1. Spirit Fanfics >
  2. Always >
  3. Prólogo

História Always - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


HELLO! Então essa é a minha primeira fanfic após superar um bloqueio psicológico de 5 FUCKING anos, então por favor sejam gentis e me digam suas criticas. Estou muito insegura, mas é isso ai. Só por ter vindo ler, muito obrigada!
Que a força estejam com vocês!

Boa Leitura! E por favor me deem seu feedback!

Capítulo 1 - Prólogo


O salão comunal da sonserina estava absurdamente vazio, nem uma alma viva redizia ali a dentro, estavam todos comemorando no baile os menores já estavam de férias para que o baile acontecesse somente com os mais velhos.

A quanto tempo ele estava ali sentado no chão escuro e frio...1 hora? 2? Não fazia ideia...O tempo que antes não tinha importância, agora era tudo...

Tudo o mais desejava no momento era o tempo, o precioso tempo que não voltaria mais.

Lembrava de ter lido em algum lugar que “Tudo flui e nada permanece”

O tempo também poderia ser comparado com o curso de uma cachoeira, a água cai seguindo em frente, como se uma linha retilínea estivesse em sua frente infinitamente... O curso da água sempre será para frente, nunca para trás, ele não pode voltar para trás.

Mesmo tentando não pensar nisso, de forma inútil devo dizer, Sasuke não fazia ideia do que fazer de agora em diante e isso o assustava...

Seu tempo havia deveras acabado.

Hoje era seu último dia, de seu último ano em Hogwarts, agora ele era um bruxo “formado” como dizia seu irmão. A pequena lembrança de Itachi o fez dar um pequeno sorriso, sentia tanta falta dele.

Desde que o acontecimento após a 1 Guerra Bruxa, Sasuke nunca mais foi o mesmo, Itachi era seu exemplo, seu herói...Sua família...

E agora que estava saindo da adolescência, o pânico do futuro se fazia presente em sua realidade, o medo já era um sentimento constante naquilo que chamava de coração. A vida adulta batia em sua porta, não com delicadeza ou elegância, ela esmurrava com tanta força eu logo essa “porta” seria arrombada caso ele não tomasse uma atitude, Não havia escapatória. E ele já estava fudido o suficiente.

-Como eu queria eu estivesse aqui ao meu lado. – Murmurou para si mesmo, seguindo de um suspiro pesado toneladas por toda a sua angustia.

“-Sasuke, quando você estiver em Hogwarts, aproveite tudo que aquele lugar, nada dura para sempre e lá é incrível Sasuke, aproveite o máximo que puder e sempre que precisar, a precisa te dará! - no rosto de Itachi surgiu um sorriso travesso, lembrando daquele lugar e seus dias de glória.

-Irmão, quem é Precisa? É uma mulher tipo a Chyo-baa que me dá comida? É um nome muito feio. – Com 1,50 de altura Sasuke era muito esperto, porém em igualdade á isso estava sua lerdeza misturada com a inocência de uma criança.

-Ah, Sasuke você é hilário, - rindo e balançando a cabeça em negação - Quando você precisar, você vai saber irmãozinho tolo”

Em seu rosto havia um sorriso, acompanhado de uma lágrima solitária, lembrava dessa conversa com o irmão, estava em frente a plataforma , se recordava que estava tão nervoso neste dia, suas mãos transpiravam e o seus batimentos cardíacos eram acelerados, tinha pouco tempo que havia completado 11 anos e não era acostumado a ficar longe do irmão, ele tinha medo de ficar sozinho novamente...

Decidido a visitar seu lugar favorito pela última vez, levantou-se, indo em direção a porta do salão, antes de sair olhou para trás.

“Nunca me senti um sonserino”

Isso era um fato pensou, Sasuke nunca entendeu o motivo de ter sido selecionado para a sonserina, não achava a si mesmo ambicioso como seus colegas de casa, a ideia que o chapéu seletor errou sua casa martelou em sua cabeça várias vezes, ele desejou tanto ir para a Grifinória, parte disso era por que sabia do preconceito sobre os bruxos da sonserina se tornarem das trevas, com tempo percebeu que a fama da casa não era tudo isso. Ainda mais por que os malvados que conheceu não eram da sonserina.

-SASUKE SEU MERDA! - o loiro de olhos turquesa, que vinha correndo descendo as escadas em direção ao moreno -POR QUE VOCÊ NÃO ESTÁ LA EM CIMA? – Falou/Gritou com Sasuke com uma leve irritação, mas sabia eu era superficial.

-Tsc, não grite, eu não sou surdo! - disse ao lufano que interrompeu sua paz, Naruto tinha um tom de voz mais lato que o comum e fazia questão de gritar em alguns momentos.

O garoto da lufa-lufa era seu único amigo naquela escola, Sasuke não era bem visto em Hogwarts, nem os companheiros de sua casa se atreviam a se socializar com ele, apenas o olhavam eram com desprezo e medo. Naruto era seu amigo, pois lhe estendeu a mão num momento delicado e complicado de sua vida, e mesmo ele sendo irritante, era seu amigo.

-SASUKE, não se esconda das pessoas, tá rolando a maior festa lá em cima vamos seu chato! Jura que eu vi a professora de voo dançando com a professora de Herbológia? – Estava emburrado com a atitude do amigo de estar se escondendo como um rato, mas não podia julgar, só lhe restava tentar anima-lo como as fofocas que ele ficava sabendo.

-Jura? Será que você é tão tapado para não perceber que elas são um casal?

-MENTIRA! SÉRIO? – Naruto não fala, ele grita

-Já disse que não sou surdo baka, e sim elas são um casal- Seu amigo só podia estar de brincadeira, ele que nem conversava com ninguém sabia desse fato.

Achava suas professoras bastante corajosas por se assumirem homossexuais.

-Sasuke é nossa última vez aqui, tu não tens nem 20 anos e parece o espirito de Nicolau Flamel aquele velho. Vamos lá só uma vez, não somos mais crianças ninguém vai te tratar mal de novo! – Naruto falava sério, era raro vê-lo assim, mas sabia o quanto ele estava enganado.

-Estou bem aqui Naruto, sabe que as pessoas não gostam de ficar perto de mim- suspirou sabendo que o loiro ia tentar contornar a situação dizendo que ele era aceito- Aliás eu já estava saindo- Não continuar aquela conversa, já sabia muito bem do desfecho dela.

-Aham, eu nem te conheço Sasuke Uchiha- bufou, não insistiria, sabia que ele não gostava dos olhares- Você não vai acreditar teme- os olhos brilhavam e a curva sorridente no rosto foi se tornando cada vez maior- Eu e a Hina nos beijamos uuhh.

O moreno poderia jurar que viu estrelas nos olhos do amigo, abriu um pequeno sorriso pelo amigo, o mesmo era apaixonado pela a garota da corvinal desde o 4 ano.

Porém nunca conseguia se aproximar da mesma usando a desculpa que uma garota tão esperta como ela nunca iria olhar para um cara como ele. Naruto era um burro isso sim, estava na cara de qualquer para qualquer um que a garota gostava dele, menos pro baka do Naruto.

“Não sei por que não me surpreendo”

- Beijo é- riu de forma irônica- Achei que que as pessoas da corvinal fossem inteligentes.

-TEMEEE seu merdinha, você ta com inveja por eu nunca beijou, isso sim rum- virou a cabeça fazendo um bico ridículo.

Ruborizou levemente com a resposta do amigo, isso era verdade nunca havia beijado ninguém. Nunca havia pensado nisso, mas também quem beijaria um cara como ele?

-Não perco meu tempo com isso, mas Naruto estou feliz por você! Beijou sua garota né

Sorriu sincero, Naruto era como um irmão, leal em todos os seus momentos sejam bons ou ruins.

-Estou subindo ok, mas não vou para a festa!

-Você é um fresco isso sim viu Sasuke! Vou voltar para a Hina. – Riu, sabia como era seu amigo sonserino complicado- Eu nunca entendi como você some do nada para onde você vai?

-Para lugar nenhum!

Subiram juntos, até ele desviar o caminho, indo para seu refúgio.

Assim que chegou, parado em frente ao seu lugar favorito de toda a Hogwarts, a sala precisa apareceu para ele, seu refúgio...

Quando entrou ouviu movimentações, havia mais alguém ali. “O que fazem aqui?”

Isso o irritou, não gostava que mexessem em suas coisas, apesar que a sala precisa não era nada dele. Adentrando mais ele viu.

Era um grande cavalo-alado brilhante andava por todo lugar, era um patrono de alguém e mesmo que já formados não era qualquer bruxo que chegava a conjurar com tanta perfeição.

Só havia uma pessoa e ele a conhecia, de longe, mas a conhecia...

Ali em sua frente estava Sakura Haruno a grande artilheira do time de quadribol da Grifinória, eles nunca haviam trocado uma palavra sequer, ela era bastante amiga de Naruto.

Provavelmente não conversava com ele pois também tinha medo do mostro Uchiha

Todos tinham afinal... Não poderia culpa-la.

Sasuke era uma pessoa silenciosa, acostumou-se a ser “invisível”

Sabia que logo ela perceberia sua presença ali. “Melhor voltar outra hora”

Virou-se indo em direção a saída não percebeu uma peça no chão e a chutou sem querer, fazendo-a bater em outros objetos indo ao chão fazendo barulho. Sua tentativa de fugir falhou.

-Quem está aí? – Pela primeira vez reparou em sua voz, era suave, porém de presença como de uma cantora, “Será que ela canta?”

- Desculpa, não sabia que havia alguém aqui, já estou indo não foi minha  intenção incomoda-la – Virou-se de frente para ela, Sakura era linda seus cabelos eram num tom de ruivo rosado na altura dos ombros, seu nariz era fino e possuía sardas e seus olhos eram verdes esmeraldas “Lindos” Nunca havia reparado como ela era linda.

-Hey, tudo bem não há necessidade de sair! – Sua face estava levemente vermelha, mas não se dirigiu a ele com medo ou desprezo - Aproposito meu nome é Sakura Haruno, muito prazer!

Ela sorriu...

Sasuke ficou meio lesado com ela, alguém havia sido gentil, estava tão chocado que não havia reparado na mão estendida a ele e uma garota de cabelos rosados ficando vermelha novamente, ele a tinha deixado no vácuo.

Logo eu percebeu rapidamente apertou a mão pequena de dedos finos, ele podia não se socializar mas era um rapaz devidamente educado, e estava com vergonha por sua atitude anterior, ao tocar sua mão percebeu que sua pele era quente, suas unhas estavam com uma coloração verde-água que fazia um belo contraste com sua pele branca.

Ele levantou o olhar para ela e viu as esmeraldas em seus olhos, “Lindos”

-Com certeza você sabe quem eu sou, não está com medo? – Ele queria tanto que a resposta fosse não, se sentia um idiota por estar tendo esperança de não ser visto como um monstro “Seu estupido, logo ela sai correndo”

-Admito que recebi orientações de não chegar perto de você. – “Tá vendo, estupido” sabia que isso aconteceria, ainda estavam em um aperto de mãos e ouviu a voz suave mais uma vez – Estou á uns minutos com você e estou viva, você vai me machucar?

Seu tom era desconfiado isso o assustou, ele não faria mal a ela de forma alguma. Ele nunca quis machucar ninguém, se perguntava se era alguma pegadinha, mas ela não era esse tipo de garota.

-Eu não vou fazer nada com você, eu prometo!

E de novo ela sorriu “Era realmente uma pegadinha?”

O aperto de mão se desfez, já estava preparado para sair havia se enganado, ninguém falaria com o monstro.

-Eu acredito em você!

Agora foi ele quem sorriu, e pensou no que Naruto havia lhe dito mais cedo, “Ele poderia ser aceito?” Logo sua insegurança encontrou a justificativa para atitude

-Você é louca!

OoO

O salão comunal da Grifinória sempre foi um lugar muito bonito para a Sakura, desde a primeira vez eu pisou ali ficou encantada, os tons vermelhos com amarelo sempre a deixaram apaixonada, porém agora nada parecia bonito.

-Sakura você está me ouvindo? - O rosto de sua tia estava na lareira, sua face era composta de carvão e fogo, se comunicam assim quando era necessário e sempre era por uma boa razão.

E não Sakura não estava ouvindo, havia parado de ouvir no exato momento em que a frase “Estamos voltando para a França” foi dita, não queria ir para França.

Se sentia tão feliz na Escócia, foi na Escócia que ela se descobriu, foi na Escócia que ela fez amigos, havia sido na Escócia onde ela descobriu que era muita boa estando em uma vassoura segurando a goles pronta para lança-la nos aros.

E após ouvir que iriam embora de sua amada Escócia aquele velho sentimento de indignação estava a possuindo,

Sakura estava arrasada, frustrada, chateada, desgostosa.  

-Estou tia, mas por que estaremos voltando tão repentinamente? A senhora sabe que eu amo estar aqui! – O que mais a aborrecia era não saber por que raios isso estava acontecendo.

-Depois Sakura, preciso ir, não vá para o baile irei te buscar bem cedo, então melhor que esteja descansada! - E assim sua tia sumiu.

Revirou os olhos logo após, sabia que se ela tivesse visto a bronca seria enorme. Hoje o dia tinha tudo para ser perfeito, não era uma garota que se animava para bailes, este mesmo ela nem iria.

Era seu último baile, e precisava ter um par para entrar. Não era uma garota “feia”, até por que a beleza está em todos, é algo realmente relativo. Ela se sentia como uma garota comum.

E só havia recebido um pedido, e sabia por que. Rolava um boato eu ela namorava Sasori no Akasuma e ela sabia que o próprio havia espalhado, e mesmo que desmentisse as pessoas tinham um espirito machista e não levavam em conta o que ela dizia.

Chegou em Hogwarts no 4 ano, fez seus primeiros anos na Beauxbatons, e ela odiava. Só tinha garotas e todas tão certinhas, tão cheias de dogmas femininos, logo que soube de Hogwarts pediu para seus pais que a transferissem, era filha de trouxas e saber que tinha uma tia na Escócia só facilitou tudo.

Ela não iria ao baile, por que não queria ir com Sasori, por era iria sozinha não sentia necessidade de um par só para irrita-la.

Assim que sentiu mãos quentes em seus olhos, ela sabia que Sasori estava ali para leva-la ao baile, e ela não iria mesmo. Soube por seus amigos da Lufa-lufa que ele apostou que daria um beijo nela.

“Patético”

Não entendia essa coisa dos homens usarem as mulheres como prêmio, ela não entendia.

-Você está aí né sua fujona, por que não está arrumada?  – Ele estava certo, havia fugindo dele o dia inteiro, já o havia informado que não iria!

-Coucou Sasori, eu lhe disse que não iria! – Respondeu com toda a educação que podia, mas Sasori não gostou nada do que ouviu, ele não compreendia por que ela não queria ir com ele, todas queriam.

-Cherry, por que não irá comigo a festa? Dispensei tantas garotas por querer ir com você! – Sasori tinha uma voz levemente grave e seca como deserto, e a olhava com seu olhar de “Eu sou o Rei do mundo”, porém isso era somente no mundinho dele pois no mundo real ele só era mais um garoto que se achava no direito de impor o que quisesse a todos.

Sakura ainda estava de frente para a lareira, se virou para encara-lo, viu que olhos cor mel que a encaram com expectativa. Ela o achava um rapaz bonito, mas sua beleza se perdia com suas atitudes. Ele foi o primeiro com quem ela havia tido uma conversa em Hogwarts logo participou de seu grupo, porém ao perceber as ideologias de Sasori e seus amigos ela se afastou.

-Sasori o mundo não gira ao seu redor, sempre deixei bem claro que não iria com você!

Os olhos de Sasori ficaram escuros e sua expressão era de total desgosto, ela sabia o que ele iria fazer, iria inventar alguma fofoca a seu respeito sobre ela não o acompanha-lo, estava cheia disso. Ele podia ser bonito, mas não há rosto bonito que a faça querer se tornar um prêmio nas mãos de um homem.

Ele nada diz, vai em direção ao dormitório dos garotos e a deixa sozinha novamente. Suspirou “Que situação chata”

 Ela nunca se importou com a opinião das pessoas, quando chegou seu sotaque francês era forte, até hoje seu idioma nativo se fazia presente, mas ela não se importava. Algumas pessoas zoavam muito dela, pelo seu cabelo, por suas ideologias, por seu sotaque, e zoaram muito quando disse que faria o teste para o time de quadribol, sempre foi uma garota corajosa e não ligou para as críticas. Sakura também não tinha sorte com amigos demorou até que conhecesse os certos. Eles estavam todos lá em seu primeiro jogo, e lá foi a virada já tinha surpreendido todos por ser a artilheira e depois da Grifinória dá uma surra na sonserina, ela foi adorada por muitos.

Ela passou por muitas coisas para compreender que ela era maravilhosa, e que não precisava se diminuir por nada pois todos são únicos no mundo inteiro.

Saiu do salão comunal da Grifinória, indo em direção ao da Corvinal, ela poderia não ir ao baile, porém sua melhor amiga iria, Hinata era uma das pessoas mais impressionantes que a vida lhe deu o prazer e conhecer.

Achava engraçado que depois de todos esses anos ela resolveu dar uma chance ao Uzumaki, conheceu Naruto por causa dela o mesmo sempre disse eu era apaixonado por ela e a achava linda. Ficava com dó pois a Hyuuga é dura na queda, sempre focada em descobrir mais e mais. Cansou de ouvir dela “Meu único amor são os livros, eles me trazem conhecimento o Naruto não” e eu sabia muito bem a fachada dessa frase, ela gostava dele só não sabia como assumir. E hoje eles irão ao baile juntos. Ao entrar deu de cara com Hinata e ela estava linda usando um vestido azul.

-Coucou Hina, você está linda, vim ver como você está!

-Ah, muito obrigada! Mas eu acho que eu não vou. - Hinata estava nervosa o suficiente para desistir, nunca foi ao baile por acharem chatos e agora ela iria por está cansada de negar seus sentimentos pelo loiro da lufa-lufa, mas a insegurança ainda estava lá.

-Hinata, eu não acredito que você está querendo desistir? – Sakura a encarou séria – Você é uma garota maravilhosa, não desista o Naruto nunca desistiu de você, não o deixe esperando!

Hinata sorriu para a amiga, Sakura tem uma leve mania de sempre estar na mesma hora onde ela estava querendo desistir de algo, podia se sentir a garota mais esperta do mundo, mas era humana e sempre amarela em diversas situações. Sakura era uma das garotas mais corajosas que conheceu na vida, e por causa dela ela aprendeu a não levar a sério os costumes machistas de sua família extremamente tradicional.

Sakura sabia que sua amiga as vezes tinha essa tendência de desistir, mas acima disso ela sabia que sua amiga era somente insegura e usava qualquer desculpa para desistir das coisas, mas hoje ela não iria fraquejar, Naruto esperou anos por isso e entenderia caso ela não fosse se tivesse uma justificativa, porém era somente insegurança e Sakura entendia bem isso.

-Hina vai lá e arrasa, vim somente verificar que você não iria fugir! – Não contaria agora para ela sobre seu retorno repentino para a França, sua amiga merecia um dia feliz e sem preocupações.

Estava andando á alguns minutos até parar em frente a sala Precisa.

Amava aquele lugar, havia guardado um colar naquele local, era um lindo colar com uma delicada pedra branca, havia achado ele nas coisas da sua Tia e ficou apaixonada pela beleza eu esse colar tinha, o pegou e trouxe consigo para Hogwarts até hoje sua tia nunca reparou, o guardou na sala precisa como uma decoração, para deixar sua marca em Hogwarts.

Ao entrar na sala, lembrou-se de ir lá sempre para treinar seus feitiços, um dia teve a péssima experiência de encontrar um dementador, eram dias sombrios em toda a Europa por conta da 1 Guerra Bruxa, ela não sabia o que estava acontecendo e depois desse encontro se dedicou a ser muito boa contra as artes das trevas, acreditava que todos deveriam estar junto á luz e que ninguém deveria sofrer com a escuridão e ela se sentia responsável de levar essa luz a qualquer pessoa que precisasse.

Essa pequena lembrança a fez sentir saudades de se “amigo”, ainda estava com o uniforme escolar, retirou de um dos bolsos internos sua varinha, sua companheira era feita com a madeira de cerejeiras cominadas com o núcleo de coração de dragão, lembrava bem quando a comprou, a tinha achado linda, era uma rara varinha branca, e possuía leves folhas de cerejeira ao seu redor. Pensei no dia em que consegui salvar um gato de cair de uma arvore e disse:

-Expecto Patronum!

Expecto Patronum significa “Espero o Protetor” e logo seu protetor apareceu, Sakura o chamava de Lumière, seu patrono era um grande cavalo-alado, era para si a luz, e sempre gostava de conjura-lo a fascinava a forma em que corria por todo o local, agitado como si mesma. Foram cerca de 3 tentativas para que conseguisse executa-lo com perfeição, lembrava do professor Kakashi ficar espantado com seu feito, e de fato na matéria contra as artes das trevas Sakura era a melhor aluna da turma, não ligava para rótulos, só queria ser boa naquilo. Não tinha importância se ela era a melhor ou a pior.

Ficou admirando seu patrono por uns minutos até que ouviu um barulho de algo caindo, a princípio ficou com medo, logo o patrono estava desfeito e estava em posição de ataque, não ouviu, mas nada e decidiu verificar se tinha alguém.

- Quem está aí? – “Que ótima forma de pesquisar Sakura”, revirou os olhos com sua pergunta óbvia.

Andou alguns passos e viu um rapaz virado de costas para a saída, era um aluno da sonserina pode perceber. Ele tinha os cabelos negros como a noite, de tamanhos médios, não sabia quem era.

- Desculpa, não sabia que havia alguém aqui, já estou indo não foi minha intenção incomoda-la. – O tom usado era tímido e lhe passava a sensação de vergonha, seu timbre era forte, e suave “Linda”.

Corou levemente por isso, e quando ele se virou, o reconheceu.

Era o monstro Uchiha, nunca soube o por que dele ser chamado assim e o por que de ninguém falar com ele, sabia de boatos que ele havia matado um aluno.

Não era uma pessoa que acreditava em fofocas, mas sentiu medo e nunca se aproximou. Ficava com pena do garoto, sabia que ele conversava com Naruto, porém nunca chegou perguntar algo.

Sakura quando criança ganhou o apelido de chat por ser muito curiosa, e o moreno despertava sua curiosidade. O que ele havia feito? Por que ninguém podia se aproximar dele. “Estou parecendo a tia Tsunade cuidando da vida dos outros” sentiu sua face esquentar, sempre reclamava desse habito de sua querida tia e estava fazendo a mesma coisa.

- Hey, tudo bem não há necessidade de sair! - Se sentiu culpada por ele ter que ir embora sendo que ali era um local para todos – Aproposito meu nome é Sakura Haruno!

Sorriu com a reação de surpresa, achou graça de do modo envergonhado do garoto, estendeu a mão para cumprimentá-lo, estranhou a demora para ele retribuir, já sentia seu braço cansado. “Ele é estranho, estranho de um jeito bom”

Já ia puxar sua mão de volta pelo vácuo, missão essa que foi interrompida por uma mão quente, sua mão eram um pouco maior que a sua, o que não surpreendia pois ele não era tão alto.

-Com certeza você sabe quem eu sou, não está com medo? – Oh ela não estava, no seu interior estava achando uma graça essa situação, e saia quem era ele e aparentemente ele não era monstro nenhum.

-Admito que recebi orientações de não chegar perto de você- Riu da expressão no rosto dele, ele era um rapaz peculiar- Estou á uns minutos com você e estou viva, você vai me machucar?

Usou um tom desconfiado para ver sua reação e novamente as expressões de seu rosto eram fantásticas, ela nunca foi um garota de fugir e definitivamente “Ele não vai me matar” ela era forte o suficiente para defender qualquer feitiço. Provavelmente ele tinha péssimas habilidades sociais e entendia o por que e se sentiu culpada por ser uma das pessoas que contribui para isso, ele precisava de alguém para conversar, precisava de um pouco de luz...

-Eu não vou fazer nada com você, eu prometo!

-Eu acredito em você!

Em 5 minutos de conversa Sakura reparou eu Sasuke podia fazer uma cara melhor que a outra e gargalhou quando ele a chamou de louca. Ele não estava totalmente errado afinal!

OoO

7 anos depois...


Notas Finais


Então pessoal, se você chegou até aqui muito obrigada!
Alguns esclarecidos, o comportamento do Sasuke é assim por que ele sofreu muito, muito mesmo então nem é tanto drama. O final da conversa deles vai ser mostrada em forma de flash-black logo logo.
Também estou saindo do Ensino Médio, e tô igualzinha o Sasuke "O que eu vou fazer da vida agora, Deus" kkk
Bem a história é bem dramática, terá a narração dos dois, o próximo capitulo nem está pronto, a ansiedade de postar estava me matando sério!
Por favor penso que comente sua opinião, se você gostou, se não gostou, se achou a escrita com problemas, criticas construtivas!

Precisando conversar?
Me siga no instagram: @maryjbailey01.
Twitter: @MaryMariaBR
e-mail: [email protected]
Respondo todo mundo!
Muito Obrigada novamente, emocionada aqui, vocês não fazem ideia como está sendo a sensação de postar isso! Até logo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...