História Always and Forever - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias The Originals, The Vampire Diaries
Personagens Elijah Mikaelson, Esther Mikaelson, Freya Mikaelson, Hayley Marshall, Hope Mikaelson, Klaus Mikaelson, Kol Mikaelson, Personagens Originais, Rebekah Mikaelson
Visualizações 37
Palavras 1.252
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, Magia, Romance e Novela, Sobrenatural, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


OLAAAAAAAAÁ
Vocês acreditam que escrevi esse capítulo ouvindo Justin Timberlake? UMA MARAVILHA !!!
Aqui vai mais um capítulo, espero que gostem !!! Não demorei tanto para postar, ME TRAGAM UM PRÊMIO !!!
Quero agradecer as pessoas que venham me ajudando comentando e favoritando a fanfic, obrigada mesmo pessoas, vocês não sabem o quanto meu coração se alegra com os comentários e favoritos de vocês, e vocês não sabem o quão estou feliz por postar um capítulo que considero bom, não está com 2.000 palavras, mas foi o que deu para mim escrever e eu gostei bastante !!!

BOA LEITURA !!!!
Novidade nas notas finais.

Capítulo 7 - Capítulo 06 - Insane


Fanfic / Fanfiction Always and Forever - Capítulo 7 - Capítulo 06 - Insane

3° Pessoa

Lilyan de todas as formas tentava achar uma cura para a família, e aos poucos Lilyan esquecia de cuidar de si mesma. Há exatas duas semanas Lilyan estava vivendo na antiga fazenda de seus avós, vivendo de banho frio, roupas velhas com cheiro de mofo, bebendo água com o gosto amargo e estranho e comendo ervas e verduras que encontrava no que tinha restado da plantação.

E era esse, o efeito colateral de estar canalizando tanto o poder da falecida bruxa original, as famosas letrinhas minúsculas de um contrato que você nunca lê realmente. Lilyan não vivia mais longe dos Mikaelson, na verdade ela nem mais vivia, era um robô sendo controlado por Ester e Dahlia. Mas Lilyan não era a única a ser controlada pelos poderes e planos maléficos das bruxas; os pais da mesma também estavam sendo muito bem controlados.

As pulseiras realmente faziam seu papel de curarem seus donos, mas elas também faziam algo à mais, fazia com que os pais da garota não sentissem a ausência dela.

E os Hill nunca foram tão controlados como agora, nunca ficaram tão vulneráveis; tudo por conta de Lilyan e sua ingenuidade, de nunca olhar o pior e sempre o melhor nas pessoas, independente de seu passado.

– FINALMENTE – Gritou comemorando. – Finalmente, o primeiro passo. – Ela olhou encantada para o líquido que tinha acabado de fazer.

A cura de Freya, estava pronta, só faltava injetar na mesma. Foi quando o barulho de um carro em alta velocidade invadiu o ambiente até então quieto demais. Fazendo Lilyan parar de contemplar sua conquista.

Hayley

Estava cansada de sempre perguntar por Lilyan e esses inúteis sempre estarem com um sorriso ridículo no rosto e sempre falarem não sei. Carrie nunca deixaria Lilyan por mais de dois dias fora de casa, mesmo que a garota seja maior de idade; Josh então? É um mimo com a garota.

Foi então que decidi parar de perguntar, estava na hora de por em prática minhas habilidades de lobo, peguei Hope e coloquei no bebê conforto na caminhonete de Josh, e não era uma simples caminhonete velha, era uma 4x4 potente até demais. Peguei uma blusa de Lily e cheirei, e comecei a fareja-la, ela não estava tão longe quanto pensei. Acelerei até onde pude, mas tive prudência por conta da minha filha no banco do passageiro.

Assim que cheguei ao destino não pude acreditar, ela estava se escondendo aqui esse tempo todo, na antiga fazendo Hill, peguei o bebê conforto com Hope dentro mesmo, caso eu tenha que bater em alguém, não quero deixá-la no chão sujo.

– Lilyan? – Adentrei na casa, vendo tudo quieto, mas o cheiro de essências era forte, forte até demais, fazendo Hope espirrar. – Eu sei que você está aqui pirralha ! – Disse um pouco brava, e então a porta se fechou fortemente.

– Nada de luzes aqui dentro ! – Disse fraca, olhei fixamente para ela.

Pálida, fraca, suada e parecia desnutrida.

– O que houve com você Lilyan? – Digo preocupada, coloco o bebê conforto no sofá, que parecia estar limpo e me aproximo devagar ds garota.

– Nada, estou ótima. – Ela passou as mãos nos braços. Ela parecia paranoica; – Estou ótima fazendo um trabalho que era pra ser seu ! – Ela se virou para mim, parecia com muita raiva. – Você é uma Mikaelson, a família é sua não minha, você deveria estar se esforçando para reergue-los. – As janelas e portas começaram a balançar conforme ela aumentava sua voz. – Mas não, quem está dando suor e sangue sou eu – As veias abaixo de seus olhos começaram a ficar saltadas, e marca em seu pulso começou a ganhar uma forma estranha, as veias ao redor também ficaram saltadas e de uma cor forte, parecia infectada. – EU ESTOU ME MATANDO POR ELES – E então fui jogada para longe, batendo na parede e caindo de cara no chão.

Olhei para Hope rapidamente, verificando se estava tudo bem, e ela estava ótima se divertindo com um mordedor rosa. Lilyan agora estava de costas, com as mãos no rosto, agora seu braço inteiro estava tomado por aquelas veias horrorosas, já estava começando a ficar preocupada quando ela começou a chorar, me fazendo ficar mais preocupada e confusa.

– Lilyan, preciso que me explique o que está acontecendo. – Me aproximei devagar, me agachando ao seu lado e tocando seu ombro, que estava fervendo. Lilyan intensificou o choro, fazendo assim meu coração se apertar.

– As vozes não param, não me deixam em paz ! – Ela olhou para mim, me fazendo olhar seus olhos que estavam avermelhados mais que o normal. – Não me deixam dormir, não me deixam comer. – ela puxou os cabelos em uma tentativa de aliviar a dor.

– O que eles falam? – Perguntei, eu precisava fazê-la se distrair.

– Para cumprir a promessa; – Ela começou a olhar para o nada, e então se levantou e foi para a antiga sala de feitiços. – Eu preciso terminar ! – E então entrou em modo robótico.

Ela estava sendo controlada, agora tudo faz sentido, aquela marca maldita estava fazendo isso com ela, e eu iria acabar com isso neste exato momento. Peguei o atiçador de fogo que já estava ali esquentando, era inverno e ela com certeza acendeu a lareira para não morrer de frio, e fui com toda a minha raiva atrás dela.

Lilyan me olhou assustada, parecia que tinha saído do transe, olhou para o objeto em minha mão e arregalou os olhos, deu três passos para trás, batendo na estante de livros, seus olhos encheram de lágrimas, ela parecia aterrorizada.

– O que vai fazer? – Ela realmente estava aterrorizada, sua voz tinha acabado de entregá-la.

– Vou acabar com seu sofrimento. – Peguei um pano qualquer que estava em meu alcance, e enfiei em sua boca, o estranho era que ela não estava tentando lutar, ela estava obedecendo acima de tudo.

A fiz sentar e estendi seu braço na mesa que tinha folhas, tigelas de madeiras e livros espalhados por ela. Olhei para Lilyan, que estava apertando fortemente o braço da cadeira. Eu senti pena dela, mas era para o seu bem.

– Isso vai doer, e vai ser uma dor insuportável.

Lilyan

Quando ela disse que a dor seria insuportável, eu não imaginei que seria tão, insuportavelmente insuportável, era uma dor dos infernos. Eu tinha gritado tanto que eu não tinha nem mais voz, Hope estava chorando assustada, Hayley largou o atiçador de fogo ali e foi correndo socorrer a pequena.

Meu coração ainda estava acelerado, minha cabeça girava parecia meu cérebro estava em um carrossel animado, minha vista embaçou, então tive a noção de que estava prestes a desmaiar.

– Hay... Ley... – Tentei chama-la mas eu estava totalmente sem voz e sem forças.

Eu estava quase apagando quando um ser apareceu na minha frente, sua expressão totalmente preocupada, seu rosto tão belo, seus olhos tão fascinantes, olhos que um dia eu pude chamar de meu. Ele mordeu o próprio pulso, fazendo sair um pouco de sangue, pegou minha cabeça e a colocou em direção ao seu pulso.

– Beba ! – Ordenou, o olhei nos olhos, vendo aquele mar azul magnífico, bebi, sentindo aquele gosto metálico na boca, era nojento.

– Não precisa me ajudar. – O empurrei, afastando aquela tentação de mim. – Não quero sua ajuda. – Ele revirou os olhos e abriu um sorriso arrogante.

– Mas precisa bruxinha. – Piscou. – Não se faça de orgulhosa agora !

– Vai embora Damon, eu não te quero aqui ! – E abriu um sorriso maior ainda.

– Cuspindo no prato que comeu Lilyan? – Se aproximou de minha orelha; – Não era você que implorava tanto para que eu ficasse? – Sussurrou.


Notas Finais


Olá meus amores, espero que tenham gostado do capítulo, um pouco tarde para se postar, mas o importante é que não demorei muito como dá última vez, E COM UM CAPÍTULO QUE PRESTE rs

Gente, espero que não venho encher o saco de vocês, mas comecei um novo trabalho, também é sobre uma série, mas é sobre Arrow, e quem estiver interessado tanto em ler quanto em me ajudar eu agradeceria bastante, me ajudem em Madness como vocês estão me ajudando em Always and Forever, eu peço muito a ajuda de vocês com esse novo trabalho !!!
Link: https://www.spiritfanfiction.com/historia/madness-13617915


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...