História Amizade Colorida - Capítulo 2


Escrita por: ~ e ~kathedohazza

Postado
Categorias Adelaide Kane, Avril Lavigne, Cameron Dallas, Cara Delevingne, Dominic Sherwood, Elizabeth Gillies, Harry Styles, Niall Horan, Shawn Mendes, Zayn Malik
Personagens Adelaide Kane, Cameron Dallas, Cara Delevingne, Harry Styles
Tags Amizade Colorida, Amor, Hentai, Romance, Traição
Visualizações 16
Palavras 2.052
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Festa, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - Aperte o play


- Espero que tenha aproveitado a sua noite. - fechei meu armário com força e saí andando, Cameron estava logo atrás.

- Na verdade não, tive um imprevisto. - revirei meus olhos, mesmo ele não estando vendo.

- Eu poderia dizer algo como, "sinto muito por tudo não sair como você esperava" mas, não, você não merece minha compaixão.

- Foi mal. - ele passou a mão no cabelo arrumado e irritantemente perfeito.

- Você disse a mesma coisa ontem, não sei se reparou.

- O que eu tenho que fazer para você me perdoar? - arqueei minha sobrancelha e sorri maliciosamente. - Não, não e não. Você que compre seus próprios filmes do Harry Potter e assista sozinha, nos meus você não toca.

- Você está me devendo essa, lembra que fiz uma maratona de Hobbit com você mesmo achando que o filme é ruim? - cruzei meus braços e tentei fazer a melhor cara de chantagem que eu podia no momento.

- Hobbit não é ruim, aceite isso.

- Só depois que nós fizermos a maratona de Harry Potter. Então eu aceito que Hobbit não é um filme ruim. - seus olhos estavam semicerrados e sua boca pressionada simulando uma linha reta, como se quisesse dizer algo a seu favor porém ele sabe que nasci com o dom da persuasão.

- Hoje a noite, ok?

- Espero que deixe sua janela aberta, talvez eu tenha que ficar até mais tarde no trabalho.

- Isso não vai ser necessário, minha mãe não vai se importar se souber que é você.

- Ter sua mãe como madrinha tem seus privilégios. - rimos.

- Cam! - Lily chamou a atenção de Cameron e o atacou, literalmente atacou o garoto, com um beijo. Que. Nojo.

Aquilo estava durando mais do que devia então fui obrigada a estragar o momento, pigarreei e Lily me encarou com desdém, talvez eu devesse pedir desculpas por estragar a pegação dos dois, mas eu não quero.

- Tenho uma surpresinha para você, lá em casa, hoje a noite. - arqueei minha sobrancelha pelo descaramento.

- Ah, clar... - chutei seu tornozelo enfurecida - Ai! Isso é agressão!

- Esqueceu da maratona? Já vai me trocar por uma qualquer? - cruzei meus braços indignada com a situação, não acredito que estou perdendo meu melhor amigo por essa garota mal amada, e falando nela, Lily ameaçava me estrangular com os olhos, muitas pessoas não aguentam ouvir a verdade.

- Ai quase me esqueci, hoje não vai dar, Lily... - ele passou a mão na cabeça demonstrando nervosismo, revirei meus olhos.

- Patético. - Lily murmurou e saiu praticamente desfilando, em uma tentativa falha de causar impacto.

- Desculpa, por um momento esqueci de tud... - chutei seu tornozelo de novo - Ai! Qual é o teu problema?! Eu já dispensei a Lily, por você!

- Eu sei, mas assim é mais divertido. - ri da cara de drama que ele estava fazendo - E você tem sido muito cara de pau comigo ultimamente, tudo por causa daquela garota. - me abaixei para amarrar o cadarço do meu tênis.

- Tudo isso é por ciúme? - Cameron estava com aquela expressão convencida de sempre, com uma pitada generosa malícia, eu não queria dar o gostinho de ficar ruborizada de novo por esse assunto.

- Você e Dominic são dois convencidos, tô até começando a achar que você quer que eu sinta ciúme, mas para sua infelicidade, não é assim que as coisas funcionam, não comigo. - ele riu fraco e estendeu a mão para me ajudar a levantar.

- Você sempre vai ser a número 1. - eu não queria mas acabei sorrindo, demonstrações de carinho sempre são bem vindas, Cameron também pareceu perceber que seu comentário, de alguma forma, fez toda a diferença.

- Oi para vocês também. - nos assustamos com a voz de Mary, ela estava toda arrumadinha como sempre, com as mãos dentro dos bolsos de seu casaco.

- Oi, e aí? Você tá bem? - perguntei me virando completamente para ela.

- Entendo sua preocupação, Nat, mas, não quero que vocês me tratem como uma boneca de porcelana.

- Nós? - Cameron demonstrou uma expressão confusa.

- Niall já veio me cumprimentar hoje, ele não só me trata como uma boneca de porcelana mas, também como se ele fosse me quebrar com qualquer movimento brusco, isso acaba ficando estranho quando chega até certo ponto, me sinto uma criança de 5 anos.

Cameron e eu não seguramos o riso, era divertido como Mary sempre demonstrava independência, aquele ar de superioridade, um pouco feminista. Ela sempre me disse que as pessoas a tratavam como criança, acabava sendo exagerado da sua parte, mas é isso o que a torna... a Mary.

- Se você é uma boneca de porcelana prestes a se estilhaçar, me chame de Doutora Brinquedos - os dois me olharam confusos - Não que eu assista esse desenho, mas...

- Aham, claro.

- Cala a boca Cameron, eu sei que você ainda assiste Ursinhos Carinhosos, vejo seu notebook logado pela minha janela.

- Não começa porque Ursinhos Carinhosos é um clássico... espera um pouco, você anda me espionando pela sua janela? - Mary colocou a mão na boca para abafar o riso.

- Isso não vem ao caso. O que eu dizia?

- O papo sobre a Doutora Brinquedos.

- O que eu quis dizer com isso foi que, eu sempre vou estar aqui por você, e isso não significa que você é incapaz de se cuidar sozinha.

- Ok, eu entendi. Obrigada pelo conselho. - ela ainda queria rir, então eu definitivamente desisti de ser uma pessoa legal.

Muitos duvidam, mas sim, eu consegui chegar no horário hoje, Hailey até me parabenizou, mesmo a gente concordando que realizar nossas obrigações não merece uma medalha. É por isso que gosto dela.

Hoje não fiquei com o papel de atender as mesas, infelizmente tive que dar um "oi" para a pia, mesmo que lavar os copos não seja uma tarefa que combina comigo. Cassidy estava gostando de passar de mesa em mesa recebendo elogios peculiares de bêbados que deveriam estar trabalhando para sustentarem suas esposas, o velho ditado de que gosto não se discute ainda é válido, mesmo minha vontade sendo fazer com que ela acorde pra vida de alguma forma.

Ouvi o barulho de um copo batendo no balcão, algum cliente não está sendo atendido como deveria e agora acha que faz parte de uma banda de heavy metal para fazer tanto barulho.

- Cass, você não deveria estar no balcão hoje? - perguntei mas não obtive resposta, me virei já furiosa, secando minhas mãos em um guardanapo que estava por ali - Ah, eu mereço mesmo. Com tantos bares em San Francisco, tinha que escolher justo aqui para afogar as mágoas? - ele riu descaradamente.

- Bom te ver também, Natasha.

- O que vai querer, Zayn? Seja breve e eu te poupo de me ouvir por uma hora falando da minha lista de motivos para socar a sua cara.

- Só me sirva uma dose generosa de uísque, e não discutimos mais sobre nossas diferenças de opinião. - ri nasalado pela forma como ele descreveu o ódio que sentimos um pelo outro.

- Aqui está. - dei impulso para que o copo deslizasse até Zayn através do balcão.

- Vai na festa? - perguntou depois de dar o primeiro gole em sua bebida.

- Pretendo. - respondi limpando o balcão.

- E Mary? - consegui reconhecer o humor em seu tom de voz, apertei o pano em minhas mãos para tentar manter a calma e não causar um escândalo.

- Por quê é mesmo que estou falando com você?

- Pergunte a si mesma. - ai como eu queria que ele se engasgasse naquele uísque.

- Está tudo bem por aqui? - Cassidy finalmente apareceu trazendo uma bandeja cheia de copos para serem lavados, por mim.

- Sim, Cass. Nunca estive melhor.

[...]

- (...) vai ficar tudo bem Mary, não é como se o Cameron fosse me estuprar, aliás, é só uma maratona que ele está me devendo. - respondi alternando o telefone de orelha em orelha para terminar de organizar meu quarto, enquanto conversava com Mary.

- Os desejos carnais podem falar mais alto amiga, sabe que gosto muito do Cam, mas, ele é tarado como qualquer outro. - Não consegui segurar o riso.

- Preciso desligar, já está um pouco tarde, estou terminando aqui.

- Tá, claro. Te vejo amanhã, beijo.

- Beijo. - encerrei a ligação.

Peguei apenas meu pijama, para ter que me poupar de usá-lo na rua. Cameron e eu nos conhecemos desde que nascemos, não preciso me produzir para ir em sua casa.

- Oi. - falei sorrindo levemente após ele abrir a porta. Cameron estava usando um short vermelho e com uma camiseta branca em suas mãos.

- Oi. - ele retribuiu o sorriso e me convidou para entrar.

- Onde está a tia Gina? - coloquei minha bolsa em cima do sofá.

- No trabalho. Ela teve que trocar de turno hoje, talvez vocês só possam falar de toalhas amanhã de manhã. - ri com seu comentário, tia Gina e eu gostamos de falar sobre bordado, ela já me ensinou o ponto cruz mas eu ainda não sou uma profissional. Depois que Cameron fechou a porta, a tensão surgiu, estávamos sozinhos. - Ãhn... houve uma pequena mudança de planos. - franzi minhas sobrancelhas, como assim mudança de planos?

- Não entendi.

- É que eu... - ele foi interrompido ao ouvirmos o barulho de um carro na frente da casa. - A explicação chegou.

- O que...?

Harry, Dominic, Niall e Zayn abriram a porta e começaram com a falação.

- Você convidou eles? - perguntei mas acho que era um pouco óbvio.

- Eu tive que dar um motivo para ficar em casa quando eles me chamaram para ir no Garrix, então falei a verdade, eles mesmos se convidaram, Nat. Pode chamar a Mary, se quiser. - bufei e peguei minha bolsa. - Você não vai embora, vai?

- O quê quer que eu faça?

- Relaxa, Nat. A maratona ainda tá de pé, só que nós trouxemos uns filmes bem melhores. - Dominic respondeu e eu acho que deixei bem clara a minha indignação.

- Ei! - Niall me pegou no colo e me balançou no ar, talvez eu tenha soltado um grito pelo susto, talvez.

- Me põe no chão! - tentei ser autoritária, mas acabei falhando.

- É bom você ficar de boa, ainda temos muitos filmes para assistir. - ele disse e forcei um sorriso.

- Vou pegar a bebida no carro. - Zayn disse.

- Ora, ora, ora. Quem diria, o cara que afogou as mágoas. - confesso que provocar Zayn Malik tem se tornado um hobbie para mim.

- Shiu! - ele colocou o dedo indicador em seus lábios - Não quero discutir com você.

- Vou subir, colocar meu pijama e, não sei, ligar para a Mary. - Cam assentiu e fui em direção ao seu quarto.

Cameron Dallas é sem dúvida a pessoa mais desorganizada que já conheci. Para que eu conseguisse algum espaço em sua cama, foi preciso jogar uma pilha inteira de roupas no chão. Me joguei cansada no colchão, Mary não atendia minhas ligações, tentei deixar um recado na caixa postal e algumas mensagens, mas eu acho que ela está em um relacionamento sério com o seu travesseiro e alguns cobertores macios.

- Harry, Harry! - tentei falar o mais baixo possível, eu estava atrás do balcão da cozinha para me esconder dos garotos, e Harry estava tomando algo parecido com um uísque. Senti sede, mas prefiro que eles continuem a festa sem mim.

- Nat!

- Fala baixo seu escandaloso! Não está vendo que eu estou sussurrando?

- Ah tá, desculpa.

- Pega um copo d'água para mim? - Já eram quase uma da manhã, e eu esqueci, como sempre, de tomar o meu complexo vitamínico.

- É isso? - seu tom de voz embargado... ah, bêbado. - Toma. - ele me entregou uma garrafinha, analisei o conteúdo e pelo que me parece, é ingerível.

Levei sorte ao encontrar os filmes do Harry Potter na prateleira de Cameron, então vou fazer essa maratona sozinha, e sem a pipoca.

A água estava levemente amarga, devo recomendar ao Cam que dê uma revisada no encanamento, como único homem da casa, me parece que não tem cumprido o papel.

Em plenos 5 minutos de filme, comecei a ficar com sono, me senti exausta, uma vontade de me afundar naquele colchão. E por quê não?

Desliguei o notebook e ajeitei preguiçosamente o edredom, a cama de Cam é macia, e cheirosa, assim como seu jogo de cama.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...