1. Spirit Fanfics >
  2. Ambivalência >
  3. Tiffany

História Ambivalência - Capítulo 4


Escrita por: e Jeidew


Notas do Autor


Então...Só tenho a dizer que adoro a Tiffany!

Ah e esse capitulo revela algumas coisinhas, mínimas, porém prestem atenção nesses detalhes que logo eles aparecem de novo...Pra eu não falar demais... Relevem quaisquer erros peloamôdi deus!!

Boa leitura!!

Capítulo 4 - Tiffany


Fanfic / Fanfiction Ambivalência - Capítulo 4 - Tiffany

O semestre da faculdade mal havia começado e Tiffany já tinha que comparecer a um dos jantares da empresa de seu pai, estresse dobrado em uma única semana. Ela gostava muito do velho, foi um dos poucos que teve paciência com os seus traumas do Ensino Médio que transformaram sua personalidade drasticamente, mas os encontros sociais que ele organizava eram um porre, principalmente pelo fato de que alguns dos sócios vivam tentando algo com ela, mesmo com uma diferença de idade gritante.

Eram quase três da tarde quando Tiffany resolve se levantar da cama, estivera acordada nos últimos vinte minutos juntando forças para se mover, mas todas as suas tentativas, antes da última, foram falhas. As noites que Seohyun estava brava ou estressada cansavam a morena ao extremo, já que a mais nova extravasava no corpo alheio todas suas frustrações, mas nunca machucando Tiffany, a menos que ela pedisse. Seu pai e a madrasta já eram acostumados com os horários que a garota despertava aos finais de semana e sua mãe não podia opinar já que não estava presente na figura.

Após uma meia hora sentada na mesa que continha seu computador, vendo vídeos variados que lhe agradassem e curtindo postagens aleatórias que encontrava em seu feed, a morena resolve tomar um banho para tirar o sono e o suor do seu corpo. Ao acabar o ato, escolheu vestir um pijama confortável até a hora do jantar, que consistia em um short xadrez preto e branco e uma regata do mesmo tom, justamente por ter dormido com a roupa que tinha no corpo quando chegou. Seu estômago estava inquieto, com a mistura de fome e azia pela falta de comida, tendo isso em mente a jovem decide descer os dois pares de escada e ir em rumo a cozinha.

- Bom dia, Sra. Hwang! – Falou a morena enquanto entrava na cozinha e avistava uma figura esbelta de vestido acinzentado e com cabelos vermelhos.

- Ai, Fany! Você com essa mania de falar comigo formalmente. – Comentou a ruiva enquanto servia um chá gelado na bancada.

- Ei! É só porque eu sou muuuuuuuuuuito feliz de ter você na nossa família. – Explicou a mais nova dando um beijo na bochecha da mulher e indo em direção a geladeira.

- Sempre me deixando sem graça. – Responde a madrasta acompanhada de uma risada de alívio e felicidade. – Eu guardei um prato com o almoço para você aí na geladeira, é só esquentar.

- Tá aqui achei, obrigada Bada, tudo para mim!

- Alguém acordou de bom humor hoje, hein? Bom eu vou assistir algum filme na sala, se precisar de algo é só gritar.

- Pode deixar. – Respondeu a morena com a boca cheia de massa ao molho branco, especialidade da governanta da casa, que teve o resto do dia de folga.

A vida de Tiffany foi cheia de altos e baixos, principalmente quanto a movimentação das pessoas ao seu redor, sua mãe que se mudou com o professor de dança para a América quando ela tinha 10 anos, deixando seu pai e a governanta Mayu como seus pilares, não abandonando a garota nem no pior de suas crises. Bada se casou com o Sr. Hwang quando a menina tinha 13 anos e a considerava como uma filha, mas nunca a obrigou a chamá-la de mãe, mesmo assim a garota adquiriu o instinto de fazê-lo após alguns anos. Eles tornaram-se a base da mulher que ela é hoje, inclusive apoiando-a na pior situação que tivera que enfrentar durante seus anos de escola, que resultou na troca de país da menina, tendo o seu retorno quando decidiu cursar a faculdade na sua cidade natal. Ela era muito grata pelos três. Seus dois últimos anos do ensino médio em um internato francês ajudaram-na a controlar sua raiva, mas não reverteram a sua personalidade, fazendo com que a jovem se tornasse a literal rebelde sem causa. Tinha bastante atitude, lutava pelo que achava certo, se metia em diversas brigas e vivia tudo ao extremo, no entanto não odiava tudo e a todos ao seu redor, com pequenas exceções.

Após terminar seu almoço, a morena foi em direção a sala onde Bada quase dormia assistindo a um filme antigo de velho oeste. Tiffany teve pena de atrapalhar o quase sono da mulher sentada na poltrona a sua frente, mas precisava comunicar a sua saída durante o jantar.

- Mãezinha...

- Hum? Que foi? – Responde a ruiva saindo do seu transe.

- Eu vou ter que sair mais cedo do jantar, será que o pai vai ficar de cara? – Comenta a mais nova enquanto se encosta na borda da poltrona.

- Creio que não, qualquer coisa eu falo alguma desculpa por você. É até bom que você saia, aquele bando de urubu na sua volta me dá nos nervos. – Explica a mais velha. – Aliás se algum deles estiver muito persistente você me chama.

- Chamo, é melhor você intervir do que eu agredir um deles.

- Também acho, se não seu pai fica sem investidores. – Comenta a madrasta rindo, sendo acompanhada pela jovem. – Não se atrasa para se arrumar que daqui umas duas horas vão passar aqui para nos buscar.

- Sim senhora!

 A morena sobe as escadas de volta ao seu quarto e decide confirmar a saída com Sunny e Seohyun que ocorreria mais tarde. Ela se joga na cama e manda a mensagem antes que acabasse tirando um cochilo.

- ALOW suas quengas

Gremlin 16:45

- Logo quem falando, que que foi?

- Tudo certo pra hoje de noite né?

- Não quero ter que ficar naquele jantar horrendo

Gremlin 16:48

- Por mim sim, tem que ver com a Seo

Fragmentada 16:50

- Por mim também

- Talvez a Ji-hae esteja lá com algumas amigas zzz

- Ih amiga, não sabia que o bar permitia animais.

Gremlin 16:51

- Acho que se for na coleira sim.

- Então não vai ter problema já que a Seo vai tá lá.

Fragmentada 16:54

- Vocês não têm mais o que fazer não?

- Mais do que encher seu saco? Nunca.

Gremlin 16:55

- Not really

Fragmentada 16:58

- Vou trabalhar que eu ganho mais.

- Beijossss

 

  Após acordar do seu cochilo de uma hora, Tiffany finalmente resolve se arrumar para o famoso jantar. Esse não seria um dos extravagantes e grandiosos, era mais uma reunião casual na casa de um dos sócios, que a jovem dera graças a deus que não era a dela. Tendo em mente sua saída no meio da ocasião, se vestira de acordo com o queria usar caso fosse direto ao bar. A morena resolveu usar um par de jeans preto e uma jaqueta de couro da mesma cor com uma blusa tule cinza de manga longa, sendo assim, passou uma maquiagem leve, apenas realçando o lápis no olho.

 Eram oito e quinze da noite quando o carro do Sr. Hwang havia parado em frente à casa onde duas figuras o esperaram por alguns minutos. As duas mulheres entraram no veículo e deram seus breves cumprimentos ao homem que dirigia e logo partiram para seu destino.

Tiffany já sentia arrepios por entrar no local, sabia que sua vestimenta não estava “adequada” para a situação, mas não era isso que a incomodava, e sim certos olhares, que ela já conhecia, um jantar de pessoas influentes não era apenas um jantar afinal, pois haviam várias pessoas por ali, e quando se pensa em várias, eram várias mesmo, o local era gigantesco, o ambiente tinha uma combinação de branco e cinza, com cortinas de seda tapando as paredes da entrada feitas todas de vidro. Hall de entrada apresentava uma escadaria branca de mármore enorme que levava aos aposentos de seus residentes, além da decoração feita de artes abstratas e sofisticadas produzidas pela esposa do proprietário, bastante conhecida nacionalmente.

Um mordomo mantinha-se ereto na entrada aguardando a chegada de cada convidado, recolhendo os pertences e casacos, guardando-os em um closet maior que a sala da residência dos Hwang, que não era nada simplória.  O salão que seria realizada a janta contava com uma mesa central e outras oito mesas redondas para acomodar cada um dos sócios e suas famílias, o cômodo era conectado a uma área de lazer que continha uma mesa de bilhar logo em frente a uma televisão, que cobria quase toda parede, que transmitia um jogo de esporte genérico. Em sua volta era possível observar alguns sócios, funcionários de altos cargos e os filhos destes utilizando-se do entretenimento a sua frente, assim como garrafas de uísque caras, vários charutos acesos na mão da maioria dos homens, enquanto as mulheres continham drinks nas mãos e conversavam entre sim em uma área cheia de sofás e poltronas. A jovem odiava toda essa cena, a risada alta de cada um deles soava para seus ouvidos como um garfo sendo arrastado em um prato sem parar e a divisão entre sexos a irritava mais ainda, tanto que seu passatempo favorito era mexer com o status quo que esses jantares traziam, geralmente dividia um dos charutos com seu pai e humilhava qualquer um que jogasse bilhar contra ela, algo que nunca incomodou o velho, muito pelo contrário, adorava que a garota era completamente diferente dos herdeiros de seus parceiros.

Na hora da janta, Tiffany agradece mentalmente por estar conseguindo sair de fininho dali, mas ainda consegue enxergar um rosto conhecido a fitando, de longe. A figura, em um belo vestido preto sem mangas, que ficava um pouco acima de seus joelhos, poderia ser facilmente escondida pela postura e tamanho do homem ao qual seu braço estava entrelaçado, porém a morena conseguia a ver com perfeição, e esta também conseguia vê-la, e embora quisesse, não conseguia desviar o olhar, não poderia, não queria.

 

 

A jovem chega ao bar pela volta das dez horas da noite e suas duas companheiras já estavam a sua espera na mesa com seu drink favorito, um Martini rose, enquanto Sunny bebia sua gin tônica de sempre e Seohyun saboreava-se com uma dose de uísque antes de começar sua mistura de sempre, consistindo em drinks variados dependendo do dia.

- Caramba hein? Achei que você tinha esquecido a gente no churrasco. – Comenta a mais baixa dentre elas indignada, enquanto a mais nova ria da careta feita pela recém-chegada.

- Miss perfeição você, né? Nunca se atrasa e nem dá bolo na gente, COF COF.

- Você sabe que é para você tossir e não falar a palavra, certo?

- Me dá um tempo Seohyun. - Responde enquanto se senta na cadeira disponível e pendura sua bolsa e jaqueta. – Meu Deus eu amo tanto vocês, lá naquele inferno só tinha cerveja, uísque e licor, eu queria morrer. – Decidindo beber o líquido que estava em sua frente.

- Tá, mas e aí, como que tava o grande jantar do Hwang e associados.

- Ih Sun, mesma porcaria de sempre, o vice-presidente dando em cima de mim sem parar, a Bada remediando entre servir de esposa troféu e tentar tirar ele de cima de mim e o velho coitado, completamente a par da situação sendo paparicado por todos os sócios...E ...  – Tiffany pondera sobre o que iria falar, mas decide afastar seus pensamentos sobre sua saída da festa – Enfim, ainda bem que vim pra cá logo. – Sunny olha para esta, pensativa, porém seus pensamentos são interrompidos pela castanha ao seu lado.

- Nossa Fany, o teu pai realmente não enxerga esse maluco te enchendo né? – Indaga virando seu copo que resultava em gelo puro naquela hora, recebendo um balançar de cabeça negativo como resposta – Mas enfim, gente acabou meu uísque, vou lá pedir alguma outra coisa, vocês querem algo?

- Eu quero mais uma gin tônica.

- Tô meio afim de uma também, pede duas e uma água pra balancear tudo.

A mais nova da mesa levanta-se, carregando seu copo em direção ao balcão que a bartender ficava, enquanto as duas a esperavam na mesa conversando sobre alguma paquera de Sunny. Quando a estudante retornou carregava consigo duas gin tônicas e um Cosmopolitan, assim como um sorriso debochado.

- Gente olha ali, na mesa lá do outro canto do bar, no lado da bancada. – Aponta de leve com a cabeça para o local no qual comentava. – A Ji-hae tentando me fazer ciúmes com aquela baixinha. – Riu entretida com a situação

- Coitada da baixinha, não tá gostando nem um pouco. Ei, e a água? – Comenta Tiffany enquanto observa a segunda garota se esquivando do braço da maior que sentava ao seu lado, enquanto uma terceira garota apenas bebericava seu drink envergonhada.

- A Yeri é uma das colegas dela, essa sofre fazendo os trabalhos. E água pra quê? Gin tônica tem água.

- E a bonitona alta do lado delas? – A entonação de interesse da menor não passou despercebido pela mais nova.

- Ihhhhh Sunny, é a Sooyoung, porquê? Tá procurando a próxima vítima é?

- Para de bobagem garota, só achei ela bonitona.

- Que pena, porque é amiga de você sabe quem. – Dessa vez era Tiffany quem adentrava no assunto, parecendo um tanto quanto incomodada.

- Então é bomba, prefiro ficar com a minha Antarctica Subzero mesmo. – Sendo respondida com gargalhadas. – Falando no diabo, olha ela ali sentada no bar.

A atenção das duas mulheres que a acompanhavam se redirecionou a figura que Soonkyu havia mencionado, encontrado uma das professoras da universidade que ambas estudavam. Seohyun foi a primeira a ter uma reação, ao se engasgar com o gole do seu Cosmopolitan que acabara de colocar na boca, seguida da colega de classe que esboçou uma expressão de enjoo.

- É sério Sunny? Eu sabia que você era afim de umas sugar mommys, mas a Yuri? – Questionou enquanto ajudava a amiga a desengasgar com alguns tapinhas nas costas. – Tá bem Seo?

- Vocês conhecem ela?

- Tô sim, mas minha garganta tá ardendo. – Responde a mais nova fazendo uma carinha de choro, que logo é acolhida pela mão de cada uma das mais velhas apertando suas bochechas – Sim, a gente conhece, ela dá aula para o nosso curso e alguns outros... – Tendo guardanapos oferecidos pela que fizera a pergunta, logo em seguida limpando sua boca. – Só entrei em choque, já que não é nenhum pouco seu estilo, além de vir com uns papos bizarros, é gente boa..., mas acho que você quebraria o coraçãozinho dela – Fala Seohyun, com um semblante entristecido no rosto.

- Não sendo minha professora tá ótimo... Vocês iam se importar se eu chamasse ela pra beber com a gente?

- Ughhhh o que eu não faço por você Lee Soonkyu, espero que você pague uma rodada e minha terapia. – Comenta Tiffany, enquanto mexia desleixadamente no seu Instagram.

- Por que ela ia se pagar pra você? – Tinha como origem uma Seohyun que estava a meio caminho de ficar completamente bêbada, recebendo um olhar fulminante da mais baixa e uma risada abafada da terceira.

- Eu pago a bebida, mas o último ia ser muito caro. – Sunny pisca para Tiffany com um sorriso sarcástico ao se levantar da mesa e ir em direção ao seu próximo interesse.

 A professora se juntou a mesa das jovens e por incrível que pareça Yuri foi capaz de entretê-las sem nenhum tipo de constrangimento ou situação vergonhosa, fazendo de tudo para conquistar Soonkyu. A conversa foi longe, Seohyun continuou demonstrando seu lado fofo, mesmo com uma presença da qual não estava acostumada, Tiffany foi bem receptiva e Sunny tinha seu jeito de sempre quando tinha o interesse em alguém. Por volta das duas da manhã resolveram ir embora, tendo em vista que a mais nova entre as quatro já estava cochilando no ombro da sua colega de classe.

Ao chegar na sua residência, Tiffany recolheu-se diretamente aos seus aposentos, no entanto ao deitar na cama não conseguia pregar o olho, se sentia extremamente cansada, mas não tinha paz de espírito para dormir. Ela sabia o porquê, era o rosto que vira no jantar mais cedo. Com isso, todas suas lembranças retornaram como um soco no estômago, deixando-a inquieta e desconcentrada, tudo causado por aquele maldito olhar.

- Realmente, ambivalência é o sentimento de amor e ódio por uma mesma pessoa. - Falava sozinha em meio a escuridão em conjunto com uma risada desdenhosa ao fitar a tatuagem escondida na parte interior do seu braço.

 

 

- E eu te odeio, Kim Taeyeon.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...