1. Spirit Fanfics >
  2. Always and forever. >
  3. Mine

História Always and forever. - Capítulo 10


Escrita por:


Capítulo 10 - Mine






- Talvez a gente vá para Olympic ou coisa do tipo.- Alice sugeriu no carro, no dia seguinte, ao nos levar para a escola. Suspirei olhando a janela, pensando e encarando a chuva escorrer pelo vidro. Eu pensava o mesmo de sempre, tinha esquecido temporariamente, mas Rosalie me lembrou de tudo ontem a noite.

Pensei no meu futuro, no que eu perderia, mas eu estava cansada de só ver o que eu perderia, estava cansada de ser pessimista, o que é que eu ganho agindo assim? Peguei um chiclete amassado no bolso de trás do meu jeans e comecei a mastigar tentando me concentrar apenas nisso, no entanto minha mente me pregava peças me lembrando do pesadelo horrendo que tive na  noite anterior,  era Jasper no meio de um monte de deusas, milhões de vezes mais bonitas e interessantes que eu, todas imortais e que nunca se cansariam. Todas chamando por ele! Argh! A pior parte é que ele ia até elas!

A primeira aula foi um saco, Bella e eu estávamos emburradas e eu não parava de mastigar aquele chiclete que já tinha perdido o gosto no fim da aula. Na troca de aula saí com Bella e Mike para chuva, o garoto falava com minha irmã então o deixei de plano de fundo da minha atenção quando vi um carro se aproximar, cerrei os olhos tentando identificar o motorista imprudente daquele carro. Sorri e dei uma cotovelada na costela de Bella para lhe chamar atenção.

- Corram meninas!- gritou Jake, Embry abriu a porta do banco de trás acenando para nós. Corri sem hesitação, não sabia o quão longe Alice iria apenas para nos deter, mesmo que em público, pulei para dentro do carro deslizando no banco até bater em Embry, o garoto bagunçou meus cabelos enquanto Jacob buzinava para que minha gêmea se apressasse, quando Bella finalmente correu para nós vi Alice nos lançando um olhar furioso atrás de Mike. Sorri lhe mandando um beijo.

- Lembre que nós te amamos!- gritei para Alice enquanto Bella batia a porta e Jacob cantava pneu pelo estacionamento.


Chegamos a La Push super contentes pela liberdade, suspirando por que não nos esbarramos com papai no meio do caminho, muito menos Alice tentou nos seguir.

Embry não ficaria conosco, disse Jake, só o tinha chamado pois pensava que dois contra um era um aviso bom para que Alice não tentasse nada, duvidava muito que isso significasse o mesmo para Alice, mas não comentei nada deixando os garotos se vangloriarem. Então quando chegamos lá, Embry apertou a mão de Jake pegando seu suborno como um corrupto e se despediu gentilmente de nós e foi embora.

- Eu tinha me lembrado que você me disse que sua sanguessuga paranormal não pode ver o que vou fazer.- Jake contou a Bella.- Ainda bem que você não pensou nisso, ela não teria lhes deixado ir a escola.

- Foi por isso que não pensei no assunto!- comemorou Bella e descemos do carro.

- O que querem fazer hoje?- Jake perguntou ansioso.

- Qualquer coisa.

Acabamos na praia, andando sem rumo. Jacob estava muito orgulhoso de si por ter tido a ideia de nossa fuga.

- Acham que virão procurar por vocês?- perguntou animado com a idéia.

- Não.- falei.

- Mas ficarão bem zangados com a gente.- Bella refletiu. Jacob parou de andar e nós esperamos por ele, ele pegou uma pedra do tamanho de sua mão e a arremessou nas ondas.

- Então não voltem- sugeriu novamente.

- Charlie adoraria isso.- Bella resmungou.

- Aposto que não se importaria.- Jake concordou. Ficamos um tempo num silêncio, sem desconforto.

- E aí, qual é o último escândalo da alcatéia?- Bella puxou assunto. Jake congelou e nos encarou, chocado. Franzi a testa, confusa- O que foi? Era brincadeira.

- Ah.- Jake virou a cara pegando outra pedra.

- Ah meu Deus! Tem mesmo um escândalo!- exclamei vendo a cara de Jake, ele revirou os olhos e assentiu cruzando os braços.- E aí? Vai nos contar ou teremos que usar nossos poderes de ler mentes com você?- provoquei.

Jacob suspirou alto.

- Alguém já te disse o quanto você é irritante, Becca?

- Claro, com frequência.- rebati sem me abalar. 

- Nos conte Jake, prometo manter Becca na coleira.- Bella brincou e eu revirei os olhos fechando a boca com um ziper invisível.

- Ok, mas quando eu contar para vocês, evitem ser críticas está bem?- Jacob disse, eu e Bella trocamos um olhar pensativo. O que demais poderia ter.

- Está bem, vamos dar nosso melhor.- prometeu Bella por mim.

- Quill sofreu um imprinting.- Jacob anunciou enfim.- Estava pensando se são mais comuns do que as histórias dizem...- ele refletiu e depois se virou para Bella, a encarando com a testa vincada de concentração, recuei um passo para o lado, desconfortável.

- Que foi?- Bella perguntou.

- Nada.- Jacob suspirou e voltou a andar, depois de jogar a pedra que segurava para o lado.

- Que ótimo, não? Por que isso seria um escândalo?- perguntei tentando aliviar o clima, Jacob me lançou um olhar sério, arregalei os olhos e fechei a boca novamente.

- No caso dele ocorreu muito... Prematuro.- disse Jacob misterioso.

- Conta logo o que houve, homem!- pedi já irritada com a enrolação. Dei uma cotovelada para que Bella insistisse por mim, ele não negava nada para ela.

- Vai me contar, ou terei que adivinhar?- Bella correu um pouco para alcançar Jacob em suas passadas largas. Fiz o mesmo.

- Vocês jamais adivinhariam.- ele disse enfim, revirei os olhos e passei para o lado de Bella, vi que Jacob pegou a mão dela, olhei confusa para Bella mas o contato não pareceu a incomodar.- Olhem, o Quill começou a andar conosco tem poco tempo, então ele esteve muito na casa de Emilly.

O que Emilly tem haver?

- Emilly tem duas sobrinhas de visita- continuou ele- e Quill conheceu Claire.

- É um escândalo por que Emilly não quer que a sobrinha namore um lobisomem? Isso é meio hipócrita.- Bella comentou.

- Não faz sentido.- argumentei.

- Não é isso.- Jake esclareceu- o problema de ser prematuro é... Claire tem 2 anos.

Tanto eu quanto Bella paramos de andar imediatamente.

- Quill sofreu imprinting por uma criança?- perguntei, incrédula.

- Uma criança não, um bebê!- Bella disse.

- Quill não vai envelhecer.- Jacob nos lembrou- Só terá que ser paciente por umas décadas.

Ficamos quietos por um momento.

- Estão julgando mal, posso ver em seus rostos.- Jacob acusou.

- Desculpe mas...- Bella começou.

- Isso ainda é muito bizarro.- falei por minha gêmea e ela deu de ombros concordando.

- Não é isso, vocês entenderam errado- Jacob defendeu- Não há nada romântico nisso para Quill, não agora. Olhem, é difícil de explicar, mas não é como amor a primeira vista, é como... Uma força gravitacional. Quando você a vê, não é mais a gravidade que o prende aqui, é ela. Nada mais importa. Você se torna o que ela quiser, o que ela precisar. Um protetor, um amigo, um amante, um irmão. Quill será o melhor e mais gentil irmão mais velho que qualquer criança poderia ter. E depois quando ela precisar de um amigo, ele vai estar lá, será o mais compreensivo, mais leal e digno de confiança que qualquer pessoa que ela conhecer, e quando adulta, eles serão tão felizes quanto Emilly e Sam.

- Nesse caso, Claire não tem escolha?- Bella perguntou.

- Claro que tem. Mas por que não escolher ele no final? Ele será o parceiro perfeito dela. Como se tivesse sido projetado apenas para ela.

Mais silêncio, voltamos a andar.

- Quando acha que vai acontecer com você?- Bella sussurrou.

- Nunca.- Jacob riu sem humor.

- Você só precisa abrir os olhos mais, Jake.- falei- Você não viu muita coisa ainda, talvez não tenha procurado direito.

Jacob olhou novamente para Bella.

- Não sei se quero ver outra coisa.- falou olhando intensamente para minha gêmea, recuei de novo. Ficamos em silêncio até voltarmos para a oficina de Jake.- Venham, talvez queiram dar uma voltinha de moto.

- Vamos!- comemorei.

- Se eu me machucar foi por que eu tropecei.- Bella declarou, Jake e eu concordamos em coro.

Andamos de moto por apenas uns minutos, a chuva dificultou muito deixando as estradas muito enlameadas para nos movermos. Deixei que Jacob trouxesse a minha moto de volta, emburrada demais andei na frente com os braços cruzados. Os dois riram de mim.

- Calma Becca, faremos isso muitas vezes ainda.- prometeu Jacob. Bufei.

- Com a chuva sempre estragando tudo?- resmunguei.

Jacob riu e foi para os fundos da sua oficina, nos arremessou uma toalha manchada de graxa, me sequei e depois a passei para Bella. Jacob voltou e nos entregou refrigerantes quentes, abri o meu e o virei rapidamente.

- Eu estava pensando...- Jacob falou- se vocês me desculpariam pelo que eu fiz... Charlie e as motos e tal.- simplificou, Bella e eu trocamos um olhar, pensativas. O castigo não abalou minha vida de forma restrita, então cabia a Bella decidir se perdoariamos ele ou não. - Eu pessoalmente não queria ter feito aquilo.

- Também não precisava que você tivesse feito.- rebateu minha gêmea, mordi o lábio reprimindo a risada.

- Me desculpe.- Jacob juntou as mãos e nos olhou como um cachorrinho abandonado, achei uma gracinha, ele parecia tão inocente ainda que do tamanho de um armário.

- Ah!- Bella jogou as mãos para cima não resistindo- Tudo bem! Já está no passado.

Jacob abriu um sorriso largo por um momento mas logo ele desmanchou numa cara cautelosa conforme seus pensamentos rodavam.

- Quando eu levei as motos aquele dia... Eu estava pensando em fazer uma pergunta, mas ao mesmo tempo não..- ele se calou hesitante, esperei pacientemente, no entanto Bella congelou, eu tinha perdido essa conversa então não sabia o que estava por vir.- Você estava sendo teimosa comigo ou estava falando sério?- perguntou de olho em Bella. 

- Sobre o quê?- Bella sussurrou.

- Sabe o que é. Quando você me disse que não era da minha conta se ele tinha....mordido você.- Jacob falou, visivelmente incomodado, arregalei os olhos mas segui a discussão em silêncio me misturando com a parede de madeira da oficina.- Estava falando sério, Bells?

Bella estremeceu e veio para meu lado se encolhendo.

- Estava.- ela respondeu. A cara de Jacob endureceu.

- Fazem ideia do que vai acontecer, não é? Quando eles quebrarem o tratado?- perguntou ele.

- Vamos embora antes.- falei na defensiva, ver Bella encolhida ativava meu lado protetor.

- Não é assim que funciona, Becca. O tratado não tem limite geográfico. Quando eles transformarem vocês, acabou. Teremos de ir até o fim, será guerra.-  eu não queria ter entendido o que ele quis dizer. Nunca quis essa parte do futuro, uma parte em que Jacob e os outros seriam nossos inimigos. Eu não queria isso e duvidava que Bella quisesse, até mesmo Jake. Bom, ao menos não contra nós duas.

- Nunca vai me perdoar Jake?- Bella perguntou.

- Vocês não serão mais... vocês. Não vai ter o que perdoar.- respondeu ele, severo, mas eu duvidava das suas palavras.

- Então isso é um adeus?- perguntei-lhe, balançando a cabeça- É assim que vamos acabar?

- O que? Por quê? Ainda temos alguns anos. Por que não continuamos amigos até o tempo esgotar?- falou ele, hesitei, lhe lançando um olhar triste, mas Bella não pareceu entender a bomba que estava jogando quando falou:

- Anos? Não, Jacob, não são anos. Semanas seria mais preciso.- ela disse. Houve um estalo alto e voou refrigerante para todos os lados.- Jake!- Bella censurou sem perceber o quanto Jacob estava tremendo. Agarrei Bella no braço e a puxei para trás enquanto um rosnado rompia o peito de Jacob. Sua respiração estava acelerada e imediatamente me lembrei de Paul, mas com Jake era diferente, ele estava possesso.

- Semanas!- vociferou ele, e então fechou os olhos com força se concentrando, seus tremores diminuíram consideravelmente após uns minutos de silêncio, empurrei Bella o mais perto da porta da garagem que consegui indo logo atrás- Aqueles malditos vão transformar vocês em sanguessugas em semanas!

- É claro, Jake. Que sentido tem em esperar? Estamos ficando mais velhas a cada dia, os rapazes foram transformados muito cedo, o que mais poderíamos fazer?- Bella falou, cobria a boca dela a olhando séria.

- Qualquer coisa!- sibilou Jacob- Eu preferia vê-las mortas antes disso!

Arregalei os olhos com as palavras afiadas do garoto e deixei minha mão que estava cobrindo a boca de Bella, cair.

- Jacob...- falei, a voz falhada. Depois pisquei umas vezes, empurrei Bella para fora e subi na moto que era minha, eu não ficaria ali depois daquilo.

Mortas! Mortas! Ele preferia que a gente morresse!

- Vamos Bella!- chamei-a, ela encarava Jacob chocada, a mão na boca- Bella!- gritei dando partida na moto, Bella veio e subiu na moto abraçando minha cintura. Corremos para a casa dos Cullen, eu estava completamente encharcada quando chegamos a garagem. Alice estava alisando o capô do seu Porsche, nos esperando.

- Eu vou devolver.- ela suspirou.

- Desculpe- falamos em coro, os dentes batendo de frio.

- Vocês precisam de um banho.- nos olhou com um sorriso triste.

- Pois é.- Bella respondeu.

- Querem falar sobre?

- Não.- Bella respondeu e eu cerrei os dentes.- Podemos ir para casa?- Alice torceu o nariz.

- Está bem!- falei- Podemos ficar se isso aliviar as coisas para você, Alice.

- Obrigada, meninas. Têm roupas limpas no quarto dos rapazes, podem usar o banheiro deles também!- ofereceu, eu e Bella subimos separadas o mais depressa possível indo cada uma para um quarto. A banheira quente de Jasper me recebeu perfeitamente bem e eu fiquei mergulhada nela até meus dedos enrugarem.

Fiquei encarando a torneira gotejando enquanto me lembrava das palavras de Jacob e Rosalie, minha mente embaralhando as coisas.

Jacob preferia que morressemos ao nos ver transformadas. Nosso amigo de longa data, preferia nos ver mortas porque não podia aguentar a ideia de que poderíamos ser uma dos Cullen, mas ele deixava de lado o fato que já éramos parte deles, como eles eram parte de nós, é assim que uma família funciona. A transformação só facilitaria isso.

Será que Rosalie preferia que a gente morresse também? Por que ninguém poderia simplesmente aceitar nossas escolhas? Por que todos querem opinar? Eu já me preocupo o suficiente! Bufei e saí do banho, me sequei e corri para o closet de Jasper, procurei por qualquer coisa folgada e comum, mas isso certamente não era uma opção para eles. Peguei uma jaqueta de Jasper, uma que o vi usando mais de uma vez -por incrível que pareça já que Alice odeia que sua família use roupas repetidas- e fui pescar minhas roupas no meu malão, o vestido vermelho que Alice me fez experimentar ontem estava estendido na cama, mas eu estava com frio demais para deixar tanta pele a mostra, Jasper sobrevive em me ver de moletom novamente. Coloquei minha calça moletom cinza e um top, embora não fosse correr, imaginei que a jaqueta me esquentaria o suficiente até eu relaxar. Bella tinha ido se deitar no sofá novamente, e eu me joguei na cama de Edward me enrolando com o cobertor pesado. Pensei em falar com Bella sobre Jacob, mas ela fingiu dormir e eu deitei de costas para ela, o que Jacob disse doeu muito mais nela do que em mim, e se ela não quer falar sobre eu que não vou forçar.



Despertei ao sentir movimento, e meu corpo sendo devolvido para uma cama só que essa era uma mais fria e vazia, cocei os olhos e esperei que minha visão focasse no rosto sereno de Jasper. A luminosidade era pouca, mas ainda assim podia ver que seus olhos estavam no belo tom âmbar que eu estava acostumada, ele me cobriu e pegou minha mão esquerda, segurou meu pulso e beijou a palma da minha mão respirando fundo, seus dedos deslizando pela minha cicatriz torta, do pulso ao cotovelo. Senti o mais completo conforto domar até minha alma com aquele carinho. Sorri para Jasper.

- Oi, você.- cumprimentei.

- Oi.- disse ele em voz baixa- Eu não queria ter te acordado, me desculpe.

Me sentei diminuindo a distância entre nós. Tirei a jaqueta já com calor, Jasper pegou minha mão de volta rapidinho.

- Eu acho que devia quebrar tua cara por ter me deixado em prisão domiciliar.- falei, ele deu um sorrisinho atrevido, e tornou a beijar minha mão, os lábios subindo pelo meu braço a cada beijo. Arfei e com minha mão livre agarrei meu cobertor com força. Chegando perto do meu ombro, Jasper colocou minha mão esquerda nos seus cabelos e abraçou minha cintura, beijando meu pescoço e me empurrando para o meio da cama para que pudesse deitar comigo.

- Depois, depois.- ele sussurrou contra minha pele, me arrepiei quando sua boca tocou meu pescoço e sua língua traçou uma rota tentadora pelo meu pescoço até meu maxilar.- Não faz ideia do quanto senti sua falta.- ele disse no meu ouvido, eu já estava começando a enlouquecer com seu toque. Jasper me deitou se livrando de uns travesseiros primeiro. E então ele enfim me beijou, tão intensamente que pensei que entraríamos em combustão, tamanho o calor, o desejo, sua pele queimando a minha de um jeito mágico. Jasper me deu um tempo para pegar ar enquanto beijava meu rosto repetidamente, seus braços se fechando ainda mais na minha cintura. Jasper beijou meu sorriso e se virou na cama larga me puxando para ficar por cima dele, com ele sentado, minhas pernas uma de cada lado do seu quadril.

- Se isso for um pedido de desculpas mútuo- falei ofegante- está desculpado. Ah!- gemi baixinho quando ele agarrou minha bunda com certa força.

- Você também.- ele disse baixinho antes de voltar a me beijar. Uma mão continuou na minha bunda e a outra envolveu meu pescoço.

- Ótimo.- eu disse, meu coração batia enlouquecido. Abracei-o agarrando seus cabelos.

- Ótimo.- repetiu ele, voltando a beijar meu pescoço. Eu senti tanta falta de seus beijos que era como se eu tivesse acabado de voltar a respirar, mas minha cabeça tinha que me lembrar de algo completamente desnecessário. A postura de Jasper mudou quando ele sentiu meu desconforto crescer,  suas mãos pousaram nas minhas coxas e ele me encarou curioso.- O que foi? Fiz algo?

- Não... É que... Ah, melhor não falarmos disso agora.- falei, frustrada e pousei a cabeça em seu ombro, suas mãos subiram pelas minhas pernas e ele me abraçou beijando o topo da minha cabeça. Aparentemente ele sabia que eu ia acabar falando então esperou em silêncio.- Eu falei com Rosalie. Bom, ela falou comigo e com Bella.

- E..?- ele me incentivou a continuar quando demorei demais para abrir a boca.

Levantei o rosto para o encarar. Seu nariz estava a dois dedos de distância de tocar o meu, meus braços ainda estavam envolvendo seu pescoço.

- Sente falta de sexo, Jasper?- perguntei, ele abriu um sorriso confuso e franziu a testa.

- O que Rosalie pode ter te falado pra pensar nisso?- perguntou, fiquei quieta, mas ainda assim sua pergunta foi respondida, o reconhecimento tomou seu rosto- Ah.

- O que...?

- Edward.- Jasper esclareceu apontando para o próprio ouvido.

- Intrometido.- resmunguei revirando os olhos. Jasper ficou em silêncio mais um momento, aparentemente ainda ouvido Edward.

- Ah.- ele disse de novo fazendo careta.- Você quer saber sobre Tanya e as irmãs dela então?- perguntou, cauteloso.

- Sinceramente, não quero saber de todas aquelas mulheres, mas...

- Opa, espere aí.- ele me cortou- o que quer dizer com "todas aquelas mulheres"? O que você acha que aconteceu, Becca?- ele sorriu divertido.

Me senti envergonhada e fiz um bico voltando a esconder o rosto na curva de seu pescoço.

- Qual é, amor,- Jasper fez cócegas na minha cintura- acha que eu fiquei com qualquer uma delas?- gemi mais envergonhada ainda e Jasper só levou um minuto para entender minha vergonha, ele chegou a gargalhar- O quê!? Uma orgia, Rebecca!? Eu!?- ele pegou meu rosto me obrigando a encarar ele, ele ainda ria e precisou de um tempo de olhos fechados para se recompor, me roubou um selinho e abriu os olhos ainda sorrindo.- Se é isso que te preocupa, não, eu nunca fiquei com nenhuma delas, muito menos com todas elas de uma vez.- ele levou o indicador ao lábios segurando a risada- E se você acha que eu estou carente por que não fazemos sexo está me ofendendo.

- É que... ai, eu sei que nós não conseguiremos passar disso enquanto eu for humana. Tive medo de que esse furo na nossa relação o deixasse chateado.- corei e baixei o olhar para seu peitoral, brinquei com a barra da sua camisa para evitar o encarar.

- Ei, ei.- ele baixou a cabeça queria me olhar nos olhos de novo, fechei os olhos e ele me atacou com cócegas de novo.- Rebecca- ele chamou numa voz tentadora.- não há nenhum furo na nossa relação.- ele colocou o nariz perto do meu, me cutucando e me cheirando- olhe pra mim, Rebecca.- ele pediu, eu abri os olhos devagar e ele colou nossas testas- Sexo é bom, mas não é vital.- ele disse- E também não é como se nós estivéssemos juntos apenas por causa do desejo carnal.

- Tão formal.- zombei.

- Sabe que sou formal quando me sinto intimidado.- brincou ele.- E eu lamento falar como um velho agora, mas vocês jovens priorizam isso mais do que o resto, como se a companhia não bastasse.

- Ah!- revirei os olhos, mas depois o encarei séria- Então você não quer transar comigo agora?- sussurrei, me fazendo de sedutora, ele passou a ponta do indicador nos meus lábios, os desenhando enquanto sorria malicioso.

- É diferente.- ele sussurrou, os olhos voltaram a encarar os meus com um fogo que queimaria qualquer uma.- Com você não seria transar, ah não.- seu sorriso se alargou- Nós faríamos amor, ao menos da primeira vez.- ofeguei olhando seu sorriso convencido e senti meu corpo todo se aquecer- Mas acho melhor não entrarmos em detalhes ou Edward vai se matar de tanto forçar o vômito.- ele revirou os olhos.

- Ah meu Deus!- exclamei, tinha me esquecido desse detalhe- Esme estava nos ouvindo!?

Jasper riu.

- Eles saíram faz tempo para nos darem uma privacidade, Becca. Não se preocupe, ela ainda acha você uma santa.

Suspirei de alívio levando a mão ao peito, meu coração parecia querer sair pela boca. Depois eu e Jasper caímos na risada.

- Eu estou morrendo de vergonha!- gemi escondendo o rosto com as mãos.

- Do que acha que eu estou rindo?- Jasper perguntou. E eu lhe ataquei com o travesseiro, fui muito violenta. Bati nele até as plumas saírem todas da fronha, Jasper sequer tentou se defender, tinha a cara de pensativo.

- No que está pensando?- perguntei-lhe.

- Se você sente falta de sexo.- ele cerrou os olhos para mim, arregalei um pouco os olhos e mordi o lábio desviando o olhar.- Com quantos anos você...?

- Quinze.- admiti.

- Qual o nome dele?- ele perguntou em voz alta.- E sobrenome?

- O que? Não vou te dizer, vai que você tenta matar ele ou coisa do tipo.

- É claro que eu vou matar ele, sei que você já pensou em matar Maria.

- É claro que eu vou matar aquela vagabunda, puta, vadia do caralho.- resmunguei irritada.

- Mas eu não tenho direito de matar ninguém?- perguntou fazendo cara de ofensa.

- Ele sequer teve importância na minha vida, não merece morrer por isso.

Jasper forçou um rosnado.

- Como foi?- quis saber, eu ri.

- Péssimo! Os dois eram virgens e ele não durou nada!- Jasper fez cara de nojo.

- Veja, eu não desapontaria você assim.- gabou-se. 

- Aham- zombei.

- Está me desafiando? Está me desafiando?- ele perguntava, me jogou na cama e me atacou com cócegas até me fazer gargalhar, mas me distraiu logo em seguida, beijando meu pescoço.

- Ah, Jasper!- arfei.

- Minha.- sussurrou ele- Só minha.






Notas Finais


Bjs, desculpa qualquer erro


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...