1. Spirit Fanfics >
  2. Amizade colorida >
  3. Capítulo XLIV

História Amizade colorida - Capítulo 44


Escrita por:


Notas do Autor


Espero que gostem ❤️
Fiz com muito carinho ❤️
Boa leitura ❤️

Capítulo 44 - Capítulo XLIV


Não há palavras, apenas desenhos. Que garoto bobo, pensou admirando sua arte. Ele desenhou uma clarabóia, idêntica da casa da sua vó, com muitas estrelas no céu e um sofá na sua frente. Emma sorriu se lembrando desse momento. Tem duas cabeças sentadas ali e o que revela ser os dois são seus cabelos. A personagem que representa o Ray tem os cabelos rabiscados com caneta preta e o da Emma, ele deu ênfase ao rabiscar sua mecha bagunçada com uma caneta vermelha. Ao redor desse ambiente, tem outros detalhes que fez seu coração acelerar. Além do desenho principal, há também uma garrafa de tequila vazia, uma girafa de pelúcia e obviamente, tem dois pares de all star. Um foi feito com caneta azul e o outro com a preta. Ficou tão fofo que sorriu envergonhada sentindo suas bochechas queimarem. O sinal soou indicando que todos vedem ir para a quadra. A ruiva guardou seus bilhetes na sua mochila. A deixou ali, igual todo mundo. Emma pegou suas muletas e acompanhou Guilda. Os corredores estão bem cheios pela quantidade de alunos. A quadra está com uma decoração minimalista de uma forma charmosa. Eles improvisaram uma espécie de palco e colocaram um microfone no centro. Há uns banner escrito: Projeto de poesia. Colocaram alguns balões com formato de coração espalhados pela arquibancada. A ruiva sentou com seus amigos. Ela ficou na primeira fileira ao lado de Guilda. Don e Ray ficaram na segunda. Quando todos chegaram, o professor de literatura deu boas vindas. Explicou a importância da leitura e o quão necessária essa prática pode ser. Parabenizou todos que participaram. Chamou na frente os representantes de classe. Emma abriu um sorriso vendo Norman indo até lá enquanto está o aplaudindo

- Quero chamar aqui a vencedora da poesia autoral: Emma da turma 1A - O professor disse

A ruiva pegou suas muletas e caminhou até ali na frente. Os gritos dos seus colegas a deixaram envergonhada. Emma trocou sorrisos com Norman e ficou do seu lado

- Foi escolhido por dó - Ayshe comentou - Ele mesmo disse que as poesias da 1A foram mais simples que da 2A

- Aceita que perdeu - Norman retrucou

Ayshe é representante da 2A. Ela está entre os quatro alunos com as maiores notas do colégio

O professor chamou todos os alunos das outras turmas que fizeram as melhores poesias autorais. Chamou também, todos que vão recitar poesias conhecidas

- Antes de começar, - O professor disse - Quero dá falar sobre a gincana: A turma 1A ganhou 50 pontos por causa da poesia da Emma - Todos começaram aplaudir. Seus colegas começaram a gritar seu nome a deixando envergonhada - Porém, - O professor interrompeu - Terá uma desvantagem que será revelada após as férias 

Ayshe soltou um riso de deboche - Vocês vão se arrepender de ter ganhado nessa

- Vem com tudo - Norman respondeu à altura - Porque 50 pontos são 50 pontos

- Eu odiaria ganhar esses pontos com uma poesia simples como a de vocês - Ayshe comentou

- Ganhamos porque foi melhor que da sua turma - Norman retrucou

Emma sempre achou que era uma brincadeira boba essa rivalidade entre as duas turmas mas depois da discussão deles, percebeu que essa disputa é realmente séria. Ayshe mantém uma expressão intimidadora e Norman não parece se incomodar, por isso ele consegue bater de frente contra ela com toda sua calma. Não teria pessoa melhor para representar a 1A

O recital começou e o padrão estabelecido são as poesias do século XIX por causa do romantismo. Que por coincidência, é a fase literária favorita da ruiva. As poesias foram recitadas uma a uma. Quando se trata do romantismo, você tem que se entregar ao que está lendo pois se não for assim de que adianta o autor ter posto tanta emoção à sua obra. Apaludiu com gosto a jovem se aproximando do microfone 

- Eu vou recitar o Soneto da Fidelidade de Vinicius de Moraes

Emma sentiu suas pernas bambas. Adora esse soneto!

De tudo, ao meu amor serei atento

Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto

Que mesmo em face do maior encanto

Dele se encante mais meu pensamento

Quero vivê-lo em cada vão momento

E em louvor hei de espalhar meu canto

E rir meu riso e derramar meu pranto

Ao seu pesar ou seu contentamento

E assim, quando mais tarde me procure

Quem sabe a morte, angústia de quem vive

Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa me dizer do amor que tive:

Que não seja imortal, posto que é chama

Mas que seja infinito enquanto dure

Emma aplaudiu sorrindo. Por favor deus, que mais alguém recite outro poema que ama tanto quanto esse. A ruiva olhou a arquibancada enquanto é recitado outro soneto. Cacete, pensou. Está bem cheio. Seus olhos acharam Ray. Ele está concentrado prestando atenção no recital. Todos aplaudiram quando ela finalizou. Um rapaz se aproximou do microfone. Ele é o último e em seguida serão os autorais  

- Vou recitar Amor de Álvares de Azevedo

Puta que pariu, pensou quando seus olhos se deslocaram para Ray

Amemos! Quero de amor

Viver no teu coração!

Sofrer e amar essa dor

Que desmaia de paixão!

Na tua alma, em teus encantos

E na tua palidez

E nos teus ardentes prantos

Suspirar de languidez!

 

Quero em teus lábios beber

Os teus amores do céu,

Quero em teu seio morrer

No enlevo do seio teu!

Quero viver de esperança,

Quero tremer e sentir!

Na tua cheirosa trança

Quero sonhar e dormir!

 

Vem, anjo, minha donzela,

Minha alma, meu coração!

Que noite, que noite bela!

Como é doce a viração!

E entre os suspiros do vento

Da noite ao mole frescor,

Quero viver um momento,

Morrer contigo de amor!

Por que teve que associar esse poema à ele? Nunca mais o lerá da mesma forma que antes. Mas o que pode fazer se uma obra como essa tem colocar muitas emoções? Os poemas autorais começaram a ser recitados. Como Emma foi a vencedora, será a última. Está bem calma e confiante pra quem vai ler pro colégio todo. Precisa ler com um pouco de emoção para chegar aos pés dos autores que foram citados durante o projeto

- Agora para finalizar - O professor disse - O poema vencedor - Apontou para Emma

A ruiva engoliu em seco. Foi até o microfone e pegou o seu papel. Levantou o olhar. Foi aí que a sua ficha caiu. Cacete! Vai ler pro colégio inteiro o que escreveu pro Ray! Puta merda! Agora não da pra surtar. Respirou fundo e umedeceu os lábios. 

O amor está nos gestos

No dizer e no calar, 

Nas expressões do olhar

E nas formas de fazer

 

Está na nossa música 

Que juntos ouvimos

E pro outro cantamos

 

O amor está no cuidado

Nas tristezas e sorrisos

Na fala e no silêncio 

 

Somos rebeldes

Estamos fora das regras

Escondidos à luz das estrelas

Onde nem Zeus, nos acharás 

Não exagerou na emoção como havia planejado porém, o leu desviando seu olhar para Ray. Pode-se dizer que estava lendo diretamente para ele. Sorriu envergonhada quando todos começaram aplaudir. Se aproximou do Norman e o abraçou. O seu abraço aconchegante a fez poder respirar aliviada. Não imaginou que seria tão tenso. Eles se afastaram sorrindo um pro outro

- Você foi muito bem - Norman disse

- Realmente é uma bela poesia - Ayshe comentou - Foi merecido. Parabéns Emma

- Obrigada Ayshe -  A ruiva respondeu 

- Mas não se acostumem com isso - Ayshe disse com superioridade - Vai ser a única vitória da 1A

- Vou pagar pra ver - Norman retrucou

O projeto chegou ao fim e os alunos se espalharam. Emma foi com Norman em direção ao seus amigos próximos à arquibancada

- Você foi foda! - Guilda disse abraçando a ruiva

- Obrigada amiga - Emma respondeu feliz

A ruiva abraçou seus amigos ouvindo palavras adoráveis. Não sente merecedora de toda essa atenção e elogios. Emma se aproximou de Ray. Ele a puxou pela cintura abraçando seu corpo firmemente. A ruiva fechou os olhos sugando seu cheiro viciante. Se afastaram e trocaram sorrisos. Emma virou o rosto e vê Anna se aproximando. As duas dão um abraço apertado

- Você foi incrível - A loira disse ao se afastar 

- Estou perdoada? - Emma perguntou 

- É claro que sim - Anna respondeu sorrindo

- Finalmente! - Guilda disse abraçando a loira

- Vocês são umas fofas - Anna comentou - Quando li os bilhetes que as duas mandaram não tinha como continuar chateada

 

O colégio liberou os alunos mais cedo, então as meninas decidiram ficar um pouco na praça para jogar conversa fora. Emma contou sobre o péssimo relacionamento com seu ex. Explicou que não queria ninguém sabendo dos seus envolvimentos por causa dos seus traumas

- Deixa eu ver os bilhetes que vocês ganharam - Guilda pediu mudando de assunto - Eu ganhei quatro! 

- Dois foram de vocês - Anna disse os pegando - Além do Ray, os outros foram sem graça - Ela mostrou e tem apenas mensagens genéricas

- O Ray assinou o dele? - Guilda perguntou

- Não - Anna respondeu

- Então como sabe que foi dele? - Guilda perguntou

- Porque o Ray só entregou desenhos - Anna disse sorridente abrindo o papel. Ele desenhou o formato dos seus cabelos soltos 

- Que lindo! - Guilda comentou

- Ele te deu também? - Anna perguntou olhando a ruiva

- Sim - Emma respondeu mostrando o seu bilhete para suas amigas. Engoliu em seco vendo a expressão séria da loira

- Bem bonito - Anna respondeu sem esboçar sorriso - Ele desenha muito bem

- Como você sabe que ele só mandou desenhos? - Guilda perguntou 

- Quando a Violet tava conferindo os bilbetes ela viu os três desenhos que havia feito - Anna respondeu - Aí ela perguntou à ele

- Três? - Guilda perguntou surpresa - Ele mandou pra mais quem? 

- Pra Violet - Anna respondeu como se fosse óbvio - Ele desenhou a rainha do jogo de xadrez - Disse com certo desprezo - Acho que é a peça favorita dela ou coisa do tipo

Por um momento, Emma tinha se sentido especial por ele ter lhe dado um desenho, mas percebeu que o mesmo fez isso para mais duas garotas. Não deveria ter dado moral à ele escrevendo aquele poema idiota! Realmente, se tivesse escrito lorota teria ganhado mais

- O que vocês acham desse? - Emma perguntou mostrando um bilhete - Eu acho que é do Oliver

- É dele! - Anna disse confiante - Eu havia sugerido isso à ele. Mostra o outro! - Pediu. A ruiva mostrou - Caó que você tem piercing! 

- Eu tenho - Emma respondeu envergonhada 

- Onde? - Anna perguntou animada

Emma pegou seu celular e abriu a galeria e mostrou sua foto - Eu sou muito rebelde - Disse envergonhada 

- Ficou muito lindo! - Anna disse - Você é muito safadinha - Disse de forma brincalhona - Mostrou pra mais quem? 

- Pra vocês duas - Emma engoliu em seco - Pro Ray e pro Norman

Anna contorceu a boca - Ah sim

- Gente! - Guilda disse - Se o Ray só mandou desenhos então... 

As três trocaram olhares e sorriram uma pra outra

- Não creio que foi o Norman! - Anna disse animada - Ele é tão sério e certinho. Nossa, que até me esqueço desse outro lado dele

 

Quando deu o horário que acabaria suas aulas, elas se despediram. Emma seguiu seu caminho um pouco chateada e buscou Phil da creche. Quando chegou em casa, encontrou Krone falando no telefone. Não deu muita atenção e foi direto pro seu quarto. Foi aí que teve uma epifania: Decidiu que vai parar de colocar tanto sentimento nas suas amizades. Ray não merece essa moral! E vai dá uns pegas no gostoso do Oliver e foda-se!

 

No sábado, no hospital, Emma tirou raiox da sua perna. A ruiva fez fisioterapia para conferir a força sobre sua perna e sorriu ao receber alta. Elas foram em direção ao estacionamento. A ruiva parou e tirou uma foto dos seus pés e postou nos status para mostar que está tudo bem agora. A ruiva correu animada ao ver Yuugo e Phil

- Ta vendo tio Yuugo - Emma disse animada - Sem muletas! 

Ele começou a rir da bobeira da ruiva - Vi de longe

- Agora vamos poder brincar de pega pega? - Phil perguntou 

- É claro! - Emma o pegou no colo muito empolgada 

- Vai fazer o que com essas coisas? - Krone perguntou ao se aproximar - Espero que não guarda pra usar novamente 

- Não pretendo - Emma respondeu sorrindo - Vou doar para quem estiver precisando

Yuugo e Krone havia assumido o seu namoro. Emma não gostou muito da possibilidade de chama-lo de pai e menos ainda de irmão, pois fica parecido com os Lannisters. Prefere o ver como namorado da sua irmã. Sua familia é muito louca e precisa se adaptar às possíveis estranhezas 

Eles entraram no carro e Yuugo os levou ao shopping. Eles foram numa loja comprar roupas para banho pois nas férias, Isabela pretende leva-los na praia. Emma ficou andando por aí pegando os modelos que mais gostou. Ao entrar no provador ficou muito em duvida de qual levar, por sorte havia fotografado todos. Mordeu o lábio ao ter uma ideia absurda. Se estiver não estiver online vai abortar essa ideia absurda. Contorceu o lábio vendo Norman offline. Mordeu o lábio pensando em outra pessoa. Sorriu ao vê-lo online

Emma: Ta sozinho? 

Maldito fogo no rabo, pensou o vendo digitando

Ray: To sim


Notas Finais


Tudo culpa do fogo no rabo 🔥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...