História Amarelo é a Cor mais Quente - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Gravity Falls
Personagens Bill Cipher, Dipper Pines, Mabel Pines, Pacifica Northwest, Stanford "Ford" Pines, Stanley "Stan" Pines, Wendy Corduroy
Tags Bill, Billdip, Dipper, Hentai, Lemon, Mabcifica, Orange, Romance, Sadomasoquismo
Visualizações 399
Palavras 630
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, Magia, Mistério, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hmf. Olá a todos, quanto tempo não?
Eu estou aqui porque eu decidi reescrever TODA a história de Amarelo é a Cor Mais Quente. Vou apagar todos os capítulos e recomeçar – Provavelmente quando vocês lerem isso, eu já terei apagado – Mas antes de mais nada, EU não estou rescrevendo isso por mero capricho de vocês, tão pouco por sua insatisfação com o final. Isso foi uma decisão minha, para meu próprio agrado. A muito tempo eu deixei de gostar desta fanfic, muito mesmo, e toda vez que eu a vejo eu sinto um profundo nojo do que foi colocado aqui. Mas eu sou muito orgulhosa para simplesmente a apagar, por isso decidi reescrever ela. Apenas e meramente por isso.

Mas isso não anula em nada que, eu vou conduzi-la com MEUS gostos, logo se vocês esperam que eu vou fazer um final feliz, PAREM. Ninguém além de mim mesma sabe como ela vai acabar, então não adianta ficar me cobrando um final feliz, ou mesmo para manter o que estava, porque eu vou mudar muita coisa. Se vai ser ter um final feliz ou não, quem decide sou eu.


Ainda penso se os personagens serão os mesmo, e a trama, mas eu vou sim mudar muita coisa. – Novamente, já devo estar com boa parte da história pensada quando postar isso. – Os casais podem também não escapar. Pode ser que eu mantenha as mesmas panelinhas, ou não. Aguardem.


O que venho é pedir que, se você gostava dessa fanfic, dê seu apoio, isso é muito fundamental para mim continuar, motivar um autor é sempre bom, mas também não se sintam forçados ou qualquer coisa do tipo, por favor. Eu quero muito contar com vocês nesse recomeço. É isto. Espero contar com vocês.

O capítulo é propositalmente pequeno, o próximo será maior. Comentem muito.

Capítulo 1 - Capítulo Um


Capítulo I.

 

 

 

— Dipper, você por acaso viu minhas galochas amarelas? — Mabel questionou dando duas batidas na porta de madeira aberta, tirando minha atenção da janela por onde os pingos de chuvas tremulavam.

 

— Hum, da ultima vez que vi... — Parei um pouco, procurando em minha mente o local exato. —... estavam perto da geladeira da cozinha.

 

Sorrindo, Mabel agradeceu e saiu correndo para o cômodo no andar de baixo.

 

Me ergui e caminhei até a minha cama, pegando minha mochila nova e conferindo se eu havia colocado tudo certinho: livros, lápis, caneta, caderno. Sim, estava tudo lá. Joguei-a em minhas costas e sai do quarto, o trancando. A luz do corredor tremulou um pouco e eu a apaguei. “Tenho que lembrar Stan de trocar ela”. Pensei.

Após descer a escada, dei de cara com Ford sentado na mesa de jantar olhando o jornal e tomando um pouco de café, enquanto tentava dar atenção a Mabel que tagarelava sobre as coisas que aprendia – ou tentava – em nossa escola.

 

— Bom dia. Ou já é tarde?

Cumprimentei meu tio avô, já que não havia o visto a manhã toda.

 

— Ei, boa tarde, rapaz. — Ele sorriu enquanto ajeitava o jornal recém virado. O cheiro de papel e café quente eram gostosos, e se aninhavam ao barulho da chuva fraca fora de casa. — O almoço já está pronto, tentem não se atrasar. — Comentou.

 

— Pode deixar. — Mabel e eu respondemos juntos.  Caminhei até a nossa cozinha, encostando a bancada e pegando um prato. Havia macarrão e molho de espaguete no fogão, e algumas verduras em uma tigela de vidro, o cheiro de tempero e orégano era ótimo.

 

— Não pega tudo, droga. — Senti Mabel se debruçar em minhas costas e bater minha mão que puxava o macarrão.

 

— Cuidado!

 

— Eu que digo, eu também tenho que comer. — Ela sorriu birrenta e foi para o meu lado, pegando um prato igualmente a mim.

 

— Quanto drama. — Resmunguei saindo de lá e pegando um copo de plástico verde. — Trás o suco. — Sai do cômodo e largando a mochila ao pé da cadeira, me sentei a mesa com Mabel logo em meu encalço.

 

Minha irmã colocou a jarra com a bebida no centro da mesa e eu tratei de por um pouco para mim. A comida além de cheirosa, também tinha um gosto ótimo, provando que Ford também era um bom cozinheiro.

 

— Isso está ó-ti-mo. — Mabel elogiou e eu concordei com a cabeça.

 

— Obrigada. Sou muito bom com massas. — Ford respondeu. — Stanlay! Comida! — Ele falou alto, e não tardou para Stan, nosso outro tio avô, surgir com sua cara amassada de cochilos mal tirados no sofá da sala, se juntando a nós.

Após terminar minha comida, peguei minha mochila indo até a porta da frente a abrindo, pronto para tomar o rumo da escola.

 

— Me espera! — Mabel disse com a boca cheia, claramente desesperada enquanto empurrava o que podia garganta a baixo.

 

— Rápido. — Disse.

 

Meu celular apitou no bolso de trás do meu jeans. Era uma foto que Finn, um dos meus melhores amigos da minha antiga escola havia postado.

[Foto]

“A galera já não é a mesma, urgh >: @PDipper volta para San Diego”

 

Era um foto dele com Wirt e Beatrice, na área verde do colégio.  Mais ao fundo dava para ver Greg, o irmão mais novo de Wirt e recém-chegado ao ensino médio tentando sair na foto. Acabei rindo. 

 

— O que foi? — Mabel se enfiou entre o celular e eu a fim de ver o que eu via.

 

— Finn sendo Finn. — Respondi sorrindo ao pensar no tempo em que ainda vivíamos na Califórnia.

 

— Sei que sente saudades. — Ela deu um soquinho em meu ombro.

 

— Hm.

 

Trancamos a porta, se pondo a descer a rua. Wybie estava parado na esquina, nos esperando. Enfim, mais um dia de escola em Gravity Falls.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...