História Amando um Uchiha e um Senju. - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hashirama Senju, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Kizashi Haruno, Madara Uchiha, Mebuki Haruno, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Tobirama Senju
Tags Madasaku, Tobisaku
Visualizações 64
Palavras 3.767
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 3 - A primeira vez com o Senju.


 

 

Sakura

Que merda foi aquela? Aquele beijo não era pra ter acontecido, eu somente iria agradecer por ter me ajudado mesmo ele sendo um idiota. Não sabia que ele iria virar o rosto, aposto que fez de proposto! Que ódio o pior que eu gostei, não entendo porque gostei mal nos tocamos nem foi um beijo de verdade, mas sentir seus lábios quentes nos meus foi bom. Ele é um deus com certeza, o cabelo e os olhos negros, os braços grandes e musculosos. Droga! E tem o Tobirama que homem é aquele, eu certamente teria me entregado a ele se estivéssemos em outro lugar. Não paro de pensar no jeito como ele me tocava, sinto minha intimidade pulsar toda vez que me lembro. Ao contrário daquele ogro ele é gentil e me faz sentir feito uma boba. Preciso parar de pensar nesses dois e me concentrar nos meus estudos. Procuro meu celular para ver se tem alguma mensagem e não o encontro.

 

- Ah não, eu só posso ter perdido. – Rogo uma praga em mesma, quem diabos é tão azarada?

 

Autora

 

Sakura estava brava consigo mesmo, agora não teria como conversar com Tobirama e isso a frustrava. Ela não sabia como entrar em contato com ele e resolveu procurar algum numero na internet, ele disse que era advogado então certamente teria algo no google. Pesquisou e logo apareceu Senju Advocacia. Ela entrou no site e achou um número de telefone. Desceu as escadas de casa com o numero anotado em um caderno e pegou o telefone fixo e começou a discar, logo chamou e alguém atendeu.

- Senju advocacia, bom dia. – Era a voz de uma mulher.

 

- Bom dia, eu gostaria de falar com o Tobirama Senju. – Pediu gentilmente.

 

- O senhor Tobirama não está. – Ela deu ênfase no “Senhor’’ o que deixou Sakura irritada.

 

- Sabe que horas ele volta?

 

- Não. – Seca e curta.

 

- Nossa, ok. Obrigada por nada! – Desligando o telefone na cara daquela mulher grossa.

 

Já era terça-feira e eles não haviam combinado a hora que iam se encontrar e nem onde e ela não iria ligar novamente. Aquela mulher grossa só podia ser secretária dele e certamente não passaria nenhum recado que Sakura deixasse. Sentou na mesa da cozinha brincando com seu garfo frustrada.

 

- Bom dia filha, está tudo bem? – Perguntou seu pai vendo a cara de irritada da filha.

 

- Está. – Respondeu monossilábica.

 

- Já vi que está de mau humor. O que houve?

 

- Nada pai, só estou com dor por causa do joelho. – Na noite passada enquanto jantavam Mebuki viu o joelho da filha e se assustou mas a mesma disse que não tinha sido nada e os pais ficaram menos preocupados.

 

- Quer ficar em casa hoje? – Propôs o pai.

 

- Não, preciso ir. Me da uma carona? – Sakura sabia que se ficasse em casa iria enlouquecer e o colégio era a melhor chance de encontrar Tobirama, afinal ele sabia onde ela estudava.

 

- Claro, vamos então. – Kizashi pegando a chave e se encaminhando para a garagem. Sakura pegou sua mochila e o seguiu.

 

Tobirama

 

Eu mandei mensagem ontem para Sakura perguntando que horas nos veríamos e ela não me respondeu, já é terça e nada dela responder as mensagens que eu mando. Liguei já que estava impaciente e um cara atendeu. Me dizendo que ela estava ocupada e desligou na minha cara, mas quem é esse cara? A voz dele estava ofegante como se estivesse fazendo algo. Fiquei completamente irritado.  Já estava quase na hora da aula dela terminar, não sei se ela foi pra escola, mas vou tirar essa história a limpo. Pego meu carro e dirijo até a la.

 

Madara

 

Estava indo para casa almoçar quando escuto um toque que não é do meu celular dentro do meu carro. Procuro de onde vem o som e encontro o aparelho embaixo do banco. Creio que seja dela, deve ter caído quando eu a colocava dentro do carro, talvez se não se debatesse tanto não tinha caído. Olho pra tela e vejo quem está ligando e um sorriso sacana aparece em meus lábios, não devia atender afinal é violação de privacidade, mas meu subconsciente Uchiha vê uma oportunidade perfeita pra irritar um Senju.

 

- Alô? Sakura? – Ele pergunta.

 

- Cara, ela está ocupada agora. – Falo como se estivesse recebendo um boquete. O que não é difícil imaginar e desligo na cara daquele otário gargalhando.

 

Mudo de direção e vou para o colégio, ela deve estar quase saindo vou entregar esse celular. Aposto que deve estar louca procurando.

 

 

Sakura

 

Ultima aula, e eu dou graças. Estou louca pra esse ano acabar, mas parece que esses meses restante estão valendo por um ano. Logo vou estar longe de konoha e poderei viver como eu quiser nos Estados Unidos, claro que me dedicarei na faculdade, mas vou tentar aproveitar o máximo meus anos lá. Quando o sinal toca eu pego minhas coisas lentamente e saio com Ino para fora do prédio.

 

- Vai comprar outro celular? – Ela pergunta.

 

- Não sei, acho que sim. Queria saber onde eu perdi. – Suspiro frustrada. – E agora eu não sei como falar com ele. – Me refiro ao Tobirama, Ino sabia de tudo e eu também o que havia acontecido com o Uchiha.

 

- Não acha que caiu no carro do Uchiha? – Ela sugere

 

- O que? Claro que não! – Ela só pode ser doida

 

- Então porque motivo Madara Uchiha estaria parado na frente do colégio? – Ela aponta pra frente eu olho aquele homem escorado no seu Jaguar com um sorriso cínico na cara

 

- Só pode ser brincadeira... –Digo em um sussurro

 

Me aproximo lentamente com a porquinha do lado, vejo ela o olhar quase devorando aquele ser, claro que ela achou ele lindo afinal ele é mesmo, ainda mais naquela camisa bordô que estava com alguns botões abertos, as mangas arremangadas de qualquer jeito até o cotovelo, suas mãos enfiadas no bolso da calça social os cabelos soltos caindo sobre os ombros e aquela franja quase cobrindo o olho. Que delicia. Calma Sakura, se concentra.

 

- Oi irritante. – Ele sempre simpático.

 

- O que faz aqui? – Pergunto direta, não quero ficar mais que o necessário perto dele.

 

- Acho que deixou cair algo no meu carro. – Ele tira meu celular do bolso.

 

- Ah, achei que tinha perdido. – Vou tentar pegar o celular e ele levanta a mão pro ar não me deixando pegar o aparelho. – Ei, me devolve.

 

- Acho que de eu devo receber um agradecimento por isso, se fosse outro não devolveria. – Ele tinha um sorriso cínico no rosto.

 

- Obrigada, agora já pode me devolver. – Ainda tento pegar meu celular e ele o afasta mais. – Qual é, me devolve! – Digo irritada e ele ri.

 

- O agradecimento que eu quero não é um simples obrigado. Eu quero um beijo. – O que? Ele só pode estar louco! – Não igual ao de ontem, um beijo de verdade. – Vejo ele desescorar o corpo do carro e dar dois passos em minha direção, agora estamos a um palmo de distância. – Vamos lá, quero meu beijo. – Ele insiste

 

- Nem pensar, pode ficar com esse eu compro outro. – Saio de perto e ele agarra meu pulso, que mania! – Me solta, isso me machuca sabia? – Não acredito que achei ele lindo que burra.

 

- Ei! – Ouço alguém gritar e logo reconheço a voz. Olho para o lado e vejo Tobirama com um semblante bem irritado. – O que está acontecendo aqui? – Sua voz então é bem mais irritada.

 

- N-nada, ele pegou meu celular e não quer devolver. – Digo e ele me olha confuso.

 

- Sua namorada esqueceu o celular no meu carro ontem, eu só vim devolver. – Madara fala com segundas intenções e meu coração dispara.

 

- Estava com ele ontem Sakura? O que fazia com esse Uchiha? – Ele me pergunta e eu congelo não sabendo o que responder.

 

 

- Levei ela pra casa ontem depois da aula. – Madara responde.

 

- Isso é verdade Sakura? – Tobirama me encara como se fosse me estrangular.

 

- S-sim mas não é o que está pensando, eu me machuquei e ele apenas me ajudou me levando para o hospital. – Falo tão rápido que atropelo toda a informação.

 

- Você machucou ela? Seu filho da puta! – Tobirama vem em direção a Madara que solta meu pulso e caminha até ele com passos pesados.

 

Eu vejo aquela situação, alguns alunos estão olhando e cochichando eu me sinto completamente  envergonhada por isso. Não sei o que fazer os dois vão brigar aqui. Dou um pulo me assustando quando Tobirama soca o Uchiha e ele cai no chão, Madara se levanta e vai pra cima do Senju e os dois começam a se socar.

 

- Sakura faz alguma coisa, eles vão se matar. – Ino me diz e eu continuo imóvel. – Sakura! – Ela grita.

 

Corro na direção deles e entro no meio daqueles dois touros, tanto Madara quanto Tobiramos são fortes, seus corpos são sarados e eles tem praticamente a mesma altura, Madara parece um pouco mais alto por causa do cabelo. Vejo alguns rastros de sangue no rosto de ambos e isso os deixa sexy.

 

- Parem! Vocês estão na frente de uma escola e eu estudo aqui. – Peço abrindo meus braços para separa-los.

 

- Tobirama, Madara não me machucou, eu estava saindo da aula ontem e começou a chover, acabei caindo de atrapalhada e por coincidência ele passou bem na hora e me ajudou, foi somente isso. – Digo e dou um  suspiro alto e me viro para Madara. – E você, devolva meu celular. Já agradeci por ter vindo até aqui. Agora devolve! – O Uchiha pega o celular do bolso e me entrega. – Se querem se matar o problema é de vocês, mas não me deixem no meio disso. – Coloco minha mochila nas costas e saio dando passos pesados deixando tanto Ino como os dois para trás.

 

Autora

 

Sakura bufava de brava, o Uchiha era muito prepotente, pedindo um beijo pra ela, quem ele pensa que era? O Senju aparecer daquele jeito também fez a rosada se irritar, afinal não gostava nenhum pouco de brigas. Ela estava caminhando para sua casa e viu a bmw de Tobirama encostar e ele sair do carro.

 

- Sakura, entra, vamos conversar. – Ele pede

 

- Não, eu posso andar. – Ela passa por ele e ouve o mesmo suspirar irritado

 

- Eu vou te levar pra casa. Por favor. – Ele implora e ela para e o olha.

 

- Tobirama eu estudo lá, vou ser o maior comentário de toda a escola amanhã. – Ela realmente estava preocupada com isso, odiava o falatório da escola e ela seria o assunto principal. A garota que fez o Senju e o Uchiha se pegarem no soco.

 

- Eu sei, foi idiota da minha parte. Prometo não fazer mais nada do tipo, mas que droga Sakura, eu te liguei e ele atendeu insinuando que estava com você. – Ele tinha a respiração alta e irritada.

 

- Não estava com ele, meu celular caiu dentro do carro dele e foi só isso. Não aconteceu nada mais. – Ela mentiu, não contaria sobre o beijo.

 

- Tudo bem, entra. Eu vou te levar embora. – Ela assentiu e entrou no carro.

 

 Foram o caminho todo conversando, Sakura explicou melhor o que aconteceu, mas omitiu que Madara estava seguindo ela e o beijo. Não queria que nada estragasse o que estava acontecendo entre ela e Tobirama. Logo chegaram na frente da casa da rosada.

 

- Sakura, eu quero te pedir uma coisa. – Ele tinha o semblante sério. – Fique longe do Uchiha. – Soou quase uma ordem.

 

- O que? Porque ? – Foi o que ela disse mas se arrependeu ao ver ele se virar com uma expressão incrédula.

 

- Como assim porque? Você está comigo Sakura, é minha. Não quero você perto dele ou qualquer coisa do tipo. – Ele disse de uma forma possessiva o que fez a rosada se assustar, mas gostou de saber que ela era dele.

 

- Está bem. – Foi só o que ela respondeu. Ele puxou a nuca dela de uma maneira brusca e a beijou possessivamente. Quando desfez o beijo a fitou sem piscar.

 

- Hoje nós vamos sair, te pego as 20h, ok? – Ele tinha um tom autoritário.

 

- Ok, até de noite. – Ela deu um selinho casto nele e saiu do carro.

 

Sakura não entendeu o que estava acontecendo, eles estão juntos? Ou o que? Enfim gostou de ouvir que ela era dele, Tobirama é um homem e tanto e Sakura teria a sorte se tivesse algo com ele. Ao cair da noite ela começou a se arrumar, de novo não sabia onde eles iriam. Colocou uma calça jeans preta uma regata branca e jaqueta de couro também preta e claro seus coturninhos de sempre. Rezava para que ele não a levasse em alguns restaurante caro. Terminou de se perfumar e recebeu uma mensagem do prateado.

 

Estou aqui. - Tobirama

 

Já estou descendo. - Sakura

 

Desceu as escadas, por sorte seus pais não haviam chegado ainda. Tobirama saiu do carro e abriu a porta do passageiro para ela entrar e se colocou no lado do motorista.

 

- Já disse que você é linda? – O elogio dele fez a rosada corar e sorrir.

 

- Você também é lindo. – Ele deu um selinho nela e se afastou para ligar o carro. – Onde nós vamos? – Perguntou ela.

 

- Pra minha casa. – Ela gelou, não de medo mas de ansiedade. – Te prometi um filme, lembra?

 

O caminho todo foi bem tranquilo, eles se encaminharam pelo centro da cidade. Tobirama era engraçado e a fazia rir sempre, logo chegaram em frente a um prédio enorme, e ele abriu a porta do carro para ela, entregou a chave para o porteiro e eles entraram no prédio. Subiram rapidamente e o elevador se abriu numa imensa cobertura, era muito grande. Os moveis novinhos e tudo era branco, algumas decorações como quadros de artistas famosos, tudo bem decorado com modernidade.

 

- Uau, é lindo. – Ela olhando tudo em volta.

 

- Que bom que gostou. Por favor, sente-se. – Ele indicou o sofá para ela. E saiu.

Sakura estava na sala, olhando tudo. Viu algumas fotos em cima de uma pequena mesa e nelas havia Tobirama com seu irmão. E em outras fotos vários homens ao redor deles. Sua atenção foi tirada quando ele entrou na sala com duas taças e uma garrafa de vinho em mãos.

 

- Você bebe vinho? – Ele perguntou.

 

- Sim. – Respondeu ela. Ele depositou o liquido em uma das taças e entregou para ela. – Hum, doce. Eu adoro assim.

 

- Eu sabia que preferia bebidas doces. Já decidiu o que quer assistir? – Ele pega o controle da Tv.

 

- Você escolhe. – Ela não era boa tomando decisões.

 

Ele coloca na Netflix e procura algumas séries até chegar em Hemlock Grove. Então clica na série e a olha.

 

- Conhece? – Ele se referindo a série.

 

- Não, é sobre o que? – Pergunta.

 

- Sobre lobisomens e vampiros. Acho que vai gostar. – Ela assentiu. – Senta, quer uma coberta?

 

- Eu quero, se não for incomodar muito. – Ele sobe as escadas e logo volta com uma coberta preta e felpuda em mãos e a cobre. – Obrigada, você é um amor. – Ela diz corando.

 

Eles começam a assistir a série, ela estava realmente gostando. A serie tinha dois garotos muito lindos no qual disputavam uma garota loira muito bonita. Tinha algumas cenas de sexo também o que a deixava desconfortável pois lembrava do que eles haviam feito dentro do carro. Ela se remexeu no sofá tentando encontrar uma posição confortável e ele logo notou.

 

- Quer colocar as pernas em cima das minhas? – Ele ofereceu e ela assentiu. –

 

- Deixa eu tirar meu coturno.

 

- Não, eu tiro. – Ele colocou as duas pernas dela em cima das coxas  e começou a desamarrar lentamente o coturno o tirando.

 

Sakura olhou o quanto ele tinha coxas grossas e definidas,  vestia apenas uma bermuda preta de moletom, podia ver o volume marcando o membro dele. Passou a língua nos lábios e ficou um pimentão quando ele percebeu. O viu dar um sorriso malicioso e ela engoliu a seco e se virou rapidamente para a televisão que agora estava em uma cena de sexo.

 

- Está tudo bem? – Perguntou ele.

 

- S-sim. – Ela respondeu sem jeito.

Tobirama estava se segurando, mas ao vê-la encarando seu membro não conseguiu ficar parado. Puxou ela pela cintura e a colocou sentada de frente para ele. A beijou com desejo mas calmo, e foi retribuído. Sakura tinha a respiração pesada e ele segurava suas coxas apertando por cima da calça.

 

- Você me deixa louco... – Disse durante o beijo.

 

Ele colocou a mão na bunda dela apertando com firmeza e trazendo para mais perto do seu membro duro, a calça dela a essa altura só estava atrapalhando. Tirou a jaqueta dela jogando no chão, ela estava sem sutiã e a regata marcava os bicos duros, o prateado abocanhou por cima do tecido o molhando. Sakura levou o corpo pra trás gemendo abafado. Ele subiu a regata lentamente expondo os seios medianos dela. Admirou por alguns segundos e levou sua língua no direito e apertando o esquerdo firmemente, tirou sua camiseta deixando o troco sarado a mostra.

 

- Eu quero você Sakura, me deixe tê-la. – Pediu ele voltando a olha-la.

 

- Então me faça sua... – Foi o que ele precisava ouvir, se levantou com ela em seu colo e subiu as escadas do apartamento, sem desfazer o beijo. Ela enlaçou os braços deixando os seios tocaram no peito duro dele. A rosada apertava as pernas em volta da cintura dele tentando sentir ao máximo o membro duro em sua intimidade.

Eles entraram em um quarto e Sakura não conseguiu ver direito como era e na verdade isso não importava nenhum pouco. Ele a deitou na cama a beijando enquanto desabotoava sua calça. Puxou lentamente a calça dela juntamente com a calcinha. Assim abriu suas pernas  com cuidado e se ajoelhou no piso frio do quarto e ficou olhando a flor rosada que ela tinha no meio das pernas. Sakura sentiu o ar quente da boca dele contra sua intimidade e suspirou. Tobirama passou a língua com cuidado em toda a extensão dela, Sakura soltou um gemido que mais parecia um grito, ele então usou dois dedos para separar os lábios e passou a língua novamente. A rosada sentia a língua quente e molhada dele percorrendo cada centímetro dela, o prateado parou no clitóris dela e começou a mama-lo lentamente isso levou a rosada as alturas. Ela arqueava o corpo se contorcia com o que ele fazia. Tobirama levou uma mão para o seio dela e o massageou firme. Sakura sentia uma quentura abaixo do ventre que só aumentava.

 

- Ah.. eu vou.. – Não conseguiu terminar e gozou na boca dele. Que por sua vez tomou todo o liquido que saia dela.

 

- Você é muito doce Sakura. – Ela passou a língua nos lábios molhados e ficou de pé a encarando.

 

Começou a tirar a bermuda lentamente e ela o olhava corada e com a respiração ofegante. Viu os olhos da rosada se arregalarem quando o membro dele pulou pra fora e ele sorriu satisfeito. Era muito grande, cheio de veias e a cabecinha rosada. Sakura tremeu, aquilo com certeza iria rasga-la por dentro. Mas não queria desistir. Tobirama abriu uma gaveta no criado mudo e tirou uma camisinha vermelha, abriu e desenrolou sobre seu pênis e se colocou entre as pernas dela, uma mão pousou na cintura e outra em seu membro que mirava na intimidade dela.

 

- Você quer? – Perguntou ele torcendo para que ela não desse para trás. Ela ficou sem reação por alguns minutos e assentiu devagar. – Está bem, prometo ser cuidadoso. – Ele sorriu e ela também.

 

Ele pincelou a intimidade dela antes de entrar, já havia tirado a virgindade de algumas mulheres, mas ela era diferente. Fez um pouco de esforço para entrar, ela era tão apertada. Sua boceta parecia querer repelir seu membro para fora, viu a careta de dor que ela fez quando enfim colocou a cabecinha.

 

- Calma, ainda não foi tudo. Só relaxa, ta bom? – Pediu ele com uma voz ofegante. Aquilo era bom demais. Sakura assentiu ainda com a expressão de dor.

Ele empurrou mais, ouvia ela gemer de dor e isso o fez querer parar, mas se fizesse isso seria pior. Sentiu quando seu membro rasgou o hímen dela, era a confirmação que realmente era virgem. Isso o fez querer socar com força, mas se manteve calmo. Quando estava completamente dentro ficou um tempo parado até ela se acostumar com ele, sentiu Sakura se remexer embaixo e começou a se movimentar lentamente dentro dela.

 

- Tão huum... Apertada. – Ele disse ofegante, aquilo era bom demais.

 

Se segurava para não socar com força como ele realmente queria, no lugar das expressões de dor ele viu dar lugar a expressões de prazer. Então começou a estoca-la com mais força e fundo. Sakura gemia igual um gatinho em seu ouvido e o enlouquecia. As unhas da rosada rasgavam suas costas e ele não se importava.

 

- Eu poderia fazer isso a noite toda. – E realmente podia, estar dentro dela era algo inexplicável. 

 

Sentia seu membro ser apertado pela intimidade dela, ele se concentrava para não gozar rápido mas estava difícil se segurar, por sorte ela começou a se contrair e sentia que ela estava prestes a gozar também. Intensificou os movimentos a beijando de uma forma desesperada enquanto enterrava sem membro totalmente dentro dela.

 

- Por favor, continua. – Ela pediu como um sussurro. – Eu vou gozar de novo... Tobirama...– Ela gozou chamando o nome dele e o abraçando forte.

 

- Ah Sakura... – Ele gozou também, se enfiando fundo nela.

 

Quando se retirou de dentro viu uma careta de dor se formar no rosto dela e ele riu pois achou um pouco fofo, tirou a camisinha e viu que continha um pouco de sangue, se virou para ela não ver, não queria que se assustasse. Ele se deitou ao lado dela e a puxou para seu peito beijando o topo da cabeleira rosa. Sakura estava suada e ele também mas não queria sair dali, o cheiro do cabelo dela era maravilho. Perguntou-se o que estava sentindo por aquela garota, ela era apenas uma adolescente e estava mexendo com ele de uma maneira inexplicável. Olhou para o pequeno rosto e notou que ela havia dormido, a expressão do resto dela era calmo e fez seu coração aquecer. A beijou na testa e a apertou contra seu corpo grande. Finalmente dormiu com ela em seus braços e um sorriso bobo no rosto.

 

 


Notas Finais


Será que eu continuo?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...