História Amnésia (Imagine Seungmin) - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Stray Kids, TWICE
Personagens Bang Chan, Chaeyoung, Dahyun, Han Ji-sung, Hwang Hyun-jin, Jeon Jungkook (Jungkook), Jeongyeon, Jihyo, Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Seung-min, Kim Taehyung (V), Kim Woo-jin, Lee Felix, Lee Min-ho, Min Yoongi (Suga), Mina, Momo, Nayeon, Park Jimin (Jimin), Personagens Originais, Sana, Seo Chang-bin, Tzuyu, Yang Jeong-in
Tags Bangtan Boys (BTS), Imagine, Seugmin, Stray Kids, Suspense, Tudo De Bom, Twice
Visualizações 12
Palavras 1.239
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ficção, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 6 - Amnésia: Capítulo 6


???: Vamos! Responda! Onde está o que me pertence? 

Olho para ele confusa. 

– Seja mais específico, por favor – falo sem medo, afinal, já tô na merda mesmo, pior do que tá não fica. 

???: A jóia, eu a quero! – diz ele se aproximando de mim, eu estava sentada de lado na cama. 

– Jóia? Querido, eu quero tanta coisa no momento, mas infelizmente a vida não é justa comigo, e pelo que parece, nem com você – digo mantendo a pose e a voz firme até ele se aproximar. 

???: S/N, você foi uma menina tão má na sua outra vida, por isso está condenada ao inferno, e eu... Eu sou aquele quem veio buscar sua alma, mas preciso saber sobre a jóia, última oportunidade para me dizer e eu vejo se pego leve com você lá embaixo! Onde está? – ele grita na última parte. 

Aquilo me deixou apavorada, então ele era um demônio? Bom, realmente parece ser um, então não me surpreendi tanto, com essas roupas negras e um ar misterioso, mas é bonito. 

– E-eu não sei do que está falando – falo com um pouco de medo. 

Ele respira fundo. 

???: Ok, terei que procurar sozinho, você só me causará problema se lembrar, melhor acabar com você de uma vez! – ele estende o braço que fica totalmente reto, então, ele começa a virá-lo devagar, nisso sinto um desconforto enorme no peito, como se algo tivesse apertando com muita força e interrompendo minha respiração, em um ato meu de desespero. 

– S-so-socorr- 

Começo a escutar um som estranho, como "pi, pi, pi..." igual aqueles aparelhos fazem quando uma pessoa está quase para morrer, eu acabo fechando meus olhos e quando abro estou em uma sala estranha, acabo percebendo que parece um quarto de hospital, mas não era um, tava mais para uma jaula, as janelas estavam com barras de ferro impedindo qualquer passagem de qualquer pessoa que quisesse entrar, a porta também, até que me viro para olhar a resto da sala e vejo o mesmo homem que estava me sufocando, porém, ele não estava olhando para mim, e sim, para alguém que eu não consegui ver o rosto, havia 3 lâmpadas no teto, uma os iluminava, outra iluminava o meio (parecia defeituosa, pois estava piscando) e a outra iluminava onde eu estava, era um pouco atrás de mim, sobre a pessoa além de mim e dele tinha uma criança deitada em uma cama e o homem apenas a olhava fixamente, no quarto estava cheio de aparelhos médicos necessários para manter alguém vivo. 

Meus pensamentos e observações sobre o local foram cortados imediatamente quando o homem percebe minha presença, ele se vira e me encara, seu olhar me arrepiou, então ele lançou um sorriso assustador e a luz que estava iluminando eles se apagou, mas como ainda tinha duas lâmpadas eu conseguia vê-lo, até que ele deu um passo e a lâmpada que estava me iluminando apagou, sobrou apenas a que piscava, eu o via andando lentamente até mim a cada piscar da lâmpada, eu estava paralisada, tentei fazer algo, mas não consegui fazer nada. Quando menos percebi, o mesmo estava a menos que 5 metros de mim, até que a lâmpada piscou novamente e eu não o vi, apenas escutei o seu riso atrás de mim bem no meu ouvido e sussurrou:

???: Tenha bons sonhos! 

A luz que piscava se apagou e eu consegui soltar um grito, me fazendo levantar assustada com a respiração totalmente ofegante, Seugmin viu que estava desesperada e assustada, então, me abraçou. 

Seugmin: Está tudo bem, calma, você apenas teve um pesadelo – então ele sussurra – Eu acho. 

Não falei nada, apenas aceitei sei abraço, olhei ao redor e estava na enfermaria, quando me acalmei Seugmin perguntou. 

Seugmin: O que aconteceu?

Contei tudo para ele, então o mesmo me olhou confuso e disse:

Seugmin: Impossível, eu não sai desse quarto desde quando trouxe você aqui, prometi para as meninas que não tiraria os olhos de você, e promessa é dívida, deve ter sido um sonho – diz ele sentado em uma cadeira perto da minha cama, eu estava deitada olhando para o teto. 

– Então foi um sonho muito real – olho para ele – havia alguém além de nós dois... Não consegui ver quem era, estava quase morrendo de parada cardíaca. 

Seugmin me olha mais confuso ainda. 

Seugmin: Não acha que talvez seja a S/N desse universo, não? 

– Não, era uma criança, é a única coisa que sei, o resto foi assustador – lembro brevemente de tudo, então, fecho meus olhos tentanto afastar essa lembrança de mim. 

Seugmin: Ele falou de uma jóia, não? Você não se lembra de ter visto nenhuma jóia no seu acidente? 

– Não, a única coisa que lembro foi o que eu te contei. 

Seugmin: Ok, vamos parar de falar sobre isso, você consegue andar? – ele se levanta 

– Não sou alejada fio – me levanto da cama mais sinto dor na perna, deve ter machucado quando caí, então, me sentei novamente. 

Seugmin deu um sorriso provocador, então se próximou de mim, virou de costas e se agachou um pouco. 

Seugmin: Suba. 

Olho para ele um pouco confusa, ele quer mesmo que eu suba nas suas costas? 

– Tá louco? Eu não! – viro minha cara. 

Seugmin: Prefere que eu te leve igual Noiva? 

– Prefiro que me leve em uma cadeira de rodas – digo me referindo a uma cadeira de rodas que estava perto da porta. 

Seugmin: Esse cadeira é da escola, teria que te carregar do mesmo jeito. 

Reviro os olhos mais aceito, subo nas suas costas, então, vamos assim, ele puxa algum assunto aleatório e eu apenas respondo aleatoriamente para ele, até que chegamos finalmente na minha casa.

Seugmin: Pega as chaves – diz ele um pouco cansado, mas eu ainda estava nas suas costas. 

– Tá na minha bolsa, aliás... Cadê minha bolsa? 

Seugmin: Droga! Esqueci na enfermaria. 

– Seugmin! E agora? Como vou entrar? – bato de leve nele. 

Seugmin: Ai, ai! Quer que eu te solte e faça você ficar pior do que tá?! 

– Só quero entrar na minha casa – paro de bater nele. 

Seugmin: Ok, ok, vou arrombar a porta. 

– Tá louco? – dou um tapa de novo nele. 

Seugmin: Ai! Tá bom! Então quer entrar como donzela? 

– Esquece, me deixa aqui, posso esperar pelas meninas um pouco. 

Seugmin: Negativo, irei ficar com você aqui, aliás, amanhã de noite vai rolar uma festa aqui, Jihyo falou que vocês iriam organizar, se quiserem ajuda é só chamar, apesar de você está ocupada demais recuperando suas memórias, é uma boa curtir um pouco, tire o dia de folga amanhã, aproveite que é sábado! – diz me deixando sentada na varanda de casa e então se sentando ao meu lado. 

– Não sei nã-... – sou interrompida. 

Seugmin: Larga de ser chata, um dia não vai matar ninguém não – ele insiste – você vai acabar enlouquecendo, e outra, não é bom forçar. 

Penso muito bem antes de aceitar, ele tem razão. 

– Tem razão, vou acabar enlouquecendo, preciso de um tempo de folga. 

Seugmin: Opa, pensei que não iria aceitar. 

E eu não ia, mas acabei de refletir sobre minha vida, sou uma completa idiota vivendo uma vida que não é minha sabendo que estou sendo condenada ao inferno, pior do que tá não fica. 

– Que horas? 

Seugmin: Bom, vocês decidem o horário e nos avisem. 

Ficamos conversando mais um pouco, então as meninas chegam e o Seugmin vai embora, entro e faço todo um cuidado para ficar melhor. O que será que o dia de amanhã me aguarda? 

Continua... 



Notas Finais


Esse foi um pouco menor, mas amanhã já terá outro episódio, aguardem! ❤❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...