História Amo suas cores - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook
Tags Bangtan Boys, Bts, Daltonismos, Drabble, Fluffy, Jikook, Jimin, Jungkook, Kookmin, Oneshot, Park Jimin
Visualizações 385
Palavras 905
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drabble, Droubble, Ficção, Fluffy, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


“Mais uma oneshot Mariana?”
Sim, mais uma oneshot meu povo. Tínhamos que fazer uma redação para o trabalho de português e o que eu fiz? Fui lá e fiz uma oneshot! É a vida...

“Mas Mari, cadê as longfics, e o tal projeto?”
Tá tudo sendo escrito, mas tenho fogo no rabo e vai ter oneshots sim! Heuheue O projeto vai bem, as ideias estão a todo vapor e a @L3tty tá com plots FODAS! Babo mesmo!

Anyway, aqui está minha primeira jikook nessa budega, o que é um absurdo já que é meu otp!

Obrigada @Bunnykook pela capa foda (mais uma vez), eu não esperaria nada menos que isso. Ficou linda, ainda mais assim, de ultima hora! Te amo, sério! <3

Links lá nas notas finais. Sim, até musica tem!

Vamos lá goxxxtosas?

Capítulo 1 - ...E eu olho para você e vejo a luz do sol.


Jungkook estava sentado há mais de 15 minutos na mesma posição. As pernas encolhidas, os braços abraçando os joelhos, o rosto erguido para o céu.

Volto a me concentrar no ritmo dos socos no saco de pancadas pesado à minha frente. Respiro fundo, mais um golpe. Respiro mais uma vez, uma olhada para Jungkook e o saco bate em meu corpo, me fazendo perder o equilíbrio. Murmuro, mas Jungkook parece não perceber.

Não sei por que ainda tento dar alguma atenção ao treinamento. Nunca, nem em mil anos, eu conseguiria focar em outra coisa que não seja ele.

Conheço essa pequena obra de arte diabólica e irritante desde que eu tenho 12 anos e ele 10 anos. Eu estava sentado no pátio da escola quando um garotinho com o nariz e olhos grandes demais para o rosto me abordou, me perguntando se eu tinha mais medo de ser atropelado por uma manada de elefantes ou por repetidas facadas no meu rosto. Eu o chamei de louco, ele sorriu e bem, eu adorei os dentinhos dele. E foi assim que Jeon Jungkook entrou na minha vida e nunca mais saiu.

O vento balança os cabelos dele, fazendo cócegas em seu rosto. Ele dá um pequeno sorriso, esticando de leve aqueles lábios tão bonitos. O pôr do sol toca a pele de suas pálpebras como se beijassem o local. O engraçado é que Jungkook se aquece sob os raios do entardecer, enquanto eu olho para ele e vejo a luz do sol, a própria luz emanando dele. O que você tem feito comigo Jeon? Ele é toda a paleta de cores do entardecer: dourado, amarelo, laranja.

Balanço a cabeça tentando me livrar de toda a poesia que Jungkook me desperta. Aperto mais as ataduras em minha mão e volto a maltratar o pobre e coitado saco. Consigo que os golpes sejam ritmados e me agrada a dor gostosa em meu punho, reverberando pelo meu braço.

-Jimin hyung, pare com isso.  – ele pede.

-N-não... me... desconcentre... tenho que treinar para a...próxima luta – falo alternando respirações e socos.

-Isso é muita violência. Parece que você está socando o pobre de um Gnu-de-calda-preta.

Seguro o saco de pancadas com as duas mãos, parando-o e olho para Jungkook que permanece de olhos fechados tomando sol.

-Aigo! O que diabos é um Gnu-de-calda-preta?

-Ah, é uma das duas espécies de gnu, encontrada no Leste e Sul da África. Ele tem a pelagem cinzenta, mas face e...

-Pergunta retórica Jeon! Pergunta retórica! – exclamo nervoso e ele dá de ombros. – Por que você sabe isso?

-Porque eu estava pesquisando sobre Gnu-de-calda-branca. Uma coisa leva a outra, sabe?

-Não Jungkook, eu realmente não sei. - me sento ao seu lado e ele mal se move.

Um fato sobre Jungkook é que ele sempre – e eu repito, sempre – tem resposta para tudo. Absolutamente tudo. Meu passatempo favorito é fazer perguntas descabidas a ele e depois checar as respostas no Google, ele sempre acerta. E o passatempo favorito dele é me falar palavras que não tem traduções em outro idioma.

-Hey, quer jogar? – pergunto.

-Depende. Não quero brincar de lutinha. Você sempre me machuca Jiminnie. – ele faz um biquinho com os lábios e depois ri do cabelo fazendo cocegas em seu olho.

-Vamos brincar de adivinhe a palavra.

E isso foi o suficiente para arrancar um sorriso ainda maior do meu garoto, com direito a ruguinhas no canto dos olhos e dentinhos de coelho.

-Então... deixa  pensar... – finjo, mas eu já sei o que quero perguntar.  – Lembra ontem, quando a gente lia lá no bosque?

-Sim, aquele livro é uma bosta.

-Tá, você já reclamou dele... mas, lembra-se do sentimento de conforto quando a luz do sol foi filtrada pelas folhas das árvores antes de chegar ao chão, e criou sombras e buracos de luminosidade? – ele assentiu – Existe uma palavra para esse sentimento?

Eu precisava que existisse.

Ele pensou um pouco, franziu o cenho como sempre faz quando pensa em uma resposta e depois sua face se anuviou.

-Tem uma palavra japonesa que descreve isso... é como estar em casa, não é?

-Sim, é como estar em casa. – digo olhando para ele, meu lar.

- Komorebi, é a palavra.

-Eu meio que sinto isso, sabe, quando eu estou com... com você. – digo e olho para além do meu quintal.

-Jimin hyung, que cor está seu cabelo? – agora seus olhos grandes e escuros me fitam.

Outro fato sobre o Jeon é que ele é daltônico e o seu segundo passatempo favorito é me perguntar as cores de minha roupa, mesmo que ele já esteja acostumado a fazer as substituições equivalentes. E eu pintei meu cabelo essa manhã. Sempre foi preto e eu resolvi mudar.

-Que cor você vê? – pergunto passando a mão pelos fios rebeldes e ressecados por causa da tinta.

-Hum... vejo em geral tons de púrpura, roxo... – ele semicerra os olhos, os cílios quase se encostando.

-E qual seu palpite para a cor real?

-Vermelho. Você está ruivo. – ele diz se sentando sobre o joelho e pegando uma mecha do meu cabelo.

-Ponto para você Kookie.

E ele sorri como uma criança feliz ao descobrir que passará mais um episodio do seu desenho favorito.

-Jimin hyung? – ele chama a minha atenção – Eu nunca vi a cor vermelha, não sei se é fria ou quente, mas o fato é que eu amo suas cores e acho que vermelho agora é minha cor favorita de todo o mundo.


Notas Finais


Ai, eu tô apaixonada por esse JK, socorro!

E eu amo muito essas palavras sem traduções em outros idiomas. É realmente um passatempo para mim. Sabiam que ‘cafuné’ não tem tradução para nenhuma outra palavra? Legal né?

O que acharam dessa oneshot que é quase uma drabble? Uh? Me deixem saber?
Esse Jikook é muito amor né não?

Aqui tá o link da musica que eu recomendo pra ouvir > https://www.youtube.com/watch?v=c3wo4Ek8zwU Tem bem a vibe que eu penso para a OS.

E para quem se interessar, isso é um Gnu-da-cauda-preta > http://4.bp.blogspot.com/-lu8GALguc4E/Uk9dpWHps_I/AAAAAAAAMfg/6IbnwMi0dSY/s1600/Gnu-azul+(connochaetes+taurinus)+1+-+Burchell,+1823+%5BLC%5D.jpg

This is all, folks.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...