1. Spirit Fanfics >
  2. Amo intensa e loucamente (Eremin) >
  3. Capítulo I.

História Amo intensa e loucamente (Eremin) - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Eainnn meus consagrados, tudo na paz?

Mais uma Eremin só pra dar aquele grauzinho na veia, neah? Pois muito que bem, essa fic foi inspirada em um comentário numa foto do pinterest, então ser de luz que comentou lá, obrigadinho 👉🏻👈🏻❤

Essa neném é uma dedicação ao amor da minha vida, afinal, foi essa puta que me apresentou esse casalzin aq: @Jkanimegirl Voa mlk, te amo ♡♡♡♡

Ps: Leiam sempre as notas finais pois em cada capítulo eu vou ter que explicar algumas coisinhas que podem ser esenciais para o entendimento.

Aproveitem o capítulo e até as notas finais.

Capítulo 1 - Capítulo I.


Os olhos azuis cristalinos encaravam com demasiada apreensão a própria imagem no reflexo do espelho. Depois de anos mantendo o mesmo típico e longo corte, Armin, por alguma razão, colocou na cabeça que seria melhor diminuir o tamanho dos fios loiros e, agora que já o tinha feito, sentia saudades do comprimento que tinha.


Era pra ser só um banho, por que caralhos eu tinha que mexer no cabelo?!, questionou-se internamente dando um tapinha na própria testa.


Olhou ao redor e tanto o chão quando a pia estavam cobertos pelo cabelo cortado, ao ver todos aqueles fios jogados o Arlert pôde constatar o óbvio, já era tarde para se arrepender do que havia feito.


Suspirou fundo deixando as inseguranças de lado, estava diferente com um pouco de cabelo à menos, todavia, ainda era o mesmo Armin Arlert de sempre. Limpou toda a bagunça que acabou por fazer, afinal, não sentia a mínima vontade de levar uma bicuda daquelas de lei dadas por Levi para, por fim, tomar um banho longo.


Armin vestiu roupas leves para dormir e caminhou diretamente ao quarto, por sorte no atual alojamento em que residiam tinha espaço o suficiente para cada um ter o "próprio" quarto e, claro, com todas as conquistas feitas pelo esquadrão era mais que coerente o governo passar a investir mais no "bem-estar" e "conforto" deles. A cama era aconchegante assim como o quarto era espaçoso, a comida tinha um bom gosto e havia água de sobra ali, o governo estava fazendo um bom trabalho.


Sentou-se na cama de lençóis claros por alguns poucos segundos antes de ir até o espelho acoplado na parede do cômodo. Observou a própria imagem, ainda se sentia estranho com aquele reflexo, tentou arrumar um pouco mais os fios loiros quando a porta foi aberta num movimento calmo e por ela passou Eren.


O silêncio perdurou por alguns longos minutos, Armin viu através do espelho que o Yaeger lhe olhava de cima a baixo e em um súbito momento de vergonha o Arlert abaixou a cabeça, apertou a barra da camisa larga quando ouviu os passos do moreno aproximado-se de si.


— Você não foi jantar. Aconteceu alguma coisa? — Eren tocou os ombros do menor e os acarinhou de leve.


— Nada. Só não tava com fome. — Ergueu a cabeça para encarar o moreno através do reflexo.


Assim que Eren notou o olhar do Arlert sobre si deixou-se sorrir pequeno, desceu as mãos que antes estavam no ombro alheio para repousarem na cintura acentuada, juntou mais os corpos antes de inalar o cheiro gostoso de sândalo presente no pescoço do loiro.


— Seu cabelo ficou tão bonito. — Comentou distribuindo beijos molhados pela jugular branquinha fazendo questão de olhar diretamente nos olhos azulados pelo espelho.


— M-mesmo? — Viu sua imagem tornar-se corada como dois veludos fofos. — Não achou meio estranho? Sei lá… Feio? — Abaixou parcialmente o olhar.


Eren riu soprado e lhe segurou no queixo com uma das mãos, ergueu a cabeça do Arlert para que o mesmo pudesse se ver no espelho.


— Olha pra você… — Deixou uma mordidinha leve no lóbulo do loiro. — Ficou ainda mais gostoso! — Apertou a cintura alheia recebendo um suspirar alto em resposta. — Cada partezinha do seu corpo, cada pequeno detalhe é pateticamente belo. — Sussurrou em um timbre em demasiado rouco. O Arlert abaixou a cabeça e novamente Eren a ergueu, queria que ele visse o quão sinceras eram suas palavras. — Você diz ver tantos defeitos, mas eu vejo apenas um homem extremamente gostoso… — Passeou livremente com as mãos pelo corpo menor. — Bonito e… — Deixou um chupão na pele leitosa ganhando um gemido em resposta. — Apetitoso. — Uma das mãos foi até a virilha e apertou moderadamente o local.


— E-eren. — O Arlert manhou.


— Você precisa ser mais confiante, Armin. — Virou o corpo do loiro para si e deixou que as mãos grandes capturassem as ancas gordinhas de sua bunda. Apertou-as. — Mas não me importo de te lembrar sempre do quão maravilhoso tu é, não apenas na estética mas também no intelectual. — Apanhou os lábios macios em um beijo. — Sua beleza é deslumbrante e incomparável.


Armin sorriu largo antes de envolver o pescoço do Yeager em um abraço, um outro beijo foi iniciado, o movimento das bocas se encaixando era lascivo, as línguas se tocavam e acariciavam sem uma única gota de pudor, o calor ia se espalhando pelos corpos na medida que iam se tocando e explorando.


Armin encontrava-se na ponta dos pés para conseguir acompanhar todo aquele embalo, então, Eren se deu a liberdade de segurá-lo pelas coxas e o puxar para cima, o Arlert que já conhecia bem tal movimento apenas rodeou as pernas na cintura acentuada do moreno. O beijo findou-se para que ambos pudessem buscar por um pouco de ar, Eren aproveitou a deixa para se sentar na cama com Armin em seu colo.


Deixou um selo rápido nos lábios gostosos do mais alto, as mãos pequenas do loiro emaranharam-se nos fios escuros e pouco longos de Eren e os puxou para trás, com tal movimento o pescoço liso ficou totalmente à mercê do Arlert. Beijos, chupões e lambidas foram espalhados pela pele bronzeada, a cada carícia feita Yeager deixava-se suspirar e gemer no mais puro deleite.


As mãos de Eren escorregaram até as nádegas cheinhas do namorado apenas para apertá-las com gosto, impulsionou brevemente o quadril de Armin contra si e logo o mesmo passou a rebolar em seu colo de maneira libertina. Deixando o loiro comandar a própria raba, o moreno tratou de ocupar as mãos em desabotoar a blusa larga que o mesmo traçava.


Ao libertar o tronco gostoso do tecido claro da vestimenta, Eren deitou Armin na cama ficando entre suas pernas, beijou primeiramente os lábios já inchados para, em seguida, descer ao pescoço. Deixou carícias pouco agressivas na região clara e, aos poucos, foi indo em direção à pélvis já bem marcada com uma certa umidade. Deixou um rastro de saliva quente por cada gominho do abdômen em demasia definido e chupou despudoradamente os mamilos rosados.


Ele descia lentamente, chegava até a cós da calça que escondia uma área muito necessitada do Arlert, para depois subir novamente. Estava claro o joguinho de provocação de Eren, principalmente quando o mesmo erguia aquelas íris banhadas em jades para encarar Armin nos olhos, o sorriso ladino que lhe era direcionado fazia as pernas do menor tremerem em euforia.


O Yeager sabia o poder que tinha sobre o namorado, sabia de cada pequena coisa necessária para levá-lo à loucura, gostava de testá-lo, vê-lo pedir por mais ou simplesmente tomar o controle da situação e dobrar Eren como bem quisesse. 


— E-eren… — Armin gemeu ansioso levando uma das mãos de encontro ao cabelo escuro, puxou com um pouco de força os fios médios deixando claro pelo que ansiava naquele momento. — P-por favor, Eren. — Gemeu numa entonação manhosa.


Mas outro fato era: Armin sabia do poder que tinha sobre o namorado e era mais que óbvio o quanto o Yeager era rendido ao loiro.


Eren roubou os lábios de Arlert em um beijo rápido para em seguida descer rapidamente pelo corpo alheio, tirou sem delongas a calça de tecido leve que cobria parcialmente a excitação do loiro; sentiu a boca salivar quando a intimidade já tão conhecido por si entrou em seu campo de visão. Mordeu levemente o lábio e encarou o namorado que já olhava para si em expectativa e então, Eren sorriu… Aquele mesmo sorriso carregado de provocações.


Passou a distribuir beijos molhados pela coxa grossa fazendo questão de deixar chupões aqui e acolá, passava perto da vagina que queria tanto ser tocada e até mesmo fingia que ia fazê-lo mas nunca, de fato, o concretizava. A cada insinuação olhava diretamente para o oceano escondido nas íris claras de Armin, aquele mesmo oceano gritava em desejo a cada provocação. Por fim, deu um tapa estalado na lateral da coxa alheia, o Arlert deu um pulinho acompanhado de um gemido surpreso; o Yaeger aproveitou da oportunidade para colocar a dobra traseira do joelho do loiro em seus ombros e, consequentemente, ficou com a cara bem no meio do paraíso.


Eren lambeu o clitóris rosado e o sugou com afinco ganhando um gemido dengoso em resposta, deixou que as mãos apertassem as coxas grossas antes de cair de boca na buceta molhada. Os movimentos começaram leves, o subir e descer da língua era devagar e que, gradativamente, foi aumentando para voltar a estaca lenta subitamente. Ergueu o olhar para o loiro, sabia que o mesmo gostava de ver seus olhos, em momentos como aqueles as duas jades brilhavam como estrelas e o Arlert amava vê-las, como imaginado, Armin já esperava por si, esperava para ver seus olhos e assim que o fez gemeu alto em satisfação.


As mãos pequeninas foram de encontro com os fios escuros os puxando com certa força, Eren deixou o pescoço relaxado dando total controle para que o loirinho citasse os movimentos da maneira como bem quisesse. Armin sustentou o cotovelo da mão livre no colchão macio deixando o tórax parcialmente levantado, queria ver Eren melhor, afinal, era uma das cenas mais excitantes e deleitosas ver seu moreno chupando-lhe de uma maneira tão gostosa enquanto este lhe olhava de maneira intensa.


Os gemidos já não podiam mais serem contidos e mesmo que pudessem, não o faria, gostava de gemer para Eren, gostava de mostrar para o seu homem o quão bem ele fazia. Armin sentia-se cada vez mais próximo do ápice e, por conhecê-lo tão bem, o Yeager também estava a par deste pequeno detalhe, então, afastou o rosto da pélvis alheia e apenas com um pequeno impulso colocou o loiro de bruços na cama.


Livrou-se rapidamente da camisa e calça que já estavam a lhe incomodar para poder, finalmente, aproximar a face da bunda empinada. Eren estapeou as ancas branquelas antes de deixar uma mordida nas bandas fofas; distribuiu chupões por cada partezinha daquela pele gostosa, estava a fazer uma verdadeira obra de arte. Afastou as nádegas e passou a língua entre elas, sentindo o rapaz tremer em seus braços, o Yeager riu soprado antes de rodear a entrada alheia espalhando saliva por todo o local.


— E-eren! — A voz saiu arrastada e em demasia surpresa ao ter o músculo quente e molhado lhe penetrando a cavidade.


O calor se espalhava pelo corpo miúdo de uma forma avassaladora, tanto que o Arlert sentia-se próximo de entrar em ebulição, o lábio inferior era maltratado por mordidas entre um gemido e outro. Armin queria mais, precisava sentir mais de seu querido namorado; rebolou a bunda contra a face alheia em um pedido silencioso.


— Não seja tão apressado! — Brandou deixando um tapinha na nádega esquerda.


Eren levou dois dedos até a boca e os umedeceu bem com a própria saliva e, carinhosamente, introduziu o indicador na vagina alheia enquanto continuava o trabalho com afinco na parte de trás. O loiro tremeu brevemente por mais relaxado que estivesse tentando se manter, ao notar tal detalhe, Eren espalhou beijos cuidadosos pelas costas, nuca e bunda de seu amado, aos poucos o Arlert relaxou o que facilitou em demasia para a entrada do segundo dedo.


Tomando sempre o máximo de cuidado e se atentando às reações do loiro, o Yeager passou a movimentar seus dedos ali. Obviamente, tudo começou de forma lenta e paciente, Eren prezava muito pelo bem-estar do seu amor e, conforme os gemidos aumentavam, a velocidade ia-se junto.


— Eren..? — Afastou-se do moreno recebendo um olhar em demasia confuso. O Arlert sorriu miúdo antes de beijá-lo com gosto, aos poucos o loiro foi empurrando o namorado para se sentar na cama com ele em seu colo. Eren sabia o que ele queria naquele momento. — Você é muito enrolado! 


— E você apressado! — Eren disse em um falso tom sério antes de apanhar a boca alheia para si. Direcionou o membro teso contra a buceta do Arlert que gemeu em emancipação, o loiro foi sentando devagar na carne dura e a sensação de ser preenchido deixou-lhe em puro êxtase.


As bocas foram separadas para que uma bufada de ar que carregada do mais puro deleite escapasse, Armin tombou com a cabeça para trás enquanto mordia o lábio com força. Eren aproveitou para deixar uma nova leva de carícias, não deixando de gemer contra a pele já marcada do amante.


Armin envolveu o pescoço do Yeager com os braços e, olhando-o nos olhos, subiu e desceu o quadril sobre aquele pau gostoso, gemeram em uníssono. As mãos de Eren apertaram as nádegas fartas ajudando-o com os movimentos, enquanto o loiro deixava as mãos correrem livremente pela pele bronzeada, marcando-a, descontando nela todo o prazer que tomava seu âmago com força.


Não foi necessário muito para que ambos estivessem gemendo como loucos enquanto aproveitavam do corpo um do outro, gostavam de se observar, ver e absorver as reações que causavam um no outro. Armin encostou a sua própria testa na de Eren, olhando-o; era verde no azul e tudo se tornava intenso demais, gostoso demais… Delirante demais.


Todavia, Armin fechou os olhos com força dando um grito mudo quando Eren voltou a estimular seu clitóris, apertou mais o Yeager contra seus braços e o beijou com força, sentia o corpo queimar por dentro quase o levando a loucura. O Yaeger gemia entre o beijo sendo acompanhado pelo loiro, um clamava pelo outro com deleite e satisfação. Era insano! 


— E-eren..! 


— A-armin..! 


Gemeram em uníssono quando o orgasmo os atingiu com força, Eren escondeu o rosto na curvatura do pescoço do loiro enquanto este repousava o queixo no topo da cabeça morena, eles ainda se abraçavam com carinho, o suor lhes escorria pela epiderme e a respiração ia se normalizando aos poucos.


— Eren. — O Arlert se afastou meramente e segurou no queixo do Yeager, fazendo-o olhá-lo. — Eu amo você. — Acarinhou as bochechas alheia com ternura e sorriu. — Amo intensa e loucamente.


— Eu também amo você. — Eren sorriu-lhe de volta enquanto acariciava sua cintura de maneira meiga. — Amo intensa e loucamente.


E trocaram mais alguns beijos carregados de afeição.


Notas Finais


Meo, faz tanto tempo que eu não escrevo um lemon que contém uma buceta, minha nossa senhora, FOI MÓ ESTRANHO. Tô acostumada com pau+pau.

Lê isso aq:

• Eu realmente estava pensando em fazer o Armin como um homem hermafrodita, todavia, eu acabei pensando excessivamente - quando isso acontece dificilmente dá bom -, e no fim, decidi fazer do Arminha um homem transgênero. Desde já aviso que se caso alguém se sinta ofendido(a) pela maneira que eu vou tratar esse assunto e/ou ver algo sendo desenvolvido de maneira incorreta, sinta-se livre para me corrigir.

• Qualquer comentário idiota e/ou transfóbico eu vou apagar pq ninguém é obrigado a ficar aturando gente preconceituosa, blz?

• Essa fic será de apenas três capítulos.

Ps: Leiam sempre as notas finais pois em cada capítulo eu vou ter que explicar algumas coisinhas que podem ser esenciais para o entendimento.

🍌🌼


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...