História Always by your side - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Walking Dead
Personagens Aaron, Abraham Ford, Carl Grimes, Carol Peletier, Daryl Dixon, Enid, Eugene Porter, Gabriel Stokes, Glenn Rhee, Jessie Anderson, Maggie Greene, Michonne, Morgan Jones, Negan, Paul "Jesus" Monroe, Personagens Originais, Pete Anderson, Rick Grimes, Ron Anderson, Rosita Espinosa, Sam Anderson, Sasha, Tara Chambler
Tags Amor Apocalíptico, Apocalipse Zumbi, Carl Grimes, Laynne Collins, Romance, The Walking Dead
Visualizações 123
Palavras 876
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Canibalismo, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oiii, tuuuro bom contigo???💓💓💓
Capítulo novo Novo e espero que gostem!!!
Boa leitura!

Capítulo 3 - "Helping others, not wanting anything in return"


Fanfic / Fanfiction Always by your side - Capítulo 3 - "Helping others, not wanting anything in return"

•LAYNNE'S POV

    Chegando em frente ao portão, pude peceber que os muros eram bem altos. Mas, eu ainda estava insegura "Será que é seguro de verdade?", essa era a pergunta que rondava minha cabeça.

    -- Abra o portão, sou eu, Aaron.-- gritou.

     O portão é aberto por uma mulher, que aparentava ter uns 50 anos de idade.

    -- Aaron! Daryl! Que bom que vocês voltaram!-- disse a mulher.

    -- Eu disse que voltaria.-- Aaron disse.

    -- Vejo que trouxeram uma menina.-- a mulher falou olhando para mim.

    -- Essa daqui é Laynne Collins, nós a encontramos na floresta sozinha e trouxemos ela para Alexandria.-- disse Aaron.

   -- Oi.-- eu disse.

   -- Olá! Eu sou a Deanna e seja bem vinda a Alexandria!-- disse sorrindo.

   -- Obrigada.-- disse eu sorrindo.

   -- Vamos para o meu escritório, assim nos conheceremos melhor.-- Deanna falou e eu confirmei.

   Comecei a seguir Deanna ao seu escritório e pude notar em Alexandria que os muros são altos, mas qualquer pessoa pode pular, qualquer grupo de pessoas pode entrar e matar qualquer um daqui.
Eu não sei nem como falar das pessoas daqui, elas passeiam sem nenhuma proteção, nem se preocupam com o que pode vir acontecer.

  Chegamos ao escritório e ela começou a falar sobre o lugar e eu ainda estava insegura sobre o lugar e também sobre as pessoas.

   -- Então Laynne, já falei sobre mim e Alexandria, agora quero saber mais sobre você.-- disse Deanna.

   -- Não existe nada de bom na minha vida e com certeza, você não vai querer ouvir.-- eu disse com a cabeça baixa.

   -- Claro que eu vou querer ouvir. Escute -- nesse momento, eu levantei minha cabeça e olhei em seus olhos.-- Eu não sei nada de sua vida mas, se você sofreu, se você aguentou essas dores significa que você é uma menina forte e não desistiu, e eu vou adorar ouvir uma história sobre uma menina forte e corajosa.-- Ela disse olhando para mim.

   Aquelas palavras de Deanna me tocaram de uma forma que eu não queria mais guardar aqueles sentimentos dentro de mim e então, decidi contar resumidamente a minha história.

    --Bom, quando tudo começou, eu vi minha irmã ser comida pelos zumbis e aquilo abalou muito meus pais e eu, então fomos para um grupo que nos enganaram que mataram meu pai e se minha mãe e eu não os obedececem, iríamos morrer.
Todos os dias, a minha mãe era abusada por eles, até que um dia, ela morreu por mim, porque queriam me abusar de mim. Depois disso tudo, eu fiquei num grupo que um dia, foi atacado pelos zumbis e eu saí de lá com meu amigo, que convivi dois anos na floresta mas, ele morreu.E a partir daquele dia, é apenas eu na floresta. E todos os dias, eu me sinto culpada pela morte da minha mãe  que morreu por mim.-- naquele momento, eu me desabei em lágrimas e Deanna, vendo meu estado, me abraçou e aquele abraço me mostrou confiança.

    -- Você não é culpada pela morte da sua mãe e não culpada por nada, você é uma menina persistente e por isso, que está viva até hoje.-- disse Deanna e naquele momento, a porta bateu.

   -- Pode entrar!-- disse Deanna e imediatamente, eu limpei minhas lágrimas.

   A porta foi aberta por uma mulher linda, ela tinha cabelo curto moreno, pele clara e olhos verdes.

    -- Desculpe atrapalhar, eu só vim ver se estava tudo bem.-- disse mostrando um sorriso.

    -- Não atrapalhou nada e está tudo bem. Essa é Laynne Collins, ela chegou hoje.-- disse Deanna apontando para mim.

       -- Oi.-- eu disse com um sorriso no rosto.

    -- Olá! Seja bem-vinda! Meu nome é Maggie.-- disse ela e naquele momento me lembrei da minha mãe mas, decidi ser forte, não queria mostrar fraqueza.

    -- Obrigada!-- eu disse.

   -- Agora que já se conheceram, devemos decidir onde Laynne irá ficar.-- Deanna falou.

   -- Ela pode ficar minha casa. Como Glenn e eu ficamos num quarto, tem um quarto sobrando lá.-- Maggie disse mostrando um sorriso.

-- Agradeço muito se você fizer esse favor pra mim.-- Deanna falou.

   -- Será uma honra ter uma menina na minha casa e com certeza, seremos melhores amigas.-- Ela disse, sorrindo pra mim.-- Venha vamos conhecer seu mais novo lar.

   -- Agradeço muito o que estão fazendo por mim, nem sei como retribuir.-- disse eu.

   -- Não precisa agradecer, o nosso dever é esse, ajudar uns aos outros e é um privilégio ajudar uma menina como você.-- Maggie falou.-- Venha! Vamos na nossa casa!--.

   -- Até mais, Deanna.-- eu disse.

   -- Até mais Laynne, quero te ver novamente. E lembre-se qualquer coisa é só falar comigo. -- Deanna falou e eu afirmei.

   Sai do escritório de Deanna e comecei a seguir Maggie. Quando vejo ela, eu imagino minha mãe, o nome da minha mãe, o jeito de agir e o privilégio de ajudar os outros. Minha mãe tinha esse dom, querer ajudar os outros sem nada em troca. E ela sempre me falava essa frase: " Ajude, respeite, ame uns aos os outros, sem querer nada em troca, pois é esse nosso dever nessa terra". E essa frase que quero levar para minha vida, mesmo nesse mundo, quero ajudar os outros.


Notas Finais


Espero que vocês tenham gostado e até o próximo capítulo!!!💓💓
Thauuu!!!❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...