1. Spirit Fanfics >
  2. Amantes.- Sentimentos reprimidos. >
  3. Eu te peço.

História Amantes.- Sentimentos reprimidos. - Capítulo 4


Escrita por: e PiperDrogada


Notas do Autor


Imagem meramente ilustrativa.- Mostra uma personagem para ilustrar a Débora.

Capítulo 4 - Eu te peço.


Fanfic / Fanfiction Amantes.- Sentimentos reprimidos. - Capítulo 4 - Eu te peço.

Artur p.o.v:

Eu acabei dizendo uma frase que deve ter abalado Daniel, mas que foi necessário para abrir sua mente foi. Ele pode até me odiar e ofender-se, mas fui sincero.

Sempre gostei do Daniel, ele foi o meu único amigo em muitos anos de vida. Isso me fez criar um vínculo muito forte com ele, por isso acredito que Luana não seja a opção certa, e sim eu!

Eu tenho que dizer a verdade sobre o que eu sinto por ele, ou talvez seja tarde demais para isso. Ele foi embora, mas ainda posso mandar mensagem pars ele.

"Daniel, me desculpe por ter falado tudo aquilo, não era minha intenção!"

Lamentava o meu erro. Pelo que pareceu ele chegou em casa pois estava online e começava a digitar.

"Não se preocupe Artur, eu te entendo completamente."

Fiquei chocado, ele fez meu coração acelerar e fiquei muito feliz por ler aquilo.

"Sei que eu não estou sendo um bom amigo!"

Respondi rapidamente.

"Por que está se culpando? Você não fez nada, foi eu que fiz!"

Ele volta a digitar, fiquei meio apreensivo, talvez medroso pelo que ele diria.

"Eu estava trocando você por uma mulher, algo que um amigo não deve fazer, nunca!"

Senti algumas lágrimas escorrerem, estava bem triste e culpado, acho melhor falar toda essa culpa para não ficar me condenando.

"Esquece isso eu fui um idiota também e não devia ter feito tudo que fiz, agi como uma criança invés de falar tudo que sentia logo de uma vez."

Ele demora um pouco para responder, então digita, e digita. Assim manda algo que fez meu coração acelerar mais ainda, ele é realmente um anjo.

" Tem razão. O importante é que somos melhores amigos e nada vai nos separar."

Em seguida ele diz que precisava entrar em casa, fiquei bem feliz por falar com ele, então me lembrei que Débora estava na cozinha, desci e vi ela fazendo o café da manhã.

— Então, vocês dois estão se entendendo?— Débora curiosa fala, assim servindo uma xícara de café.

— Sim. Acabamos de ter uma simples conversa e agora estamos 100% bem.— Respondi com um sorriso imenso e não estava mais triste.

Demora se senta na mesa com seu café, ela estava bem vestida, preparada para sair eu acho, ainda devo desculpas a ela sobre o que estava fazendo.

- Débora.— Ela olha para mim, parando a xícara perto dos lábios.— Me desculpa por ter sido um mentiroso.— Ela ri, fiquei sem entender.

— Tudo bem, na verdade eu devia saber, afinal, você ama o Daniel, não é?

— Ah... Que... Ah... Como sabe disso Débora?

— Digamos que eu percebi isso um pouco antes da briga de mais cedo.— Bebeu seu café.

— Entendo.— Virei o rosto, envergonhado, preciso mudar de assunto, Débora vai acabar me deixando igual um tomate se isso continuar.— Vai sair hoje?

— Ia sair hoje para um parque de diversões que chegou recentemente na cidade.— Débora fala com uma alegria espontânea, deve ser algum encontro seila.— Talvez, você e Daniel possam ir juntos na roda gigante.

— S-Sim.— Eu digo gaguejando, ela não vai mesmo esquecer isso.

— POSSO IR? POR FAVOR!— Daira diz entrando na casa, Daniel havia deixado a porta destravada e Débora nem reparou.

— Pode ir sim, iremos nós cinco, às 19:30, na entrada principal.— Digo terminando meu café da manhã, Daira se senta na mesa.— Sem atraso, ouviram?

— Nós cinco?— Diz Daira e Débora, surpresas com o que acabei de dizer.— Como assim?

— Sim. Vocês duas, Eu, Daniel e Luana, iremos todos juntos e sem mais perguntas!

As duas concordam, bom, Daira nem se importava, tenho certeza que vamos perder ela para as barracas de jogos antes dos primeiros dez minutos. 

Isso é bem dela, Daira é uma otima jogadora de esportes e sabe ter agilidade, precisão, se não fosse por ela trabalhar com sua família em um restaurante aqui perto, diria que ela ia virar jogadora de vôlei ou basquete.

 Bom, nós três decidimos ir para nossas casas esperar ser a hora do passeio. Menos Daira, ela iria para a casa de Débora antes, talvez eu faça uma ligação para Daniel, afinal, tenho que saber se ele vai poder ir ou não.

Ligação:

— Alô? Daniel?

— Não. Luana.— Que droga, vou ter que aguentar isso por enquanto.— O que deseja?

— Queria falar com Daniel.

— Ele está...

— Mas você também pode dizer à ele.— Corto ela, não quero demorar muito nessa ligação.

— Ah... Está bem.— Respirei fundo, é agora ou nunca.

— Vocês dois querem vir comigo e umas amigas para o parque que abriu?

— Sim, vou com Daniel.

— Valeu.— Ia desligar.

— Pera, pera.

— Diga.

— Ah... Vê se não apronta, está bem? Não tolero insultos.

— O pedido é válido e recíproco, espero que falamos uma trégua por enquanto.

— Sim, pelo Daniel.

— Pelo Daniel.— Desligamos em seguida, dei um sorriso sutil, meio maquiavélico.

Continua...


Notas Finais


FIM DA NOVELA AVENIDA BRASIL...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...