História Amigos Desde Infância - Capítulo 48


Escrita por:

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Castiel
Tags Amor Doce
Visualizações 177
Palavras 1.442
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Hentai, LGBT, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oiii
Aproveitem a minha fic com sabedoria♡

Capítulo 48 - Cass..


Fanfic / Fanfiction Amigos Desde Infância - Capítulo 48 - Cass..

Era madrugada. Eu estava com uma pijama de frio. Tinha colocado somente um em minha bolsa e é o que está em meu corpo agora. A noite estava fria demais. Se colocasse um dedo pra fora do cobertor gelava em segundos. Eu estava tomada banho e muito acomodada em meus travesseiros. Meu celular estava carregando, mas isso não impedia que eu o usasse. Eu e o Castiel estávamos conversando em sussurros por conta da noite a mais de... Sei lá, 4 horas. Os assuntos nunca acabavam, mas o tempo passava voando. Pelo o que dizem, quando se está com a pessoa que ama o tempo voa, é verdade. Mas, quem me dera muito estar com o Castiel aqui comigo, me abraçando e me esquentando com o seu corpo perfeito cheio de músculos e traços mais lindos do que ele mesmo. Estamos a 20min dizendo um ao outro o quanto de saudades que estamos, ou então, o quanto nos amamos. Estou aqui a 5 dias. Vai fazer uma semana, e eu todo dia e toda hora tentando convencer o Cass a vir pro Havaí.  Eu prometi a ele que encurtaria minha estadia aqui. Em vez de passar as férias todas, passarei duas semanas aqui. Metade do mês. A outra metade matariamos essa saudade nos amando. 

-- Sabe, quando eu toda vez que eu te vejo um sorriso... É como se tudo, tudo mesmo, tudo o... Esforço que eu fiz pra ter você pra mim apenas, valeu a pena. Valeu todo o esforço. Seu riso é o som mais maravilhoso que eu já ouvi na minha vida. Sua beleza é incomum mas é um incomum bom, eu nunca vi alguém tão lindo na minha vida. Seu sorriso me dá forças pra sair da cama, mesmo sabendo que está longe. Liv, você não sabe o quanto eu quero casar com você.... -- Sussurrou apaixonado. Sorri sentindo lágrimas apenas se fazendo presentes mas sem cair uma única gota. 

-- Eu amo você. E saiba que se um dia me pedir em casamento a minha resposta será sim. Sempre.  -- Sussurrei  sorrindo. Eu tinha absoluta que ele estava sorrindo tanto quanto eu.

-- Eu amo você.

-- Eu amo você.

-- Eu amo você mas eu tenho que dormir -- Sussurrou e eu ri de leve. -- Me desculpa meu amor mas eu estou muito cansado. 

-- Eu também. Eu vou desligar amor

-- Tudo bem. Eu te amo.

-- Eu amo mais. -- Eu disse e desliguei. Coloquei o celular na estante e virei pro teto. Meu Deus como pode se amar tanto alguém assim? Chega doi saber que ele não está do meu lado.... 


Acordo normalmente e naturalmente. Minha pálpebras como toda manhã estavam pesadas e me obrigando a voltar a dormir por com do sono. Acordei sem luz no meu rosto, e sem a Ali me enchendo o saco. De manhã, frio ainda. Estranho, mas quero que continue assim. Como esse madrugada fiquei conversando com o amor da minha vida, além do sono, aquela conversa me deixou mal. Não que ele me magoo mas, eu sinto saudades. E isso me doi. Quero ele aqui do meu lado, não em outro país com outra pessoa. Sentei na cama e empurrei o cobertor que estava em cima do meu ombro. Pisquei algumas vezes pra clarear a visão embaçada do quarto escuro. Quando tudo estava normal, peguei meu celular e comecei a ver algumas notificações que apareceram enquanto eu dormir. Aproveitei pra olhar o horário. Era 12h28min. Nossa, que cedo!! Ouvi alguém bater na minha porta. 

-- Entra. -- Disse com aquela voz que todo mundo tem de manhã. A porta abriu e tinha um menino lindo, mas não tanto quanto meu namorado. Ele tinha olhos castanhos e cabelos da mesma cor. Usava um blusão cinza largo e uma calça jeans preta, acompanhada de um Vans preto. Estilo.  

-- Você é a Liv? -- Perguntou e eu o vi olhar pro meu pijama e corar. Lembrei que estava  de pijama de panda. Aqueles macacão. 

-- Sim. Por que? 

-- A Alisha pediu pra você descer, pediu pra eu acordar você mas já está acordada. 

-- Prazer, Lívia. Sobrinha da Tracy. -- Eu disse e levantei, percebi que ele era alto pra cacete. 

-- Prazer. Eu sou o Warren. Filho do amigo do Harry. -- Ele disse dando um mini sorriso, ele tinha covinhas,  fofo. Puxei as mangas longas do meu pijama e fui pegar um chinelo.

-- Warren, pode ir descendo. Vou pegar um chinelo e já desço. 

-- Tudo  bem. -- Ele disse e saiu. Peguei um chinelo e fiz um coque bagunçado. Desci e vi uma mulher e um homem que eu não conhecia. -- Oi?

-- Bom dia Liv! -- Ali disse surgindo da cozinha.  -- Esse são Morgana e Peter Jackson. São amigos do meu pai. Já conheceu o Warren. 

-- Prazer, Livia. -- Eu disse sorrindo pra eles. Aquele sorriso teve um enorme esforço pra sair, eu estava com sono e de mau-humor.


Aquela manhã/tarde foi entediante. Eles falando sobre trabalho o tempo todo. Warren ficou com eles, parece que eles trabalham juntos. Lá pra 18h eu subi com a Ali, não estava mais aguentando aquilo tudo. 

-- Vou tomar um banho... -- Eu disse pra Ali que estava sentada na minha cama.  Eu estava meio deprimida por conta de uma pessoa chamada meu namorado. Castiel não ligou ou mandou mensagem a tarde interia. Aquilo era estranho, todo dia ele falava comigo, não importa se é por sms ou ligação. Ele SEMPRE  falava comigo a tarde. Mandei uma mensagem pra ele antes do banho, mas nem chegou. Tinha só uma setinha. Deixei o celular e fui pro banheiro, mesmo morrendo de preocupação já.  

Tomei um banho morno e sai com uma roupa de pijama de calor. A noite o calor voltou com tudo. Encontrei a Ali vestida com uma roupa de sair. 

-- Aonde vai? -- Perguntei pegando meu celular e vendo que a mensagem tinha chegado mas ele não visualizou.  Cass... 

-- Nós vamos. Se veste. -- Disse mexendo no celular. 

-- Aonde?

-- Não posso falar. 


Liv Off*


Alisha On*


-- Por favor!! Fala vai. -- Implorou indo pro closet pra se vestir. Segui ela. 

-- Não posso. Se eu contar, mamãe me mata. Ela e o papai vão nos levar. -- Eu disse encostada no portal do closet.

-- Ta. -- Disse fazendo bico de raiva.  Ri e  sai do closet voltando pra cama. 

Em pouco minutos ela já estava pronta. (N/F). Estava linda. Levantei peguei meu celular e ela o mesmo. Descemos e encontramos meus pais na sala nos esperando. Entramos e carro e partimos pra surpresa da Liv. No caminho ela ficou perguntando mas não dissemos nada, óbvio. Chegando perto do local, virei pra Liv. 

-- Coloca isso. -- Disse e entreguei uma venda preta.

-- Chegamos?

-- Não mas estamos quase. É surpresa!! Você não pode ver. 

-- Aaah Taa!!! --  Fala e pega a venda da minha mão emburrada. Ficou mexendo nos dedos o resto do caminho. 

Chegamos e minha ansiedade por ela já começou a subir. Ajudamos ela a descer do carro e fomos ao ponto de encontro. 


Alisha Off*


Liv On*


Merda!! Eu não consigo pensar num lugar que eles me levariam. Eu estou vendada e andando devagar, sendo guiada por eles. Ouvia vozes, muitas vozes. Como se estivesse em público... Não sei. 

-- Ok. Espera. Quando dissermos pra tirar você tira. -- Ouvi a voz da minha tia e concordei com a cabeça.  Eu estava naquela posição de quem está vendada. Cabeça pouco abaixada e mãos  esticadas pra apalpar as coisas e identificar.  Fiquei alguns minutos parada esperando pra tirar a venda. Uma hora eles me viraram, acho que pra trás, e tiraram minha venda. Pisquei algumas vezes pra me acostumar. Olhei em volta  e na minha frente  estavam eles, parecia que estavam contendo os sorrisos.  Ia virar mas não deixaram. PUTA QUE PARIU!! EU ESTAVA NUM AEROPORTO. Ah não....

-- Temos uma surpresa pra você... -- Harru disse e olhou pra algo em cima de mim.

-- O que? -- Eu disse sorrindo de leve, apenas imaginando o que poderia ser.

-- Espera.... Pronto.  Pode virar. -- Ali disse sorrindo mais que eu. Suspirei e virei. 

Quando eu virei.... Eu vi simplesmemte a o homem mais lindo de toda a linha vida, com uma calça jeans preta uma camiseta cinza e sua velha jaqueta, com uma touca e uma puta cara de sono. Sorri deixando as lágrimas cairem. Ele ainda não tinha me visto mas seu olhar era de procurar o amor da sua vida, literalmente. Quando me viu.... Seu olhar de sono foi embora, aquele era um olhar de carinho. Nunca me senti tão bem sob aquele olhar cinzento....















Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...