1. Spirit Fanfics >
  2. Alvorada - NaruHina - >
  3. Alguém para chamar de Lar

História Alvorada - NaruHina - - Capítulo 16


Escrita por: HiimeHyuga e Leittora-Chan

Notas do Autor


Meus amores, aqui estamos com mais um capítulo para vocês ❤❤
Dessa vez não demoramos muito né, kkkk

Queremos agradecer os 350 favoritos 😍

Aproveitem o capítulo, nos vemos nas notas finais 🥰

Capítulo 16 - Alguém para chamar de Lar


Depois que saíram da festa, Naruto e Hinata decidiram andar um pouco pelas ruas de Konoha. A noite estava muito linda, tinham a esplêndida graça de ter a lua cheia iluminando o céu obscuro, que para o Uzumaki, lembrava tanto sua — agora —  noiva. Noiva! Era tão magnífico referir-se a Hinata assim, como se o seu maior sonho estivesse finalmente no ápice da realização. Céus, ele amava muito aquela garota.

Havia um propósito muito maior de estarem fazendo aquela caminhada noturna, Naruto ainda tinha algo a mais para Hinata naquela noite, outro pedido, tão importante quanto o primeiro. E mais uma vez estava nervoso com a resposta da Hyuuga, ele queria, quer dizer, ele precisava que ela dissesse sim, novamente.

 

— Naruto-kun, onde estamos indo? — estranhou estarem seguindo um rumo diferente. — Tanto minha casa quanto a sua ficam do outro lado.

— Calma apressadinha, quero te mostrar algo. — sorriu para a noiva, continuando a caminhada.

 

Depois de alguns minutos, finalmente chegaram ao destino que Naruto havia planejado. Sem entender, Hinata encarou o Uzumaki que tinha um sorriso genuíno estampado na face bronzeada. Ele estava muito animado para aquele momento, desde o momento em que teve Hinata ao seu lado constantemente por alguns dias em sua casa, soube de imediato que era aquilo que queria, não somente por alguns dias, mas para a vida inteira.

 

— Onde estamos? — perguntou curiosa, fitando a bela casa que estava em sua frente.

— Bem… — coçou a nuca com ansiedade — … estamos na nossa casa.

— Nani? — arregalou os olhos.

— Isso mesmo, estamos na nossa casa. Mesmo amando meu pequeno apartamento, quero o melhor para você.

— Naruto… — a voz embargada pelo choro, denunciava a emoção que Hinata estava sentindo —… Eu não me importaria de morar no seu apartamento, com você ao meu lado eu moraria até mesmo na Lua por você.

 

Abraçou o noivo com muito carinho, atacando os lábios do loiro com certa urgência. Naruto não parava de surpreendê-la. O Uzumaki pegou a noiva no colo rodopiando ela pelo ar enquanto a beijava.

 

— Vamos entrar — a voz saiu abafada pelo beijo. Hinata acenou positivamente com a cabeça e depois que ele a colocou no chão, o Hokage retirou a chave do bolso abrindo o portão mediano.

 

Naruto abriu passagem para Hinata entrar, e seguiu a moça que permanecia com os olhos lunares brilhantes notando cada detalhe da entrada daquela casa. Havia um jardim que precisava de flores novas, uma espécie de trieiro rodeado de pedrinhas era tão gracioso e bem cuidado e a cadeira de balanço na varanda fez o coração da Hyuuga disparar, aquele pequeno móvel lembrava tanto sua mãe e ela sabia que seria com certeza o seu cantinho preferido na parte externa da casa.

 

O Nanadaime destrancou a porta da entrada na expectativa. Queria muito que Hinata gostasse daquele lugar, pois comprou o imóvel com muito carinho pensando em sua noiva, no conforto e no bem-estar da jovem anbu.

 

— Eu só comprei o básico Hime. Pensei que você poderia dar um toque especial na nossa casa. Decorar do seu jeitinho.

— Naruto-Kun — céus, aquele homem era perfeito, e quando ela acreditava que não cabia mais amor dentro do peito, foi ainda mais surpreendida naquele dia sublime.

 

Os móveis eram lindos, e Hinata imaginou que por mais que ele fosse esforçado, havia um dedo feminino naquela escolha. Tudo novinho e tão perfeito. Era como se ele soubesse perfeitamente sobre seus gostos e suas vontades. E diferente do clima arcaico que o clã Hyuuga sempre carregava, aquela casa pairava amor, união e felicidade. Tudo que Hinata sempre sonhou.

 

— Mal posso esperar para estarmos casados. — suspirou apaixonada. — Esse lugar é perfeito.

Aproveitando que ele tocou no assunto, Naruto tomou coragem para fazer a segunda proposta da noite.

— Não quero esperar o casamento Hinata. Quero morar ao seu lado o quanto antes. Então… — respirou fundo — … Acredito que podemos nos mudar amanhã mesmo.

Novamente a expressão de surpresa fora estampada na face alva se Hinata, mas ao invés de um sorriso, acabou soltando um muxoxo.

— Naruto, o otousan jamais permitirá. O clã Hyuuga é bem ultrapassado em relação a isso. Sinto muito.

 

Chateada, Hinata não reparou no sorriso que permanecia no rosto de Naruto. O ninja hiperativo número um já havia planejado tudo, cada detalhe. Antes mesmo de comprar aquela casa já havia conversado com Hiashi sobre isso.

 

— Se depender do seu pai, isso não será problema, Hime.

— Como assim Naruto?

— Bem…

 

Nervoso e suando frio, o Nanadaime havia marcado hora com o imponente líder dos Hyuuga's, e para o herói que enfrentou Madara e Kaguya, naquele momento, as batalhas épicas não eram nada comparado ao que ele iria propor. Por Kami, a coragem que esteve sempre presente nas veias de Naruto fora transformada em nada.

 

Adentrou no grande casarão da família principal, seguindo Hiashi até o escritório do líder, as mãos suadas eram limpas a todo instante no casaco laranja, e suas pernas estavam firmes apenas por um milagre desconhecido. A maldita raposa, soltava gargalhadas ardilosas, divertindo-se com a desgraça do seu receptáculo.

Respirou fundo, sentando-se na frente do sogro.

 

— O que devo a honra, Hokage-sama? — o mais velho permaneceu com os olhos fincados nos documentos, enquanto esperava a resposta do líder de Konoha.

— Você havia me dito: “venha me visitar em breve”. E aqui estou eu.

— O que é tão importante para vim aqui nessa hora da manhã? — o líder viu o quão nervoso o Hokage estava. Queria rir da situação, mas ouviria o que o mais novo teria para dizer.

 

Levantou-se, servindo um pouco de chá para ele e para Naruto.

 

— Vim buscar a Hinata.

— Hinata já saiu para o “trabalho”, Naruto. Não sou entendendo.

— Estou falando sobre morar com a Hinata. 

 

O mais velho arregalou os olhos, porém não estava tão surpreso de fato. Aquele rapaz era de fato audacioso o suficiente para ousar propor aquilo. Como pai, queria saber as reais intenções do Nanadaime.

 

— Antes disso, você deveria falar sobre namoro Naruto. Como eu disse antes, não estou entendendo.

— Eu estou atrasado, sinto muito. Deveria ter pedido permissão para namorar com Hinata, mas foi tudo muito rápido, muito intenso e, a meu ver, nada poderia atrapalhar o nosso relacionamento.

— Está dizendo que minha opinião não é importante? — com o cenho franzido, o líder pareceu não gostar muito das palavras de Naruto.

— Longe disse Hiashi-sama, sua opinião é de extrema importância, por isso estou aqui. O que quero dizer é que desejo me casar com Hinata. Pedirei sua mão no dia do casamento de Sasuke e Sakura, já está tudo planejado. Contudo, não aguentarei esperar estarmos casados para moramos juntos.

— Prossiga. — o Hyuuga disse antes de bebericar o líquido quente.

— Após passar uns dias com Hinata em minha casa… — o loiro gelou ao encarar os olhos sombrios do líder, mas não recuou. Iria até o fim pela amada — … Entendi que não consigo mais ficar sozinho, sem ela. Acreditei que ficaria bem, mas, aquele lugar parece ser tão enorme sem a Hinata por perto. Eu sempre vivi sozinho, e estava acostumado com a solidão, então, Hinata entrou no meu coração e na minha vida, mostrando-me que sou merecedor desse amor, desse carinho e… ter alguém para quem voltar no final do dia.

— Não sei se os conselheiros do clã Hyuuga vão aprovar isso, Naruto. — estava feliz pelas palavras bonitas do genro, mas a realidade era outra.

— Eu lhe imploro, Hiashi-sama. Pode parecer infantil da minha parte, mas não irei embora daqui antes de obter sua aprovação.

 

O pai de Hinata, já tinha sua resposta na ponta da língua. Sabia que o genro era capaz de fazer sua filha feliz, prova disso era a forma desesperada que o homem estava em sua frente, buscando aceitação para aquela proposta maluca.

 

— Tem razão, isso é totalmente infantil e imaturo. Vocês jovens pensam que entendem sobre as nuances de um casamento, convivência, e sobre o amor. Eu como pai deveria tirar essa ideia da cabeça oca de vocês. 

— Hiashi-sama… — as feições sérias de Naruto, denunciava a chateação por ouvir aquelas palavras.

— Eu deveria fazer uma entrevista com você, saber quais são suas intenções com minha filha e toda bagagem fadigante que um pai deveria trazer a tona, mas… eu não tenho muito o que fazer diante a isso.

— Como assim? — Naruto perguntou sem entender nada.

— Desde o começo, eu já havia me atentado para os sentimentos de minha filha. Hinata sempre amou você Naruto, e isso sempre fora algo que eu não pude me intrometer. De fato, eu deveria honrar as tradições e arrumar um marido de sangue legítimo para minha filha, todavia, prometi a Neiji que mudaria todas essas regras arcaicas e ultrapassadas do clã Hyuuga. 

— Isso quer dizer que…?

— Se for da vontade da minha filha, façam o que quiserem. Não se preocupem com o conselho, eu cuidarei desse detalhe.

— Obrigado Hiashi-sama — sem se conter, Naruto levantou e abraçou o sogro, que ficou estático pela demonstração de afeto. Não estava acostumado com aquilo.

— Como pai, eu não deveria permitir sexo antes do casamento.

— Nani? — o rosto do Uzumaki ficou escarlate com aquela fala vinda de Hiashi. Corou violentamente e, naquele momento, desejou que na sala possuísse um buraco para se enfiar.

— Porém Uzumaki, não sou idiota. Vocês jovens são fogosos, querem se atracar em qualquer oportunidade.

 

Céus, o velho queria matar o Hokage com aquelas palavras. Claro que já haviam feito sexo. De todas as mentiras possíveis, mas, era vergonhoso o pai de sua namorada falar aquele tipo de coisa tão abertamente.

 

— Eu jamais desrespeitaria a Hinata, senhor. — respirou fundo se recompondo.

— Eu sei disso. Por isso mesmo prefiro aconselhar que proibir. Peço que não tenham filhos antes do casamento, seria algo que eu não poderia ajudar. Os conselheiros fariam de tudo para selar o filho bastardo.

— O que está dizendo? — irritado por ouvir aquilo, Naruto acabou batendo a mão com força sobre a mesa, resultando em um estalo alto.

— Calma Naruto. É apenas a realidade do clã. Filhos fora do casamento são vistos como bastardos, como pai eu apenas aconselho vocês a fazerem o esperado. Deixar que minha filha more com um homem que não seja seu cônjuge já será motivo de burburinhos dentro do clã, todavia, farei de tudo para ver minha menina feliz. Não é tarde para ser o pai que Hinata merece, mesmo sabendo que jamais chegarei perto disso.

— Não se preocupe Hiashi-sama, faremos tudo de maneira correta. E caso eu tenha um bebê antes de me casar com Hinata, eu garanto que ninguém tocará em nenhum fio de cabelo do meu filho.

 

Orgulhoso! Era assim que Hiashi sentia-se em relação ao genro. Sua filha com toda certeza estaria em boas mãos. Hinata sempre fora forte e destemida, lutou por aquilo que ela sempre almejou, e longe dele magoar a própria filha com regras ultrapassadas.

 

Sua benção estava dada, poderia fazer o que quisesse que, Hiashi ficaria feliz e orgulhoso, tanto com ele, quanto com sua filha mais velha.

 

— Espero que não esteja pensando em tirar minha filha de casa para morar naquela espelunca. — disse frígido.

— Não se preocupe Hiashi-sama, já pensei em tudo.

 

E naquele dia mesmo ele executou o pagamento da casa que já havia sido escolhido há alguns dias. Com a ajuda de Ino e Sakura, comprou alguns móveis básicos e só restou aguardar o grande dia em que realizaria os pedidos.

 

— … E foi isso que aconteceu, Hime — contou todos os fatos antecedentes, narrando cada detalhe daquela conversa intimidante que ele teve com Hiashi.

Hinata estava perplexa com os fatos, não estava acreditando muito que justamente seu pai lhe dera o aval de aprovação. Estava feliz, embasbacada e deveras emocionada. Estar noiva de Naruto era como um sonho, porém, morar com ele, antes mesmo de estarem casados era algo inimaginável.

— Isso é incrível Naruto-Kun, nem acredito que o otousan aprovou essa ideia.

— Nem eu — o Uzumaki sorriu para a noiva — Mas você sabe, eu não desistiria tão fácil assim. Você é minha luz, Hinata, é a minha vida. E, depois de desfrutar de sua companhia, eu não consigo mais viver sem você, nem mesmo um segundo sequer. Sem exageros.

 

Naruto novamente ajoelhou-se em frente a Hinata, abrindo uma caixinha marrom um pouco maior que a do anel de noivado, encarou os olhos cristalinos que estavam repletos de dúvidas e curiosidades.

 

— Hinata Hyuuga, aceita morar comigo?

 

Entregou uma cópia das chaves da casa, notando as lágrimas silenciosas de felicidade que banhavam o rosto alvo de Hinata. Amava aquela mulher mais que a própria vida.

 

— Sim. Aceito sim, Naruto-Kun.

— Então suponho que amanhã você já pode trazer suas coisas para cá — sorriu envergonhado — As minhas já estão aqui.

 

Ela sorriu e ele capturou os lábios beijando-a com paixão. Ser Hokage sempre fora seu maior sonho, entretanto, estar com Hinata ultrapassava qualquer desejo que um dia ele almejou. Seu sonho, a mulher de sua vida. Cuidaria da futura Uzumaki. 

 

— Te amo Naruto-Kun.

— Te amo minha Hime.



 


Notas Finais


O que acharam da atitude do Hiashi? E da maneira que ele falou?

Obrigada por lerem até aqui ❤❤

Não esqueçam de comentar, vocês não fazem ideia de como isso é importante na vida de quem escreve 😍😍

Leitores novos, sejam bem vindos e não esqueçam de favoritar hehe

Até o próximo capítulo, amamos vocês 💖


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...