História Amnesia - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Amizade, Amnésia, Amor, Chefe, Drama, Hanna, Matt, Peter Professor
Visualizações 32
Palavras 4.101
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Boa Leitura amores

Capítulo 11 - Recordando


Fanfic / Fanfiction Amnesia - Capítulo 11 - Recordando

Uma jovem olhava a paisagem através da janela de um carro claramente contente, os brilho em seus olhos mostrava que o que estava vivendo era algo maravilhoso, a jovem mordeu os seus lábios sorrindo então disse.

__Peter muito obrigada por esse passeio por esse momento, eu amei muito.

__ Fico contente que tenha gostado Hanna. Eu te amo ainda mais depois desse tempo que ficamos juntos.

__ Embora eu tenha amado, eu me sinto um pouco mal por ter feito você desistir de ir para o acampamento da escola, eu sei que eles provavelmente vão te repreender.

__ Eu não me importo, quando você me disse que não iria, que iria viajar para outro lugar sozinha eu entendi que eu era o único que não estava fazendo nada para manter nossa relação bem.

__ Obrigada Peter! Eu te amo muito.

|....|

 Depois das férias de verão, as aulas foram retomada, as alunas ficaram mais enlouquecidas com Peter que aparentava andar de bom humor, como era muito sério velo sorrir quase que todos os dias deixavam as alunas ainda mais encantadas por ele. Seu namoro de mais de um ano e alguns meses com Hanna estava há um passo de ser descoberto por todos já que Hanna fora vista indo até a casa do Mayer várias vezes nos últimos meses.

__ Peter cheguei! — Anunciou entrando na casa, tinha a chave então não precisou tocar a campainha.

__ Oi Hanna, o que faz aqui tão sedo em pleno sábado?

__Eu soube que você vai para capital eu só vim me despedir de você!

__ Eu estarei aqui na segunda.

__ Eu vou sentir saudade.

__ Se cuide!

 No dia quem que Peter foi para capital resolver alguns problemas, foi justamente o dia em que Hanna começou a sofrer, após sair da casa de Peter, Hanna foi perseguida por diversas alunas, naquela manhã de Sábado Hanna fora agredida por seis alunas, ao voltar Peter soube do ocorrido com Hanna, ficou furioso tentou tirar satisfações com as alunas mas Hanna não permitiu. Disse que já se sentia melhor e que não se importava com o que aconteceu tão pouco com os hematomas em seu corpo.

 Os rumores de que um professor estive-se envolvido com uma aluna aumentava cada vez mais e Hanna sofria as consequências dos boatos, por mais que Cátia e Daniel a protege-se sempre que estavam por perto, havia momentos que Hanna não conseguia escapar das agressões de suas colegas. Os pais de Hanna ficaram sabendo dos boatos de que sua filha estava se envolvendo com um professor, ambos colocaram a filha contra a parede, com tudo Hanna escolheu permanecer ao lado de Peter saindo assim das casa de seus pais, passou a morar com Cátia, Peter reprovou sua atitude mas não conseguiu faze-la mudar de ideia. O amor de ambos era bonito forte e intenso, mas os problemas pelos quais estavam passando eram conturbados.

__Ha Matt, tenho medo de que a Hanna acabe se machucando seriamente.

__ Você acha que suas alunas chegariam a tanto?

__ Não sei, mas não quero que a machuquem, eu vou encontrar com ela agora na praça estou esperando ela chegar precisamos arrumar uma solução para essa questão. Mas e como está o Kai?

__ Ele se recuperou da surra que levou mas jurarão pegar ele novamente e você também Peter ele acha que você está acobertando o Kai que estão juntos nessa, eles já pegaram o Ken e a mim, tome cuidado meu amigo.

__ Pff, o Kai não apende, Matt eu preciso ir a Hanna chegou se cuide também.

__ Oi Peter...

__ O que você tem Hanna parece triste!

__ Eu discuti novamente com meus pais, mas eu estou bem.

__ Você conhece a minha posição a respeito disso.

__ Eu sei, mas nunca vou desistir de você. Você também nunca vai me deixar não é?

__ Não, não vou deixar eu amo você Hanna. Quer dormir lá em casa hoje? Talvez isso te faça bem apenas nós dois.

__ Sim!

__ ALI ESTÁ ELE! KAI SEUS DESGRAÇADO PARADO AI! — Peter olhou para cima das escadas e viu três homens armados correrem em sua direção.

__ Quem são aqueles caras Peter? E do que foi que os chamaram?

__ Merda! Será que eles estão me confundindo com o Kai? Ou isso é apenas para disfarçar. — Questionou baixo para Hanna não ouvir, vendo que os homens iam atirar Peter se jogou sobre Hanna e ambos rolaram as escadas Peter abraçou a mesma protegendo-a para que ela não se machuca-se, rolaram oito degraus seus machucados eram poucos e supérfluos apenas arranhões e leves escoriações.

__ Vem Hanna vamos embora!

__ Mas porquê! Oque está acontecendo quem eram aqueles caras.

__Eu explicou outro hora, agora vamos.

 Peter levou Hanna para sua casa preocupado, as coisas pareciam estarem ainda mais complicadas, mais ainda assim não queria ter que deixar Hanna porem quando Peter percebeu tudo já estava fora de controle seu namoro foi descoberto, descobriu também que Kai estava usando o mesmo visual que o dele fazendo com que os homens de Patrick o preguice, diversas vezes perseguiram Hanna que não estava entendendo nada, achava que era coisas das alunas que já sabiam de seu envolvimento com Peter. 

Mesmo Hanna se mantendo firme em seu objetivo de estar ao lado de Peter, a gota d´água para Mayer se deu quando Hanna foi parar em um hospital por conta dos capangas de Patrick, ela não teve nada mas para Peter foi mais que um simples “mal estar” Assim que a jovem saiu do hospital uma semana depois Peter decidiu terminar tudo com ela, para mantê-la segura e longe de qualquer problema.

__Peter o que, o que deu em você? — Perguntou com os olhos cheios de lagrimas estava a cerca de vinte minutos conversando com Peter e ainda assim nada que ouvia fazia sentido para ela.  

__ Vamos ser realista Hanna, eu sou seu professor e você minha aluna, nunca daria certo!

__ Você disse que me amava.

__ Eu tinha sentimentos por você Hanna apenas. Vamos terminar aqui! Não venha mais na minha casa acabou.

__ Como acabou Peter, o que vivemos não significou nada para você?

__ Quer sair da minha casa por favor?

__ Peter me explica o que está acontecendo! Você quer que nosso relacionamento volte a ser um segredo? Eu não me importo Peter eu juro, podemos fingir que terminamos e voltar a ficarmos as escondida.

__ Essa não é a questão Hanna! Eu não quero ter mais nada com você! Saia agora da minha casa!

__ Eu não entendo, eu não consigo entender, porque você está me dizendo isso.

__ Saia Hanna!

  Hanna saiu da casa do mesmo em lagrimas, o mesmo irritou-se ao ver como deixou Hanna, em um minuto de impulso saiu correndo fora atrás dela mas não teve coragem de se aproximar ao ver ela sentada em um banco na praça em lagrimas.

__ Hanna por favor me desculpe. — Peter saiu dali e voltou para sua casa, aproveitou para ligar para Matt e contar tudo que fez.

__Peter você não precisava ter feito isso!

__ Eu precisava sim, não posso deixar ela correr perigo por minha causa e muito menos por causa das besteiras do Kai!

__ Peter e você como se sente com isso, você só fala em manter ela bem e você está bem com isso?

__ Claro que não, eu realmente me apaixonei por ela passamos por tantas coisas juntos, gosto da companhia dela não vai ser fácil Matt!

 Peter percebeu que não seria fácil logo na segunda ao reencontrar Hanna nas aulas a jovem estava claramente abatida Cátia e Daniel tentaram conversar com ele entender o porquê dele ter a deixado mas Peter não falou, decidiu tomar uma atitude ainda mais drástica, na sexta anunciou que iria embora para sempre dali, quando Hanna soube fora imediatamente falar com ele quando chegou na casa dele Peter já estava pondo as malas em seu carro.

__ Não, não isso não é verdade não é?  Você não está indo embora não é, por favor Peter diz que é mentira eu não vou suportar que você vá embora. — Hanna o abraçou enquanto deixava suas lagrimas caírem em abundância, Peter levantou sua mão a vontade que tinha era de abraça-la acaricia-la e dizer que estava pensando em sua segurança mas entendia que se fala-se poderia estar podo-a ainda mais em perigo. Como um pesar imenso em seu coração, Peter segurou em seu ombro e a afastou dele.

__ O que você está fazendo aqui? Eu pensei ter sido bem claro com você quando conversamos. — As palavras dele foram extremamente duras para com ela.

__ Por que você está falando assim comigo, e todo o carinho que tinha entre nos.

__ Já acabou. Vá embora.

__ E quanto a nós?

__ Nós não existe mais Hanna, como você pode ver eu já estou de partida então adeus.

Peter entrou em seu caro deu partida e saiu em alta velocidade deixando para traz uma jovem com o coração partido, Hanna sofrera por longos meses até ser pedida em casamento, desiludida ainda ferida pela forma que Peter a deixou decidiu aceitar, Peter soube desse casamente e imediatamente decidi-o que faria algo a respeito não iria permitir que ela se casa-se.

 __ Peter vá mais devagar assim você vai acabar cometendo um sério acidente.

__ Cale a boca Matt. Tenho que impedir o casamento não tenho tempo preciso correr, se não quer estar aqui abra a porta do carro e pule.

__ Eu não vou me ferir por uma estupidez sua, foi você que largou ela, você a deixou porque foi fraco porque preferiu a imagem do professor respeitado e perfeito a garota que dizia amar. Você escolheu esse caminho.

__ Estou arrependido entendi que fui um estupido e a quero de volta não vou medir esforço para tela novamente.

 Peter em poucos minutos chegou a casa da mesma suspirou aliviado ao ver que ela ainda estava lá, ela estava saindo quando chegou.

__ Hanna!

__ O que você quer aqui Peter! Sua presença não é bem-vinda, não o perdoei pelo que fez aminha amiga.

__Pouco me importa se você me perdoa ou não Cátia, eu não vim te ver ou falar com você. Mas sim com a Hanna. 

__E quem disse que eu quero falar com você! — Ela foi ríspida em suas palavras.

__ Não me importa se você vai me ouvir ou não. O fato é não deixarei você se casar.

__ E por que não, achou que eu ia ficar chorando por você todo esse tempo, que passaria o resto da minha vida sofrendo por um covarde que me deixou. Pois não fiquei estou amando outro. Então saia da minha frente.

__ Eu não vou deixar venha. — Peter tentou pegar o braço de Hanna mas foi impedido por Daniel e Cátia, chamou por Matt que os segurou enquanto pegava Hanna agressivamente em seus braços e a colocava em seu carro e saiu imediatamente para que ela não pode-se escapar.

__PETER SEU LOUCO ME DEIXA DESCER AGORA!

__ Não, Já disse que não permito que fique com outro, você tem que me ouvir eu quero me desculpar, quero voltar com você. 

__ Mas eu não, você escolheu me deixar agora conviva com isso. Vou sair daqui agora.

(...)

  Um olhar atento zelava por Peter, Hanna o olhava intensamente pelo vidro do quarto, Peter parecia sofrer, parecia angustiado estava revirando na cama ele gemia, e isso deixa Hanna ainda mais agoniada ao achar que ele estava sentindo algum tipo de dor.

__ Peter! — Pronunciou Hanna aflita apertando suas mãos segurando as lagrimas que insistiam em sair.  

“PETER O CAMINHÃO!”

 Peter abriu seus olhos imediatamente ao se lembrar do acidente de carro que teve com Hanna, Hanna percebera que Peter havia acordado e se encheu de alegria.

__ Peter, Peter ele, ele acordou, alguém, enfermeira, Matt! — Hanna gritou no corredor, Matt veio com a medica de Peter e entraram no quarto mas Hanna não pode entrar a medica pediu que ela espera-se do lado de fora por um momento.

__ Veja só quem enfim acordou.

__ Matt. — Pronunciou Peter claramente abalado.

__ Peter o que você está sentindo? — Perguntou Candy checando seus batimentos cardíacos que estavam muito alto, o Mayer se encontrava muito ofegante, nesse instante Hanna entrou no quarto com os olhos cheios de lagrimas.

__ Peter, você está bem? — Perguntou segurando sua mão precisava ver com seus olhos que ele estava bem, mas Peter se soltou de Hanna que estranhou sua atitude.

__ Você não pode entrar estou o examinando ele, por favor alguém tirem essa moça daqui. 

__ Eu vou esperar lá fora eu só queria... me desculpe. — Hanna deu uma última olhada em Peter que se quer a olhou, não conseguia encara-la, triste a rosada se retirou, Peter encarou Matt e disse.

__ Matt por favor leve a Hanna para casa dela e volte logo eu quero falar com você. Sobre o meu passado!

__ Claro meu amigo. — Matt se retirou e avisou a jovem que levaria para sua casa, a mesma se recusou a ir, mas Matt conseguiu a converse de que seria melhor assim de pois de muita insistência, disse-lhe que se algo acontecesse ele há avisaria imediatamente, que para o bem de Peter era melhor ela ir.       

♠ - ♠

  Após deixar Hanna em sua casa Matt voltou imediatamente para o hospital Candy já tinha examinado seu amigo e autorizou Matt a entrar e conversar com ele sem nem um problema.

__ Que susto em meu amigo!

__ Naruto eu me lembrei, eu me lembrei do meu passado. A Sakura, a Sakura é a garota com quem eu tinha me envolvido antes.

__ Até que enfim você lembrou Peter! Sim elas são as mesma pessoas gozado não?! — Falou suspirando se sentando na cadeira ao lado dele, Peter o encarou sério por alguns segundos.

__ Matt, você já sabia que a Hanna, era a mesma que eu... porque você não me contou?!

__Porque eu não tinha certeza de que eram as mesmas! E também é uma segunda chance que a vida está te dando. Você não percebe o amor de vocês os juntaram novamente, mesmo após ambos terem esquecido quem eram ainda assim se apaixonaram um pelo outro mais uma vez.

__ Você devia ter me dito Matt!

__ Você mesmo quem me proibiu de falar sobre o seu passado.

__ É ela Matt, eu me lembrei de boa parte do meu passado! Eu a magoei tanto Naruto, eu disse coisas horríveis há ela eu a afastei de mim eu a fiz chorar.

__ Eu te disse na época que você estava cometendo uma grande burrada! Eu entendi seus motivos mas acredito que você poderia ter encontrado outra solução se não tivesse sido tão radical.

__ Eu a machuquei Matt, você sabia que ela tem uma cicatriz por conta do acidente, ela odeia aquela cicatriz, ela disse que odeia a pessoa que a machucou.

__ Que é justamente você! — Disse Matt.

__ Eu sei disso!

__ Mas e agora o que você vai fazer Peter? Vai contar tudo há ela? Ou vai deixá-la mais uma vez!

__ Ela me odeia, quando estávamos no carro ela queria pular dele Matt tudo para não estar sozinha comigo, ela não se importou em pular do carro contanto que se visse livre de mim e no fim eu causei o acidente. Eu não posso machucar ela mais! Nunca mais.

__Então isso quer dizer que você vai deixá-la!?

__ Eu não tenho o direito de machuca-la mais.

__ É sua resposta final? — insistiu! em saber. 

♠ - ♠

 

| Hanna Pov On|

 

 Eu já estava a ponto de ficar louca sem ter notícias do Peter três horas tinham se passado deis de que Matt tinha me deixado aqui. O que o Peter tem? Porque ele passou mal por que ele estava parecendo tão agoniado quando o vi na cama. Queria entender porque ele soltou a minha mão, porque ele não quis que eu a segura-se, essa ansiedade essa falta de noticia está me fazendo mal.

__ Meu coração está tão angustiado. Eu não estou me sentindo bem... eu preciso de ajuda.

 Ouvi minha campainha tocar fui até aporta assim que eu abri eu dei de cara com a Lya eu cai nos braços dela.

__ Meu Deus Hanna! O que você tem? — Lya me ajudou a me sentar no sofá, acho que estava na hora de contar a Lya que o acidente que tive no passado me deixou algumas consequências já erámos boas amigas não via o porquê de esconder mais isso dela.

__ Eu devo estar com minha imunidade baixa é assim deis de que acordei do coma, normalmente não me faz mal, mas hoje eu estou tão preocupada, não me alimentei ainda, estou só um pouco fraca eu vou ficar bem.

__ Como não se alimentou o que está acontecendo? Matt me ligou pedindo que eu visse te ver, eu não entendi nada mas eu vi que a voz dele era tão séria e ele foi insistente.

__ Séria? Ai não o Peter eu preciso eu... — Tentei me levantar mas não consegui Lya me segurou me impedindo.

__ Você não vai a lugar algum! Sente-se aqui, que eu vou pegar algo para você comer Hanna e nada de tentar fazer esforços entendeu.

__ O Peter está no hospital...— contei triste.

__ Eu fiquei sabendo, mas ele deve estar bem, ou do contrário o Matt teria me dito não acha?

__ Você pode ligar para ele? Por mim!

__ Está bem se acalme. — Lya me deu um copo de suco e uma fatia de bolo que ainda tinha sobre a mesa, enquanto ela me olhava comer ela ligou para Matt conversaram por alguns minutos eu estava ansiosa para que ela desliga-se e me conta-se logo o que estava acontecendo.

__Hanna pode ficar calma, o Peter está bem, está em repouso no momento!

__ Há eu fico mais aliviada!

__Agora a senhoria vai me explicar como foi viajar e não me avisou, quando li sua mensagem ontem eu fiquei surpresa.

__ Me desculpe Lya é que foi tudo tão rápido.

__ Então como foi viajar com o Peter?

__ Foi muito bom, a gente, a gente ai Lya!

__ Esse olhar brilhando, essa pele um pouco vermelha, ô meu deus Hanna vocês...

__ Sim! Aconteceu!

__ Há eu fico feliz por vocês! — Lya me abraçou apertado, ela era tão fofa eu sei que a felicidade dela por mim é sincera.

Lya me fez companhia o resto da tarde eu já me sentia melhor então eu poderia ir para faculdade já que eu não posso ir ao hospital ver o Peter. Antes Maya me chamou até sua casa ela me encheu de perguntas sobre a viagem e claro eu contei tudo o que aconteceu para ela.

__ Há Hanna você e o Peter transaram! Essa viagem foi inesquecível em.

__ Maya...

__ Estamos só nos duas em casa não precisa ficar tão vermelha.

__ É que o momento foi tão incrível, foi tão lindo ele foi tão carinhoso eu não sei, mas é como se eu e o Peter estivéssemos ligados há um bom tempo. 

__ Será que estamos diante de um caso de “almas gêmeas” talvez “destinados”?

__ Pare com isso Maya! Agora me conte sobre você, encontrou com o Colin ontem?

__Não, eu sai com o Luke e com o Dylan.

__ Um, e rolou com algum deles? — Perguntei tirando sarro dela.

__ Claro que não, não sei se você sabe mas o Luke é louco por você e o Dylan ele tem uma noiva a Tina já viu a cara dela? Ela me dá medo. — Comentou me dando uma leve cutucada na cintura.

__ Pare de besteira, Luke  e eu somos apenas amigos.

__ Mas é bem claro que ele gosta de você! Ele não faz questão alguma de esconder isso.

__ Quer saber eu já vou indo tenho que chegar cedo na Universidade.

__ Não sei como você consegue, estudar e trabalhar.

__ Eu não queria ir hoje, estou preocupada com o Peter mas Lya me disse que o melhor é eu ir e me distrair do que ficar em casa criando mil coisas na minha cabeça.

__ Ela tem razão, Peter não iria gostar de saber que você está nesse estado por causa dele, então agora vá! E nada de ficar pensando besteiras ok! O Peter está bem.

__ Você  e a Lya tem razão. Eu vou indo agora.

 Me despedi da Maya e sai tomei um taxi e fui para a Universidade quando cheguei vi Lya nos braços do Matt, eu fiquei tão feliz por ela, mas não me contive e corri até ele.

__ Matt ... quero dizer eu me desculpe interromper vocês.

__ Oi Hanna! — Matt sorriu de uma forma estranha pra mim parecia um sorriso triste não sei ao certo meu coração apertou.

__ Que bom que você veio Hanna eu fiquei preocupada que você não viesse.

__ Eu vim... há, Matt como está o Peter? — Eu estava tão aflita que decidi pergunta de uma vez.

__ Ele está bem não se preocupe.

__ Eu fico tão feliz! Ele está bem mesmo não é? Não está mentindo pra mim?

__ Não estou mentindo.

Ele parecia não estar mentindo, mas ainda assim, porque ele estava me olhando com um olhar estranho! 

__ Matt! Será que você poderia liberar as minhas alunas? — Olhei para trás e vi Kai bem atrás de mim.

__ Então é aqui que você dá aulas Kai!

__ É sim, veio me ver? — Perguntou o olhando.

__ Claro que não, vim ver a Lya

__ É sendo assim eu vou te deixar à vontade afinal é o melhor amigo do meu irmão, venha Hanna vamos deixar o casal sozinho.

 Kai se quer me deixou falar quaisquer coisas que fosse, e me levou para dentro, pesei que ele me soltaria assim que entrássemos no corredor, mas não ele me levou para a sala dos professores ela estava vazia então ele trancou a porta.

__ Porque você trancou a porta?

__ Não precisa ficar me olhando assustada, por mais que eu ache excita... quero dizer.... o que você tem? Não parece bem.

__ Não tenho nada! Só estou preocupada com o Peter...

__ Eu soube que ele passou mal eu também estou preocupado na nossa família é só eu e ele. Temos um tio mas somos bem distante. — Eu olhei para Kai ele tinha um olhar tão perdido ele parecia tão triste, de repente ele se levantou e me deu um abraço apertado.

__ K-Kai me....

__Por favor me deixe te abraçar, eu fiquei com tanto medo de perder o Peter o meu irmão! — Deixei Kai me abraçar ele estava tão preocupado com o irmão quanto eu, como ele não estaria afinal o Peter é irmão dele.

  Ficamos abraçados por quase três minutos até que alguém bateu na porta. Depois disso foi difícil me concentrar na aula, enquanto me abraçava Itachi me fez um acarinho na cabeça aquela atitude foi estranha. Lya não estava na aula ela deve ter ido conversar com o Matt, depois eu irei saber de tudo. O que mais me deixava preocupada era saber do Peter, ele não me mandou nem uma mensagem e não respondeu a que eu mandei para ele. Será que estamos bem? Será que ele não me quer mais? E se ele não me quer mias, porque ele chegou a isso, o que foi que eu fiz! Ele tinha ficado muito nervoso quando viu Luke sair da minha casa.

__ Preciso ver ele agora mesmo.

 Sai da faculdade e fui para o hospital eu sei que já passo da hora de visita mas como o Peter estava em um quarto particular pensei que poderia ver ele sem problemas algum.

__ Que?! Como assim ele já saiu!

__ Sim senhorita é isso mesmo o paciente do quarto 12 Peter Mayer já teve alta ele foi liberado as sete.

__ Obrigada!

 Sai do hospital arrasada, Peter já tinha ganhando alta e se quer me avisou, nem uma mensagem nem um ligação ou um e-mail. Olho meu celular falta quinze minutos para dar uma hora, eu não tinha sono, será que o Peter estava irritado pelo fato do Luke ter ido a minha casa?! Antes de voltar para casa eu liguei várias vezes para ele, mas nada.

__ Tudo bem! Logo mais eu falo com ele, não posso deixa-lo com dúvidas a respeito de mim e do Luke. Mas, mas que isso eu quero ter certeza de que ele está bem.

 

Continua.........


Notas Finais


Espero que tenham gostado bjs ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...