História Amizade colorida. Karol Sevilla ruggarol larol - Capítulo 50


Escrita por:

Postado
Categorias Karol Sevilla
Visualizações 43
Palavras 335
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 50 - Ciúmes? Parte 3


Era Lio. Me pegou tão forte que quase não conseguia me mover. Eu queria escapar, e por mais que eu tivesse com raiva, não consegui me soltar. Ele me fez virar e roçou seu rosto no meu nariz. Seus dedos pousaram na minha saia na altura do bumbum. Abri a boca para pedir que parasse mas a única coisa que saiu foi um débil gemido.
- Vamos pra casa. Disse com rigidez.
- Estou acompanhada. E só saio daqui com ele.
- Você não vai com ele. Disse em tom ríspido.
De nós dois, o mais prejudicado era ele. Havia bebido muito. Seu hálito entregava.  Estava consiente. Mais ao ponto de dizer coisas sem pensar.
- Eu tenho que procurar o Ruggero.
- Eu nao quero te dividir.
- Você está bêbado.
- Vamos lá pro reservado.
- Eu não vou ficar com você no reservado e nem em lugar nenhum. Ainda mais depois disso. Idiota.
Me separei dele disposta a ficar o mais longe possível mais ele me deteve.
- Eu só quero conversar. Prometo. 
Seu olhar dizia a verdade. Era a primeira vez que ia ao resenvado. Uma espécie de depósito onde os Casais iam pra dar uma amassos.
- Que lugar aconchegante. Ironizei. 
- Não fica com ele hoje, não hoje.  Por favor.
- Chega Lio.
- Eu drinque nao quer.
 - Você não sabe de nada.
- Se quisesse , já teria feito.
- Não sou como você, respeito os tratos.
- Fala a verdade, você não quer ficar com ele. 
- Acredita no quiser Lio.
- Não abra as pernas como um qualquer, ainda mais por um cara que você nem gosta.
Nesse momento meu sangue ferveu. Senti uma força em minhas mãos e dei-lhe uma bofetada. Pude ouvir o estralo que fizeram meus dedos ao se chocar com seu rosto. Ficou alguns segundos sem reação  E me puxou pra ele me beijando com toda intensidade que podia. Suas mãos subiram minha saia e acariciaram minha bunda com muita agressividade.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...