1. Spirit Fanfics >
  2. Amantes >
  3. Explicando pra fofoqueira... Quer dizer, Valtery

História Amantes - Capítulo 6


Escrita por: Witch_crazy

Capítulo 6 - Explicando pra fofoqueira... Quer dizer, Valtery


Stormy


O som do alarme me despertou e também me estressou, tentei me levantar para desligar meu celular ou joga-lo em algum lugar, mas dois braços me seguravam pela cintura me impedindo de quebrar meu celular.

Senti ele me puxar pra mais perto gemer um pouco, o alarme continuou por mais alguns segundos até eu conseguir esticar o braço e desligar.

Eu sabia que ainda estava dormindo então fechei os olhos e continuei aproveitando o momento antes que ele acordasse. Logo senti ele me aperta um pouco mais, ele soltou um pequeno gemido rouco e se levantou um pouco. Ainda permanecia de olhos fechados fingindo que estava dormindo. Senti seus lábios em meu pescoço e outro abraço.

Ogron- Eu sei que você está acordada.- Ele me virou e eu abri os olhos.

Stormy- Bom dia.- Falei dando um selinho e me sentando na cama, mas ele segurou meu braço me fazendo deitar novamente.

Ogron- Bom dia minha gostosa.- Ele me deu um beijo um pouco mais demorado, mas depois foi evoluindo para alguns toques maliciosos, uma apertada aqui e ali, uma troca de posição.

Só percebi que isso está indo muito longe quando notei que já estava mechendo os meus quadris em cima do seu...

Stormy- A gente tem que trabalhar, sabia?- Fiquei com dó quando vi o brilho sumindo, mas quis muito rir.

Ogron- A gente não pode ficar e "conversar"?

Stormy- Esse papo de "conversar" vai nós deixar sem roupa!- Sai de cima dele vendo sua cara de criança birrenta.- Tá parecendo um pirralho mimado, levanta preguiçoso!

Ogron- Eu não quero, a gente não pode ficar, conversar, tran...- Não deixei terminar a frase e joguei um travesseiro nele.- Aih, sua chata! Tá bom, eu vou levantar! 

Stormy- Não tem roupa sua aqui, vá pra sua casa e aproveite e fique por lá.- Falei indo até o guarda roupa, separei a roupa normal de trabalho e caminhei até o banheiro o ignorando ainda sentado na minha cama.


...


Saí do banheiro já tirando a toalha quando o vi todo arrumado no meu quarto, cobri meu corpo novamente assim que ele deu aquele sorriso que sempre tira o meu controle.

Stormy- Mas o que você ta fazendo aqui ainda?

Ogron- A senhorita se esqueceu que eu tenho carro e você não?

Stormy- Eu vou voando, me teletransporto...- Ia falar mais opções mas ele colocou o dedo na minha coba e ficou falando "shii", odeio quando ele faz isso.

Ogron- Ah, trovãozinho, as saias que você usa pra trabalhar são muito apertadas e você sabe que não dá pra voar com elas, machuca...- Ele disse com a voz rouca perto do meu ouvido.- E se o Duman tiver ganhado aquela noite maravilhosa que a vtaltery prometeu? 

Meu corpo agiu por si só, e quando dei por mim, já estava deitada de novo e a toalha nem sabia onde estava.

Stormy- Para!- O empurrei e comecei a vesti minhas roupas que já estavam na cama mesmo.

Ogron- Stormy, deixe-me ser teimosa mulher!- Mostrei meu maravilhoso dedo meio e ele mostrou o dele também.- Tó na sala te esperando.- Depois disso só ouvindo o barulho da porta se fechando.

Eu amo ele mas ele é chato, Phillip teve a quem puxar.

Quando comecei a pentear o meu cabelo meu celular vibrou, enganchei a escova no cabelo e peguei meu celular.

"Oi mãe, eu e Taylor já estamos indo pra escola"

"Mãe, lembra da miniatura da Griselda?"

"Estamos dando carona pra ela, e ela mandou um beijo pra titia preferida dela"

Naomi, tem uns oito anos, as pontas do cabelo é bem diferente do cabelo da mãe, é igual ao cabelo do pai que até hoje Griselda se recusa a dizer quem é.

Respondi as mensagens e voltei a pentear o meu cabelo.

Vou ir sem maquiagem hoje pós estou atrasadas e vou atrasar ainda mais indo na casa da Valtery.


Quando sai do quarto me deparei com Ogron encarando a porta do quarto ao lado, a porta trancada de cor amarela que ainda íamos pintar de outra cor.

Ogron- Os móveis ainda estão ai?- Ele perguntou, me aproximei e fiquei ao seu lado.

Stormy- Não tive coragem de desfazer o que estava pronto.

Ogron- Você já entrou aqui depois do que aconteceu?

Stormy- Eu ia desmoronar se entrasse nesse quarto, a última vez que entrei havia uma arma na minha mão.- O silêncio dominou por alguns minutos enquanto encaramos a flor branca que tinha na porta.- É tão estranho.- Comecei a falar.- Sentir falta de alguém que nem pude ver o rosto.

Meus olhos começaram a arder e minhas mãos a tremer, sua mão estava em minha cintura me aproximando para um abraço carinhoso.

Eu não quero chorar, mas por que toda vez que paro aqui tudo parece se repetir...


...


Um alto barulho de música estourava as janelas da casa, estávamos entrando na rua onde Valtery mora. Essa vizinha mora no começo da rua, e a rua é grande! Mas mesmo assim conseguimos ouvir o som de sertanejo.

Stormy- Os vizinhos da Valtery estão tendo um péssimo dia.- Falei ouvindo a risada do Ogron ao meu lado.

Chegamos na casa da Valtery, onde apenas eu iria tentar explicar o que ta acontecendo, não me sinto tão nervosa dês do dia que fui explicar que estava grávida.

Stormy- Obrigada pela carona.- Falei abrindo a porta do carro, o vidro era escuro, então ninguém podia ver que meu Uber era ruivo.

Ogron- Meu pagamento.- Ele fez um sinal me mandando voltar pro carro, me inclinei pra dentro novamente e dei mais um beijo nele.- Fique calma, isso não é tão complexo de explicar.

Stormy- Com certeza, não é nada complexo de explicar que eu estou beijando o meu ex marido em segredo.- Tentei sai do carro e mais uma vez não consegui.

Ogron- Pense no que eu disse, eu preciso de você, eu amo você, eu desejo seu corpo... Tem certeza que precisa ir?- Por mim eu ia continuar nesse carro, mas a Valtery ia me matar se eu não falasse com ela hoje.

Stormy- Tchau Ogron.- Finalmente consegui sair do carro.

Ele ficou com o carro parado por um tempo mas logo foi embora me dando liberdade de toca na campainha.

Um barulho de passos apressados e logo em seguida a porta finalmente abriu. 

E tô muito arrependida de ter saído do carro agora!


Stormy- Então, no final das contas, o Duman teve uma noite maravilhosa?- Perguntei vendo os cabelos loiros dela bagunçados, uma cara de cansada, está com a de mangas longas do marido, sem os shorts, e uma marca vermelha um pouco abaixo do pescoço.

Rir da cara dela enquanto ela corava de vergonha percebendo como me atendeu.

Valtery- Não é isso que você tá pensando!

Stormy- Como você tá em pé?- Perguntei e soltei uma risada alta.

Valtery- Eu passei a noite acordada tentando raciocinar o meu erro, e como não teve a noite, teve a rapidinha de manhã, mas eu e ele ficamos com sono de novo e fomos dormir.

Olhei pra ela de cima pra baixo novamente não caindo na conversinha dela.

Stormy- Duvido muito da sua história!- Falei alto pós aumentaram o som, essa palhaçada é no começo da rua e dá pra ouvir daqui.

Valtery- Foi uma rapidinha meu senhor! Agora eu quero saber da sua rapidinha!- Ela se apoiou na porta me olhando de cima pra baixo.- Como você tá em pé?

Stormy- Me deixe entrar ai eu te explico, não consigo ouvir nada com esse cabaré!- Ela me deu espaço pra entrar e eu já fui sentando no sofá.

Ela me obrigou a levantar e ir na cozinha, "por que?" Você me pergunta. A Darcy fofoca com vinho e a Valtery com café!

Valtery- Agora que estamos no meu "escritório", conte-me mais sobre essa pegação maravilhosa que eu infelizmente atrapalhei.- Ela pegou a chaleira e encheu duas xícaras, ela me entregou uma e sentamos nas cadeiras de madeira branca.

Stormy- Não teve sexo.

Valtery- COMO É?- Oxi, mais já? Pensei que o surto ia ser mais tarde.- Aih meu senhor, a culpa foi minha, me desculpa!

Stormy- Eu agradeço em partes o seu grito de misericórdia. Voltando ao assunto, eu e ele iniciamos essa palhaçada/cabaré no dia que eu saí do hospital.- Ela tomou um gole de café e me olhou com os olhos do tamanho de bolas de ping pong.

Valtery- A Darcy me disse que você precisou sair, mas você sua vagabunda não me disse sobre isso! Me conte mais rapariga!

Stormy- Quando eu saí do hospital eu não fui pra casa, eu fui pra casa dele! Por que eu queria ver meus demônios que eu chamo de filhos. Tá, ele foi me mostrar o quarto de hóspedes e lá nós começamos a conversar sobre nossos filhos, o livro, e sobre o divórcio.

Valtery- Pula logo pra parte interessante!- Ela deixou o café na mesa e apoiou em braços na mesa segurando a cabeça.

Stormy- Ele quis ver o livro que tava na cena hot, e eu não deixei, mas ele pegou o meu notebook e começamos a brincar de pega pega. Nessa brincadeira eu conseguir avança em cima dele! E eu não notei na hora mas eu estava sentadinha certinha no colo dele.- A Valtery começou a falar na língua do "ih", pra ser específica o "ih" de fofoca.

Valtery- Pode prosseguir.

Stormy- Valtery, eu não faço a mínima ideia de como isso aconteceu mas de repente eu me vi de baixo dele com os braços presos, e nossos rostos ficaram próximos... E quando dei por mim já estava beijando ele e minha blusa foi parar em outro patamar...

Um grito fino da Valtery me desconcentrou, vi ela pulando pela cozinha com a xícara de café! Como o café não caiu nela ou no chão, ai eu não sei. Ela continuou pulando e gritando "Meu shipp!" Mas finalmente parou de fazer isso e voltou a surta sentada.

Valtery- Vocês fizeram? Ele ainda tá foda como antes? Você teve um...

Stormy- Não teve sexo!- O brilho no olho dela se foi junto com o sorriso.

Valtery- Então teve todo o momento, todo o clima, tudo já preparado pra noite toda, e não rolou nada!?

Stormy- Não conseguimos, nós caímos na real, eu estava confusa, apenas pedimos desculpa um pro outro e ele saiu do quarto.

Valtery- Mó cabaré acontecendo o quarto de hóspedes e Phill e Taylor aonde? Na pu...

Stormy- Valtery lembra quando você me ligou pra avisar que a dona Neide saiu batendo na cunhada enquanto eu reclamava que tava com fome?- Ela balançou a cabeça e bebeu mais um pouco do café, aproveitei a pausa pra tomar o meu que tava esfriando.- Antes de ir pro trabalho, enquanto Taylor e Phill foram se arrumar para ir pra escola, eu e o Ogron estávamos na cozinha...

Valtery- A sagrada cozinha, onde vimos pela primeira vez você e o Ogron bêbados falando safadezas, onde vimos Valtor e icy se beijando, onde descobrimos que a Darcy e o Glantos tavam realmente namorando e onde vocês atrapalharam o meu momento hot! Tem que ser a cozinha.

Stormy- Até parede que não existe quarto... VOLTANDO AO ASSUNTO, ele queria conversar sobre o beijo mas eu comecei a enrolar, e nessa enrolação teve aquele clima, aquele olhar, aquela tensão... E eu quis fugir. Ele insistiu em conversar sobre o beijo da noite passada, e a gente se beijou de novo... E rolou aquele momento, ele chupou o meu pescoço, abriu os botões da minha camisa, eu baguncei os os cabelos dele... E a Taylor caiu da escada como qualquer dia da semana, e graças a ela nós separamos do beijo e cada um caçou seu rumo.

Não tenho palavras pra descrever a cara da Valtery.

Valtery- Menina do céu... Nem eu quando namorava era tão hardcore assim... A coisa mais doida que eu fiz foi trazer o Duman pra minha casa e quase me entregar antes do casamento.- Ela se abanou com a própria mão e por alguns segundos não falou nada.

Stormy- O resto você já sabe, ele invadiu a casa e nós pegamos na cozinha, e se não fosse por você, eu e ele teríamos aproveitado a noite de outro jeito.

Soltei um pequeno sorriso quando falei isso.

"Aproveitado a noite de outro jeito"

Por que só de pensar nisso as memórias de antes voltam a tona? Me dando mais vontade.

Logo vi o rosto da Valtery ficar vermelho e ela se levantou tão rápido que quase caiu, olhei pra trás e vi só o vulto do Duman.

Valtery saiu da cozinha e pude ouvir ela resmungando, me levantei pra ver o circo pega fogo e comecei a rir quando vi o Duman quase nu.

Stormy- Uma rapidinha?

Valtery- Vá toma no cu Stormy, e você vá pro quarto e coloque uma calça!

Duman- E você coloque uma roupa que cubra seu pescoço.- Valtery que já estava vermelha parecia um pimentão, enquanto eu me virava de costas rindo e caminhava até a porta.

Stormy- Tô indo trabalhar, e podem continuar com sua rapidinha.- Quando vi ela pegar uma das havaianas, sai correndo e fechando a porta. Só ouvi o barulho da chinela contra a porta e minha risada.

Ai meu senhor eu tenho que ir trabalhar!


Notas Finais


Misericórdia digo eu agora, o o tamanho do capítulo! Vala meu pai! Eu preciso descansar


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...