1. Spirit Fanfics >
  2. Amigas ,amigas ,Griezmann à parte >
  3. Tudo no seu devido lugar.

História Amigas ,amigas ,Griezmann à parte - Capítulo 30


Escrita por: e tata_grizi


Notas do Autor


Oi! Tudo bem com vocês? Espero que sim :)
Uma ótima leitura <3

Capítulo 30 - Tudo no seu devido lugar.


Fanfic / Fanfiction Amigas ,amigas ,Griezmann à parte - Capítulo 30 - Tudo no seu devido lugar.

                                       CLARISSA

  - Não quer que eu pare? – Griezmann pergunta com um olhar malicioso.

 - Não! Quero que você seja o primeiro e também o último – Sorri.

 - Eu também quero – Ele diz, me encarando com seu belo par de olhos azuis.

 - Quer que eu seja a primeira? – Pergunto irônica.

 - Quero que você seja a última – Antoine responde sério, me beijando com delicadeza - Eu amo você! – Ele praticamente sussurra em meu ouvido e suas palavras fazem com que meu pescoço se arrepie.

 - Eu também.

 Nós nos beijamos com lentidão e calma. Suas mãos estão sobre minha cintura e as minhas, sobre seu rosto. Estou aproveitando cada segundo. Quero que Antoine seja meu e também quero pertencer a ele.

 - Trouxe preservativo, certo? – Pergunto, interrompendo o beijo.

 - Claro! – Ele ri – Eu ando sempre prevenido – Rimos juntos.

 E então, eu tomo a iniciativa em beijar sua boca novamente. Seu perfume está me embriagando, é um cheiro forte e viciante.

 - Seu perfume é ótimo – Digo, mordendo de leve seu lábio inferior.

 - O seu também é muito gostoso – Antoine diz, beijando o meu pescoço e colocando seu corpo sobre o meu no sofá.

 Primeiro ele tira sua camisa, fazendo com meus olhos não consigam olhar para outra coisa, além de seu abdômen definido. Depois, Antoine arranca minha camisola com brutalidade, fazendo com que eu o beije com mais vontade. Por fim, não há mais nenhuma peça de roupa sobre nossos corpos e me sinto um pouco envergonhada com seu olhar “maldoso” sobre mim. Porém, essa sensação logo vai embora e sinto apenas vontade de ir até o fim.

 - Eu quero ser sua – Sussurro em seu ouvido, quando ele pressiona seu corpo contra o meu no sofá.

 E assim, com nossos corpos colados, deixo o me invadir por inteira. Agora, ele é meu e eu, dele.

 No começo é um pouco desconfortável, mas depois tudo parece se encaixar e me sinto mais relaxada. É tudo novo e estranho pra mim, mas Antoine está sendo um ótimo “guia” nessa viagem ao desconhecido.

                                       .        .        .

                                    LENA

 Acordo com o barulho alto do despertador. Desligo o mesmo com rapidez e fecho os olhos novamente, mas em questão de segundos me lembro o porquê do relógio ter tocado.

 É hoje, o dia de meu primeiro ultrassom. Estou nervosa! Ainda não me acostumei com a ideia de estar grávida.

 Escuto outro barulho, mas desta vez não é o despertador e sim meu celular.

 - Alô? Lena? É o Saúl – Ele diz meio ofegante.

 - Oi – respondo sem jeito, pois sei o porquê de sua ligação.

 - Eu sei que não quer que eu vá a primeira consulta e tal, mas pelo menos me deixa te acompanhar? Eu fico do lado de fora, prometo – Ele diz com tanta fofura, que mesmo eu estando um pouco envergonhada com o exame, digo sim.

 - Ta bom! Pode ir, meu amor- Digo e escuto-o comemorando do outro lado da linha.

 - Beleza. Passo ai para te buscar em meia hora, ok?

 - Ta. Então, vou comer, porque tô morrendo de fome – Ele ri.

 - Isso mesmo! Não quero que minha namorada e meu filho ou filha fiquem com fome.

 - Até já, meu ursinho – Interrompo a ligação e começo a me arrumar para a primeira consulta.

  Coloco apenas uma calça jeans e uma camisa branca, mas decido tirar e depois coloco a mesma roupa outra vez. Estou confusa, não sei que roupa usar em um pré- natal. Nunca fiz isso antes. Porém, no fim decido não trocar mais de roupa, pois sou interrompida pelo ronco de minha barriga. E bom, eu não sei muita coisa sobre gravidez, mas uma coisa eu aprendi, desde pequena, uma mulher grávida tem que comer em dobro.

 - Calma bebê esfomeado – Digo para minha barriga e me encaminho para a cozinha.

 

 - MEU DEUS! – Levo um enorme susto, quando passo pela sala.

 Clarissa e Antoine estão dormindo no sofá. Enquanto ela está apenas de lingerie, Anto não usa roupa alguma.

 - Lena?! - Antoine se assusta e se esconde atrás do sofá.

 - O que aconteceu aqui? – Pergunto rindo.

 - Droga! – Clarissa diz se vestindo – Que vergonha – Ela respira fundo.

- Tá tudo bem – Não consigo parar de rir – Aposto que a noite foi boa, né?

 - Foi ótima! – Antoine responde, depois de já ter vestido suas roupas.

 - Antoine?! – Clarissa bufa e se encaminha  ao banheiro.

 - Mas, da próxima vez, usem o quarto – Me dirijo a Grizi e escuto batidas na porta.

 Assim, rapidamente a abro e o pai do meu filho sorri para mim com uma cara de bobo.

 - Bom dia, meu amor – Saúl diz e em seguida beija minha bochecha.

 - Bom dia! – Ele está tão feliz. Completamente diferente de mim, que estou apavorada com a consulta.

 - Grizi?! – Ele pergunta, vendo o francês no sofá – Achei que tinha ido ao treino mais cedo.

 - Não! Estava aqui com a minha namorada – Anto sorri.

 - Lena, nós temos que ir , já estamos atrasados – Meu namorado diz, olhando para o relógio em pulso direito.

 - Mas, eu nem comi ainda e a Clarissa tá no banho.

 - Eu comprei biscoitos, estão no carro e sobre a Clarissa, não dará  para esperá-la.

 - Tudo bem! Vamos de uma vez, então.

                                     .       .         .

 

 - Lena Rodrigues – A moça da recepção chama meu nome, assim que chegamos a clínica.

 - É sua vez Lena – Saúl diz e eu me levanto da poltrona – Vai dar tudo certo – Ele segura em minhas mãos, que estão geladas e tremulas.

 - Saúl. . . – Respiro fundo - Quero que vá comigo – Olho diretamente para seus olhos e percebo como ele fica feliz com as minhas palavras- Eu sei que disse que não queria, mas não quero ficar sozinha.

 Então, ele segura em minha mão e nos encaminhamos para a sala da obstetra. Tento controlar minha respiração, mas é quase impossível. Estou ansiosa, nervosa e com medo. Porém, tendo Saúl ao meu lado, me sinto um pouco mais segura.

 Nós entramos na sala da médica e ela nos cumprimenta com um aperto de mão. E assim, conversamos bastante e me sinto muito mais calma. A doutora Erika é muito simpática, e tira todas minhas dúvidas sobre a gravidez. . .que não são poucas.

 - Lena, agora pode entrar no vestiário e por essa camisola hospitalar, ok? – Ela diz me entregando o traje – Peço que tire toda a sua roupa, tudo bem? Fique tranquila. Pois, o ultrasson transvaginal é rápido e prático.

 - Ok – Pego a camisola da mão da mesma e me encaminho para o vestiário.

 Não sei como será tal exame e sinto meu coração bater forte.

 - Pronta? – A médica pergunta quando saio do vestiário – Pode deitar aqui.

 -ok – Digo.

 - Bom, mamãe e papai, aqui nós temos essa TV, por onde vocês verão o filho de vocês pela primeira vez – Ela explica enquanto me deito na maca – Pode abrir as pernas, Lena – Erika pede e assim o faço.

 Saúl, segura a minha mão com força e sinto que ele também está nervoso. A médica, então, introduz o aparelho lentamente e não sinto praticamente nada.

 - Bom esse é o bebezinho de vocês – Ela aponta para a TV.

 - Ele é tão pequeno – Saúl diz sorridente.

 - Sim! Lena está apenas de sete semanas, dessa forma ele. . . – Interrompo a médica.

 - E esse barulho?

 - Esse é o coraçãozinho dele.

 - Nossa! – Fico surpresa – Mas, ele ainda é tão pequeno – Digo e sinto meu coração bater ainda mais rápido.

 E de repente, um filme passa pela minha cabeça. Desde o momento em que cheguei á Espanha, até agora. Ou seja, minha paixão por Grizi... Minha paixão pro Saúl, meu trabalho no clube, minha amizade com Clarissa e a... gravidez.

 Assim, eu tenho certeza que se eu pudesse falar com a Lena de um, ou dois anos atrás e contar a ela como seria sua vida, com toda certeza, a mesma não iria gostar nem um pouco do que eu iria dizer. Ela queria: estar namorando Grizmann, ser uma cozinheira famosa e também, tenho absoluta convicção, de que ela nunca imaginaria engravidar...  tão nova. Mas, agora eu percebo que, mesmo que nenhum dos meus planos tenha dado certo, eu estou feliz.

 Tenho o melhor namorado do mundo, o cara por quem era apaixonada se tornou o namorado da minha melhor amiga e acho que finalmente estou entendendo o significado de ser... mãe.

 - Lena?! – Saúl me olha nos olhos – Você tá chorando? – Ele segura minha mãe com mais firmeza.

 E de repente uma ideia maluca vem a minha cabeça...

 - Quer casar comigo, Saúl Ñiguez?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Bom gente, a fic está acabando, postarei no máximo mais três capítulos. Então, desde já, agradeço por estarem lendo minhas história até aqui ;)
P.S. Se puderem dar uma olhada no meu canal de cover no YouTube, agradeço https://www.youtube.com/watch?v=M4o6xubL21w
Até o próximo capítulo <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...