História Aluga-se um noivo (adaptado) (chaverroni) - Capítulo 38


Escrita por:

Postado
Categorias Christian Chávez, Maite Perroni
Personagens Christian Chavez, Maite Perroni
Visualizações 13
Palavras 1.589
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 38 - Cap 38



Seria o fim de semana mais longo da minha vida! Duas semanas sem o calor dos braços dele, sem o afeto de Christian  e havia ainda aquele silêncio que se perpetuava entre nós.


O que fazer? Encher a cara parecia a solução mais óbvia!


Recebi duas mensagens; Junior, adorando Fernando de Noronha e Pietra, aflita em busca de notícias minhas e marcamos de sair. Paramos em um barzinho em Copacabana e depois de desfiar o rosário ela balançou a cabeça despreocupada.


— Ai Pietra! Ele está me enlouquecendo!


— Ora! Enlouqueça-o também, já que ele adora sua bunda, vá na segunda-feira com aquele seu vestido marfim. — Pietra esfregava as mãos como quem planeja algo terrível.


— Ele vai me demitir! Estou em período de experiência... Além disso, ficou todo irritado por causa de um vestido social! Imagine ir pra lá ao estilo Marilyn Monroe?


— E o tal Ricardo?


— Você iria gostar de conhece-lo.... de repente marco alguma coisa...


— Pena que está tão longe do Centro, né?!


— Acho um desperdício logístico trabalhar na Barra da Tijuca se precisamos estar próximos ao terminal na Praça Mauá.


— Sugere lá uma mudança...


— Parece que o outro sócio, Enrico...Enri... Ainda não decorei o nome de todos, bem, ele não quer, Ricardo me disse.


— E o Ricardo sabe que você e o Chris ...


— Ninguém sabe, e também não entro muito nesse foco com ele.


— Ele já viu que você não tirou a aliança?


— Se viu, fingiu que não reparou, não disse nada.


...


 


 ~*~~*~


 


 Onde estava com a cabeça de levar Pietra à sério? Agora estavam todos me olhando!


Certo, a parte de cima do vestido era estilo anos sessenta, bem fechadinho com a gola reta ombro a ombro e meia manga, mas logo abaixo da cintura o vestido se abria em godê até um pouco abaixo do joelho, duas anáguas também rodadas garantiam a não transparência do tecido fino nas saias. Optei por um sapato scarpin nude e uma bolsa tipo carteira preta.


Fiz um rabo de cavalo preso na nuca e nenhum acessório além do brinco de pérola e a aliança de ouro.


Gabriele me chamou quando passei pelo corredor para elogiar minha roupa e sapato, as outras moças do escritório também eram muito educadas e divertidas, um ambiente bem diferente do que estava acostumada, onde as pessoas mal se falavam e a intriga rolava solta.


De repente elas ficaram sérias e Gabriele arregalou um par de olhos, Renata foi de fininho para seu lugar, apesar de imaginar que Christian  estava parado nos observando, virei para me certificar. Estava com uma cara horrorosa! As mãos na cintura, o terno aberto e me olhava sério. Ao lado dele um homem muito bonito, loiro de olhos claros, idade próxima a do Christian, parecia se divertir com a cena, chegou a se virar um tanto e tapar a boca, disfarçando um sorriso num falso bocejo. Então o homem deu lhe dois tapinhas no ombro, disse um bom dia alto e seguiu na direção contrária.


Christian  ergueu um dedo indicador na minha direção me chamando, realmente como uma pessoa zangada o faria.


Me aproximei e ele saiu andando, fiquei parada, não sabia o que fazer.


— Me acompanhe, dona Maite. — disse sem ao menos se virar.


Cara, esse não era o Chris. Passou pela secretária dele, olhei para Sabrine ela fez que não com cara de “prepare-se”.


— Feche a porta.


Fechei a porta, ele ficou me olhando de braços cruzados pensativo, uma tromba enorme.


— O que foi que falei sobre sua roupa? — abri a boca pra responder e ele continuou — Sabe qual é o comentário dos seus colegas lá na copa? — fiz que não — Que a supervisora é a maior gostosa! Não paravam de falar da sua Bunda


Segurei os lábios com força para não rir. Ele estava sendo ridículo!


— Não estou achando graça, — falou sério — eu digo pra você não vir de um jeito e você faz pior!


— Pior? Mas esse vestido é lindo! — debochei um pouco que não sou de ferro...


— Esse vestido, — disse pausadamente — marca sua cintura fina e quando você anda, ele... quando... Você fez de sacanagem não é?


— Não senhor.


— Você viu seus e-mails hoje?


— Não senhor.


Ele passou a mão no rosto, visivelmente irritado. Sinceramente, eu quem deveria estar irritada! Ele poderia solicitar a análise que quisesse, mas mandar na minha roupa? Ele? Quanta hipocrisia! Ele era um tarado!


— Se a sua casa não fosse tão longe, faria você voltar pra trocar de roupa!


 — Me diz uma coisa, estou realmente muito curiosa... Qual é a sua? Quero dizer, você é pervertido! Não deveria estar feliz de me ver com esse vestido? — ficou confuso, suas sobrancelhas se juntaram e eu prossegui, para provocar mesmo


— Não se preocupe que ninguém saberá o que não estou usando por baixo.


Arregalou os olhos e sua respiração falhou.


— Co-como é?


— Já que o senhor se interessa tanto pelas minhas roupas, acho que se interessaria pela falta delas também. — além dos olhos abriu a boca também e sua postura mudou um pouco.


— Não me chame na sua sala pra falar babaquices, Senhor Anghelo Christian  Theodore Di Piazzi Chávez. Com licença. — Ai Meu Deus! Não acredito que disse isso!


Saí apressada e retornei para minha sala marchando, as pessoas me acompanhavam com os olhos, mas nada disseram.


Joguei-me na cadeira, respirando fundo.


E-mail.


Ele respondeu minha mensagem de sexta-feira com um outro link, Celine Dion... torci para que não fosse o tema de Titanic, ou estava certa de que tudo foi por água abaixo...


Ouvi atenta. Segurando firme, mas aquela merda de nó se embolava e crescia na minha garganta, segurei os lábios pois as lágrimas, não fui capaz...


 http://www.kboing.com.br/celine-dion/1-44808/  (música Meu coração deu um salto louco, me senti gelada)


De onde veio aquele sentimento, não sei e sinceramente, já não estava preocupada em cair sobre ele ou que caísse sobre mim! Foi no instante que decidi isso que me vi realmente tirando a calcinha de cetim, enfiando-a em um envelope pardo e retornando para a sala do Diretor Comercial.


Sabrine abriu a boca, mas a ignorei e entrei na sala sem bater, Christian  apoiava a cabeça nas mãos, parecia ler alguma coisa, levantou o olhar com o som da porta batendo, fechando ruidosamente.


Joguei o envelope sobre a mesa, Christian desviou os olhos de mim para o envelope, e do envelope para trás de mim. Naquele instante ouvi um pigarrear e um bom dia. Não sabia onde enfiar a cara, acho que fiquei tão envergonhada por aquela falta de educação que ao invés de ficar vermelha, a cor fugiu da minha face. Virei-me.


— Bom dia. — respondi ao homem loiro que sorria, provavelmente divertido com a cena.


— Enrico Theodore. — esticou a mão, o cumprimentei tentando manter a calma que me fugia segundo a segundo.


— Maite Perroni Albuquerque.


— Enrico. — chamou-o com a voz falhando, então limpou a garganta antes de prosseguir — Pode.... Nos dar licença um instante?


— Claro, continuamos depois. — tentou segurar o sorriso e saiu. Christian  estava com o envelope aberto, olhando-o com uma expressão diferente das que eu conhecia.


— Você... você... tá usando o que por baixo desse vestido? — foi difícil, mas ele conseguiu perguntar.


Eu queria ter-lhe dito: nada. Mas mantive a coragem inicial.


Dei a volta na mesa inclinando-me o suficiente para empurrar-lhe a cadeira um tanto, recostei-me na mesa apoiando o salto fino entre suas pernas abertas.


Ele me assistia surpreso e ansioso.


Subi o tecido do vestido e anáguas até o meio da coxa, ele inclinou o rosto para o lado direito, segurando o lábio inferior nos dentes. Inspirou com força e fechou os olhos, prendendo o ar em seus pulmões, levou um tempo até que o libera aos poucos pela boca.


Inclinou o corpo para frente e pude sentir sua rigidez em meu tornozelo.


Apertou um botão no telefone.


— Sabrine, não estou pra ninguém.


— Sim senhor. — respondeu a voz pelo viva voz.


Então soltou o botão para acariciar minha panturrilha, deixou um beijo em meu joelho escorregando os lábios para minha coxa, os olhos fechados, respirando em minha pele.


De repente segurou-me firme pela perna e cintura, levantando-se e me deixou sobre a mesa. Sentir os lábios dele sobre os meus ainda de maneira tão urgente foi minha redenção. Suas mãos firmes em meu rosto, massageando minha língua na sua. Puxou-me pela perna e deslizei para a beirada da mesa, abriu-me um pouco mais as pernas e enlacei seu quadril sentindo sua virilidade crescente.


Como me fez falta aquele calor que saia de seu corpo e me invadia a alma, como me fez falta suas mãos e braços fortes apertando-me de encontro a ele.


Quem era eu sem aquele homem? Apenas um receptáculo vazio.


Minha vida estava pulsando novamente com o toque de Christian uii em minha pele, senti-lo apertar o alto da minha coxa acariciando timidamente meu sexo com o polegar. Abafar o gemido que ele me provocou em seus lábios, ouvi-lo arfando ao soltar meus lábios para morder-me o pescoço.


Minhas mãos podiam finalmente sentir a textura de seus cabelos mais uma vez, a força de seus ombros e bíceps, seu cheiro, a saliva queimando minha pele, inebriante toque. Reviro os olhos.


— Eu ouvi... a música... — sussurrou mordendo-me o maxilar.


— hmmm...Ahhh... eu... eu ouvi... a.... sua.


— Quero te comer... em cima dessa mesa.


— Então me come.


Notas Finais


Uii


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...