História Amizade Virtual - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Drama, Escolar, Família, Festa, Personagens Originais, Romance
Visualizações 19
Palavras 1.642
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Bishounen, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oiii mais um cap!!
Espero que gostem!

Capítulo 17 - Capítulo 17


POV Evangeline

Acordo abraçada a Helayja que está acordado me olhando e diz:

- Good morning, my dear. (T: Bom dia, minha querida)

- Bom dia! - respondo e dou um selinho rápido nele. Então cai a ficha de que eu não fui embora ontem e o olho irritada, me solto do abraço e me sento na cama.

- Eu te chamei mais você não acordou e como já estava tarde achei melhor deixar você dormin... - não deixo ele terminar de falar e pergunto:

- Seus pais sabem que eu posei aq.…. - ele me cala com um beijo calmo e fala:

- Desculpa, mais eles sabem sim e não estão bravos nem nada. - eu coro e pergunto:

- Seu tonto por que me beijou? Eu estou sem escovar os dentes.

- Porque você é minha namorada. Dormiu bem? - ele fala e se levanta.

- Sim, e você? - pergunto e não consigo deixar de reparar em seu corpo definido pois ele está usando só uma calça moletom cinza escura Como ele é bonito. Vejo algumas marcas de chupões que eu fiz em seu pescoço ontem e sorriu.

- Sim, dormi muito bem essa noite e sabe por que? - ele fala e senta-se na cama.

- Por que? - devolvo a pergunta e ele se aproxima de mim e fala sussurrando no meu ouvido:

- Porque dormi a noite inteira abraçado com a minha linda namorada. - me dá um beijo no pescoço e me arrepio inteira e coro até as orelhas.

- Tonto! Não fale essas coisas assim. - falo e ponho as mãos no rosto.

 

POV Helayja

Seguro as mãos dela e as tiro do rosto, em seguida dou um beijo nela e a faço deitar na cama. Subo em cima dela e continuo a beija-la, solto as mão dela ainda a beijando e aprofundando o beijo a mesma passa seus braços pelas minhas costas dando alguns arranhões com as unhas que apesar delas serem meio curtas causam um arrepio gostoso e excitante, começo a passar uma mão em sua coxa e diferente da outra vez ela não pede que eu pare e com a outra puxo a gola da blusa e desço beijos até sua clavícula e dou-lhe um chupão e em resposta ganho um gemido baixo abafado por uma de suas mãos que deixaram de arranhar minhas costas. Começo a subir minha mão até chegar na barra da blusa e começar a passar a mão pelos lados da sua barriga e ela falar para eu parar, então tiro minha mão dali e faço carinho no seu rosto e peço desculpas e voltamos a nos beijar.

Minha mãe abre a porta do meu quarto, rompemos o beijo ao vermos ela ali e ela apenas nos olha estática e fala para descermos pro café da manhã e fecha a porta. Encosto minha cabeça no ombro dela e começo a rir, ela me olha envergonhada e irritada e começa a dar tapinhas no meu braço enquanto reclama sobre o que acabou de acontecer. Me deito ao lado dela e volto a rir e ela coloca um travesseiro na cara tentando esconder a vergonha, começo a fazer cosquinha nela que se contorce enquanto ri e fala para parar, meu pai abre a porta e fala normalmente para descermos ou vamos nos atrasar para aula, concordamos e ele vai embora, dou um selinho na bochecha da de cabelos negros e falo:

- Queria que hoje fosse final de semana só para podermos ficar assim, brincando e nos beijando o dia todo...- me levanto da cama e vou ao banheiro fazer minha higiene e tomar um banho calmo enquanto me alivio pois fiquei um pouco excitado enquanto nos beijávamos e ela arranhava minhas costas, por sorte ela não percebeu, se ela percebe-se morreria de vergonha e eu também e provavelmente não deixaria eu a beija-la de novo.

- Tonto! ïdïot! (T: idiota, em cazaque) - ela fala e joga um travesseiro em mim.

- Eu vou ir tomar um banho e depois descemos tomar café da manhã, ou se você quiser pode ir na frente e tomar junto com os meus pais. - falo entrando no banheiro que tem dentro do meu quarto e a vejo corar.

- Eu vou te esperar aqui. Nem morta que eu vou descer lá embaixo sozinha depois de ter posado na sua casa e sua mãe ver a gente namorando deitados na cama.  - ela falou e sentou-se na cama fazendo birra e cruzando os braços.

- Está bom, My shameful cat. (T: minha gata vergonhosa, em inglês) - ela me joga um travesseiro e fala:

- Golovokruzhitel'nyy! (T: tonto, em russo)

- No vam eto nravitsya (T: mais você gosta, em russo) - respondo e fecho a porta do banheiro.

- Convencido! - ela fala.

 

 

POV Evangeline

Demora um pouco e Helayja sai do banheiro só de toalha, eu coro e mordo meu lábio e em seguida coloco minhas mão no rosto e falo:

- Helayja! Se você ia sair do banheiro assim poderia ter me avisado para eu sair do seu quarto.

- Porque eu ia te avisar? Você é minha namorada, não vejo problema nenhum em você me ver assim.... De boxer. - ele fala enquanto ri e joga a toalha na beira da cama. Tiro as mãos do rosto incrédula e irritada, jogo um travesseiro nele que ri mais alto e vai vestir o seu uniforme.

- Seu idiota retardado! VOCÊ QUER ME MATAR DE VERGONHA! - grito a última parte e vou abrir a porta do quarto para poder sair e ele me segura pela cintura e sussurra no meu ouvido:

- Você está com o cabelo todo bagunçado e se descer lá embaixo assim vão pensar que nós estávamos transando pelo tempo que demoramos para sair do quarto. - me solto dele corada até as orelhas e irritada, termino de abrir a porta e antes de sair do quarto falo sem pensar:

- Eu quero ir embora. Vou te esperar do lado de fora do quarto, não demore ou vou embora sozinha. - como ele consegue falar isso pra mim? Eu sei que estamos namorando mas mesmo assim, que raiva, como ele pode mudar totalmente de uma hora pra outra e não sentir vergonha nenhuma.

Ele termina de se trocar, sai do quarto e fala:

- Eva me desculpa, eu falei sem pensar, por favor me perdoa... - ele fala e me abraça.

- Você não sente vergonha de falar aquelas coisas que disse no quarto. - retribuo o abraço e falo.

- Um pouco, me desculpa. - ele fala e faz carinho no meu cabelo.

- Sim. Você fazia com as outras né? - falo e olho para cara dele.

- Fazia o que? - ele fala sem entender.

- Transava. - me solto do abraço, abaixo a cabeça, desvio o olhar e falo num sussurro.

- Eu... bem... er…. Sim... eu não sou mais virgem, já transei algumas vezes... por que? - ele me fala meio sem jeito e corado.

Quando eu fui responder a mãe dele apareceu falando para descermos logo, então Helayja me emprestou um pente, arrumei meu cabelo, e fomos tomar café da manhã e eu falei do jantar sábado lá em casa e depois passamos na minha casa pra mim tomar um banho e trocar de roupa, fomos para escola.

 

Estava tudo normal, Laure nos atormentando, a gente ficando irritado e depois conversando normal.

 

Fui embora para minha casa junto com Helayja, Laure foi embora junto com Adrien e falaram que iriam passar em casa para conversamos sobre o festival escolar. Chegando em casa Helayja me pergunta enquanto Laure e Adrien não chegam:

- Eva porque você queria saber se eu já tinha feito sexo antes?

- E..eu queria saber porque você é meu namorado... e porque eu.... - abaixo a cabeça envergonhada e ele a ergue para eu o encarar e pergunta sério:

- Evangeline você é virgem? - não falo nada apenas concordo que sim mexendo a cabeça e Laure chega abrindo a porta falando que tinha chego e que passou comprar alguns salgadinhos e doces que não era para fazemos almoço hoje e pede que eu a ajude a fritar, então vou para cozinha junto com ela deixando Helayja e Adrien na sala.

 

POV Helayja

- O que aconteceu? - Adrien percebe que estou sério e preocupado e me pergunta enquanto as garotas estão na cozinha

- Hoje cedo ela me perguntou se eu não sou virgem, depois de brigarmos por eu dizer que se ela sai-se do meu quarto com o cabelo bagunçado depois de demorarmos iriam pensar que estávamos transando. - digo me sento no sofá e bagunço o cabelo. Gadriel abre a porta, entra e se joga no sofá.

- Ela te disse que sim e o que aconteceu? - Adrien pergunta e senta-se ao meu lado.

- Vocês chegaram e eu não pude dizer nada.... Pera aí como você sabe se eu não te contei? - falo e olho irritado para ele.

- Você é o primeiro namorado dela... e ela nunca foi muito de sair de casa e muito menos de namorar ou ficar com outros garotos. Você não sabia disso? - Gadriel me pergunta como se isso fosse obvio.

- Não. Ela é bonita, uma pessoa incrível, beija bem... eu achei que ela já tivesse namorado algum antes de mim- falo envergonhado.

- Evangeline foi adotada pelos meus tios, nós crescemos juntos. Ela é minha prima. -  Adrien fala e em seguida as garotas aparecem trazendo os salgadinhos já fritos e Laure pergunta sobre o que estavam conversando e Gadriel responde que era sobre o festival. Ficamos praticamente a tarde inteira jogando Xbox e conversando. Gadriel disse que ia sair e que não sabia que horas ia voltar, deixando o Adrien meio triste.


Notas Finais


Obrigada por lerem!
E pra quem ama uma lemonada OtaYuri confiram a minha Historia Recém Casados: https://www.spiritfanfiction.com/historia/recem-casados-12907317


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...