1. Spirit Fanfics >
  2. Amizade Para Sempre (Imagine - Shawn Mendes) >
  3. Processo

História Amizade Para Sempre (Imagine - Shawn Mendes) - Capítulo 22


Escrita por:


Notas do Autor


Desculpem a demora😁
Boa leitura❤

Capítulo 22 - Processo


Eu havia avisado a Shawn que não iria hoje e estava em casa, no meu quarto sozinha. Nesse momento a empregada havia deixado uma bandeja do meu almoço em cima da mesa junto com o meu café da manhã sem dizer nada e ela me trata como uma indiferente já que meu padrasto tava trabalhando e eu tava sozinha. Eu estava sentada no chão do meu quarto e cansada de chorar. Me aproximei do armário pequeno perto da cama e abri a primeira gaveta pra ver se encontrava algo pra me distrair. Comecei a olhar as outras e na última, encontrei escondido um frasco de remédio e fechei a gaveta vendo que remédio era. Abri e era comprimidos bem fortes. Parei pra pensar e não queria mais sofrer e ser odiada por todos. Coloquei três comprimidos na minha mão e Shawn apareceu na hora que eu ia tomar. Ele segurou minha mão antes que eu cometesse tal ato e tirou o frasco e os comprimidos das minhas mãos. Ele colocou os comprimidos no frasco fechando e jogou no lixo. Abaixei a cabeça chorando sabendo que ele ia brigar comigo por tentar me matar, só que ele simplesmente se sentou comigo e me abraçou:

- não faça mais isso, me ouviu? - ele perguntou se soltando e com um olhar preocupado.

Concordei trêmula e ele me colocou junto aos seus braços novamente. Ele se soltou e me colocou sentada na cama:

- você não comeu nada... - ele falou vendo os pratos de comida.

- não me deu vontade - falei secando as lágrimas.

- você vai comer, pelo menos um pouco, você vai ficar doente se não comer - ele falou pegando a bandeja com a minha comida e se sentou na cama ao meu lado - come pelo menos um pouquinho, por mim... - ele falou fazendo bico.

- tá bem, por você... - falei.

- boa menina, vou te recompensar depois - ele falou e peguei o garfo começando a comer, eu confesso, eu tava com fome.

- que gostoso... - falei de "boca cheia" e coloquei a mão na frente em seguida.

- ta vendo? Você tava com fome e não tava querendo comer... - ele falou.

- como foi hoje na escola? - perguntei depois de engolir a comida e peguei o copo de suco.

- *suspiro* difícil, todos estão falando só da gente e do Ricardo, a Fernanda também pegou ele no flagra igual agente - ele falou meio chateado.

- eu só queria que ela parasse com isso, eu não entendo por que ela odeia tanto agente, eu nunca fiz nada a ela, tirando o tapa e tudo que eu disse - falei.

- ela bem que mereceu e ainda precisava de mais - ele falou.

- eu queria que fizessem justiça - falei.

- pior que não temos provas... - ele falou.

Parei um instante no que ele disse e lembrei que tínhamos provas sim:

- tá tudo bem? - ele perguntou.

- temos provas sim - falei.

- como assim? - ele perguntou.

- o vídeo em que o Ricardo gravou quando ela estava discutindo com você e as imagens das câmeras de segurança do restaurante onde estávamos no dia do casamento da sua irmã, sem contar com outras câmeras no bairro - falei.

- verdade, só precisamos da ajuda de um advogado e podemos colocar na justiça - ele falou.

- vamos agora então - falei.

- primeiro você vai comer - ele falou.

Concordei com a cabeça e fui comer rapidinho pra ir logo.

{...}

Já estávamos na advocacia e esperando impacientemente por 1 hora. Finalmente nos chamaram e entramos no escritório com um homem de terno e bem mais jovem do que eu pensaria, eu jurava que era um senhor já de idade:

- boa tarde... - falou Shawn entrando e a secretaria fechou a porta.

- boa tarde... - falou o advogado estranhando - muito prazer, meu nome é Fernando, e o de vocês? - ele perguntou estendendo a mão.

- me chamo Shawn e essa é a Eduarda - falou Shawn apertando a sua mão.

- muito prazer - falei apertando em seguida depois que Shawn soltou.

- sentem-se - falou o advogado e sentamos, inclusive ele - como posso ajudar os dois?

Olhei pra Shawn que olhou pra mim pra ter certeza que essa era a melhor decisão e concordamos pra nois mesmos:

- a Eduarda desde que se mudou é vítima de bullying na escola por uma garota que a detesta sem motivo, no caso tem um motivo ela mentiu pra todos dizendo que era uma garota pobre sem ser e essa garota fica minimizando que a classe inferior a ela e a Eduarda tanto quanto eu sofremos com isso a muito tempo, queríamos abrir um processo sobre isso, temos provas - falou Shawn.

- é complicado por que vocês são menores de idade, precisaria que isso fosse feito por um responsável por vocês - falou o advogado.

- tem que ser mesmo um responsável? Vamos passar mais uma eternidade aqui - falou Shawn e já estava perdendo as esperanças.

- *suspiro* vou quebrar esse galho pra vocês, me mandem essas provas ainda hoje e tragam um responsável ainda hoje, quanto mais cedo resolvermos isso, melhor - falou o advogado.

- mas precisamos de alguém daqui pra conseguir as gravações das câmeras de segurança do restaurante onde estávamos - falou Shawn.

- pode deixar, agora mesmo vou mandar meu filho ir com vocês - falou o advogado.

- quando o processo vai estar aberto e no papel? - perguntou Shawn.

- amanhã mesmo - falou o advogado.

- então vamos logo - falou Shawn se levantando e nos levantamos - obrigado doutor, o senhor está ajudando muito - falou Shawn apertando a sua mão.

- de nada - falou o advogado.

Ele chamou o filho dele e saímos pra pegar as provas e o responsável, não sei quem seria, mas seria alguém.

{...}

Fiquei com medo de ir novamente hoje e já havia avisado novamente a Shawn, só estava esperando o horário do almoço passar, ou seja, daqui a uma hora ele viria me visitar, só me restava esperar:

- Eduarda! - gritou a empregada atrapalhando minha espera.

Eu não tava lembrada se eu fiz alguma coisa errada ou algo do tipo, mas me levantei da cama calçando o chinelo. Sai do quarto e ela estava no pé da porta com o advogado:

- é pra você! - ela falou e saiu irritada, é que ela não gosta que atrapalhem o serviço.

- desculpa por ela... - falei me aproximando - quer entrar?

- não, obrigado, só vim entregar isso - ele falou me entregando um envelope amarelo com a logo da sua advocacia.

- é o processo? - perguntei.

- sim, resolvi entregar nas suas mãos, tem duas cópias da original aí dentro, sendo que está comigo a original e bem guardada, também no processo há uma ordem de restrição, pra ela não se aproximar de vocês em menos de dois metros - ele falou.

- eu nem sei como te agradecer - falei.

- só estou fazendo meu trabalho - ele falou.

- obrigada - falei.

- bom, já vou, amanhã eu passo na sua escola pra explicar pra essa mocinha o que diz esse processo - ela falou.

- obrigada novamente - falei.

- até amanhã - ele falou.

- até - falei.

Ele saiu e fechei a porta entrando, mas a empregada estava atrás de mim:

- quero ver o que seu padrasto vai dizer quando eu dizer - ela falou e ia em direção a cozinha.

- pode dizer, eu não estou fazendo nada de errado - falei e fui pra o meu quarto.

Entrei e abri lendo. Guardei novamente e parei pra pensar. Eu não aguento mais viver infurnada nesse quarto e ainda mais com uma mulher que me detesta só de estar nessa casa. Peguei uma mochila no closet e coloquei o processo, depois meus materiais escolares e coloquei algumas peças de roupa e alguns utensílios de higiene. Coloquei o celular junto com o carregador dentro de uma bolsa separada e coloquei a mochila nas costas e a outra no ombro. Abri a porta só um pouco e a empregada tava na cozinha e abri mais um pouco vendo que tinha ido lá pra trás na varanda com um balde de roupas. Aproveitei o momento e sai sem fazer barulho e abri a porta principal devagar e sai fechando sem ser vista. Andei um pouco indo pra o elevador e abriu sendo o segurança:

- vai pra onde? - ele perguntou.

- me leva na sua moto pra casa de Shawn - falei entrando e apertando os botões, já que aprendi com Shawn.

- tá bom - ele falou aceitando.

Descemos, ele pegou outro capacete pra mim e fomos pra o estacionamento. Precisava falar com Shawn antes de tomar uma decisão e me arrepender, do jeito que eu sou.

{...}

Cheguei na casa de Shawn e desci da moto com o capacete em mãos. Segui pra entrada da casa dele e bati na porta e a empregada foi quem abriu a porta:

- senhorita Eduarda... entre - ela falou e entrei.

- Shawn já chegou? - perguntei.

- ainda não, mas já tá chegando - ela falou e a mãe dele apareceu.

- Eduarda, que visita maravilhosa, como está? - ela perguntou e a empregada saiu pra terminar seus afazeres.

- estou bem, obrigada por perguntar - falei.

- meu filho chega logo, já almoçou? - ela perguntou.

- ainda não - falei.

- vem comer um pouco então - ela falou andando e fui atrás.

- eu não quero incomodar nem nada - falei.

- eu faço questão - ela falou.

Por que eu não disse que tinha almoçado? Eu sempre penso depois que eu faço as coisas. Bom, já era. Me sentei na cadeira do balcão da cozinha colocando minhas coisas encostado na cadeira e ela colocou minha comida no prato. Comecei a comer e ouvi uma voz familiar masculina:

- mãe! Cheguei! - gritou Shawn.

- aqui na cozinha! Tem uma surpresa pra você! - gritou a mãe dele.

- já tô indo - ele falou.

Continuei a comer e ele logo apareceu ficando feliz ao me ver:

- oi... - falei de boca cheia e coloquei a mão na hora, toda vez eu me esqueço disso.

- o que faz aqui? - ele perguntou e bebi um pouco do suco que ela colocou pra descer tudo logo.

- eu vim conversar com você e te dar uma ótima notícia e acabei de incluir o almoço delicioso da sua mãe - falei.

- obrigada - ela falou e ele se sentou ao meu lado.

- eu posso saber agora? - ele perguntou.

- só depois que eu terminar de comer e você também - falei.

- tem sobremesa, então quanto mais cedo comer, mais cedo vão comer a sobremesa - ela falou colocando o prato dele.

- ele vai terminar primeiro, ele come 3 vezes mais rápido que qualquer pessoa - falei.

Todo mundo riu - até a empregada - , continuamos comendo e chegou a hora da sobremesa:

- vou aproveitar que sua mãe está aqui e dar a notícia - falei pegando minha mochila e tirando os papéis do processo, deixando a bolsa em cima do balcão.

- que é isso? - ele perguntou.

- conseguimos - falei entregando a ela, que era a responsável.

- a cópia do processo - ela falou olhando.

- o advogado me entregou as cópias agora a pouco e disse que tem uma ordem de restrição de dois metros dela pra nois três - falei incluindo ele e o Ricardo.

- poucas pessoas tem a coragem que vocês tiveram - ela falou.

- finalmente... - completei.

- pra que essas roupas? - ele perguntou vendo da minha mochila.

- esse era o outro assunto que eu ia falar com você, preciso de uns conselhos de um amigo pra uma amiga - falei.

- se quiserem comer a sobremesa lá em cima pra conversarem sozinhos e com calma - ela falou.

- então vamos, assim você me explica melhor - ele falou.

- tá, obrigada pelo almoço e pela sobremesa - falei me levantando.

- não tem o que agradecer querida - ela falou.

Sorri pra ela finalmente essa semana e peguei minha mochila e Shawn a outra bolsa e pegamos junto as sobremesas. Subimos as escadas, ele abriu a porta e passei primeiro. Ele entrou em seguida e sentamos na cama:

- sou todo ouvidos - ele falou.

- não aguento mais viver naquele lugar - falei.

- se quiser morar aqui comigo, eu não vejo problema algum - ele falou.

- obrigada Shawn, mas eu seria mais um peso pra seus pais, além de pagar as contas, os alimentos, as empregadas, as despesas dos carros, ainda você, eu não acho legal - falei.

- você não é um peso nenhum... - ele falou.

- Shawn, eu alugo um apartamento simples, eu tenho umas economias - falei.

- eu imploro, fica aqui - ele falou e tive uma ideia.

- tá, eu fico, mas por uma condição... - falei.

- pode dizer - ele falou.

- eu fazer alguma tarefa de casa e pagar algumas contas, sei que ajudaria muito - falei.

- não precisa... - ele falou.

- eu insisto, não quero depender tanto de vocês - falei.

- pelo visto você não vai mudar de ideia - ele falou.

- nem tão cedo - falei.

- *suspiro* tá bom, mas você avisou a seu padrasto que está aqui? - ele perguntou.

- sabe... - falei sem jeito e ele colocou as mãos na cara sorrindo - ... eu só sai quando a empregada estava de costas.

- da no mesmo - ele falou.

- vou mandar uma mensagem avisando pra ele mandar alguém trazer minhas coisas pra cá - falei pegando meu celular.

- melhor, pra ele não pensar que eu te sequestrei - ele falou e ri.

- você tem razão - falei mandando a mensagem.

- eu adoro quando te vejo sorrindo assim - ele falou dano um toque no meu queixo me deixando sem jeito.

Mandei a mensagem pra ele e me aproximei de Shawn lhe dando um beijo. Eu tinha que pensar em algo pra lhe retribuir de alguma forma. Tô sem ideias.

{...}

Já estávamos na escola no dia seguinte com o clima bem esquisito e ia começar a aula de matemática, mas o advogado chegou a tempo:

- bom dia, eu tô atrapalhando? Posso entrar? - ele perguntou.

- não, pode entrar - falou a professora.

- licença, bom dia a todos! - ela falou.

- bom dia! - falou baixinho dessa vez.

- posso entrar? - perguntou a Gaby.

- entra Gabrielly - falou professora.

Ela entrou e se sentou ao lado da Fernanda e trocaram até um toque secreto, que raiva naquele momento:

- não quero ser extenso, quem é Fernanda? - ele perguntou e ela levantou a mão - me chamo Fernando, que coincidência, né? - ele perguntou e ela sorriu, mas seria por pouco tempo - sou advogado particular da senhorita Karen, conhecida como a mãe de Shawn, estou aqui pra lhe entregar a cópia do processo imposto contra a senhorita - ele falou entregando - óbvio, que por ser menor de idade, seus pais vão ter que responder por você.

- o que eu fiz pra ser processada? - ela perguntou se levantando.

- tenho provas por meio de vídeos e imagens de câmeras de segurança onde a senhorita estava agredindo verbalmente a Eduarda e fisicamente a Shawn e tem provas também de abuso do autoridade e xenofobia aos meus clientes, Eduarda, Shawn e Ricardo - ele falou.

- e o tapa que ela me deu? - ela perguntou.

- minha cliente estava apenas em pura defesa - ele falou.

- você vai me pagar! - ela falou vindo até mim, mas o segurança passou na frente a impedindo.

- e também tem uma ordem de restrição de uma distância de dois metros dos meus três clientes, infligido isso, imediatamente será levada para delegacia e só sairá com a presença dos responsáveis - ele falou e ela voltou pra trás sem se sentar.

- eu não ligo pra essa porcaria! - ela falou quase ao grito rasgando.

- não esperava essa sua atitude, vamos ver como vai ficar seu processo depois disso - ele falou e ela riu debochando.

- você tem alguma prova agora? - ela perguntou.

- tudo filmado, talvez? - perguntou Shawn mostrando que estava gravando com o celular ficando em pé.

- eu não acredito... - ela falou e Shawn entregou o celular pra o advogado.

- será levado pra minha advocacia e encaminhado pra a justiça, por enquanto, os meus clientes estão protegidos pela lei, tenham um bom dia - ele falou e saiu.

- vamos começar a aula novamente? - perguntou a professora.

Ela se sentou na banca dela lançando um olhar mortal pra mim e tentei focar na aula já que eu perdi quase uma semana de aula. Fiquei com muito medo, ela podia fazer alguma coisa contra mim ou a Shawn.


Notas Finais


A coisa ta feia pra Fernanda.......


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...