1. Spirit Fanfics >
  2. Alvo >
  3. Pensamentos sobre você, Jason...

História Alvo - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Esta fanfic dedico especialmente a Gio!
Ela me fez vim quase correndo pra escrever essa fic.
Ela que me apresentou esse couple maravilhoso... e que que acabei me apaixonando!
Espero que vcs gostem tanto quanto imagino que ela irá gostar!

No mais, boa leitura, meus amores❣️ Vejo vcs nas notas finais.

Capítulo 1 - Pensamentos sobre você, Jason...


Fanfic / Fanfiction Alvo - Capítulo 1 - Pensamentos sobre você, Jason...

Era mais uma noite fria em Gotham City, e isso não é um fato que me agrade muito. Prefiro o calor aconchegante do verão do que esse frio sombrio que permeia esta cidade. 

— Ah, saudade de você, Metrópolis! — Exclamei entediado, encarando o teto branco e sem graça do motel mediano em que me encontrava. Estava aqui há pouco mais de 5 dias e eu não via a hora de retornar para minha casa, minha cama. 

Estava aqui por causa de Damian, que havia pedido minha ajuda em uma situação envolvendo um inimigo mais poderoso. Porém, a verdade é que eu não estava dando a mínima atenção pro tal vilão e tinha um motivo para isto; na verdade minha falta de concentração tinha nome e sobrenome (também era alto, dos cabelos negros). 

Ah, droga! Jason Todd estava tomando meus pensamentos mais uma vez!

Eu estava a odiar a forma como o irmão adotivo do meu amigo começava a surgir em minha mente em momentos cada vez mais inoportunos. Às vezes, eram em momentos banais; como durante a prática de algum exercício físico. Outras vezes, em momentos mais cruciais; como em meio a um embate físico violento. E isso começava a me incomodar aos poucos...

Para piorar, eu começava a ter um probleminha com o Capuz Vermelho, o homem sem escrúpulos. E como esse problema começou? Desde o dia que o miserável quase matou um assaltante bem na minha frente. Realmente, ousado da parte dele fazer isso daquela forma! Tive que interferir na situação, me pondo na frente do meliante quando 4 balas foram em sua direção, impedindo-o de concluir o ato. Naquele momento, não via seu rosto (nem mesmo seu cabelo) por causa do capacete vermelho, mas pude ouvir seu grunhido raivoso.

— Ficou louco?! – Falei alto, observando sua postura imponente e agressiva. Virei-me para o assaltante e o segurei pela camisa e casaco, levantando-o do chão. — Você vai pra cadeia.

Foi aí que ouvi aquela risada alta e irônica vindo do Capuz Vermelho. Eu virei meu rosto bruscamente em sua direção, com uma sobrancelha erguida.

— Acho que o louco aqui é você, Super Ass-hole. 

— Como é? — Indignei-me por sua fala... ele havia acabado de fazer um trocadilho ridículo com meu nome!

— É isso aí que você ouviu... acha mesmo que prisão dá jeito? — Ele se aproximou perigosamente calmo. Ele não perdia a postura de inabalável e "durão". — Se cadeia desse jeito, não teríamos o tanto de bandidos que temos nas ruas, não acha? 

— Talvez você esteja certo. Mas, não cabe a você decidir quem vive ou morre, Capuz Vermelho. — Falei no meu tom normal, dando-lhe as costas. Entretanto, antes que eu pudesse "levantar voo", o filho da mãe agarrou meu ombro e me virou pra ele.

— Creio que ele não seja problema seu, moleque. Volta pra Metrópolis e brinque com seus kripto-brinquedos! — Resmungou alto com a face próxima a minha, e juro que se não fosse pela máscara, eu poderia sentir sua respiração colidindo com a minha. Senti minhas bochechas esquentarem devido a aproximação e pela irritação que começava a tomar conta de mim. Levantei uma das minhas mãos e espalmei em cima de seu peito, sentindo a firmeza do músculo, e em seguida o empurrei pra trás. Ele voou em direção a lata de lixo próxima pela força mínima que coloquei no movimento anterior, o que me fez sorrir de canto.

— Nunca mais fale comigo como se fossemos amigos ou algo assim, Capuz Vermelho. — Disse por fim, lançando-lhe um olhar ameaçador. E antes que pudesse falar mais alguma coisa, eu voei pra longe dali levando o bandido comigo, e o entregando a polícia. 

Agora, tente imaginar como foram os dois encontros seguidos após esse primeiro... uma verdadeira merda! Eu odeio o jeito como ele sempre me trata como se eu fosse uma criança, ou mesmo quando tenho que impedí-lo de matar todos os criminosos que vê. E olha que foram o total de 3 encontros que tive com ele. 

Sou despertado de meu devaneio com o som do celular tocando. Pego-o de cima do criado mudo e o atendo sem pressa.

— Alô.

— E aí, cara? O que você tá fazendo? — Era Damian. Aposto que ele quer patrulhar mais uma noite seguida, afinal, é do filho do Batman que estamos falando!

— Nada demais... o que você tem em mente pra fazer hoje? — Perguntei entendiado já que, quiçá, sair em patrulha fosse ajudar a esquecer o dono da minha dor de cabeça constante. Pude ouvir um suspiro do outro lado da linha.

— Todd está aqui... meu pai pediu para que ele passasse a noite. Tava pensando de a gente treinar! — Exclamou levemente aborrecido. Não pude segurar a risada debochada que me escapou por entre os lábios.

— Você quer treinar no lugar de pratrulhar?! Bateu a cabeça, Damian?! — E me pus a gargalhar. 

— Não tem graça nenhuma, Kent! — Ouvi sua voz emburrada.

— Claro que tem! Você tem como hobbie pratrulhar... que milagre é esse, que vai praticá-lo hoje?! — Indaguei curioso e sarcástico, limpando as lágrimas dos cantos dos olhos. Sim, eu havia chorado um pouco de tanto rir!

— Meu pai me deixou de castigo por ontem, quando cheguei com aqueles cortes.

— Uh, entendo! Eu disse pra você tomar mais cuidado... é nisso que dá em não escutar os mais velhos. 

— Não seja convencido e não fale como se fosse muito mais velho.

— Sou 4 anos mais velho, Damian... é um bom número, não acha?

— Que seja! Vai vim ou não?

— Calma. Estou aí em alguns minutos! Esteja preparado.

— Estou no aguardo. — E então a ligação se encerrou. 

Jason, espero que você passe a noite inteira no quarto ou em patrulha, substituindo o Damian!

•••

Damian e eu estávamos treinando combate corpo a corpo. Entretanto, como é de se esperar, a minha pessoa estava um pouco distraída; o que resultou em alguns socos, rasteiras e voadoras levadas do próprio Wayne.

— Que merda tá acontecendo com você, Jon?! 'Tá todo distraído...! — Reclamou Damian, olhando-me desconfiado. Suspirei cansado, pois nem eu aguentava mais aquele estado latente. 

— Foi mal, Damian. Nem eu sei dizer ao certo o que 'tá havendo! — Respondi levemente emburrado. Peguei a toalha pro rosto no chão e passei por cima dos ombros, logo comecei a enxugar o suor excessivo. 

— Então, acho bom ver o que está causando essa falta de concentração. Caso contrário, vai acabar se ferrando em uma luta de verdade! — Exclamou frio lançando um olhar repreensivo. Deveria ser coisa dessa família ser frio e intimidador...!

— E aí, pirralhos! Acordados a essa hora? Papai morcego não vai gostar de saber disso... — E eis que entra na sala de treinos o dono dos meus pensamentos dos últimos tempos. O moreno vestia apenas uma bermuda folgada preta com uma camisa regata branca, fazendo seus músculos ficarem a vista de quem quisesse ver. Engoli em seco enquanto o analisava sem pudor. Braços e pernas torneados, coxas grossas e Deus! Que coxas são aquelas?! Fui subindo meu olhar devagar, notando as veias saltadas nas mãos seguindo caminhos diferentes pelo braço. até que encontrei sua face com lábios movendo-se,  que estavam me chamando a atenção com uma tonalidade mais rósea que o comum. 

Uma verdadeira tentação...

— ... não é Jon?! — Damian falava alto, fitando-me aborrecido. Pisquei os olhos algumas vezes, voltando à minha realidade um pouco angustiante. Jason analisava-me com um olhar cínico e um sorriso de canto malicioso.

— O quê?! O que foi que perdi?! — Falei perdido. Damian bufou enquanto Jason soltava uma risada sarcástica.

— Você não prestou atenção em nada do que falei, não é?

— Desculpa! — Apressei-me em dizer.

— Seu namorado deveria estar pensando em coisas mais interessantes, pequeno D. — Todd refurtou em tom perverso. Ouvi os batimentos de Damian falharem, e vi suas bochechas ruborizarem. Voltei meu olhar indignado pro mais velho dali, que parecia se divertir com a cena.

— Não seja ridículo, Todd! Jon é apenas um... amigo! — Demorou um pouco para completar a frase, porém, sorriu convencido ao término dessa. 

— Você quem sabe, pirralho... eu vou treinar, é o melhor que faço. — Finalizou parecendo não disposto a continuar naquela pequena discussão (desnecessária). — Cuidado, Kent! Tem pessoas que são observadoras e podem notar o motivo da sua distração. 

E foi em direção a um dos aparelhos de levantamento de peso do local, como se não tivesse dito algo de significado. 

Demorei alguns segundos pra realmente entender o que ele havia dio. Assim que percebi, olhei pro Damian para ler sua reação. Este me olhava torto, como se desconfiasse de algo.

Eu estava na merda!

Se Damian desconfiar de algo, em algum momento ele irá querer falar sobre. E isso é algo que não quero.

— Seu irmão fala umas coisas estranhas, Damian... — e então ri nervoso, tentando (inutilmente) disfarçar meu desconcerto. O mais novo ergueu uma das sobrancelhas pegando suas coisas de treino do chão.

— É, fala mesmo...! — E passou por mim com uma postura indiferente. — Você já tá liberado, pode ir. Amanhã nos falamos.

— Okay... — respondi ainda um pouco atordoado. Esperei Damian sumir da minha visão e ouvir ele entrar em seu quarto para me aproximar de Jason.

Ele estava correndo na esteira quando desliguei o aparelho e o encarei irritado. O moreno me encarou de cara feia.

— Ficou maluco, por acaso? — Indagou aborrecido. Eu tinha uma noção básica de como ele odiava ter os treinos interrompidos por alguns relatos de Damian. Não fiquei intimidado e cruzei os braços na altura do peito.

— Você que ficou! Não tinha outra coisa pra fazer além de falar coisas com duplo sentido!? — Disse sério aproximando-me minimamente. Ele pareceu relaxar um pouco e sorriu de canto malicioso; aquele mesmo sorriso!

— Ah, entendi... — ouvi sua risada anasalada. Ele saiu da esteira e puxou sua toalha do apoiador do aparelho, enxugando seu rosto e pescoço. Voltou seu olhar para mim de forma perversa. Senti um arrepio subir por minha espinha dorsal e alcançar minha nuca. — Olha aqui ô Superboy, a culpa não é minha se você olha pra onde não é pra olhar nos momentos mais errados ainda.

Seu olhar foi intenso na última e acusadora sentença. Senti meu sangue ferver, porém esforcei-me a ficar calmo. Fitei-o enérgico.

— Fala sério, Jason... eu não estava olhando pra onde não devia. — Estava olhando exatamente onde tinha que olhar, completei mentalmente. Por fora, mantive a postura irritadiça. Por dentro, ah... por dentro eu estava uma bagunça de sentimentos e emoções. Contudo, dentro daquele turbilhão, havia algo que eu reconheceria de longe: a sensação de desejo. Eu estava desejando Jason Todd, e estava ficando cada vez mais difícil de negar.

— Realmente, não estava olhando pra onde não devia... estava observando exatamente o que queria. — Falou em sarcasmo, passando por mim esbarrando os ombros propositalmente, andando com certa pressa. Usei um pouco da minha velocidade sobrehumana, alcancei-o e segurei seu pulso. Ouvi uma espécie de rosnado, em seguida seus movimentos foram rápidos; ele usou a outra mão para agarrar meu pulso, entortá-lo e puxar meu braço para trás, pressionando-o a ponto de causar uma dor mínima e encurralar-me na parede mais próxima. — Nunca mais encoste em mim, garoto de aço, ou então teremos problemas... — sussurrou ao pé do meu ouvido com a voz rouca e grossa, pressionando seu corpo ao meu. Pude sentir parte da sua musculatura rígida e isso me fez ficar constrangido. — E eu não ligo se você é à prova de balas já que sei onde Bruce guarda o anel de kriptonita. — Finalizou afastando-se bruscamente. Virei-me rapidamente e o encarei meio desnorteado por conta do contato físico anterior.

— Você é um ser horrível, Jason... 

— Encare como quiser. Já sou acostumado com esse tipo de comentário. — Retrucou indiferente. Todavia, sua fala me fez arregalar os olhos em espanto...! E não foi por conta dele dizer que havia se acostumado mas, sim, pelo fato de ele ter ouvido algo do tipo tantas vezes... que se acostumou. De alguma forma, aquilo mexeu comigo. — Pelo menos não sou eu que fico babando pelo irmão mais velho do meu amigo!

Okay! Apaga o que pensei anteriormente. Jason é só um sem-noção mesmo.

— Fala isso como se alguém fosse realmente babar por você...! — Respondi também indiferente. Ouvi sua gargalhada maliciosa ecoar e o encarei de sobrancelha erguida mais uma vez.

— Deve está pensando muito em mim, não é? Eu sequer falei de mim ou de você, Jonathan... você que interpretou do jeito que lhe convém. — Disse casualmente. Olhou-me da cabeça aos pés e fitou meus olhos firmemente. — Olhando melhor agora, você não é de se jogar fora, Kent...

E então, virou-se e sumiu da minha vista. Eu fiquei ali parado, olhando para a porta a qual ele tinha saído e pensando em como ele era tão... cafajestemente delicioso. Com certeza, ele entendeu o que sinto! Agora, como eu faria para resolver essa situação? Merda, estamos falando do cara de 25 anos mais gostoso e lindo de Gotham City! Além do mais, eu não sei se ele gosta de garotos.

Espera! Será que eu gosto de garotos? Ou apenas Jason me despertou esses sentimentos? Meus pais aceitariam um filho gay? 

Aaahhhhh! Droga! Muitas questões pra uma só pessoa resolver em uma noite. 

Quer saber? Vou pra casa... ou melhor, pro motel em que estou hospedado. Chegar lá, vou tomar um bom banho e vou descansar. É disso que estou precisando no momento. Chega de pensar em "Jason Todd" por hoje! 

Contudo, uma coisa era certa: eu precisava tentar algo para esquecê-lo ou não responderia pelo ato de atacá-lo, caso o visse novamente. Afinal, Jason Peter Todd era meu novo alvo e minha nova obsessão


Notas Finais


• Quero saber se vão querer um capítulo bônus.
• Gostou? Deixa um comentário e seu coraçãozinho (favorito) também, por favor... isso ajuda MUITO.
• Alguma reclamação a fazer? Manda mensagem no pv.
• Escrevi ouvindo Red Hot Chilli Peppers kkkkk
• Desculpa qualquer erro, ainda não revisei.

Especial para a @pavus, mas dedico, também, a todas as fãs de Capuz Vermelho. Sou apaixonada por ele e isso não é novidade pra ninguém! Espero ter feito algo decente.
Bjs, meus amores e amoras!
Até outra fanfic (ou quem sabe, um bônus?)!
🔥✨💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...