História Álvaro e Itziar - Sentimento Louco - Capítulo 22


Escrita por:

Postado
Categorias La Casa de Papel
Personagens Personagens Originais, Professor, Raquel Murillo
Tags Álvaro Morte, El Professor, Itziar Ituno, Raquel Murillo, Sérgio Marquina
Visualizações 162
Palavras 1.138
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá beninas, espero que gostem do capítulo de hoje, e não deixem de comentar, bjs inté o próximo.

Capítulo 22 - Garotos não choram


Fanfic / Fanfiction Álvaro e Itziar - Sentimento Louco - Capítulo 22 - Garotos não choram

Pov Álvaro

Ao ouvir cada palavra daquela música que ela cantava, olhando várias vezes diretamente pra mim eu pude ver que a tinha magoado mais do que esperava, ela sentia por mim o mesmo que eu por ela, Roberto estava ali, e com ele ela tentou me provar que já tinha superado, mas ali com ela catando pra mim, pude ver nos olhos dela, o que eu já sabia, ela ainda me amava, nada seria capaz de apagar aqueles dias felizes que vivemos, e o amor que ainda estava completamente vivo dentro de nós dois,  tive que me segurar pra não ir na frente de todos e gritar que eu estava apaixonado por ela, que nada mudou, que menti sim, eu errei, mas sou apenas um homem, mas além de deixa-lá mais irritada, Roberto estava lá, e ele também não tinha culpa de nada, eu era o único culpado de tudo aquilo, e esse sentimento me corroia, ela foi aplaudida de pé por todos, e voltou a mesa sorridente recebendo vários elogios por sua voz incrível, levantei da mesa e chamei o garçom num canto onde ninguém podia nos ver, falei com ele e depois voltei pra mesa, vi o garçom conversar com o vocalista da banda e vi o mesmo assentir com a cabeça o pedido do garçom e me animei e então o cantor pediu a atenção de todos.

- Hoje a noite nesse bar tem um homem que cometeu um erro, e não sabe como consertar, ele disse que a única aliança que ele vai usar terá o seu nome nela, moça, não sei quem você é, mas perdoa esse cara, ele te ama, e seres humanos cometem erros, essa aqui é pra esse casal.

Boys don't cry 

Eu pediria desculpas

Se eu achasse que isso faria você mudar de ideia

Mas eu sei que desta vez

Eu falei demais, fui indelicado demais

Eu tento rir disso tudo

Cobrindo com mentiras

Eu tento rir disso tudo

Escondendo as lágrimas em meus olhos

Pois garotos não choram

Garotos não choram

Eu me desmancharia aos seus pés

Mendigaria seu perdão, imploraria a você

Mas eu sei que é tarde demais

E agora não há nada que eu possa fazer

Por isso eu tento rir disso tudo

Cobrindo com mentiras

Eu tento rir disso tudo

Escondendo as lágrimas em meus olhos

Pois garotos não choram

Garotos não choram

Eu diria a você que eu te amava

Se achasse que você ficaria

Mas eu sei que é inútil

E que você já foi embora

Julguei mal o seu limite

Fiz você ir longe demais

Não te dei valor o suficiente

Pensei que você precisasse mais de mim

Agora eu faria qualquer coisa

Para ter você de volta ao meu lado

Mas eu só fico rindo

Escondendo as lágrimas em meus olhos

Pois garotos não choram. 


Pov Itziar


Quando ouvi o músico dizer "A única aliança que ele vai usar terá seu nome nela" , eu já sabia de quem se tratava, olhei pra ele e pude ler nos lábios dele, ele sussurrar "Eu amo você", ouvi a música e me segurei pra não demonstrar nenhuma reação, mas eu não podia perdoar aquela mentira, eu ainda o amava, mas dessa vez agiria pela razão e não pela emoção, quando a música acabou esperei mais meia hora pra  ninguém perceber o quanto ela mexeu comigo, especialmente Álvaro, disse a Roberto que estava cansada, nos despedimos de todos e fomos embora.

Quando chegamos em meu apartamento, me joguei no sofá tirando os sapatos exausta, mas Roberto estava determinado a tirar a minha paz.

- Você acha que eu tenho cara de idiota não é?

- Que?

- Quem era ontem na portaria?

Meu sangue gelou na hora. 

- Uma colega do elenco.

- Ah é, e porque ela não subiu? E porque apareceu no meio da noite? 

- Porque ela tinha brigado com o namorado e veio me pedir colo, mas eu disse que você estava aqui então a coloquei num taxi.

- Você realmente está se saindo uma bela atriz, melhor do que eu esperava.

- Roberto, eu te odeio, você transforma a minha vida num inferno com esse ciúme doentio.

- Era o tal de Mário não é? Você me mandou subir na frente ontem e eu ouvi você falar algo pro porteiro sobre ele não deixar ninguém subir.

- Roberto, some da minha frente!

- Você teve um caso enquanto eu estava longe e agora age como se fosse culpa minha.

- Primeiro que estavamos separados, mesmo que eu tivesse alguém não seria problema seu, e segundo que novamente não existe motivo pra ciúmes do Mário nem de nenhum amigo meu.

- Você chorou a noite toda, você acha que não vi? E que música foi aquela? desde quando você canta Amy Winehouse? Você estava se declarando pra outro na minha cara, e não tem a decência de me dizer. 

- Já mandei sair, eu preciso dormir

- Itziar fala comigo, porra!

- Não, vai embora, quando eu voltar pra Bausari conversamos.

- Se quer terminar comigo fala.

- Nesse momento eu só preciso ficar sozinha, eu te pedi espaço e você apareceu aqui, achei que estávamos bem, mas não estamos, mas não me obrigue a decidir nada agora, porque se eu seu disser algo na hora da raiva pode ser que eu te magoe.

- Então você não sabe se quer terminar ou não, eu não sou obrigado a ficar te esperando se decidir. 

- Você quem sabe, eu prefiro conversar com calma, em Bausari, mas se quer realmente ter essa conversa agora, teremos, quero terminar, não me leve a mal, mas você não me tem, eu não sou um objeto no seu armário, eu sou problema meu, Roberto, e não vou permitir que você me controle, nem que seja inconveniente com meus amigos. 

- Não... Itz, espera, me desculpe, eu ouvi alguém na portaria ontem, e aquela música, e o Mário e você postando fotos juntos...eu me descontrolei, vamos fingir que essa conversa não aconteceu, e nos falamos quando você voltar pra Bausari não é?! 

- Roberto, vai embora por favor.

- Tudo bem, estou indo então, ele me beijou na testa e foi embora, eu fiquei ali sentada encolhida no sofá sem conseguir chorar ou reagir, meu celular estava tocando desesperadamente, mas eu não tinha forças pra atender, quando tocou pela quinta vez resolvi olhar quem era, minha mãe, fiquei preocupada e atendi.

- Mãe, o que foi?

- Graças a Deus você está bem.

- Porque não estaria?

- Você não viu as notícias?

- Que notícias?

- Estão querendo boicotar a série, acusando você de estar associada a terroristas.

Encerrei a ligação e comecei a ler as mensagens de ódio direcionadas a mim, me ofendiam, tentavam degrenir a minha imagem e acabar com a minha carreira, queriam boicotar a série por minha causa, por causa dos ideais que eu defendia, meu WhatsApp tinha inúmeras mensagens de amigos e de todo o elenco, "malditos haters", desliguei o celular, e continuei naquela posição no sofá, só que agora além da minha vida pessoal estar um completo desastre, a minha vida profissional também estava no limite com aquela notícia.


Notas Finais


Eai???? Me contem tudo, mão escondam nadaaaa


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...