1. Spirit Fanfics >
  2. Amor à primeira esquina (Amor Doce-Castiel) >
  3. Esta noite

História Amor à primeira esquina (Amor Doce-Castiel) - Capítulo 20


Escrita por:


Notas do Autor


Manas, seguinte. Estou cuidando da minha saúde mental e por isso, prometo todo domingo postar um cap. Pode ser q solte algum bônus no fim de semana, mas n quero prometer pra vcs uma coisa q n vou cumprir. Espero q n desistam de mim ❤❤ vcs são incríveis.


Música do cap - This Town (Niall Horan) // escutem pfv, combina super com a vibe do cap

Capítulo 20 - Esta noite


Fanfic / Fanfiction Amor à primeira esquina (Amor Doce-Castiel) - Capítulo 20 - Esta noite

Castiel - Hoje você vai passar o dia comigo (ele diz simplesmente e eu disparo a rir)


Lyanna - Tá pirando é? Não vou sair contigo (Na verdade eu precisava muito espairecer, mas não iria demonstrar que gostava da companhia dele)


Castiel - Não é como se fôssemos ter um encontro...Lynn (ele me chama pelo apelido virando meu rosto pra si) Vi como chegou ontem. É óbvio que você está se sobrecarregando. Eu só quero te ajudar (encaro seus olhos cinzas, que me passavam muita segurança. Como se ele tivesse certeza do que diz)


Lynn - Não sei não (digo contrariada)


Castiel - Bom, enquanto você decide que vai (Ele diz irônico. Convencido) vou até meu apartamento trocar de roupa.


Suspiro vendo ele sair da minha vista. Bom, pro trabalho eu já não conseguiria ir mesmo, acho melhor dar uma volta por aí do que ficar em casa olhando as paredes. Sair um pouco não fará mal.
Vou até meu quarto e visto um blusão vinho, short jeans e all star de cano alto.
Fico do lado de fora do apartamento esperando Castiel, até que ele aparece usando uma blusa azul marinho e calça preta com correntes...gato.


Castiel - Vamos? (Assinto com a cabeça)


Nós descemos até a rua e começamos a andar. Estranho não ver nenhum veículo.


Lynn - Cadê o carro? (Ele ri um pouco)


Castiel - Não sabe andar não, onça?


Lynn - Argh, grosseiro ( não sei porquê aceitei vir com ele no final das contas)


Castiel - Ei, relaxa. Eu só estava brincando (ele aperta meus ombros levemente) Você precisa sair um pouco da defensiva Lynn.


Lynn - Está certo, me desculpe (respondo um pouco envergonhada) Onde vamos? (Pergunto mais entusiasmada)


Castiel - Não sei.


Lynn - Como assim? (Pensei que ele tivesse uma programação ao me chamar, não que iríamos sair ao "Deus dará")


Castiel - Minha querida Lynn, a graça da vida está no improviso. Você não precisa saber de todas as coisas o tempo inteiro (ele se distrai olhando ao redor)


Lynn - Mas eu não consigo relaxar (digo mais pra mim mesma, mas parece que ele acabou ouvindo)


Castiel - Me dê a mão aqui (olho pra ele contrariada) Vamos Lynn (o ruivo segura minha mão enquanto continuávamos a andar) O que está com vontade de fazer? (Paro pra pensar. Geralmente eu fazia as coisas no automático, eram raros os momentos que eu parava para atender a um desejo meu)


Lynn - Hm, estou com fome


Castiel - Legal, vamos procurar alguma barraca (olho pra ele franzindo o cenho)


Lynn - Sério? Está pensando em almoçar um cachorro quente? ( rio esperando ele confirmar que era brincadeira)


Castiel - Quando você der a primeira mordida (ele para em frente uma barraca qualquer, pedindo dois cachorros quentes e deixando o dinheiro no balcão) a gente conversa.


[...]


Nos encontrávamos sentados no banco de uma praça e eu devorava o último pedaço do meu cachorro quente.


Castiel - Meu Deus, você tá toda lambuzada (ele ri enquanto limpa o canto da minha boca com o dedo, o que fez meu coração acelerar um pouco)


Lynn - Hm...(termino de engolir) onde está Dragon?


Castiel - Ah, bem (ele parece triste repentinamente) Ele acabou por falecer, infelizmente.


Lynn - Oh, eu sinto muito (acaricio seu ombro)


Castiel - Estou bem, não se preocupe. Foi ano passado, eu superei apesar de sentir sua falta às vezes.


Lynn - É...a gente acaba se acostumando com a saudade né? (Por que raios eu perguntei aquilo pensando nele? Droga. Ele encara meu rosto assentindo positivamente)


Castiel - E...e como estão  os preparativos pro seu casamento? (Engulo seco)


Lynn - No momento está tudo parado. Preciso me concentrar na campanha agora. Pelo menos terá o casamento da Rosa pra eu ter certeza das coisas.


Castiel - Certeza? Pensei que pra se casar precisasse estar certo de seus sentimentos (ok, isso me pegou em cheio. A verdade é que Connor me dava estabilidade, mas não sei se o que sinto por ele é amor)


Lynn - É, mas...eu não tenho (sou completamente sincera)


Castiel - Então acho que não deveria se casar (a forma que ele era direto me fazia ficar incomodada, mas era um incômodo necessário)


Lynn - As coisas não são tão simples. Eu não tenho mais idade para ficar esperando um príncipe encantado. O amor é construído (tento me convencer disso)


Castiel - Antes de você ir embora eu acreditava em formar uma família, mas depois tudo mudou (ele me olha intensamente) Por que se foi, Lynn? (Ok, eu não esperava por essa última pergunta)


Lynn - Eu estava com medo. De não conseguir te encarar como antes por causa do seu pai, das coisas não darem certo e eu ficar sozinha, da gente não dar conta de tudo (sinto ele colocar a mão em minha nuca, o que me faz arrepiar)


Castiel - Por que não está na lista que você deixou de gostar de mim? (Fico muda perante essa pergunta. A verdade é que de certa forma eu não havia deixado de gostar dele) Você desistiu de nós antes mesmo de tentar.


Lynn - Eu sei que fui covarde (ele tira suas mãos de mim) mas agora é tarde pra se lamentar...


[...]


Eram seis da tarde e eu e Castiel já tínhamos andado para todos os lados, ido no parque como duas crianças e comido por um ano inteiro.


Castiel - Está cansada?


Lynn - Sim, estou (respiro pesadamente, tentando pegar fôlego pra continuar andando)


Castiel - Então se recupere, pois vamos no karaokê (olho assustada pra ele)


Lynn - Eu não sei cantar.


Castiel - Aí que está a graça.


Ele me puxou pela mão até uma escada que levava a um lugar cheio de mesas, com luzes de festas e pessoas cantavam no palco de frente para todos.
Castiel pediu uma cerveja e sentou-se em uma das mesas cobertas com tecido xadres, e trocou algumas palavras com o atendente.
Passados alguns minutos de boas risadas vendo as pessoas cantarem (inclusive eu de forma bem infeliz), uma mulher subiu no palco anunciando o nome de Castiel.


Lynn - O que você fez? (Pergunto rindo)


Castiel - Eu vou cantar, oras (ele afasta a cadeira de aço subindo na plataforma)


Ouço uma melodia calma e deixo me levar por sua voz rouca, aproveitando o início da música.


Acordo para te dar um beijo, mas você não está lá
O cheiro do seu perfume ainda está preso no ar
É difícil
Ontem pensei que tinha visto sua sombra passando
Engraçado como as coisas nunca mudam nessa cidade
Tão longe das estrelas



Ele me olha, e sinto meu coração palpitar enquanto um sorriso bobo escapava de meus lábios.


E eu quero te dizer tudo
As palavras que eu nunca disse da primeira vez
E eu me lembro de tudo
Desde quando éramos crianças brincando nesse parque de diversões
Queria estar com você lá agora

Se o mundo inteiro estivesse assisti
ndo
, eu ainda dançaria com você
Dirigiria por rodovias e cruzaria atalhos para estar com você
O tempo todo, a única verdade
É que tudo me lembra você

Vi que você seguiu em frente, com u
m
novo alguém
No bar onde nos conhecemos, você está nos braços dele
É tão difícil
Tão difícil



Seus olhos não se desviavam um segundo dos meus, o que fazia meu corpo inteiro queimar.


E eu quero te dizer tudo
As palavras que eu nunca disse da primeira vez
E eu me lembro de tudo
Desde quando éramos crianças brincando nesse parque de diversões
Queria estar com você lá agora


Porque se o mundo inteiro estivesse assistindo, eu ainda dançaria com você
Dirigiria por rodovias e cruzaria atalhos para estar com você
O tempo todo a única verdade
É que tudo me lembra você


Você ainda me deixa nervoso quando você aparece
O frio na barriga volta quando estou perto de você
O tempo todo a única verdade
É que tudo me lembra você


E eu sei que isso é um exagero
Que eu não consigo seguir em frente
Mas ninguém é como você

Se o mundo inteiro estivesse assistindo, eu ainda dançaria com você
Dirigiria por rodovias e cruzaria atalhos para estar com você
O tempo todo a única verdade

É que tudo me lembra você

Você ainda me deixa nervoso quando você aparece
O frio na barriga volta quando estou perto de você
O tempo todo a única verdade
É que tudo me lembra você

Tudo me lembra você


Castiel canta a última parte de olhos fechados, como se estivesse sentindo a música, e após uma enxurrada de aplausos ele desceu do palco sorrindo, enquanto eu limpava uma lágrima que caíra. Essa música fez voltar à minha mente tudo que a gente viveu.


Lynn - Uau! Você cantando estava tão fofo... nem parecia o grosseiro de sempre (apoio o rosto nas minhas duas mãos sorrindo para o ruivo)


Castiel - Eu não sou grosseiro. Estava com raiva (ele diz eventualmente)


Lynn - E não está mais? (Levanto uma sobrancelha)


Castiel - Por hoje não (Ele sorri) Vamos?


Lynn - Pra onde? (Ele pega minha mão novamente, e susurra um "por aí")


Castiel - Está mais relaxada? (Andávamos pela rua com os dedos entrelaçados, o que era estranho, mas super reconfortante).


Lynn - Sim. Acho que devo te agradecer, o dia hoje foi muito bom (vejo o loiro que me importunara na cafeteria outro dia do outro lado da rua) Ai não...


Castiel - O que foi? (Dake olha para os dois lados da rua, esperando os carros passarem para vir até mim, rindo maliciosamente)


Lynn - Um cara que fica me perturbando, acho que está vindo encher meu saco (respondo desconfortável)


Castiel - É fácil se livrar dele.


Lynn - Como? (espero que não tenha a ver com socar a cara do loiro)


Castiel - Assim (sinto seus lábios de encontro aos meus. Castiel passa delicadamente os braços em volta da minha cintura enquanto eu levava as mãos ao seu pescoço. Ele fazia movimentos lentos e firmes, acariciando minha lingua com a sua. Era pra eu estar  desesperada, me desprendendo dele, mas todos os seus gestos eram tão carinhosos que me faziam querer morar naquele beijo lento.
Sinto ele acariciar meus braços, e levo minhas mãos aos seus cabelos, fazendo carinho em sua nuca sentindo um suspiro de sua parte.
Ele finaliza o beijo sugando meu lábio inferior de uma forma provocativa,o que me faz querer mais dele).


Lynn - Uh, o que foi isso? (Respiro fundo tentando recuperar o ar)


Castiel - Um...um beijo técnico? O cara já foi (ele observa) acho que a gent...


Lynn - Castiel (puxo sua blusa, fazendo ele arregalar os olhos) cala a boca e me beija de novo (lhe dou mais um beijo, mas dessa vez sem cerimônias. Eu explorava sua boca com vontade enquanto sentia suas mãos passearem livremente pelo meu corpo. Solto um gemido ao sentir ele apertar meu corpo contra o seu, como se estivesse com medo que eu fugisse. Quebro o beijo tirando meu celular do bolso) Eu preciso fazer uma coisa.


Disco o número escutando a voz de João na outra linha.


Lynn - João? (Sinto um beijo de Castiel ser depositado na minha bochecha)


João - Oi Lynn.



Lynn - Esta noite eu não durmo em casa.


Notas Finais


Espero que tenham gostado. Até domingo que vem ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...