História Amigo é pra essas coisas - Capítulo 4


Escrita por:

Visualizações 893
Palavras 2.292
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shonen-Ai, Slash, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, que linda terça-feira para esperar um atropelamento, não é mesmo?
Esses dias estão l o u c o s, e nada mais justo do que um capítulo dessa belezinha para me deixar mais leve (os comentários de vocês me fazem rir muito eu fico muito doida e melhora meu dia em 100%)

O capítulo também betado pela linda Dulce (@DulceVeiga), claro né, até porque eu disse que ela betou a fanfic todinha K, dscp, eu acho que tô um pouco exaltada porque os capítulo está bem intenso (hehehehehe)

Muito boa sorte ao ler este capítulo, meus consagrados <3

Capítulo 4 - Amigo que é amigo sempre tem uma proposta


 

Amigo é pra essas coisas | capítulo 4

Amigo que é amigo sempre tem uma proposta

 

Baekhyun teve que inventar uma desculpa cabulosa pra esconder toda sua exaltação depois de ver aquela foto. Disse que tinha esquecido que tinha dever de casa para os pais e correu para seu quarto tentando ao máximo manter a água que havia bebido dentro de seu corpo. O nariz chegava arder pela água que saiu dele, o menino ficou todo desesperado mesmo.

A foto era simples, curta e grossa, quase que literalmente. Tinha um passarinho ali e apenas isso, o que para um jovem universitário virgem já era demais da conta para que ele aguentasse com tudo nos conformes.

Foi só se jogar na cama que ele respirou fundo e analisou melhor a foto, com intenções puramente profissionais. Sentiu um incômodo nas calças, mas nada que o impedisse de lembrar que quem estava ali era seu melhor amigo e não qualquer um, não podia falar algo que o comprometesse e depois sair correndo fingindo demência como era de costume. Era hora de ser sério, comprometido, e aproveitar já que era sua primeira nude.

[20:25] Baekhyun diz: puta que pariu chanyeol

[20:26] Baekhyun diz: quase que tu me mata de susto filho da puta

[20:26] Baekhyun diz: eu tava na sala

Chanyeol quase deu um grito. Mas estava com vergonha demais para expor qualquer coisa além disso, tentou agir o mais natural que pode já que, qual é, era Baekhyun aí, seu mano, aquele chapa para todas as horas, não tinha que ter tanta vergonha assim por causa da foto do seu pinto, o lance era puramente profissional.

[20:26] Baekhyun diz: olha, analisando aqui

[20:26] Baekhyun diz: vou ter que te contar

[20:27] Baekhyun diz: parece bem menor que o meu hein

Chanyeol chegou a se sentar na cama de nervoso. Havia feito o seu melhor para conseguir tirar uma foto boa, havia estudado os ângulos e tudo para que aquela fotografia existisse e Baekhyun fazia pouco caso?

Foi respirando fundo que ele digitou e apagou as mais diversas formas de afronta, no fim optou pelo simples.

[20:29] Chanyeol diz: tá de conversa

E não demorou nadinha para Baekhyun responder com o mesmo tonzinho atrevido.

[20:29] Baekhyun diz: nem tô

[20:30] Chanyeol diz: tá me tirando, baekhyun

[20:30] Baekhyun diz: tu sabe que não, irmão

[20:30] Chanyeol diz: pois então avança aí

[20:31] Chanyeol diz: sua vez de mandar

Chanyeol tinha certeza absoluta de que não merecia tamanha petulância, havia tido todo o trabalho de procurar vídeos, sons, imagens, o caralho a quatro, para que seu bichinho subisse e ele pudesse tirar uma foto 10/10 pra mandar pro coleguinha e ele ainda agradecia daquela forma?

Tudo bem que o lance era profissional e com intenções puramente acadêmicas, mas seu pinguelo merecia o mínimo de respeito, não?

Com o passar do tempo achou que Baekhyun estava querendo lhe passar pra trás. Ah, mas não iria deixar que o Byun o evitasse daquela forma só porque era fim de semana, os dois moravam em frente à casa um do outro, Chanyeol poderia muito bem aparecer lá em toda a sua cara de pau e assombrar o amigo a noite toda.

Mas então ele se sentou na cama e decidiu parar um pouco, aquele lance nem era tão importante assim.

Enquanto Chanyeol refletia quietinho no quarto mal sabia que Byun Baekhyun estava passando pelo pior sufoco em toda a sua vida. O menino nunca havia passado tanta vergonha em uma noite só, e achava que seria impossível se olhar no espelho depois do que havia feito.

O primeiro passo para tirar a nude — que era manter o quibe acordado — estava feito, mas ele não sabia como posicionar o celular de forma que a sua varinha ficasse bem na fita. No caso, na foto. Era difícil demais tentar poses diferenciadas porque quando estava todo posicionado esperando só o clique, a vergonha batia e ele sempre tremia tudo.

— Puta que pariu, é só a foto de um pau! — Falou consigo mesmo pra tentar repreender todos os espíritos zombeteiros que estavam atrapalhando seu momento.

Então ele desistiu todinho, desistiu de tirar a foto. Se Chanyeol quisesse tanto, ele que viesse olhar seu trequinho ao vivo e a cores, estava decidido naquela noite que Byun Baekhyun não sabia bater uma foto do pinto como sabia bater outras coisas.

Aceitar aquilo não foi fácil, foi frustrante e um tantinho doloroso. Mas ele sabia que tinha suas razões.

[20:57] Baekhyun diz: sinto muito irmão, nude não é pra mim

[20:57] Chanyeol diz: como assimmm

[20:58] Baekhyun diz: tentei tirar a foto aqui, mas não deu

[20:58] Chanyeol diz: tentou errado, meu chegado

[20:58] Chanyeol diz: tenta direito

E foi aí que Baekhyun perdeu toda a paciência. Apertou o botãozinho do áudio e:

Tenta direito é o caralho, não consegui tirar o caralho da foto, nem pra isso eu sirvo, ah vai se foder, meu. Desisto desta merda também, pau no cu, se quiser ver venha você porque foto não vai ter...

— Filho? — Sua mãe bateu à porta e Baekhyun se engasgou todinho no áudio, mordeu a língua e soltou o celular longe sambando para entrar na cueca (o bichinho estava usando só uma camisa, o pintinho passando frio, vê se pode) e se sentar na cama super pleno até perceber que tinha trancado a porta. — Baekhyun, abre essa porta.

E ele foi correndo todo destrambelhado pra abrir.

— Opa, oi mãe! — Ele falou com um sorrisinho que entregava todo o seu nervosismo, o rosto vermelho, a testa suada, as pernas tremiam como o diabo e ele não podia fazer nada.

— Tá fazendo o quê? Ouvi gritos — a mulher falou já desconfiada demais, não proibia o filho de fazer o que jovens adultos sempre faziam desde que eram pequenos adolescentes que faziam coisas com ou sem a permissão dos pais, mas se preocupava, claro. Baekhyun não era a pessoa mais calma da face da terra para lidar tranquilamente com problemas simples. Ele era todo intenso.

— Ah, eu tava vendo série. Era episódio final — ele respirou fundo só pra justificar a falta de ar tremenda por causa do rebuliço todo.

— Sei.

— É uma série que o Chanyeol me mostrou e o final é muito complexo. Inclusive — ele disse, tendo a pior ideia do mundo, mas fazia de tudo para fugir de uma discussão, principalmente se tinha que explicar alguma coisa para sua mãe — eu preciso que ir lá perguntar pra ele se ele entendeu.

— Tá bem — a mulher falou, alisando o cabelo do filho com a mão e percebendo que foi uma péssima ideia, Baekhyun estava todo suado de nervoso.

Chanyeol já tinha perdido as esperanças de ganhar uma nude de Baekhyun depois daquele áudio desesperado, e depois de cair na risada por um tempão decidiu que deixaria a história para lá — por enquanto — e que, por hora iria se distrair um pouco com animes e miojo. Era a combinação perfeita quando seu pai trabalha a noite inteirinha e não tem janta decente.

Quando já estava lá pela metade do episódio, ouviu barulhos na casa, sabia que o pai não tinha voltado, estava cedo demais, então fez o que qualquer um faria no caso de invasão, pegou um cabo de vassoura e se escondeu debaixo da cama.

Esperou o cretino aparecer por ali — o que não demorou muito, parecia destemido até, o filho da puta — e sem hesitar nem um pouquinho só, posicionou o cabo de vassoura e viu o assaltante bolar pelo chão.

Saiu do esconderijo rindo pra caralho da queda do seboso até perceber que o assaltante era ninguém menos de que Byun Baekhyun.

— Puta que pariu, Chanyeol, que inferno — o menino resmungava todo, sem nem saber como se levantar. Chanyeol paralisou no canto tentando parar de rir, mas aquela queda tinha sido sensacional. — Porra, ajuda aqui.

Sem ter escolha e claro que ainda rindo, ajudou o amigo a levantar — ganhando como agradecimento uns bons murros — e só depois lembrou de tudo que aconteceu durante o dia e sobre sua nude, pensou que fosse ficar envergonhado e tudo mais, mas só olhou para o salafrário e começou a rir de novo.

— Ih, bem feito, é isso que se ganha quando não devolve nude — riu tanto que bateu palmas. Baekhyun não ficou nem um pouquinho feliz.

— Eu disse que não sabia como tirar foto, retardado — de quebra ainda chicoteou a cara do Park com uma toalhinha de rosto que achou jogada.

— Ah, tá bom — ironizou fazendo careta — aliás, o que deu naquele teu áudio? Ri demais.

— Minha mãe apareceu no quarto do nada e ouviu o que eu tava falando — explicou se sentando na cama de Chanyeol, que engoliu em seco lembrando do que havia feito ali naquele dia.

— Eita, ela ouviu tu falando de nude? — perguntou tentando disfarçar o nervosismo todo, mas sentia as mãos suarem.

— Provavelmente, mas eu corri pra cá o mais rápido que consegui — Baekhyun falou massageando o braço que ainda doía pela queda, sentiu as bochechas esquentarem pra diabo quando pensou no que falar em seguida, mas então lembrou que tinha que ter profissionalismo. — E foi por causa da nude que eu vim.

— Minha nude foi tão boa assim? — brincou, mas sentia aquela pontada na barriga cheio de nervoso pra dar e vender. Baekhyun não fez mais do que revirar os olhos, as costas doíam demais.

— A minha nude, ô cara de merda.

— Mas tu nem tirou foto, cabeção — Chanyeol zombou quando o amigo levantou e ficou andando pelo quarto sem rumo. Baekhyun só estava tomando coragem, mas a coragem não queria ser tomada.

— Exatamente — o Byun engoliu em seco e não via outra forma de fazer aquilo sem parecer o maior tarado, mas também não tinha como pedir para que o melhor amigo (melhor amigo) fizesse aquele serviço, então, para o desespero de Chanyeol que observava tudo quase que de boca aberta, o Byun baixou as calças e ficou ali paradinho como se nada estivesse acontecendo.

Chanyeol ficou olhando o treco, não estava totalmente em pé, mas estava acordado, ninguém podia duvidar disso. Baekhyun sentia um friozinho que nunca havia sentido antes, e em contrapartida, sentia um calor estranhíssimo e totalmente novo também. Eram duas coisas opostas em uma só, aquilo o deixou confusíssimo.

E, quando achou que já tinha feito o seu melhor, subiu novamente as calças e cruzou os braços, encarando o amigo esperando por uma resposta sincera, porém com medo da resposta sincera não ser o elogio que esperava.

Mas acontece que Chanyeol estava todo paralisado, os olhões esbugalhados e sem saber em quê focar, nunca pensou que o melhor amigo (melhooorrr amigooo) pudesse ir ali na sua casa para mostrar o tamanho do jubileu e ainda ficar paradinho esperando pela sua reação.

De certa forma ele achou injustiça, fotos mascaram defeitos. Estar ali, no ao vivaço, era mostrar mais do que coragem. Baekhyun era um guerreiro e tanto.

Mas ele também não podia elogiar demais sendo que o oponente de Baekhyun era ele mesmo.

— E aí? — Baekhyun falou primeiro, com os braços cruzados pra disfarçar a tremedeira louca que sentia em várias partes do corpo, não sabia o que fazer direito nem sabia como conseguiu chegar até aquele passo. Estava perdidíssimo, o menino Baekhyun.

— Opa, é pra eu falar alguma coisa? — Chanyeol soltou uma risada nervosa tremendo na base.

— Lógico, né — e fechou a matraca com medo de gaguejar, seria uma vergonha. Um vexame total.

— Olha... até que é simpático — Chanyeol disse com aquela carinha de “mais ou menos”.

— O que isso quer dizer? — Baekhyun apertou ainda mais os braços, ficando um pouquinho irritado, chamar seu Genivaldo de “simpático” não lhe parecia um elogio muito auspicioso.

— Eu tô querendo dizer que... — Chanyeol engoliu em seco pensando um pouco se realmente deveria dizer aquilo — nem a pau que isso é maior que o meu.

E escolheu o pior conjunto de palavras, Baekhyun se aprumou todo na defensiva.

— Claro que é, meu filho — foi todo debochado pra não mostrar que estava puto, mas Chanyeol o conhecia bem e sabia que o amigo estava revoltado.

— Nem tenta se iludir, Baekhyun, seu pinto parece de criança — e foi isso que deixou Baekhyun chateadíssimo.

— Ah é? Então baixa as calças aí pra ver quem tem pinto de criança — Baekhyun cruzou novamente os braços (achava que aquilo fazia seu peitoral parecer mais definido, mesmo que não chegasse nem perto de ter um peitoral definido).

— Eu só tô mandando a real, chapa, se você não aguenta... — Chanyeol se fez de debochado e riu de levinho sem esperar que Baekhyun tivesse cartas na manga.

— Quem não aguenta é você quase gozando na minha mão por causa de um aperto de nada — disse todo cheio de si, Chanyeol não sairia daquela discussão sem ficar envergonhadíssimo. E o pior de tudo, para Chanyeol, é que ele sabia que sairia perdendo.

— Olha, tu pegou pesado, irmão — ele recuou quase com o rabo entre as pernas, mas Baekhyun não estava satisfeito.

— E outra que aposto que eu sei usar o meu melhor do que você — com as sobrancelhas levantadinhas ele falou todo cheio de si, mas sem ter ideia se era realmente verdade. Nunca tinha transado pra saber.

—  Pra sua informação, eu sei muito bem usar meu equipamento, muito melhor do que você, aliás — Chanyeol falava em total desespero, mas não queria perder a discussão. — Não sei como você diz que sabe usar se eu não vejo utilidade pra esse graveto.

Quando terminou a frase Chanyeol engoliu em seco todo nervoso, não tinha como fugir, havia cutucado a fera com vara curta. Uma bem curta, na sua opinião.

— Ah, é? Então por que a gente não transa pra saber? — Baekhyun falou com os olhos em chama e Chanyeol prendeu o ar sem saber o que dizer para lidar com aquilo.


Notas Finais


ousadia_e_alegria.mp4
Até sexta-feira, meus queridos e queridas rs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...