História Amaldiçoados: Herdeiro da meia-noite - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Saga Crepúsculo
Personagens Alice Cullen, Angela Weber, Aro Volturi, Bella Swan, Carlisle Cullen, Charlie Swan, Edward Cullen, Emmett Cullen, Esme Cullen, Irina Denali, Jacob Black, James, Jane, Jasper Hale, Jessica Stanley, Kate Denali, Laurent, Leah Clearwater, Maria, Mike Newton, Peter, Quil Ateara, Renée Dwyer, Renesmee Cullen, Rosalie Hale, Royce King II, Sam Uley, Seth Clearwater, Tânya Denali, Victoria
Tags Bruxas, Lobisomens, Lobos, Monstros, Vampiros
Visualizações 14
Palavras 546
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente, Hentai, Literatura Feminina, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Bellinha vai sofrer um pouquinho. Nada que não vá piorar lá pra frente.

Capítulo 4 - Capítulo 4


O espartilho já estava me enclausurando. Nem o leque conseguia fazer-me respirar. O medo de ser descoberta também auxiliava minha preocupação. 

- Milady,... - Marie Alice fala apressadamente. Com suas mãos tremendo a cada sílaba.

- Me chame pelo meu nome, Alice. - A repreendo logo. - Somos amigas acima de qualquer título. - Segurei suas mãos entre as minhas. - Vamos nos divertir. - Falo com doçura enquanto ouço os músicos recomeçarem. 

- Mas... milady.... Cat... ainda estou... - Falou enquanto torcia o vestido rosa claro que delineava as perfeitas curvas do seu minúsculo corpo. Qualquer homem naquele salão parecia se perder naquela curva tão acentuada. Alice realmente parecia uma dama da alta sociedade. - um po-pouco receosa. Sua mãe... - Não deixe-a teminar.

- Alice, hoje nos divertiremos. - Falei olhando-a. - Será uma noite inesquecível.  - Dou um longo supiro - Talvez a única que terei aqui. - Olhei em seus olhos mais uma vez - Não posso perder essa chance. - Sinto lágrimas se formarem em meus olhos mas as detenho. -Hoje será uma noite feliz.

Olho ao redor mais uma vez. Os músicos em um palco improvisado. A casa decorada de maneira imponente e bem cuidada. Jovens moças dançavam com homens no salão e as senhoras estavam sentadas em mesas ou em grupos espalhados pela enorme sala.

- Vamos, Ali, vamos fazer amigos. - Entrelacei nossos braços enquanto andávamos em volta do salão...

Acordei sobressaltada, com uma enorme dor de cabeça e uma fresta luminosa que saia pela janela. Abri os olhos e me surpreendi com a visão inesperada. As cortinas pretas encobriam uma pequena fresta de raio de sol.

Tentei me levantar da cama, porém, os lençóis de seda enroscaram em minhas pernas me fazendo quase que cair da cama. Chutei-o pra longe e finalmente me pus de pé. Cada movimento fazia minha cabeça latejar mais e mais. 

Estava em um quarto que não era meu. Quase choraminguei. Foi quando as lembranças da noite anterior me atingiram como um soco. Um armazém, uma garota, um homem. Olhos Cinzentos. Um beijo

Uma outra pontada atinge de maneira surpreendentemente feroz minha cabeça. Caio de joelhos no chão. Ofego.

Sinto como se meu crânio fosse se partir a qualquer segundo. 

Olho para trás rapidamente. Como se houvesse alguém atrás de mim com algo para atingir minha cabeça. Estou sozinha. Sozinha em um quarto desconhecido. 

Mais pontadas.

Ofego novamente.

 Minha cabeça estava a ponto de explodir. Começo a me afastar da cama engatinhando e vou em direção a  de frente a mim. Minha cabeça dói muito.

Pontos roxos se formam em todo o meu campo de visão. 

Engatinho com mais dificuldade. A maçaneta a poucos centímetros de minha mão.

Uma pancada de súbito me atinge de novo. Parece que estou sendo espancada e apenas minha cabeça é o alvo.

Outro prego enfiado em meu cérebro. Mais forte dessa vez. Não resisto.

Acabo gritando.

A porta se abre num rompante. Olhos Cinzentos aparece com a mesma roupa da noite anterior. Ele olha pra mim, com pena, desgosto, não sei pois outro prego acaba de ser enterrado em minha mente. Outro grito. Estrangulado. Fino. Congelante. Sinto medo. Mais pregos completam suas tentativas de acabar com meus pensamentos.

- Me ajude. - Peço. Antes de outras fisgadas me atingirem. Talvez seja os últimos pregos do meu caixão pois minha visão escurece novamente.


Notas Finais


As dores de cabeça dela serão explicadas mais a frente. Tudo está intrinsecamente ligado. O começo é de quando eles se conheceram(em 1455), que ainda vai rolar mais a frente. Talvez não tenha notado mas o POV é dela rsrs. Quando for do Ed, vou deixar explícito que é dele. Espero que tenha gostado e fui aqui.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...