1. Spirit Fanfics >
  2. Âmago >
  3. Burning Lips

História Âmago - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Oiee pessoal <3

Esse capítulo me trouxe alguns mini infartos e algumas lágrimas derramadas. O aplicativo que eu uso para escrever travou e sumiu o capítulo. Sério, eu fiquei apavorada e comecei a chorar kkkkkk. Não riam de mim, foi um momento traumatizante mas ai eu lembrei que ele salva as versões do desenvolvimento do capítulo, ai eu consegui ele de volta.

Ah, se você não leu "O Sangue do Olimpo", irá ter um pequeno e curto spoiler sobre a participação do Deus da cura e da medicina, mas isso não vai ter uma grande importância no livro (pelo menos é como eu vejo).

Provavelmente há alguns erros de português, nada muito bem revisado. Me perdoem.

Tenham uma boa leitura meus amores, nos encontramos nas notas finais :)

Capítulo 2 - Burning Lips


Fanfic / Fanfiction Âmago - Capítulo 2 - Burning Lips

O sentimento de dúvida passeava pelo seu peito, se olhava pelo reflexo da grande armadura de Festus. Deveria ir mesmo a essa festa? Fingir o que sentia na frente de todos novamente, sorrir para todos. Ser o palhaço sorridente e brincalhão que sempre fora, mas nunca realmente foi. Aquilo era tão complicado para si.

  Os pensamentos estavam fazendo-o ficar desesperado sobre qual decisão tomar.

  Estava se sentindo ansioso e ao mesmo tempo aterrorizado. Desejou ter a mãe ao seu lado naquele momento, acariciando-o, fazendo-o esquecer de tudo que estava acontecendo a sua volta. Beijando seu rosto moreno, um tom de canela, enquanto cantava baixinho para apenas ele escutar. Fazia tanto tempo que havia perdido sua mãe mas o sentimento da perda fazia com que sentisse como se fosse algo muito recente, mesmo que já tenha passado mais de 10 anos.

  Respirou fundo saindo da sua bolha de pensamentos quando ouviu um assobio atrás de si. Mordeu os lábios lentamente, já sabendo de quem se tratava. Se virou e viu Jason mirando-o com agrado, sentiu os grandes braços se circularem a sua volta de forma delicada. Correspondeu ao abraço instantaneamente.

  "Quer me contar o que passa pela sua cabeça cheia de engrenagens?" Disse calmamente "Eu to aqui pra você, nunca se esqueça disso." Disse suavemente, acariciando com as pontas dos dedos as costas do filho de Hefesto.

  "Eu estou tão fudido, Jason." Foi sincero, respirando fundo no pescoço do outro.

  "Tem haver com as suas visitas ao chalé de Apolo?" Assim que o ouviu, o olhou incrédulo para o seu amigo. "Me desculpe por espionar, eu sabia que havia algo errado que você não queria me contar e nós somos melhores amigos, caralho. Confia em mim." Disse em um sussurro, a voz grossa e imponente agora estava trêmula e baixa.

  Sentiu seu peito contrair em dor, Jason só possuía sentimentos de amizade por si, eram grandes melhores amigos, e apenas isso. Sempre seria aquilo.

  "Me perdoa por esses dias pra cá eu estar te deixando de lado, só que a Piper está enchendo meu tempo sobre a viagem entre nós e seu pai. E me desculpa também por ter protegido Percy aquele dia, eu só tentei aparar a briga o mais rápido possível." Disse o abraçando mais forte e logo separando-se fazendo com que seus olhos se encontrarem "Você sabe que eu te amo, né?"

  Sentiu seus olhos arderem "Eu também te amo, Superman." Mesmo que você não sinta o mesmo tipo de amor que eu sinto por você, disse em pensamentos para si mesmo "Quer mesmo que eu te conte sobre as minhas visitas à enfermaria ?" Perguntou se afastando do aperto agradável do melhor amigo.

  "Sinceramente ? Eu iria gostar." Disse simplista, dando de ombros.

  Leo se deitou no chão, de costas para o chão.

  "No chão? Sério?" Jason disse se deitando ao seu lado.

  "O chão é geladinho, gosto da sensação." Falou calmamente, sentia o olhar do filho de Júpiter sobre si. "Se lembra de Asclépio, o deus da medicina e da cura?"

  "O cara que me deu os meus óculos de grau?" Olhou para lado assentindo em confirmação.

  "Esse mesmo."

"E o que ele tem haver com o assunto?"

"Se lembra que ele falou da saúde de cada um de nós? Falou de alguns machucados que a Piper havia tido, você sobre a sua vista embaçada..." Foi interrompido.

"Ele não mencionou nada sobre você." Jason disse levantando a parte de cima de seu corpo, se sentando no chão. Ele se virou para Valdez com os olhos carregados de preocupação "O que você tem que é tão grave?"

"Eu tenho depressão." Disse fugindo do olhar do outro.

"Desde quando..." Tentou perguntar meio envergonhado "Você descobriu ?" Se levou pela curiosidade do momento.

"Eu sabia desde pequeno graças a alguns exames obrigatórios no reformatório em que eu vivia quando era bem menor, mas por eu não ter responsáveis e nem quem realmente se importasse comigo, eu nunca fiz tratamento mais a fundo." Disse sorrindo triste, sentindo os lindos e claros olhos azuis pousados sobre si. "Eu sempre tentei não dar a mínima sobre isso, então eu comecei a piorar cada vez mais. Até um ponto que eu já não estava mais aguentando e Will Solace percebeu." Sorriu de canto com a lembrança "Ele me convidou para ir até o seu chalé." Parou na fala se recordando de um fato"Na verdade fui levado a força." Riu baixinho 

"E o que aconteceu?" A voz trêmula estava de volta.

"Ele confirmou a minha depressão e me receitou alguns medicamentos que me fazem ficar dopado e 'saudável'" Fez entre aspas com os dedos

"M-me desculpa por não ter percebido." Se virou em direção a Jason e sentiu seu peito se apertar. O louro estava chorando por sua causa. Queria falar para que não chorasse mas ao mesmo tempo seu inconsciente implorava que apreciasse o outro daquela forma por mais um tempo. Aquelas lágrimas tinham tanto significado para si. O filho de Júpiter realmente se importava com ele. Sentia que iria explodir por causa da grande onda de sentimentos.

"Não sinta-se mal, eu que não contei para você sobre esse assunto. Eu estava com medo do que as pessoas poderiam pensar sobre isso e também, eu estava tentando fingir que eu sou realmente saudável mentalmente." Admitiu "A última coisa que eu queria fazer antigamente seria admitir isso em voz alta."

"Você não se sentia antes confortável para me contar sobre?"

"Sinceramente, nenhum pouco." Desabafou "Eu estava me sentindo muito desolado para contar para alguém e não queria ter a pena de ninguém por causa disso." Sentiu uma mão no seu ombro.

"Eu nunca teria pena de você por causa disso, eu estaria ao seu lado cuidando de você, Leo." Sentiu-se corar com a declaração de Jason "Você é importante para mim, muito mesmo. Tu não tem nem noção." Falou sorrindo de canto. Seus olhos emitiam algo curioso, estavam brilhando. Os dedos suaves serpentearam em sua bochecha, fazendo com que Leo ficasse sem graça.

"Eu sei, ninguém resiste a isso daqui." Disse apontando para si mesmo enquanto se sentava.

"Pior que eu não resisto mesmo." A voz de Jason foi rouca, perigosamente rouca. O filho de Hefesto olhou para o lado abismado.

O olhar que sustentaram havia deixado Leo quente, e não era no sentido literal da palavra. O azul capri de seus olhos fizeram com que Valdez soltasse o ar que nem ao menos sabia que estava segurando. O loiro começou a se aproximar de forma sorrateira.

Poderia até mesmo dizer que esse homem estava brincando com seus sentimentos se não estivesse tão imerso no clima que havia sido instalado entre eles. Se sentia como se fosse uma presa sendo acuada pelo predador, que olhava para o outro com desejo nos olhos.

Estava se deixando levar pelos sentimentos não recíprocos que possuía por Jason e aquilo era perigoso para Leo.

O filho de Júpiter estava se aproximando cada vez mais até que um instante seus narizes se encostaram de leve, as respirações dos dois se misturavam graças a proximidade.

Ousou perguntar "Jason, você tem certeza disso?" Disse mordendo o lábio inferior vendo o olhar de Jason se focar naquele ato.

"Não me faz pergunta difícil, por favor." Disse deslizando a mão pela face morena de Valdez.

"Okay." Só conseguiu pensar naquela resposta antes de sentir os lábios de Jason sobre os seus.

Não eram lábios carnudos e suaves como de Calypso, eram finos e secos. Mas era o seu melhor amigo ali, o homem com quem esteve apaixonado a muito tempo. E aquilo fazia com que o momento fosse perfeito.

Entreabriu os lábios, permitindo com que as suas línguas se tocarem pela primeira vez. Decidido a entrar mais no clima, levou as suas mãos até os ombros de Jason, trazendo-o para mais perto. A mão do filho de Júpiter, que antes estava pousada na face de Leo, agora estava em sua nuca, arranhando de leve fazendo com que escapulisse um grave gemido pela garganta de Valdez e a outra mão tentou um agarre na cintura do filho de Hefesto.

O beijo era extremamente lento o que fazia com que Leo se arrepiasse com a deliciosa sensação de ter aqueles lábios nos seus, a língua abusada que parecia adorar brincar com a sua. Quando a respiração lhe fez falta, tentou se separar da caricia, mas sentiu os dentes do loiro puxarem seu lábio inferior fazendo com que Valdez abrisse os olhos em um ofego.

Jason soltou seu beiço delicadamente, sorrindo de canto.

"Eu não estava planejando isso.." Grace admitiu corando de leve.

"Imagina eu." Falou sentindo-se ficar envergonhado por conta da situação. "Se arrepende?"

"Eu não sei." Respondeu colocando as mãos no rosto e suspirando fundo "Estou confuso, só isso. Tenho que pensar."

Riu de lado se levantando, ofereceu a mão para Jason que rapidamente a pegou, subindo para cima.

"Acho melhor eu ir." Disse apontando para o relógio na parede "Daqui a pouco é a festa."

"Ah, já tinha me esquecido dela haha." Riu tirando a blusa do acampamento vendo o outro o olhar pasmo "O que foi?"

"Por que tá tirando a roupa?"

"Eu literalmente moro aqui, viro vários dias aqui dentro trancado, nem as harpias conseguem me pegar." Falou tacando a blusa no cesto de roupa que havia em um canto esquecido. "Eu aproveitei e criei uma mini ducha super prestativa por que tem dias que nem eu aguento o fedor." Falou apertando os olhos, se lembrando de determinados dias, fazendo o Jason rir do melhor amigo e da declaração estranha sobre a sua higiene.

"Você é realmente uma peça rara." Falou rindo de lado beijando a cabeça de Leo, que corou dos pés a cabeça. "Vou indo, nós vemos na festa?" Perguntou incerto.

"Nós vemos por lá, Superman." Despediu-se vendo o loiro acenar com a cabeça e se retirar do lugar.

Esperou um pouquinho antes de gritar de felicidade, dando saltinhos. Estava tão feliz, até suspeitava que seu coração iria saltar pela sua boca. Lembrou-se dos lábios de Jason roçando contra os seus, retribuindo caricias. Arrastou o dedo indicador sobre a boca, sentindo-se ficar corado. Aquilo tudo havia realmente acontecido? Não era apenas uma piada de mal gosto contra si?

Sorriu largo ao se lembrar novamente do momento que os dois melhores amigos haviam compartilhado. Se Jason havia-o beijado, significava que ele sentia algo por Leo Valdez.

O filho de Hefesto mal podia esperar por essa festa.




 

      ~X~




 

"Caralho não me lembrava de como sou tão gato quando estou todo arrumado, na verdade, eu sou gato todo dia, não é Festus?" Perguntou ouvindo a resposta em código morse, riu de lado com a resposta. "Isso é inveja, parceiro?" Nem se importou com o belo palavrão que o outro havia dito, deu as costas para ele. Se virou para o mini espelho tentando arrumar seu cabelo mas logo suspirou alto, desistindo da ideia. Deixaria ele assim, nunca foi de se importar com isso, mas estava tão nervoso para encontrar Jason. Queria estar bonito para ele. Revirou os olhos ao pensar que parecia uma garotinha virgem que estava indo ao seu primeiro encontro com o amor de sua vida.

"Cruzes, o que tu fez com o teu cabelo?" Ouviu uma voz atrás de si, era Hazel  olhando espantada "Senta encima da mesa, vou arrumar isso."

Logo tratou de obedecer, rapidamente sentiu as pequenas mãos em seu cabelo.

"Graças ao Deuses por ele ainda estar molhado, vou passar um pouco de creme para os seus cachos encaracolarem de um estilo mais.." Levesque puxou o ar em busca de uma palavra adequada. "Ahh, já sei, fabulosamente Leo Valdez." Com as palavras fez com que o filho de Hefesto gargalhasse "Hahaha." Hazel riu baixinho pegando o creme que Buford tinha em cima de si "Você é um bom garoto por me trazer." Acariciou a mesa vendo-a remexer

"Está fazendo ele se encantar com você." Leo fez bico, incrédulo com a situação a sua frente.

"Não seja ciumento, Valdez." A filha de Plutão disse enquanto passava creme nos cachos do moreno, os apertando entre suas pequenas mãos. "Você parece ansioso..." Disse se referindo as pernas de Valdez que não paravam de mexer. "O que houve?" Perguntou curiosa, mas ainda focada com o trabalho a sua frente.

"Eu quero ver uma pessoa..." Sussurrou para que apenas Hazel pudesse escutar, que abriu um sorriso com as palavras que haviam saído da boca de Leo.

"Está apaixonadinho, hein?" O tom travesso na sua voz fez o moreno se soltar.

"Muito provável..." Disse corando de leve

"Você vai me mostrar a sortuda ?"

"Não é uma sortuda..." Falou meio envergonhado por nunca ter contado a respeito da sua bissexualidade "É um sortudo..." Olhou para o chão. Sentiu ela parar de mexer nos seus cabelos e puxar seu queixo para cima.

"UM GAROTO? QUEM É O SORTUDO?" Gritou contra o rosto do rapaz a sua frente.

"É segredo." Falou mas logo pode perceber o bico que havia se formado nos lábios da negra a sua frente e logo tentou amenizar a situação. "Pelo menos por enquanto, prometo te contar uma hora." Viu a outra suspirar baixinho e e voltar ao seu trabalho "Está chateada comigo?"

"Obvio que não, foi só uma terrível quebra de expectativa. Mas uma hora você irá me contar, não vai?" O tom de voz era esperançoso.

"Claro que eu vou, Levesque. Eu não sou seu melhor amigo?"

"Acho bom mesmo." Disse apertando seus cabelos com mais força "Está pronto, aprecie o meu excelente trabalho." Falou se virando pronta para ir atrás de um espelho mas Buford estava ali, sua gaveta entreaberta e dentro dela havia um espelho médio. "Own, muito obrigada novamente." Pegou delicadamente e entregou ao moreno cor de canela a sua frente.

Seus cachos estavam brilhosos, um pouco grudentos por conta do creme mas estava bem bonito. Não se sentia como ele mesmo, já que nunca teve o costume de arruma-lo de forma decente mas realmente Leo estava bem gostoso.

"Eu sei, tá perfeito né?" Falou se exibindo fazendo Leo a achar fofa quando se empolgava.

"Você nunca erra sobre questões que estão relacionadas a cabelo, principalmente cachos." A elogiou vendo a outra corar de leve.

"Obrigada pelo elogio." Sorriu de lado mas rapidamente alargou o sorriso olhando para Leo.

"O que foi?"

"Me lembrei que eu trouxe um lápis de olho, as filhas de Afrodite estavam entregando alguns kits de maquiagem, eu não aceitei mas fui obrigada a pelo menos pegar alguma coisa." Ela tirou do bolso um pequeno lápis em um de marrom. Estranhou ela se aproximando devagar com a ferramenta de maquiagem em mãos. "Eu queria tentar uma coisa em você.."

"Me passar maquiagem? Deu uma de doida?" Leo disse recuando enquanto ela se aproximava

"Você vai ficar muito lindo. Vai encantar quem você quiser." Falou vendo o outro corar de leve "Eu prometo, não irá ficar estranho. Só vai ser fora do comum."

Os seus olhos eram pidões, se sentiu na obrigação de deixar. Ele não havia tido que Jason era seu crush e nem que os dois haviam se beijado. Hazel confia em si completamente, se sentia no dever de aceitar

"Aiai, tudo bem." Viu os olhos cor de ouro brilharem com a resposta "Mas não exagera, pode ser?"

"Eu não sou exagerada, me respeita." Bateu de leve no braço do filho de Hefesto com a mão direita enquanto com a mão esquerda que segurava o lápis ia em direção ao olho de Valdez.

Sentiu o objeto no canto externo do seu olho, rabiscando em uma linha reta.

Suspirou baixinho.




 

~X~






 

Praguejou Hazel enquanto tentava tirar a calça do meio do seu bumbum, era impressionante como não conseguia dizer não para a filha de Plutão.

Logo após a cena do lápis de olho, resolveu que teria que ir ao chalé de seu pai e Hazel o acompanhou.

Até havia recebido assovios de alguns filhos de Hermes e algumas provocações dos meio-irmãos de Piper, nunca havia ficado tão constrangido como naquele dia. Hazel apenas ria da minha vergonha e provavelmente engrandecia seu ego com toda aquela atenção focada nas suas obras primas.

Chegariam até rápido se não tivessem sido parados por algumas pessoas que elogiaram Leo.

Oh deuses. Nunca foi de se envergonhar ao flertar outras pessoas, mas nunca havia sido flertado sem nenhuma pouca vergonha por outras pessoas. Haviam até mesmo perguntado se ele era gay.

Nem ele era tão direto. Ou talvez seja por que eram homens dando encima de si, isso era algo meio estranho..? Estranho não seria a palavra mais certa, era como uma novidade para si mas iria se acostumar e expor sua bissexualidade e, graças aos deuses, fazer com que Jason gostasse de si, planejariam um futuro juntos, ai ai.

Chegaram ao chalé e foi bastante constrangedor todos seus meio-irmãos ficarem o olhando enquanto estava com aquele delineado esfumaçado no olho, achava que era assim que era o nome da técnica, e o seu cabelo completamente arrumado.

"Caraca, temos outro gay no vale." A meia irmã gritou pulando da sua bicama para outra, pegando uma buzina e a apertando sem dó "Renasceste Leo Valdez." Falou se curvando e logo estava rindo quando ela caiu da beliche e ficou em pé, igual a um gato. Os cabelos pretos lisos estavam em seu rosto, Rafa era realmente muito bonita. Os olhos eram cinzas meio escuros e sempre estava com o cabelo amarrado em um rabo de cavalo alto e firme.

"Eu não sou gay." Disse fazendo bico. "Sou bissexual." Falou como se isso ajudasse em alguma coisa.

"Melhor ainda, mais chance de ficar com alguém." Entrou Harry pela porta entregando, se lê tacando, as roupas em determinadas beliches e até mesmo nas pessoas.

"Ou o dobro de azar no amor." A namorada de Harry entrou logo em seguida rindo quando percebeu a animação do chalé e por causa de alguns xingamentos graças a rodada de uno muito disputada que acontecia no subterrâneo - havia alguns canos para comunicação entre o térreo e o subsolo.

"Uau, vocês realmente me amam mesmo." Disse irônico adentrando o lugar meio caótico. Se virou para ver Hazel que conversava animadamente com a minha meia irmã Rafa, a que havia pego a buzina. "Vai ficar ai?"

"Eu já estou indo!" Disse se despedindo com um selinho no rosto da outra, que sorriu de canto para logo gritar com Harley que ameaçava esconder as suas coisas.

Deu de ombros, depois perguntaria daquilo. Adiantou os passos e logo pulou para a sua beliche vendo suas roupas limpas. Olhou para uma delas e estranhou:

"Harry, essa calça não é minha!" Disse no cano que havia do lado de sua cama

"SE O SEU NOME ESTÁ AI É PORQUE É SUA!" Foi respondido rapidamente. Suspirou vendo a peça mais pequena que o usual.

"Hazel, espera só um segundinho" Disse se enfiando debaixo das cobertas para trocar de calça, já que ele estava usando naquele momento havia se sujado de graxa. Se trocou rapidamente, sentia suas pernas serem apertadas com mais força. "Eu falei que essa calça não é minha, tá bem justa."

"Deixa eu ver." Hazel pediu enquanto se apoiava na beliche da frente. Saiu debaixo das cobertas e pulou da beliche sem nenhuma delicadeza, rapidamente sentindo um puxão na sua bunda.

"Aii." Tentou ajustar a calça em seu corpo.

"Caralho, sua bunda tá muito marcada." Falou abismada "Parecem dois grandes pêssegos."

"Vou tirar ela."

"Não vai não." Hazel disse o impedindo de se trocar. "Faz isso por mim, primeiro amigo gay que eu tenho, o primeiro dia tem que ser algo único."

"O Nico é gay." Se recordou.

"É, mas nós somos irmãos. Isso não conta, e também ele nunca me deixou fazer essas coisas nele." Falou fazendo bico.

"Ai eu virei manequim ?" Disse mas logo se arrependeu das palavras vendo o olhar meio chateado da garota.

"Eu sei que você não é um boneco mas eu sempre quis fazer isso." Falou desfazendo o bico. "Estou parecendo uma criança birrenta, não estou?" Perguntou "Seja sincero comigo."

"Um pouquinho mas eu não me importo, você está querendo fazer com que eu fique bonito e isso significa que você se importa comigo." Falou acariciando a cabeça da garota "Mesmo que você esteja colocando algumas das suas vontades nisso tudo." Riu de lado. "É que eu não sou acostumado com isso tudo, maquiagem, calças apertadas o suficiente para estourarem minhas pernas." Falou vendo a outra rir "Não se preocupe, eu vou tentar usar, mas eu não prometo nada se eu aparecer com uma calça de moletom no meio da festa."

"Você cumpre muito as minhas vontades, me desculpa por isso."

"Não se preocupa com isso. Eu sou seu irmãozão, tenho que fazer com que você se sinta bem." Disse rindo de lado, mas nem percebeu os olhos de Hazel que brilharam com as suas palavras. Hazel se sentia bem sozinha com o nascimento do relacionamento entre Nico e Solace, não que não aprovava, amava o seu irmão e sabia que o outro faria bem para ele, mas se sentia sendo deixada de lado pelo Di Angelo, mesmo que soubesse que não era a intenção.

Ela o abraçou calorosamente se sentindo feliz.

 

E é por isso que estava com aquela calça justa, usando maquiagem e com os cabelos absolutamente arrumados, indo a caminho da enorme fogueira que seria o lugar da mini festa.

Alguns cantavam a música que tocava na caixinha de som — criada e feita também a playlist pelos filhos de Hefesto —, a empolgação era evidente em alguns campistas. Outros se mantinham sentados bebendo tequila vermelha, uma bebida com 60% de álcool, que os filhos de Dionísio fizeram com a aprovação de Quíron (?). Aquilo era bem esquisito, mas ninguém deu a mínima e festejaram com a notícia. Uns ficavam de namorinho. Coisas normais.

"Vocês demoraram para chegar." Piper chegou nos dois empolgada enquanto entregava uma bebida para cada. "Caraca, você está muito gatinhoo.."Disse alongando a fala para Leo. "Depois quero que você empolgue o povo, traga o Festus, algo do tipo." Falou para o moreno a sua frente.

"Eu trouxe uns foguetes, eles não vão queimar as árvores nem nada, posso ajusta-los para ficarem sem som."

"Solta um foguete com som, se o povo não curtir a gente solta os outros sem som." Falou empolgada "Solta um agora, e eu coloco uma música mais empolgada, pode ser?"

"Só se for agora." Disse rindo vendo a outra correr até o ''DJ '', tirou da sua pochete um cubo e apertou no botão, transformando o pequeno quadrado em um foguete. Olhou para a garota que assentiu rapidamente e logo começou a tocar outra música. Fez de seu dedo um isqueiro e rapidamente acendeu o cabinho e o foguete foi rapidamente para cima, começando a estourar no céu.

  Ah, sentia tanto orgulho por aquilo ser uma obra sua, mesmo que tivesse sido bem fácil. Mas todos pareciam fascinados pela beleza dos fogos. Isso fez-lhe abrir um sorriso de canto. Amava aquele sentimento.

  "Então aqui está o famoso garanhão Leo." Viu Jason se aproximando, o cumprimentando "Você realmente está bem diferente, todos estão comentando."

  "A Hazel decidiu me transformar." Disse rindo de lado, meio envergonhado. "E sabe como ela é, não tem como não aceitar."

  "Acho que entendo um pouco." Falou rindo. Ah, parecia um chamado dos anjos. Cruzes Júpiter, que linda cria você trouxe ao mundo. "Mas sério, você tá muito bonito, está usando até mesmo maquiagem." A mão áspera do loiro passou a mão por debaixo de seus olhos. Viu os olhos do outro nublarem, ou era apenas uma impressão sua. Jason foi em direção ao seu ouvido, querendo-lhe sussurrar algo "Está tão bonito nessa roupa, podemos nos ver mais tarde?" Convidou, fazendo com que Leo quase tivesse um treco ali mesmo, seu coração estava prestes a sair pela boca. "Essa calça está te dando uma forma esplêndida, deuses." Sussurrou sexy.

  "Claro." Não conseguiu continuar a fala, viu o outro rir de lado "Obrigado."

  "Nós vemos por ai, Leo Valdez." Se afastou indo para uma área que estava completamente infestada de pessoas.

  Suspirou apaixonado, aquilo estava realmente acontecendo? Parecia tanto um sonho, desejava com todas as forças que não fosse.

  Sentiu mãos grossas em um dos seus braços, o puxando de leve. Se virou e viu o Frank, ele tinha um sorriso bobo no rosto. Correspondeu o sorriso com um abraço rápido. "A gente não conversa faz tempo." Disse simples se instalando perto o outro, afim de manterem uma conversa.

  "Sim, eu ando enfurnado lá dentro do Bunker, fazia uns dias que eu não via a luz do dia." Comentou fazendo o outro rir.

  "Você não parecia bem esses dias, mas que bom que você está melhor hoje." 

  Olhou para o outro que olhava para a fogueira calorosa enquanto bebericava a sua bebida.

  "Tem haver com o Jason?" O jovem filho de Marte perguntou

  Arregalou os olhos para o outro "E-está louco?" Disse gaguejando de leve.

 "Os seus olhares não são nada discretos, acho improvável mais ninguém ter percebido." O seu tom era sincero. "Mas vamos desviar desse assunto, estou te deixando ficar desconfortável." Terminou o resto da bebida "Como está sendo ser o campista mais cobiçado em apenas um dia?" Falou rindo de lado.

  "Isso é meio estranho, grande parte antes me tratava como o rato que vive lá no Bunker 9 ou o filho de Hefesto que solta foguinho." Falou gesticulando com as mãos as cenas. Viu o outro morder a boca, provavelmente estava segurando o riso. "Ei, eu sei que eu sou engraçado mas não precisa rir da minha triste vida social."

 "Triste vida social? Pelo menos você não é julgado por tudo que você faz.”

 “Problemas lá no acampamento de Júpiter?”

 

 “Só alguns ainda duvidando da minha capacidade de liderar, isso me deixa nos nervos.” Fez um bico, fazendo Valdez rir. Ele não conseguia realmente ficar bravo. “Eu to me esforçando e eles estão tipo : fodase, a gente vai ficar te julgando.” O outro parecia que iria desmaiar quando começou a ficar vermelho. “Isso é tão desconfortável, eu me preso às vezes. Preso à imagem de ser perfeito para todos.”

 

  O outro se sentiu comovido, tocado. Era assim que ele se sentia. Nunca havia parado para pensar em Frank, o real Frank, chinês e canadense, que possuí problemas como qualquer outra pessoa. Havia se trancado em uma bolha em que só Leo sofria, e todos a sua volta eram felizes e totalmente saudáveis psicologicamente.

 

  “... e eu nem posso comer meus biscoitos!” Falou se exasperando. Valdez não sabia o que ele estava falando, estava focado demais em seus pensamentos.

 

  “Aiai, os seus biscoitos, uma atrocidade.” Fez um drama rindo de lado.

 

 “Simmm... Espera, você foi sarcástico.” O outro arregalou os olhos para si. “Não me julgue pelos meus biscoitos.” Disse com um tom bem sério. Leo sentiu, por um instante, medo do que aconteceria se julgasse. Não iria arriscar.

 

 “Claro que não. Eu não seria tão cruel a esse ponto.” Viu o outro acenar com a cabeça em concordância. “Ah, eu nem dei atenção a Hazel, ela estava aqui antes de você chegar.” Falou por impulso, logo se arrependendo.

 

  A expressão de Frank se contraiu em dor. Os olhos ficaram nublado, não de forma maliciosa mas sim por que estavam sofrendo. Estava mordendo o lábio para logo respirar fundo e sorrir.

  Reconhecia aquele sorriso falso. Era o mesmo que Leo usava para se esconder, para ‘amenizar’ a dor. Para que ninguém soubesse que estava em pedaços.

 

  Sentiu vontade de chorar.

 

 “Eu vi ela saindo quando eu estava chegando.” Falou dando de ombros olhando para o chão. Sentiu uma imensurável vontade de abraçá-lo. Ele estava sofrendo e ninguém havia lhe dado a mão para ajudar. 

 

 “Acho que ela ainda não quer me olhar.” Riu sem jeito, provavelmente tentando amenizar o que sentia.

  O abraçou sentindo que iria transbordar ali mesmo. As grandes mãos foram rápidas em contorna-lo e a cabeça de Frank se instalou no seu pescoço. Era meio estranho abraçar uma pessoa com muita diferença de altura mas ainda sim estava aconchegante e acolhedor

 

  “Você não merecia aquilo, eu sei disso.”

 

  Ninguém merece ser traído, principalmente por alguém que você realmente se entrega, entrega todo o seu amor. E você é recompensado daquela forma cruel, chutado de forma dolorosa. E ainda sim, ser evitado por algo que não fez, por algo que quem mais sofreu foi o Frank.

 

  “Obrigado.” Uma simples palavras, mas ainda assim tinha tanto significado

 

  “Eu não pensei no seu lado, estou me sentindo um lixo por isso, me perdoa. Você estava sofrendo calado e ninguém tentou te ajudar, me desculpa mesmo.”

 

  “Não se desculpe, você ao menos me deu apoio.” Sorriu de lado se afastando do filho de Hefesto. Correspondeu o sorriso com muito carinho. Sentia que havia realmente outra pessoa para que ele procurasse abrigo.

 

  Se sentia tão leve naquele instante, tão leve que poderia se comparar com uma nuvem,
se virou para a fogueira e sentiu seu estômago embrulhar. Piper e Jason estavam se beijando e as pessoas envolta comemoravam. Gritavam, tacavam as bebidas para o alto.
  Sentiu seus olhos começarem a lacrimejarem. Se sentia em pedaços, por que esperava que desse tudo certo? Nunca dava certo para Leo Valdez. Nunca daria certo.

 

 Parecia que sua cabeça estava em erupção, sua cabeça começava a sentir dores fortes. Respirou fundo, fechando os olhos calmamente, tentando não entrar em chamas.

  "Frank." O chamou ainda olhando para frente

  "Sim?"

  "Estou indo embora, nos vemos amanhã." Nem o deu oportunidade de se despedir, já estava andando. Aproveitou que passava um dos garotos que entregavam bebida, pegou um copo cheio e continuou a andar.

  Parou por um instante, para onde iria? Bunker? Não, muito obvio. Seu chalé? Seus irmãos iriam perguntar o que havia acontecido. Sentiu o vento gelado ir em sua direção, olhou para o lado e estava o mar. Total silêncio, o ar gelado vinha em sua direção. Mordeu seus lábios, concordando. Iria se esconder ali até que estivesse bem. 

 'Você nunca está bem.' Ouviu uma voz sussurrar em seu ouvido. Arrepiou quando identificou a voz. Ela não estava em sua forma humana, estava apenas em sua cabeça.

 "Vá embora, Hera."

 'Tão hipócrita, estou fazendo-lhe companhia.' 

 "Não preciso dela nesse momento."

 'Se continuar com isso, vou te empurrar de um precipício que nem eu fiz com seu pai, deseja isso?' O tom de voz era perigosamente rouco. 

 Revirou os olhos, negando com a cabeça.

 'Ótimo.'

 "Veio aqui para que ? Você odeia os semideuses."

 'Vim por causa de você.'

"Por mim?"

 'Sim, filho de Hefesto.' Concordou 'Vamos para a praia, assim poderemos ter um tempo para conversar.'

 Se sentiu acuado, não iria negar algo que a sua Tia (?) e também Deusa estava te pedindo.

 "Okay, vamos Tia."

 Ouviu o som de desgosto que ela soltou quando ouviu Valdez a chamar de Tia, sorriu de lado por isso.

 Não demorou nem 5 minutos para Leo se acomodar em uma parte da praia mais reservada. Já se encontrava sentado na areia gelada.

 "Então, o que precisa conversar comigo? Uma nova missão? Resolveu ser a tia boazinha?"

 'Não é nada disso.' Falou dando um suspiro. 'Filhos de Zeus/Júpiter são complicados, você irá sofrer muito se for atrás de Jason.'

 "Problemas amorosos? Sério mesmo?"

 'Você irá rachar que nem eu rui a muito tempo mas você ainda consegue se recuperar.' O ignorou completamente. 'Não faça isso com você mesmo.'

 "Então resolveu ser a tia boazinha, isso é tão tocante."

 'Se você está escolhendo me ignorar, então tudo bem, mas não diga que eu não te avisei.' Falou brava 'Eu não pude fazer essa escolha pois estou presa à Zeus, mas você pode. Eu estou te avisando, tome a sua decisão com sabedoria, Leo Valdez.' Sentiu a sua cabeça zumbir.

 "Hera?"

 Não houve resposta, ela já havia ido embora.

 Sentiu as lágrimas rolarem pelo seu rosto, bebeu um pouco do conteúdo da sua bebida.

 Amava-o tanto, mas por que doía tanto?

 Sorriu sem gosto.

 É. Nasceu para viver sozinho. 


Notas Finais


Espero que não tenha ninguém querendo me enforcar, por favor.
Ainda tenho que viver muito ainda.

Sinceramente quando pensei em criar essa fanfic, minha imaginação só foi apenas até aqui.
Tentarei não entrar em um bloqueio criativo, pois estou gostando de como a história está andando.

Não consigo nem medir a minha preguiça pra terminar esse capítulo, perdoem. Eu não tenho psicológico pra fazer fanfic longa não.

Até o próximo capítulo <3

E SIM CAMBADA, VAI TER SERIE DE PERCY JACKSON, TOMA NETFLIX E FOX.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...