1. Spirit Fanfics >
  2. Amigos Com Benefícios - Johnlock >
  3. Ciúmes

História Amigos Com Benefícios - Johnlock - Capítulo 3


Escrita por:


Capítulo 3 - Ciúmes


Fanfic / Fanfiction Amigos Com Benefícios - Johnlock - Capítulo 3 - Ciúmes

O dia no hospital foi cheio, além de cuidar de inúmeros feridos, John teve que ajudar em uma cirurgia ortopédica infantil que exigia todas as suas forças. Por sorte, hoje ele não precisaria ficar de plantão, provavelmente não aguentaria nem mais uma hora vendo sangue. Ele só queria ir para casa e desfrutar um momento com sua filha e seu melhor amigo.

 Já estava saindo quando Sarah o puxou para uma conversa.

— Nossa, minhas mãos estão quase caindo — Reclamou. — Acho que não conseguiria se você não fosse acostumado com esse tipo de cena.

— Situações assim são comuns na guerra. — ele apenas sorriu, não queria parecer mal educado.

— Deve ser, mas não com uma criança, claro — ela o companhou até a saída do hospital. — Quem sabe... Quem sabe você não deva jantar comigo hoje, para restaurar as nossas forças.

Watson a olhou com a sombrancelha erguida, parecendo demorar para entender a proposta.

— Me desculpe, Sarah, nesse momento eu prefiro passar o tempo com a minha filha. — Assim que falou, a mulher ficou claramente decepcionada. — Mas eu vou para a confraternização do hospital, quem sabe a gente se encontre lá.

— Sim, eu entendo, também preciso dos meus filhos nesse momento. Ah, e com certeza vou à festa — a loira forçou um sorriso, porém agora ela estava menos mal. — Até amanhã, John.

Sarah lhe deu um tapinha nas costas e um beijinho na bochecha, depois saiu na direção oposta. Watson se perguntava se ela realmente estava tentando flertar com ele ou se apenas estava tentando reatar a amizade. Sabia que ela havia se casado há algum tempo e agora tinha dois filhos nas idades de cinco e três anos, no entanto o seu divórcio foi um dos motivos para o retorno a Londres. John sinceramente esperava que ela não o quisesse amorosamente, pois ele não suportaria o peso de um relacionamento nesse momento de sua vida.

Depois de pegar um táxi, chegou no 221b e pôde ver que Sherlock tocava seu violino em frente a janela e Rosamund estava sentada na sua poltrona, fazendo um desenho com lápis de cor. Assim que viu o amigo chegando, o cacheado parou de tocar sua melodia.

— Papai! — A menina se levantou e correu para abraçar o loiro. 

— Olá, minha linda! O que fez de divertindo hoje? — Ele se agachou para retribuir o abraço.

— Eu e o papa almuçamos chips de batata, depois fomos ao parquinho.

— Rosie! Eu disse para manter isso em segredo! — Sherlock a repreendeu e John arregalou os olhos.

— Eu falei para não dar besteiras para ela! — Watson pegou a menina nos braços e se sentou no sofá. 

— Eu estava entediado demais para perder tempo cozinhando. — constatou, revirando os olhos.

Como john não se deu ao trabalho de dar uma lição de moral novamente, Sherlock percebeu que havia algo de errado com o amigo. Com suas rápidas deduções, notou que ele estava cansado, atordoado e que realmente precisava de uma bebida. Foi até o armário e colocou um pouco de vodka em um copo, em seguida o ofereceu para o loiro.

— Eu não deveria beber na frente da Rosamund, mas estou precisando, obrigado. — Ele aceitou e deixou a filha livre para continuar seu desenho.

Agora que Sherlock estava relativamente próximo, pôde perceber um detalhe no rosto do melhor amigo.

— Isso é... Batom? — Ele passou o dedo na bochecha dele, causando um leve arrepio em John. — Claramente batom.

O loiro ficou calado por um momento, enquanto seu companheiro de apartamento o julgava com os olhos. Até mesmo notou o seu lábio se contorcer, em um ato de quem claramente e indiretamente pedia explicações para tudo aquilo.

— É, s-sim, uma amiga deve ter deixado quando se despediu de mim mais cedo. — explicou, um pouco envergonhado.

— Essa sua "amiga" seria Sarah Willians? — Perguntou, mas a indagação saiu com um tom mais elevado de ciúme que o esperado.

John ficou boquiaberto por um instante, não duvidava das deduções de Sherlock, mas não tinha como ele saber a quem pertencia aquele batom só com uma rápida análise.

— Como você descobriu? Eu não lhe contei sobre ela. 

Holmes murmurou alguma coisa.

— Não importa, eu só não quero que... Droga, deixa para lá. — o cacheado saiu de perto dele e foi até Rosamund, dando-lhe um beijinho na testa. — Boa noite, minha linda.

Sem sequer olhar para John, ele foi até seu quarto e se trancou, pensando sobre as mais diversas coisas. Sua maior preocupação era a de Sarah tentar pegar o seu lugar na vida do loiro, principalmente se tentasse se aproximar de Rosamund. A garota era parte de si, não suportaria a perder parar alguém. Além disso, sempre odiou a ideia de John estar se relacionando amorosamente com uma mulher, era como se nenhuma delas o merecesse.

Watson, por outro lado, ainda tentava entender a reação do melhor amigo. Seria mesmo possível que aquilo foi mesmo ciúmes? John não conseguia imaginar tal coisa, talvez só estivesse preocupado, já que o amigo nunca verdadeiramente gostou de Sarah.

Estava tudo muito confuso, o loiro pegou a filha no colo e a levou para o quarto, ainda era cedo, mas precisava urgentemente dormir. No entanto, foi quase impossível parar de pensar no que acabara de acontecer.

— Gostou do meu desenho, papai? — Perguntou a menina, enquanto John a colocava em sua caminha.

Watson ainda não tinha dado devida atenção a arte da garota, então pegou o papel da mão dela e o observou cuidadosamente. Rosamund havia desenhado os três moradores do 221b, ela no centro deles com as mãos dadas para ambos os homens. Além dos traços bobos de um desenho infantil, como um rosto sorridente no sol e coraçõezinhos cor-de-rosa. John sentiu um leve aperto no peito, essa era a realidade de sua filha. Um mundo perfeito onde ela vê seus dois papais junto dela, com imensa felicidade.

— É lindo, você é uma excelente artista! — Conseguiu falar.

— É para o papa Sherl, não gostu de ver ele tliste. — Ela puxou o seu mini edredom e se embrulhou.

— O papa não está triste, querida, ele é assim mesmo. — Watson sorriu para a menina.

— Não é! — ela negou, com as sombrancelhas franzidas. — Ele está assim desde qui viemos do hospital.

John sentiu um frio na barriga com as palavras da filha. Hospital... Mas que diabos Sherlock estava fazendo no hospital? 

— Pode me explicar o motivo de estarem lá? — Ele sentou-se no lado da cama da menina, com um enorme interesse.

— Surpresa — respondeu. — Era uma surpresa para você, papai.

Watson não pôde deixar um sorriso passar. Apesar de querer ser um durão, o Holmes ainda se importava com ele.

— E por que ele estaria triste?

— Porque ele pensa qui você não gosta mais dele. — ela respondeu, tristonha. — O papa fica falando isso sozinho. Mas ele está enganadu, não é?

John sabia muito bem que o melhor amigo costumava falar sozinho quando estava incomodado com alguma coisa ou interessado em resolver um caso. Na verdade, ele sempre falava sozinho, porém agora que tinha Rosie por perto, a cena ficava menos estranha. Mas por que ele pensaria que Watson não gostava mais dele? 

Foi quando a ficha do loiro caiu. Era óbvio! Só assim ele saberia do retorno repentino de Sarah. Porém John ainda não entendia o ciúmes secreto de seu amigo, quer dizer, talvez ele entendesse, mas se recusava a acreditar. Ele se recusava, acima de tudo, a pensar na possibilidade de Sherlock o ver com outros olhos.

— Sim, Rosamund, eu gosto muito do seu papa. — John sorriu para si mesmo ao ouvir suas próprias palavras. Se levantou da beira da cama da garota e foi em direção a sua, que ficava ao lado. — É hora da senhorita dormir. Tenha bons sonhos, pequena.

A menina apenas se virou e fechou os olhos, ao contrário do pai que passou mais ou menos uma hora encarando o teto, pensando nos últimos acontecimentos. Ele esperava que no mínimo a confraternização do hospital o ajudasse a parar de pensar em tudo isso. Principalmente, parar de pensar em Sherlock Holmes de maneira tão afetiva, como está ocorrendo ultimamente.


Notas Finais


João Watson está definitivamente xonado

O próximo capítulo será no mínimo uma loucura, se preparem kkkkk

O que estão achando desse começo? Não se preocupem que a brotheragem não vai demorar para surgir ♡♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...