História Amigo Secreto - Imagine Jimin - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Park Jimin (Jimin)
Visualizações 81
Palavras 1.139
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Saga

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi lindas
Boa leitura 😍😙

Capítulo 7 - VII Cedendo aos desejos


POV SN

Olhei no fundo dos olhos de Jimin por um bom tempo, e senti que estava encrencada. Ele não estava com aquela cara de “valeu pela trepada, agora pode ir”. Não, ele parecia estar tranquilo e à vontade com a minha presença. E eu estava adorando isso.

De alguma forma, consegui chegar ao banheiro, onde me apoiei contra a pia e  olhei no espelho. O brilho que havia em seus olhos me fez enrubescer e fazer uma careta.

Que droga, eu não precisava daquilo, muito menos naquele momento! Se começar um relacionamento não estava em meus planos nem em condições ideais, o que dizer da possibilidade de se apaixonar por um cara cujo prazo de validade estava inscrito na testa, e obviamente não era dos mais longos?

Eu não tinha aprendido nada com minha experiência com Kim Jong-hyun?

Pelo jeito não.

Depois que terminasse de jantar, iria pra casa. Ambos já tinham conseguido o que queriam.

Estava na hora de pensar em minimizar o estrago.

- Estava uma delícia - sorri para ele depois de baixar o garfo, sem constrangimento nenhum por ter limpado o prato. Já tinhamos almoçado juntos muitas vezes e, depois de um elogio que ele fez ao meu apetite saudável,e deixei de me preocupar em manter as aparências.

- Ou você é generosa demais, ou estava com muita fome.- Ele se levantou e tirou o nosso prato da pequena mesa de jantar de carvalho. Adornada com um enfeite com pinhas e três velas vermelhas, tinha um aspecto acolhedor e surpreendente. Havia muita coisa que  não sabia sobre ele, mas queria descobrir. Jimin não era o homem ideal para namorar, mas era um sujeito fascinante, um grande advogado e um ótimo amigo, pelo que ouvir dizer, observei enquanto ele se movia pela cozinha, flexionando as nádegas a cada passo. As aparições casuais do pau dele  mantinhame com tesão o tempo todo, obrigando-me a comprimir o guardanapo junto à testa úmida. Ele era também um amante carinhoso, mas disso  sempre desconfiei, e já tinha escutado comentários a respeito.

A vontade de ir embora, que senti no banheiro, se tornou ainda mais forte.

Estava na hora de ir pra casa,  fiquei de pé e apanhei a bolsa. Era falta de educação sair sem nem se oferecer para ajudar a lavar as louças, mas um pouco de animosidade entre nos viria a calhar.

- O que você está fazendo? - ele perguntou atrás de mim, ainda a uma distância segura.

- Eu já estou indo - falei com uma casualidade forçada, sentindo meu coração disparar. - Obrigada pelo convite, eu adorei.

Um instante depois, um corpo firme e rígido me pressionava por trás, deixando-me esmagada contra a mesa. - Fala comigo, SN.

 As mãos dele estavam espalmadas sobre a superfície de madeira, impossibilitando minha movimentação.

- Foi o que eu fiz durante o jantar inteiro.

- Sobre tudo, menos sobre nós.

-Não existe essa história de "nós".

Ele enfiou uma das mãos no bolso da minha saia.

-Quantas camisinhas você trouxe? Pelo jeito, mais de dez. - Ele jogou uma sobre a mesa. - A sua intenção era passar a noite toda aqui. E agora, do nada, resolve ir embora?

- Pois é.- respirei fundo. - Eu não esperava que você fosse tão bom. Já matou toda a minha vontade logo de cara.

- Conversa-fiada. A sua vontade continua a mesma de quando pulou em cima de mim.- Ele segurou-me pela garganta, puxou minha cabeça para trás e mordeu de leve minha orelha. Estremeci. -Está com medo de quê?

Fiquei toda tensa. - Eu não estou com medo. Só acho que nós dois já conseguimos o que queríamos, e que é melhor parar por aqui antes que as coisas se compliquem.

- Adivinha só? - ele flexionou os joelhos e começou a esfregar o pau duro na minha bunda. Em algum momento da caminhada da cozinha à sala de jantar ele havia tirado o avental. Com apenas o tecido fino da saia entre nos, senti cada milímetro da excitação dele. - Eu ainda não consegui o que queria, e as coisas já se complicaram.

- Jimin…- fechei os olhos e gemi quando ele agarrou um de meus seios. Minha pele ficou quente. De repente, eu estava mais do que simplesmente excitada estava em chamas, se derretendo toda. Ele tinha um cheiro delicioso, e um toque ainda melhor. Eu pensava nele o tempo todo, mas eram sempre devaneios mais carnais. Uma trepada em minha mesa,ou na dele. Botões voando pela sala toda. Carícias violentas, lábios marcados.

Nunca havia imaginado tanta gentileza, tanta preocupação com meus sentimentos e prazer.

- Você tinha uma lista de desejos, Kim. Um monte de fantasias comigo. Me diz por que não quer mais realizá-las.- Os dedos dele acariciaram neu mamilo, durinho e sensível.

- As fantasias não foram feitas para virar realidade.

-As minhas, sim. E as suas também. - retrucou 

- Esse é o problema -  murmurei.

Com a mão que estava em um dos meus seios, ele levantou a saia, segurando-a com força, deveria fazer alguma coisa para detê-lo, sair logo daquela posição. Ele não iria mantê-me ali contra minha vontade, apesar de ainda estar com uma das mãos em meu pescoço e o antebraço colado junto a meu corpo. No entanto, faltava a disposição necessária para isso. Fazia tanto tempo que não sentia-me desejada daquela maneira que não tive coragem de dispensá-lo.

- A realidade assustou você? - ele murmurou no ouvido. - Você gosta de mim, Kim ? Nem que seja só um pouquinho?

Até demais.Senti suas nádegas se desnudarem, e logo depois o contato do corpo dele, com o pau duro e quente contra minha pele.

Ele abriu a boca e  passou pelo meu pescoço . - Não vai embora.

Ele enfiou a mão sob minha saia, abriu-a com os dedos e acariciou meu clitóris.

Primeiro uma carícia leve, depois com um movimento circular. - Fica comigo.

- Jimin - fechei os olhos e soltei um gemido baixinho, estava

molhada, e louca por ele, sedenta pelo afeto que ele parecia tão disposto a oferecer, e fiquei assustada com a própria carência. Até aquela noite, ainda não havia me dado conta do quanto vinha me sentindo sozinha.

- Abre essa camisinha - ele pediu com a voz áspera.

Tateei em busca da embalagem, voltando ao estado de espírito em que estava quando cheguei. Aproveita, era o que dizia meu coração. Só mais uma vez.

- A gente se dá tão bem, Kim - Abrindo as minhas pernas , ele me penetrou com dois dedos e começou a me masturbar com movimentos profundos. - Em todos os sentidos que importam - A mão que estava em minha garganta desceu até um dos seios. Estava ainda mais duro, cheio de desejo por ele. Com seus dedos habilidosos, ele beliscou um mamilo sobre a camisa fina e o sutiã de cetim. Um calor se espalhou pelo meu corpo , e fez minha respiração se acelerar.

- Pronto - joguei o braço para trás com a embalagem aberta na mão.


Notas Finais


Prometo compensar amanhã ❤
Amo vcs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...