeira que Jongin contratou era uma senhora com mais ou menos a idade da mãe de Baekhyun, com bastante experiência e muito simpática. Baek acabou ficando um pouco mais tranquilo, e explicou a ela os remédios que a mãe tomava, e tudo o que ela gostava e desgostava, depois de dar todas as informações necessárias e agradecer mais uma vez a senhora, Baekhyun se despediu da mãe e saiu arrastando sua pequena mala para fora onde Jongin já o esperava.

- O que é isso aí? – Jongin apontou para a mala de Baekhyun.

- O que parece para você? É um mala, com roupas, cuecas e etc...

- Deixa eu ver. – Jongin disse estendendo as mãos.

- Minhas cuecas?

- Ah muito engraçado, a mala, suas roupas, as cuecas não me interessam.

- Sei. – Baekhyun deu a mala para Jongin que a analisou e franziu a testa, o mesmo ocorreu com as roupas.

- Vou comprar roupas novas para você e uma mala descente.

- O que? Eu estou muito bem com as minhas coisas.

- Então considere um empréstimo, você é meu namorado, você é Park ChanYeol, não pode se vestir de qualquer jeito, agora entre no carro já estamos atrasados.

- Agora entre no carro...blá blá blá. – Baekhyun imitou Jongin com uma vozinha fina e entrou no carro resmungando.

- Você é sempre mal humorado assim?

- Só quando estou com você.

- Oh, que honra.

Jongin deu partida e colocou os óculos escuros, ligou o rádio e quando parava no sinal procurava por uma música, quando a achou aumentou o volume no máximo. Era uma música animada, e logo Jongin passou a bater as mãos no volante e a cantar junto a canção que Baekhyun também conhecia, pararam outra vez no semáforo, e a música alta chamou a atenção dos outros motoristas que olharam curiosos para Baekhyun e Jongin, Baek apenas se encolheu no banco enquanto o outro cantava a todo pulmões I’am Gonna Be dos Proclaimers, quando a música finalmente acabou e Jongin estava pronto para colocar ela para repetir, Baekhyun segurou sua mão e Jongin a afastou com o contato inesperado.

- Você gosta dos Proclaimers?

- Sim, idai?

- Nada. – Baekhyun observou Jongin pelo resto da viagem, mas ele não cantou mais, parecia envergonhado.

 Obrigou Baekhyun a escolher algumas roupas no shopping, mas ele próprio acabou as escolhendo ao notar o terrível gosto para moda que Baek tinha. Depois de passarem praticamente a tarde toda fazendo compras, ou melhor de Jongin passar a tarde toda fazendo compras. Finalmente seguiram viagem, chegaram a casa de Minseok quando já estava anoitecendo. Baekhyun seguiu Jongin, admirando a bela vista que tinha nos fundos da casa, havia um lago, a casa era branca e com dois andares, as portas e janelas eram todas de vidro. Quando adentraram na casa visualizaram Minseok descendo as escadas, o rapaz foi de encontro a Jongin o abraçando, e depois abraçou Baekhyun o deixando um pouco envergonhado.

- Sinta-se em casa Chanyeol.

- Obrigado.

Logo após Jongdae desceu as escadas, e Baekhyun se perguntou se os dois moravam juntos, logo puxou a camisa de Jongin para que ele se abaixasse até si para poder sussurrar.

- Porque o Jongdae sempre anda com o Minseok?

- Eles são um casal.

- Oh. – foi só o que Baekhyun conseguiu dizer.

Depois de conversarem um pouco Minseok foi mostrar os quartos onde Baek e Jongin ficariam hospedados, eu disse quartos? Na verdade é o quarto.

- Pronto, esse aqui vai ser o ninho de amor de vocês. – Minseok disse com um sorrisinho sacana no rosto.

- Min, você não precisava ter feito isso. – Jongin disse assim que abriu a porta do quarto e viu algumas pétalas vermelhas jogadas na cama, ele nem se arriscou a olhar para Baekhyun, mas já sentia o olhar dele o fuzilar pelas costas.

- Claro que precisava, vocês são um casal. Vou deixar vocês dois se instalarem, ah, e as paredes são reforçadas, mas mesmo assim se controle. – Jongin acabou jogando um dos travesseiros na direção de Minseok que fechou a porta antes de ser atingido, só então Jongin se preocupou em olhar para Baekhyun que mais parecia ter sido petrificado.

- Baekhyun eu juro que não sabia disso. – Jongin tentou se explicar. Baekhyun se sentou na cama ainda um pouco desnorteado.

- Eu vou ter que dormir com você?

- Eu também não estou feliz com isso.

- Então porque esse sorrisinho aí? – Baekhyun perguntou apontando para Jongin que agora tentava controlar o riso da cara assustada do outro.

- Que sorrisinho? – Jongin perguntou e cobriu o sorriso com as mãos.

- Esse, esse ai, Jongin se você tocar em mim eu te mato. – Baekhyun subiu na cama e apontou para Jongin como uma criancinha, o que só o fez rir mais.

- Até parece que quero tocar em você, se está incomodado pode dormir na poltrona. – Jongin apontou para a poltrona grande no quanto do quarto até que ela não parecia ser tão desconfortável.

- Vou ficar na cama, mas estou de olho em você.

Baekhyun colocou o pijama no banheiro, e quando Jongin foi vestir o dele começou a fazer uma barreira com travesseiros e cobertores que achou no guarda roupas, fez um morro grande de cobertas dividindo a cama, e quando Jongin voltou apenas riu descrente.

- O que é isso?

- Esse é o seu lado da cama. – Baekhyun apontou para o lado esquerdo. E este é o meu, cada um fica no seu canto e tudo da certo.

- Só digo que isso é desnecessário, não me interesso em caras menores que eu.

- Quer brigar?

- Boa noite Baekhyun.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...