1. Spirit Fanfics >
  2. Amizade colorida >
  3. Capítulo XLIII

História Amizade colorida - Capítulo 43


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura ❤️

Capítulo 43 - Capítulo XLIII


- Foi o poema da Emma - O professor respondeu 

- Que? - A ruiva perguntou surpresa

- A sua poesia ganhou - Repetiu mais devagar

- Nossa - Emma soltou o ar pela boca e sorriu. Tapou o rosto com suas mãos trêmulas completamente envergonhada

- Arrasou amiga! - Guilda disse feliz

- Isso aí Emma! - Don gritou

- Nossa heroína! - Violet disse

- É mesmo uma nerd! - Oliver comentou

- Boa Emma - Norman disse

- Por favor - O professor disse - Venha aqui e leia para todos

Emma engoliu em seco - Ta bom

A ruiva caminhou devagar até a frente. Se virou para eles e sentiu seu coração querer sair da boca

- A escolha de cada palavra me deixou com a impressão que você escreveu pensando em alguém - Disse entregando seu papel 

A ruiva gelou - Não é pra tanto - Respondeu o pegando

- Ta apaixonada Emma? - Violet perguntou com ironia

- Eu só disse o que me pareceu - O professor argumentou - Mas pode ter sido apenas uma impressão mesmo

A ruiva ruborizou se lembrando da inspiração. Puta que pariu. Ele ta mais que certo. Passou os olhos pelos versos. Cacete! Ele vai perceber que foi pra ele. Engoliu em seco

- Calma ruiva! - Oliver gritou

- É muita emoção - Emma disse passando a mão trêmula pelo rosto - To nervosa - Disse rindo tapando o rosto com o papel

- Você vai ler pro colégio todo na sexta - Don comentou 

- Não ta ajudando - Emma respondeu sentindo seu rosto queimar

Umedeceu os lábios e começou a recitar o poema:

O amor está nos gestos

No dizer e no calar, 

Nas expressões do olhar

E nas formas de fazer

 

Está na nossa música,

Que juntos ouvimos

E que pro outro, cantamos

 

O amor está no cuidado

Nas tristezas e sorrisos

Na fala e no silêncio 

 

Somos rebeldes

Estamos fora das regras

Escondidos à luz das estrelas

Onde nem Zeus, nos acharás 

 

Todos aplaudiram e levantou o olhar. Eles estão a olhando. Trocou olhares com Ray e ele está com um olhar atônito. Emma tapou o rosto com o papel. Não podia ficar pior, pensou. A ruiva olhou pro professor e só queria morrer. Ele acabou de escrever o poema no quadro. Não adiantou ler rápido pois agora todos podem olhar com mais detalhe

- Estava inspirada! - Guilda comentou a provocando 

- É... - Emma respondeu se apoiando na mesa. Que vergonha! 

- "Na forma de fazer" o que Emma? - Oliver perguntou com ironia. A ruiva o respondeu com um olhar

- Muito rebelde e fora das regras - Don comentou com um sorrisinho

Colocou os dedos gelados na testa quente. E de jeito nenhum vai fazer contato visual com ele. Não podia ficar pior, pensou

- Muito legal - O professor comentou - O que mais me chamou atenção foi Zeus. Tantos deuses, por que logo ele? 

É muita sacanagem, pensou. Ele vai comentar logo sobre isso. Só falta pedir pra explicar o porquê de cada palavra

- Foi aleatório - Emma respondeu de forma genérica

Por que não colocou Odin? Ou Jesus Cristo? Se perguntou extremamente arrependida. Pra ser mais obvio deveria ter escrito logo o nome dele. Está balançando sua perna para tentar se acalmar mas não está funcionando. Seu coração está palpitando de uma forma frenética. Não tem como piorar

- Muito obrigado pela participação - O professor disse - Agora vamos analisar os jogos de palavras que a colega usou

Emma voltou pro seu lugar olhando o chão. Sentou na cadeira quase deitada. Queria a capa de invisibilidade do Harry Potter para que ninguém olhasse sua cara. 

- Aqui podemos ver muitas antíteses como: dizer e no calar, tristezas e sorrisos, fala e silêncio - Explicou sublinhando os versos - A quarta estrofe é mais interessante porque ela foge do padrão que foi estabelecido. Ela começa desafiando: Somos rebeldes - Gesticulou - Não sei se a Emma é rebelde, por isso chama atenção

A ruiva começou a rir de nervoso. Tapou o seu rosto avermelhado. Alguém cala a boca desse homem, pensou. Puta que pariu. Agora fudeu de vez

- Ela é rebelde sim - Guilda comentou - A carinha só engana

- Vou te matar - Emma disse rindo de nervoso. Agora quer muito dá na cara da sua amiga 

Pode ser verdade pois no verso seguinte diz: Estamos fora das regras - O professor comentou - Aqui tem um sugeito oculto: Nós. Ou seja, está falando de si mesma e de mais alguém

- O poema ta todo assim - Ray comentou - Ela ocultou sujeito "nós" toda vez antes dos verbos

- Exatamente - O professor disse - Isso pode ter sido para ter mais espaço pros versos terem mais palavras ou é para deixar um mistério: Quem é essa outra pessoa? 

- É a primeira opção - Emma respondeu com ironia para disfarçar sua vergonha  

- Pode ser um pouco dos dois - Guilda argumentou - Porque ela só ta com vergonha de dizer

A ruiva olhou a amiga descrente. Falta pouco pra dá uns tapas nela

- Os dois últimos versos fecham com chave de ouro - O professor deu continuidade - "Escondidos à luz das estrelas onde nem Zeus, nos acharás". Novamente, sujeito oculto. E nem vem falar que foi pra ter mais espaço - Disse diretamente pra ruiva - Você está claramente anunciando que esse "nós" está escondido e que nem uma divindade, como Zeus,  - Deu ênfase - Pode os achar. Ela escolheu um personagem extremamente importante da mitologia grega

- Por causa do ciclope - Guilda cochichou pra ruiva a fazendo gelar - Né amiga? 

Emma passou os dedos pelos cabelos deitando a cabeça na mesa. Se ela percebeu, todo mundo também reparou. Puta que pariu, deveria ter escrito lorota. Ganharia mais. Só quer sumi dali. A aula chegou ao fim mas parecia uma eternidade essa tortura. O sinal do intervalo soou e Emma teve que esperar um pouco para poder conversar com o professor sobre o projeto. Ele explicou como vai ser e o que ela vai fazer

 

Quando terminou, caminhou até o pátio. Deu uma volta e só achou Don e Guilda, a última coisa que quer é segurar vela. Em seguida, encontrou Anna conversando com Violet, Zack e Oliver. E por causa do projeto, Norman está ocupado. Pra não ficar sozinha, pegou o seu celular e abriu sua conversa com Ray

Emma: Ta na biblioteca? 

Ray: To sim 

A ruiva guardou seu celular e foi até o local. Entrou e caminhou devagar até o seu esconderijo. Ao chegar no último corredor, vê Ray olhando a prateleira. Parece que está procurando algo. A ruiva se aproximou 

- Sua poesia ficou incrível - Ray comentou ainda olhando a prateleira 

- Obrigada - Emma respondeu engolindo em seco - Muito gentil da sua parte 

- Não foi gentileza, - Ray a olhou -  Se não tivesse sido incrível não teria sido a melhor

- Até que é verdade - Emma diz envergonhada 

- A última estrofe é a minha parte favorita - Ray disse se apoiando - De onde tirou inspiração? 

- Eu que nem sei - Emma usou uma desculpa qualquer - Só saí escrevendo qualquer coisa - Ficou tão ansiosa que atropelou algumas palavras

- Eu acho o seguinte - Ray disse se aproximando discretamente - Você escreveu pensando em mim

Emma engoliu em seco. Puta que pariu! Só queria morrer - Claro que não 

- Não? - Ray perguntou a olhando como se tivesse a estudando - Na última estrofe você diz: Somos rebeldes. Como você chamou a gente quando fomos colocar piercing? 

- De rebeldes - Emma respondeu engolindo em seco - Mas foi apenas uma coincidência! 

- "Estamos fora das regras escondidos à luz das estrelas" - Ray recitou - Isso me lembra quando estávamos só sótão da cada da minha vó. A gente estava quebrando algumas regras 

- Coincidência - Emma insistiu olhando pra um ponto fixo ruborizada 

- Certo - Ray disse se aproximando discretamente - Zeus pertence à mitologia grega. Qual foi o apelido que você me deu? 

- Ciclope - Emma quase sussurrou colocando seus cabelos atrás dá sua orelha

- Então, - Ray comentou - Se eu sou ciclope e nós estamos escondidos sob a luz das estrelas no sótão da minha vó, quer dizer que nem Zeus tem poder suficiente para nos encontrar? 

- Seu bobo - Emma rir de nervoso o mantem distante tocando seu tórax 

- Eu realmente estou bobo - Ray comentou a olhando - Por não ter pensado nisso 

- Para de ser bobão - Emma diz envergonhada 

- Agora me responde uma coisa: - Ray se aproximou da sua orelha - Qual música você diz que é nossa? - Sussurrou

- Nenhuma em especial - Emma respondeu sentindo sua garganta seca

Ele se afastou um pouco. Trocaram olhares. Emma sente sua respiração irregular. Ray a puxou pela cintura e mordeu seu lábio causando um arrepio na espinha. O sinal soou indicando o fim do intervalo

- Bora - Ray disse se afastando 

A ruiva o acompanhou até sua sala de aula. Ainda sente suas bochechas quente ao caminhar do seu lado mas principalmente, por ele ter deduzido exatamente o que quis dizer com cada palavra

O final da aula chegou e Emma buscou Phil na creche. Foi caminhando devagar com ele. Seu irmãozinho contou como foi seu dia a deixando animada. Ao chegar em casa, queria pular quando contou para sua irmã que sua redação deu uma enorme vantagem para sua turma na gincana

- Você deveria ta feliz por sido o seu poema o vencedor - Krone comentou depois de ouvir a fala da ruiva - E não por ter dado vantagem na gincana

- É - Emma disse pensativa - Mas estamos muito focados em ganhar esse ano! 

- Certo - Krone respondeu - Não se esqueça que sábado vamos no médico fazer raio x

- Tomara que eu não precise mais disso - Emma diz se referindo as muletas 

A ruiva foi pro seu quarto para estudar para suas provas. Não quer correr o risco de não ter tempo se deixar mais pra frente

 

Quando a sexta chegou, Emma acordou ansiosa. Quase não conseguiu dormir na noite anterior. Nem precisou que Phil a acordasse, na verdade não precisou nem do despertador. Tomou um banho gelado e vestiu seu uniforme. Arrumou seu cabelo de forma diferente do habitual. Fez uma trança sobre sua orelha direita. Passou uma maquiagem e desceu as escadas. Está visivelmente animada e nem conseguiria disfarçar se quisesse. Deixou seu irmão na creche e seguiu pro colégio. Ela se encontrou com a Guilda

- Animada? - A amiga perguntou 

- Muito! - Respondeu - Nem dormi direito! 

Elas entraram e foram para a sala de aula. Emma sorrir para Norman, que está sentado na mesa do professor 

- Bom dia representante - Emma disse próximo à ele

- Bom dia Emma - Norman respondeu - Empolgada para recitar sua poesia? 

- Muito! - Emma respondeu demonstrando sua animação 

- Gente - Violet disse entrando na sala de aula com a caixa de madeira - Somos a turma que mais ganhou bilhetes! - Disse fechando a porta

- Pode mandar uma indireta pros professores falando que somos a turma mais amada do colégio - Emma sugeriu pro Norman

- É uma boa - O rapaz respondeu com um sorriso 

Emma sorriu envergonhada. Foi pro seu lugar cumprimentando seus amigos. Foi decidido que eles não teria aula na classe, porém deveria esperar na sala até os professores organizarem a quadra

Violet começou a entregar os bilhetes, que são muitos. Tentou organizar para entregar vários de uma vez para a mesma pessoas mas não conseguiu organizar todos e e sempre achava algum perdido

- Esse é meu! - Violet disse animada - Ui Ui o representante ganhou mais um - Entregou pro Norman

Sua expressão foi muito fofa. Ele ruborizou envergonhado. Com certeza aquele é o dela, reconheceu a forma que escreveu de longe, sorriu

- Esse é meu também! - Violet disse abrindo o papel animada. Ela sorriu vendo o conteúdo

- Que sorrisinho é esse? - Oliver perguntou lendo também

- Eu sei quem mandou pra mim - Responde usorrindo guardando o papel - Falando nele - Se aproximou do Ray lhe entregando um pequeno bolo de pepal.

Emma suspirou levemente irritada. Não acredita que ele fez um pra Violet, pensou

- Pra você Emma - Violet disse lhe entregando vários papéis

A ruiva estendeu a mão e os pegou ansiosa. Separou e começou abri-los um por um. Contou uns três 

Te amo amiga! 

Sorriu feliz. Deve ser da Guilda ou de qualquer outra garota, pensou. Abriu o segundo e teve um leve choque

Bora colorir nossa amizade? 

Emma ruborizou. De quem será? Se perguntou. Pode ser do Oliver? Ele deu indícios de querer ficar consigo. Maldito fogo no rabo, pensou mordendo o lábio animada. Já está cogitando a ideia de ter benefícios com outro cara. Abriu o último

Quero ver seus piercing novamente 

Quem mandou esse? Só mostrou seus piercings para três pessoas. Guilda, que duvida seriamente que foi ela, Norman e Ray. Deve ter sido um deles, mas quem? Se perguntou

- Achei outro pra você perdido aqui - Violet disse entregando um papel pra ruiva

Emma o pegou. Ao abrir ficou extremamente encantada. Sorriu feliz. Esse com certeza é do Ray


Notas Finais


Vocês gostaram do poema da Emma? Eu escrevi inspirada neles dois :3
.
.
O que Ray mandou pra ruiva? Alguma sugestão?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...