História Always Snape - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alvo Dumbledore, Argo Filch, Dobby, Draco Malfoy, Fred Weasley, Fred Weasley Ii, Harry Potter, Hermione Granger, Lílian Evans, Lílian L. Potter, Lord Voldemort, Lucius Malfoy, Merlin, Minerva Mcgonagall, Narcissa Black Malfoy, Neville Longbottom, Personagens Originais, Remo Lupin, Rúbeo Hagrid, Salazar Slytherin, Severo Snape, Sibila Trelawney, Sirius Black, Tiago Potter, Tiago S. Potter
Tags Always, Draco Malfoy, Harry Potter, Imagine, Lucius Malfoy, Severo Snape, Severus Snape
Visualizações 76
Palavras 1.675
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção Adolescente, Literatura Feminina, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Nss nesse cap o Severus vai ficar mt pistola kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk ai ai eu amo esse homem gnt, vcs n?

Boa leitura 💚🐍💚

Capítulo 12 - Você quer que eu fique calmo ?


             { POV Snape }

Eu estou no meu quarto segurando o desenho que a [s/n] fez para mim e vem a minha mente os nossos momentos juntos. Lembro da linda voz que ela tem quando canta... lembro do seu corpo... Mas, de repente sinto uma dor forte no peito. Uma dor insuportável. Aconteceu alguma coisa com [s/n]!

Eu estava colocando minha capa, quando alguém bate na minha porta. Eu vou correndo para ver quem é. Abro a porta e vejo Alvo e Minerva.

- Severo, venha comigo por favor - Ele me parece apreensivo

- O que aconteceu com ela, Alvo ? - Eu estou visivelmente nervoso

- Fique calmo, Severo. Precisamos que você fique calmo. - Minerva diz isso e eu... não me sinto mais calmo

- Vamos logo - Eu digo e Alvo segue caminho. Meu coração se aperta quando nossos passos se aproximam da enfermaria. Eu tomo a frente de Alvo e entro na enfermaria. Eu olho na direção da ultima maca e vejo Harry Potter, a senhorita Granger e o Draco envolta da maca... Eu espero que... Ao chegar perto meu coração se despedaça... Era a [s/n]. Eu empurro Draco e o Potter do meu caminho... A visão que eu tenho não é nada boa. [s/n] está com corte na cabeça e no rosto, vejo arranhões nas seus braços e pernas. Eu passo a mão pelo seus cabelos e vejo que seu braço esquedo está quebrado. Ela está desacordada. - O que aconteceu ? - Eu digo sem tirar os olhos dela, minha voz tem um tom de raiva.

- E-ela caiu da vassoura, Snape - Eu escuto a voz horrível da Mestrande.

- Eu pensava que você ensinaria a voar e não a se quebrar inteiro - Eu digo indo a sua frente e a encarando. Ela me parece com medo.

- e-e-eu... - Ela gagueja

- Ela não tem culpa, Professor Snape. - Harry Potter fala tentando defender a Mestrande. Eu viro minha cabeça para ele e vou em sua direção

- Ah não, Potter - Digo seu nome com desdém - E quem teria culpa disso ? - Eu digo me curvando em sua direção

- O Filch - Eu franzo o cenho.

- Filch... Mas o que o Filch tem a ver com isso ? - Minerva pergunta enquanto coloca a mão no ombre do Potter

- Eu fui junto com a [s/n] pegar nossas vassoura. E quando chegamos lá o Filch estava com a vassoura dela. Eu o escutei falar algumas coisas, mas não identifique o que era... Parecia um feitiço - Potter diz isso num fôlego só. EU ESTOU POSSESSO DE ODIO. Mas não deixo transparecer. Eu vou em direção a [s/n], e a olho... meu coração dói muito em ve-la assim.

- Severo, venha. - Dumbledore diz pondo a mão em mu ombro - Temos que resolver isso - Eu olho para Alvo e depois dou uma última olhada para o meu docinho. Eu me viro e vou embora. Vou resolver isso com aquele desgraçado.

~ Alguns minutos depois ~

{ POV Snape }

Estavam na sala de Dumbledore, eu, Minerva, Mestrande e Harry Potter, esperando que aquele idiota do Filch chegasse. Eu estava visivelmente calmo, mas por dentro estava com uma vontade de dar um Avada Kedrava naquele desgraçado. Ele machucou minha [s/n]. Estavam todos conversando e eu estava em silêncio, me concentrando para me manter calmo... mas nada adiantou quando eu vi o Argo entrar na sala.

- O senhor me chamou, Dumbledore ? - Ele parecia meio desorientado.

- Sim, Filch. Sabe o por que lhe chamei aqui ? - Dumbledore diz de maneira calma.

- N-não senhor - Ao ouvir essa resposta meu sangue ferve e eu vou em direção do Argo. O seguro pelo colarinho e o levanto

- Não sabe ? NÃO SABE? Eu posso esclarecer pra você se for necessário - Meu olhos transbordam de fúria. Consigo ver o medo nos olhos de Filch

- Severo, solte ele - Eu solto o Argo, como Alvo pediu. Mas continuo em sua frente o encarando - Severo... - Eu lanço um olhar de ódio para Filch e vou para o meu lugar. - Filch... O que estava fazendo na tenda de vassouras ? - Dumbledore diz isso de forma calma e eu vejo Filch franzi o cenho. O Argo olha para mim e eu consigo ver que ele não tem nenhuma lembrança de estar na tenda.

- E-eu não fui a tenda - Ele diz gaguejando

- Mentiroso ! - Harry Potter exclama. Eu continuo em pé, com o meu braço dobrado na frente da barriga, com o outro braço apoiado e esfregando meu dedão no indicador, analisando a situação - Mentiroso! Eu o vi na tenda colocando um feitiço na vassoura da [s/n].

- Eu não fiz isso Potter - Filch grita. Dumbledore olha para mim e eu aceno negativamente com a cabeça. Dumbledore olha para a Mestrande e depois para mim e eu aceno. A poção de Amortentia que o Filch ingeriu fez com que ele ficasse perdidamente apaixonado por Mestrande... e ela usou Filch para machucar a [s/n], mas o efeito da poção passou e Filch não se lembrava de nada do que aconteceu durante esse período.

- Filch, pode ir embora - Dumbledore diz de foma calma

- O que ? Dumbledore foi ele que encantou a vassoura da [s/n] para que ela caísse ! - Harry Potter diz enquanto se aproxima de Alvo.

- Eu sei Harry, mas não é isso que tenho que resolver agora. Você e Mestrande podem sair também. - Dumbledore diz acenando para Mestrande. Ela parece aliviada.

- Bom mesmo. - Filch diz enquanto sai pela porta. Logo depois sai Mestrande

- Dumbledore... - Potter suspira. - Ele... - Dumbledore interrompe o menino

- Não se preocupe, Harry. Vamos resolver isso. Depois lhe conto o que aconteceu, sim ? Pode sair - Dumbledore dá um sorriso para Potter, e o garoto sai da sala

- Como ela pode ter feito isso ? - Indaga Minerva

- Severo, o que ela quer? - Dumbledore diz se sentando em sua cadeira.

- Ela quer que eu ensine arte das trevas a ela. E ela acha que me seduzindo eu a ensinaria. - Eu digo frio

- Então, ela sabe que você gosta da senhorita [s/n] ? - Minerva me olha curiosa

- Deve ter percebido alguma coisa. - Eu digo olhando para o chão - Agora... Machuca a [s/n]...- Eu digo com ódio - A minha vontade é fazer essa mulher sofrer pela maldição cruciatos.

- Fique calmo, Severo - Dumbledore diz se aproximando de mim. Eu me viro para ele com ódio

- Calmo? Calmo? - Eu não me controlo e grito :- A [s/n] ESTA NA MACA DA ENFERMARIA COM O BRAÇO QUEBRADO, CHEIA DE ARRANHÕES E CORTE. E EM COMA !!! E VOCÊ QUER QUE EU FIQUE CALMO? - Eu digo me aproximando cada vez mais de Alvo, que permance no mesmo lugar com as mãos entrelaçadas na frente de seu corpo.

- Quero - Dumbledore diz de forma sarcástica. Eu rosno

- Eu... - Eu sinto um nó na minha garganta. Só de pensar em [s/n] daquele jeito eu sinto meu coração doer

- Não vai adiantar você se alterar, Severo. - Alvo coloca sua mão no meu ombro - Se acalme para não fazer nenhuma besteira - Eu sinto minha respiração ofegante, meu olhar se fixa no chão. - Minerva o leve para se acalmar.

- Sim, Alvo. - Ela vem até mim - Venha Severo - Eu volto a minha expressão normal e vou na frente. Tudo o que eu queria é ter [s/n] nos meus braços.

~ Duas semanas Depois ~

{ POV [s/n] }

~Sonho~

- Severoooo - Eu estou em prantos. - Severo meu amor, por favor. Não faça nada - Eu olho para ele que está com um ódio nos olhos.

- Isso mesmo, minha querida. - Eu escuto uma voz familiar - Diga a ele que não o ama, que é a minha que você quer - Sinto essa pessoa beija meu pescoço

- Severo... - Eu torno a chorar.

- Avada Kedrava! - Vejo uma luz sair da varinha de Severo em direção a pessoa atrás de mim.

~ vida real ~

Eu me disperto do meu sonho e sinto dores pelo corpo inteiro.

- Aiiiii - Eu gemo de dor... eu não estou no meu quarto... estou... na enfermaria. De repente as lembranças do que aconteceu vem a minha mente.

- Você está bem ? - Escuto uma voz doce ao meu lado... Severo. Eu olho para ele e o vejo sentado em uma cadeira, com as pernas cruzada e com o braço apoiado no outro que está na frente de sua barriga.

- Eu... estou morrendo de dor - Eu digo contraindo meu rosto, e tentando me movimenta na cama

- ei ei ei - Ele se levanta e chega mais perto - não se mexar... Isso só vai fazer com que você sinta mais dores - Ele diz segurando meus braços. Ele se aproxima de mim e nossos olhares se conectam. Eu sinto uma corrente subindo pelo meu corpo, também sinto meu coração se aquecer. - Estava preocupado com você... - Ele diz isso bem perto do meu rosto

- severo... - eu suspiro. Eu olho para sua boca e depois para seus olhos. Ele faz o mesmo. Severo se aproxima de ainda mais de mim e sela nosso lábios. Merlin... há quanto tempo não sinto essa sensação. Nosso beijo é calmo e delicioso. Nós fazemos movimentos calmos e precisos...eu não quero parar esse momento. Ele passa a mão nos meus cabelos e separa nossos lábios. Severo olha para mim e cola nossas testas.

- Estava morrendo de saudades de você, docinho - Ele diz com os olhos fechados e com uma voz calma

- Eu também, Sev - Escuto ele rir pelo nariz.

- Adoro quando me chama assim - Ele diz e se afasta de mim. Quando ele se afasta, chacoalha a cabeça e pisca os olhos. Ele torna a olha para mim e agora está frio. - Boa noite, senhorita [s/n] - Ele diz de forma seca e sai da enfermeira. Mas o que aconteceu agora?


Notas Finais


SEVERUS VERY VERY PISTOLA, PRATICAMENTE O CANARINHO. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

Ai gnt, eu n vou cansar de agradecer vcs por lerem a fic. Mt mt mt mt mt obrigada mesmo :33


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...