1. Spirit Fanfics >
  2. Amando Minha Melhor Amiga >
  3. Capitulo 12

História Amando Minha Melhor Amiga - Capítulo 12


Escrita por:


Capítulo 12 - Capitulo 12


Fanfic / Fanfiction Amando Minha Melhor Amiga - Capítulo 12 - Capitulo 12

Acordei quase meio dia, com um barulho vindo da cozinha.. levantei fiz minha higiene e com o rosto amassado ainda, fui até lá ver o que Amanda estava aprontando.

- Bom dia dorminhoca. - minha ex ficante me disse, detestei pronunciar assim, mas infelizmente não posso fazer nada.

- Boa tarde né.. já passa do meio dia. - respondi rindo com o seu sorriso maravilhoso.

- Fiz um café bem forte, senta aí.. já trago pra você. - se virou e voltou para a pia, não resisti e tive que olha-la no meu pijama curto, que vontade de agarrar aquele corpo gostoso puta merda.

- O cheiro está ótimo. - falei tentando pensar no café que realmente está com um cheiro bom, olhei para a mesa e arrumei um pão, pra não ficar secando ela daquele jeito.

- Prontinho. - Amanda me entrega o café numa xícara já. - agradeci e ela sorriu em resposta, se sentando na minha frente.

- Eu bebi na festa de ontem, mais parece que quem está de ressaca é você. - ela me encarou quando viu que minha expressão tinha mudado um pouco.

- Desculpa.. só estou pensando.. - respondi olhando pra minha xícara, Amanda não perguntou, continuou tomando o seu café.

- Como você está.? - ela me pergunta depois de um tempo.

- Indo.. e você.?

- Indo também.. precisamos conversar..

- Claro, vamos na sala.

Ela pediu licença para usar o banheiro primeiro e depois foi pra sala me esperar.

- O meu pai sabe sobre nós duas, o que tínhamos. - começou falando meio cabisbaixa.

- Como ficou sabendo.?

- Na verdade ele sempre soube, ele disse que descobriu a alguns meses.

- E não teve um ataque.? Não quis te expulsar de casa ou contou pra sua mãe. - perguntei ainda sem acreditar.

- Não. - sorriu - Ele me disse que não importa a minha sexualidade, ainda sou a filha dele.

- Poxa.. Não consigo acreditar.. O seu pai. - devo ter feito uma cara engraçada, pois Amanda começou a rir.

- Lanna.. - falou parando de rir, é muito linda essa garota. - Me desculpa, eu estava confusa, com medo das pessoas não falar mais comigo, dos meus pais me explusarem de casa. Enfim.. deveria ter sido honesta com você.

Não respondi na hora, fiquei martelando a cabeça pensando, pra não dizer algo que acabasse piorando nossa situação.

- Está tudo bem, já passou. - droga, não conseguiu pensar em nada melhor.?

- Não, não está tudo bem... Eu não deveria me importar com os outros, com o que pensam. Eles estão felizes com suas vidas, e agora por causa da minha vergonha, eu não estou feliz.

- Você não precisa passar por isso sozinha, mesmo essas pessoas não tendo nada a ver com sua vida, quem tem que tirar da cabeça que isso é errado, é você... foda-se todos eles, o que importa aqui é você. Seu pai está do seu lado, seus amigos, os amigos verdadeiros da faculdade, vão continuar gostando de você, do jeitinho que é.

- E você.?.. também está comigo.? - me perguntou com os olhos cheio de lágrimas.

- Eu sempre vou estar com você, não importa se estamos juntas ou não. Eu sempre vou te amar.

Amanda fungou e limpou as lágrimas que teimavam em cair, ela segurou uma das minhas mãos e com a outra eu enxuguei seu rosto. Depois a puxei para os meus braços, um abraço de conforto, carinho e proteção.

Depois de quase meia hora abraçadas, ela tinha parado de chorar e se levantou devagar, eu não queria, mais a encarei, não queria porque eu sabia que ia querer beija-la.

Parecendo ter o mesmo pensando que o meu, Amanda se aproximou e olhou para minha boca, lambi meus lábios automaticamente, olhando para sua boca também. Quando nossos lábios se tocaram o celular dela vibrou e começou a tocar.

- D-desculpa... vou ver quem é. - Tentei voltar ao normal, como se nada tivesse acontecido.

- Merda, tenho que ir.. preciso terminar um trabalho.

- Eu te levo. - Me levantei e fui pegar minhas chaves, quando ouvi buzinas vindo do lado de rua.

- Não precisa se preocupar, obrigada. O Jonathan está aqui, estamos terminando o trabalho na casa... dele. - porra, na casa dele.? 

- Ah..ok.. bom.. vou te levar até o portão. - fiquei sem reação assim como ela, Amanda me olhou pra ver eu iria fazer algo, mais eu não consegui, aquele cara de novo.? Com tantas pessoas na sala pra fazer o maldito trabalho, fiquei puta, mas tentei não demonstrar.

- Tchau Lanna. Obrigada por cuidar de mim. - sorri e balancei a cabeça.

- Sempre vou cuidar de você.

Amanda beijou meu rosto e foi para o carro do tal do Jonathan, eu sou uma imbecil, como posso morrer de ciúme por uma pessoa que nem é minha mais. Droga de vida..



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...