História Always You - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Ino Yamanaka, Kakashi Hatake, Naruto Uzumaki, Personagens Originais, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Hentai, Naruto, Romance, Sasusaku
Visualizações 358
Palavras 2.986
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shounen
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 1 - Volta


Eu estava cansada, pegar um plantão de 48 horas era exaustivo demais, mas tinha coisas que só eu podia fazer naquele hospital. Estava sentada numa mesa tomando um cappuccino acompanhado de um brownie de nozes, estava varada de fome.

_ Já disse um milhão de vezes, vá pra casa, eu dou um jeito nas coisas aqui por você, testa de marquise.

Sorri ao ouvi-la, quando ela me deu aquele apelido infantil, eu o odiava, pois sabia que ela caçoava a minha testa por ser grande, mas com o tempo se tornou algo carinhoso, era do jeito que ela me chamava, apenas ela.

_ E eu já disse um milhão de vezes, que não é pra se preocupar comigo, porquinha.

Ela sorriu e sentou-se na minha frente, e me disse:

_ Vai ter uma festa perto do Irachiku, e ai quer ir?

_ Quem vai?

_ A galera toda, o Naruto, a Hinata, Tenten, Temari, o Lee...

_ Não valeu.

_ Aff Sakura, tá todo mundo com saudades de você, deixa um trabalho um pouco, e vem se divertir com a gente.

A proposta era tentadora, também estava morrendo de saudades dos meus amigos, mas se eu parasse de trabalhar, minha mente ficaria pensando nele, e isso era o que eu menos queria nesse momento.

Já fazia quase três anos que ele tinha saído em viagem de sua redenção, o Kakashi-sensei que agora era o hokage, já tinha o chamado um milhão de vezes pra ele voltar, a vila estava precisando dele, aliás, não só a vila, mas eu também, mas claro, o Sasuke-kun sempre se recusou a voltar.

Sei, eu sei, pode parecer egoísta da minha parte, mas o meu coração não estava mais aguentando de saudades dele, aquele sorriso de canto, aquele olhar que me fazia ir pra o céu e em seguida voltar, a voz grossa e rouca dele que me arrepiava dos pés a cabeça, o cheiro amadeirado dele, e até mesmo aquelas suas expressões faciais que quase sempre não eram nada amigáveis, resumindo, sentia saudades dele por inteiro.

_ Ficar aqui se lamentando por ele, é ridículo Sakura, você é uma moça bonita, e têm vários pretendentes atrás de você, ai, queria tanto ter vários homens atrás de mim desse jeito.

_ Eu quero que o Sai escute isso.

Ela deu uma risada gostosa, chamando atenção da lanchonete inteira, e eu revirei os olhos, ela deveria ser um pouco mais discreta, já tinha um tempo em que ela e o Sai estavam juntos, lembro que quando eles dois se assumiram, eu fiquei feliz, mas ao mesmo tempo com inveja, e sempre me culpo por isso.

_ Meu amor eu e o Sai, não temos essa de ciúmes querida, estamos juntos, mas isso não quer dizer que pertencemos um ao outro como um objeto qualquer.

_ Tanto faz. – Falei bebendo mais um gole do meu cappuccino.

_ É sério Sakura, vamos sair, esquece o Sasuke-kun de uma vez, quem garante que ele já achou uma mulher nessa viagem.

Meu coração se apertou ao ouvi-la e ao mesmo tempo tive uma vontade de chorar, a Ino tinha razão, existiam várias mulheres bonitas pelo mundo, e agora que ele estava livre do ódio, ele poderia se apaixonar e quem sabe formar uma família com essa mulher.

_ Eu...

_ Eu sei que é duro, mas é a realidade, se eu já o superei, porque você não consegue? Aliás, o kazekage, parece que tá afim de você.

_ Quem? O Gaara? Não obrigada, ele é bonito e tals, mas não.

Ino riu pelo nariz, enquanto eu terminava de comer, até que um menino de cabelos castanhos, e olhos castanhos claros, chegou perto da gente, o seu nome era Ryuk, e Ino vivia dizendo que ele era afim de mim.

_ Sakura-senpai, tem um ra-rapaz querendo falar com a senhora, na portaria. – Ele disse corado.

_ Ah sim Ryuk-kun, obrigada. – Eu agradeci e ele saiu da minha frente.

_ Kun é? Virou o Sasuke-kun? Se bem, que ele é bonito também.

_ Cala a boca Ino. – Falei terminando de comer.

Depois de comer fui pra portaria, pensando em que homem era aquele que estava me esperando na portaria.

Quando cheguei arregalei os olhos, tive que piscar umas cem vezes pra poder acreditar no que estava vendo, o Sasuke-kun estava lá me esperando, ele olhou pra mim assustado, e depois sorriu de canto, e veio caminhando até a mim, e cada vez que chegava perto eu fui vendo, que o cabelo dele tinha crescido, e que ele tinha deixado uma franja cobrindo o seu olho que continha o rinnegan.

_ Oi. – Ele disse pra mim, me fazendo voltar pra Terra, e eu respondi:

_ Oi.

Ficamos quietos por um tempo, enquanto eu agarrava a prancheta que estava em meus braços, como se aquilo fosse algo precioso pra mim, e que não queria perder.

_ Tudo bom?

_ Tu-tudo e com... Você?

_ Bem também.

_ Então, quando chegou?

_ Hoje mais cedo. Falei com o Kakashi e com o Naruto, e ambos me disseram que estava aqui.

_ Ah. – Abri a boca, sabia que estava corada, pois sentia a merda do meu rosto ficar vermelho.

_ E sua viagem como foi? Conheceu alguém especial?

_ Ela foi bem, gostei de ver o mundo com outros olhos, e respondendo sua outra pergunta, não, não conheci ninguém.

_ Sério?

_ Aham, e você?

_ Nem tempo pra isso eu tenho, ando muito ocupada aqui.

_ Então, o seu plantão acaba quando?

Eu o olhei desconfiada, por que diabos, o Sasuke-kun queria saber, quando eu saia do trabalho.

_ Dez horas. Por quê?

_ Porque eu... – Ele começou a falar, mas em seguida parou, parecia que estava com vergonha de dizer o que queria comigo.

_ Hã?

_ Eu quero te chamar, pra dá uma volta sabe. – Sasuke-kun falou coçando a nuca com o seu único braço, enquanto olhava pro lado oposto, parecia que estava com vergonha, o que me surpreendeu, eu confesso.

_ Tudo bem.

_ Então a gente se vê as dez, certo?

_ Certo.

Ele tocou na minha testa igualzinho aquele dia, e sorriu de canto novamente, e depois foi embora.

Fiquei parada alguns minutos ali, ele tinha me chamado pra sair, o Sasuke-kun, o cara que eu sempre amei, tinha acabado de me chamar pra sair.

Sorrir alegremente tinha vontade de sair gritando pra todo mundo o que tinha acontecido ali, mas não seria nada bonito se eu fizesse aquilo, por isso, voltei pro trabalho, mas meia hora depois achei a Ino, que me puxou pelo braço, e me perguntou:

_ E então, quem era o homem?

_ O Sasuke-kun tá de volta Ino.

Ela colocou a mão na boca em expressão de surpresa, como se não acreditava no que eu dizia.

_ Sério?

_ Sim. E o melhor, me chamou pra sair.

_ AI MEU DEUS! – Ino gritou chamando atenção do corredor inteiro, e eu me amaldiçoei por isso.

_ Ino a gente tá em um hospital. – A repreendi.

_ Eu não tô acreditando, que ele te chamou, testuda. – Ela falou comigo ignorando, o que eu tinha dito.

_ Também, ele disse que às dez horas da noite, vem me buscar.

_ Até que enfim, Sasuke Uchiha, irá tirar Sakura Haruno da porra desse hospital!

Revirei os olhos, eu tinha que aprender a não ficar falando tudo pra Ino, ela tinha a mania de falar tudo o que pensa, e isso a encrencava às vezes.

­_ O problema é que você vai sair assim, desse jeito, toda bagunçada.

Revirei os olhos novamente, e então disse:

_ Vamos trabalhar, que a gente ganha mais.

_ Beleza, mas amanhã, a senhorita vai me dizer tudinho o que rolou entre vocês dois.

_ A gente vai sair sei lá, como ami...

­ _ Amigos uma ova, Sakura! Se fosse encontro de amigos, ele tinha chamado o Naruto também.

Suspirei fundo, ela tinha razão, mas eu não queria ficar me iludindo, não podia fazer isso.

Eu e ela voltamos a trabalhar, eu amava o que fazia, e cada dia que passava eu percebia que eu tinha nascido realmente pra aquilo, cada sorriso dos meus pacientes me deixava alegre.

Quando deu a hora, entrei em meu consultório e a primeira coisa que eu fiz, foi tirar aquele jaleco e me estiquei, estava cansada, mas quando lembrei que iria sair com ele, aquele cansaço todo foi embora.

Peguei meu celular e minha bolsa, e depois sair da minha sala, fui direto pra portaria, onde eu o achei encostado na parede, com uma das pernas apoiada na parede, assim que ele me viu, Sasuke-kun deu um sorriso de canto, e passou a caminhar até a mim.

_ E ai, vamos?

_ Vamos.

A gente saiu junto e pude perceber, quer alguns funcionários ficaram nos olhando, e sussurrando sobre nós dois, mas eu não me incomodei.

_ À noite tá linda, não acha? – Ele me perguntou.

_ Acho.

 _ O dobe e o Kakashi, me disseram que você desde o dia em que sair de viagem, só fica no hospital, nunca para em casa, é mesmo?

_ É. Sou a diretora, então tenho várias coisas pra fazer, e além do mais amo o que eu faço.

_ Entendo. Mas não tem nenhum vice, que possa te ajudar?

_ Tem a Ino.

_ E a Godaime?

_ A Tsunade-sama, também resolveu dá um tempo no hospital deixou tudo comigo, resolveu voltar pra sua vida de apostas e bebidas.

Assim que falei ele riu, e consequentemente eu ri também.

_ Você ficou bem famosa sabia?

_ Sério?

_ Sim. Não só por ser uma ótima ninja, mas também por ser bonita.

_ Bo-bonita?

_ Isso. E eles têm razão. – Ele disse me olhando e dando um sorriso de canto, eu não conseguia acreditar que aquele homem que estava do meu lado, era o Sasuke-kun.

_ Você me acha bonita, Sasuke-kun?

_ Sempre achei.

Eu percebi pela sua voz que estava sendo sincero, e minha mente estava surtando, sem acreditar no que eu ouvia, jamais pensei que ouviria dele um elogio desses.

_ E então, o que acha da gente jantar? – Ele me perguntou, daquele mesmo jeito, quando me chamou pra sair, coçando a nuca, com as bochechas rosadas.

_ Okay, vamos.

Fomos pra um restaurante, e sentamos numa mesa, o garçom chegou perto da gente e fizemos nossos pedidos, depois que ele saiu de perto da gente, ele me falou:

_ De todas as mulheres que eu conheci, você é a mais bonita.

_ Sasuke-kun.

_ É sério, sua beleza é totalmente diferente. Inclusive seus cabelos.

Dei risada do que ele tinha dito, Ino e Temari viviam dizendo aquilo, que meus cabelos rosados eram a minha marca, e que só eu tinha, além do meu pai é claro.

Ele encostou sua mão na minha, e eu desviei o olhar, enquanto sentia minhas bochechas queimarem, a sua mão que era visivelmente maior que a minha, estava fria, mas nada que preocupasse.

A nossa comida chegou e passamos a comer, enquanto ele me contava da sua viagem, cada sorriso que ele dava derretia o meu coração, eu nem acreditava que estava saindo com ele, o amor da minha vida.

Enquanto jantávamos ouvimos alguém falar:

_ Olha só quem voltou.

Viramos pro lado e vimos o Shikamaru chegando de mãos dada com a Temari, no inicio ninguém conseguia acreditar que ele e a irmã do Kazekage iriam ficar juntos, se bem que eles sempre formaram um belo casal.

_Ah olá. – O Sasuke-kun disse.

Olhei pra minha amiga e vi que ela dava um sorriso malicioso, Temari se aproximou de Ino depois que começou a namorar o Shikamaru, e consequentemente se aproximou de mim também, o Lee vivia dizendo que nós três eram o trio da maravilha, o que deixa a Ino eufórica.

_ Sentiu saudades de casa, hein? – Ela perguntou.

_ É.

_ O Naruto e o Rokudaime sabem, que está de volta? – Shikamaru perguntou.

_ Sim, eles sabem, falei com eles mais cedo.

Eles sorriram e depois Temari disse:

_ Bom encontro.

Eu sabia muito bem que ela se juntaria mais a Ino, e ambas iriam me colocar na parede pra saber o que tinha acontecido no nosso jantar.

Eles então foram embora, e nós continuamos a comer, quando terminamos ele fez questão de pagar, por mais que eu insistisse que a gente poderia dividir, mas então ele disse:

_ Eu te chamei né? Seria indelicado da minha parte, deixa-la pagar.

Percebi então que ele tentava ao máximo ser legal comigo, e parecia que media as palavras pra não me magoar.

A gente saiu do restaurante, e ficamos caminhando pela cidade, por mais que fosse tarde, havia algumas pessoas pela vila, principalmente casais, e meu coração acelerou em pensar na hipótese de nós dois nos tornássemos um.

_ Confesso que pensei em você, quase minha viagem inteira.

Olhei pra ele assustada e perguntei:

_ Como?

_ Eu confesso, que pensei em você quase minha viagem inteira.

Eu fiquei sem reação, não conseguia acreditar no que ouvia, pensei que estava sob um genjutsu desde o inicio, e como se lesse minha mente disse:

_ Isso não é um genjutsu.

_ O quê? Eu não...

Ele riu pelo nariz e eu fiquei sem graça, se alguém me contasse isso, eu acharia que a pessoa estava louca, porque não era possível.

_ Sasuke-kun...

_ Está solteira não é?

Confirmei com a cabeça, e ele me disse:

_ Sei que acabei de voltar pra vila, mas, mas eu não quero esperar, por isso Sakura eu...

Quando ele ia continuar a falar, fomos interrompidos novamente, dessa vez pelo Sai e pelo Naruto.

_ Estão em um encontro hein? – Sai falou me abraçando, enquanto dava risada.

_Não é da sua conta Sai, vaza daqui. – Disse nervosa.

_ O que é que tem, Sakura-chan, não precisa ficar assim.

_ Aliás, Naruto, não era pra você está em casa? Cadê a Hinata?

_ Calma ai, a Hinata foi dormir com a irmã hoje, e eu...

_ Estava aproveitando que ela não está em casa, e ficar vagabundando por ai, com um imbecil do tipo do Sai, não é? – Disse cruzando os braços.

_Epa, calma ai de novo, eu estava treinando com o Sai!

_ Até essa hora?

Eu duvidava que fosse verdade, ninguém em sã consciência ficaria treinando num tempo de paz, até às onze da noite.

_ Bom, não, é que a gente ainda passou no Irachiku, e encontramos a vovó Tsunade em um bar, e ficamos conversando, entende?

Naruto disse coçando a nuca, feito um idiota, eu apenas revirei os olhos, e depois olhei pro Sasuke-kun, ele estava visivelmente chateado por terem atrapalhado a gente.

_ Então desejamos bom encontro pra vocês, e vê se não aprontam coisas erradas hein? Ainda tá cedo pra isso.

_ Sai! – Gritei com ele, aquele branquelo de uma figa, estava se tornando uma versão masculina e albina da Ino.

_ Isso que dá namorar a Ino. – Naruto disse rindo, e Sai deu um tapa no braço do loiro, que ainda ria.

_ Então tá, tchau. –Sasuke-kun falou.

Naruto olhou pra gente e riu, o sorriso dele dizia boa sorte pra nós dois, e depois foi embora.

_ Então, a gente falava sobre o que mesmo? – Perguntei, ele me olhou assustado, e disse:

_ Nem lembro. Além do mais, está ficando tarde, e você tem plantão amanhã, certo?

_ Certo.

_ Então vamos pra casa.

A gente foi o caminho todo em silêncio, ele parecia que estava nervoso com algo, mas então sentir sua única mão esbarrar na minha, e tava na cara que ele tinha feito de propósito.

Quando chegamos em casa a gente se despediu, e quando fui dá um beijo em sua bochecha, acabei dando um selinho nele, e por isso me afastei rápido dele sem acreditar no que tinha feito, esse tinha sido o meu primeiro beijo.

_ Eu... É... Até amanhã. – Ele me disse tocando na minha testa novamente, sorrir pra ele e disse:

_ Até amanhã.

Ele foi embora, e eu entrei em casa, sem acreditar, eu além de ter tido um encontro com o homem que eu sempre amei, tinha lhe dado um selinho sem querer.

_ Caraca...

Tirei os meus sapatos e procurei os meus pais, certamente estavam dormindo, por isso fui pro meu quarto, onde peguei minha toalha e tomei um banho quente, cada vez que fechava os olhos, sentia os lábios dele tocando no meu, e parecia que ele não tinha ficado nem aborrecido ou zangado com aquele selinho, aliás, parecia até mesmo ter gostado.

Depois do banho escovei os meus dentes e em seguida, fui pro meu quarto onde vesti meu pijama e me joguei na cama, mas então vi meu celular vibrar, por isso eu o peguei e vi uma mensagem da Ino:

_ A Temari me contou que ela e o Shikamaru viram vocês dois, em um restaurante, e depois queremos saber tudinho o que aconteceu hein? Beijos testa de marquise.

Dei risada da Ino, Temari era muito língua grande, balancei a cabeça e vi o horário, já era quase meia noite, e me surpreendi o tempo tinha passado tão rápido ao lado dele.

Deixei o meu celular de lado e então fui dormir, e só acordei com o sol na minha cara, me levantei animada, tomei meu banho e vesti minha roupa, depois desci as escadas e fui pra cozinha e automaticamente sentir meu estômago roncar, estava com saudades da comida da minha mãe.

_ Dormiu em casa não é? Que milagre é esse? – Ela me disse e eu ri.

_ Pois é, sentir saudades da minha cama.

Não iria falar pra ela agora, que ontem eu tive um encontro com o homem que eu sempre amei, além do mais na frente do meu pai.

Depois do café terminei de me arrumar, e fui pro hospital trabalhar, porque hoje eu teria muitas coisas pra fazer.

 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...