1. Spirit Fanfics >
  2. Amor Acidente >
  3. Como Tudo Mudou

História Amor Acidente - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Gente, essa capa incrível foi feita pela @Hannahe_Miu *-*
Ela sempre responde rapidinho e deixa a capa do seu jeito!!
Se precisarem de capista, fica a dica!!

Sem mais delongas, boa leitura!!
<3

Capítulo 2 - Como Tudo Mudou


Fanfic / Fanfiction Amor Acidente - Capítulo 2 - Como Tudo Mudou

Suas mãos tremiam, enquanto tentava abrir mais um teste de farmácia. Não era possível. Isso não estava acontecendo. Deveria ser impossível de acontecer.  

Fazia algumas semanas que Yunah não se sentia bem, constantemente enjoada e indisposta. Ela foi ao hospital e fez uma bateria de exames, mas recusou o teste sorológico de gravidez. Afinal, era impossível lobos e humanos procriarem, a incompatibilidade entre as espécies era o suficiente para isso.  

Mas os resultados dos exames chegaram e os médicos não conseguiram achar nenhuma explicação plausível para os seus sintomas. Foi aí então que a dúvida do “E se...” começou a crescer no coração da Yunah. Depois que o primeiro teste veio positivo, ela comprou mais cinco.  

Todos mostraram o mesmo resultado: grávida.  

Uma palavra tão pequena, mas com um peso tão grande. Capaz de mudar completamente a vida de uma pessoa. Ou melhor, de duas. Yunah e Jungkook já tinham conversado sobre isso, logo no início do relacionamento. A incapacidade de ter um filho no futuro, foi um dos principais obstáculos que eles tiveram que enfrentar, antes de assumirem o namoro.  

Jungkook pertencia a família Jeon, de linhagem antiga e com tendências bem patriarcais. Foi difícil para eles aceitarem que seu único filho estava prestes a arriscar seu posto de alfa líder, por uma simples humana e ainda por cima, não daria continuidade a linhagem. Não lhe daria um neto, um herdeiro. E por isso que relacionamento entre lobos e humanos, era algo raro de ver.  

Nem todo mundo estava disposto a pagar o preço. Além disso, as diferenças culturais eram fortes e havia muito preconceito de ambos os lados. Mesmo assim, tanto Jungkook quanto a Yunah, estiveram dispostos a prosseguir com o relacionamento e até chegaram a cogitar adoção, no futuro.  

Mas, e se eles pudessem ter um filho de juntos?  

Eles chegaram a discutir sobre isso e depois de ponderar os prós e os contras de ter um filho “meio sangue” – os outros obstáculos que eles teriam que superar, o tanto que Jungkook teria que sacrificar, além do que já sacrificou até ali – eles chegaram à conclusão de que realmente era melhor que não tivessem.    

Só que agora, a Yunah estava grávida, sem nem saber exatamente o que estava crescendo dentro dela. Não havia registros em lugar nenhum sobre crias de lobos com humanos e não tinha ninguém a quem ela pudesse recorrer. 

Não dava para confiar nas autoridades do lado dos humanos. Caso seu bebê viesse a nascer, ele iria virar um rato de laboratório. Mas também não dava para contar ao Jungkook e esperar que ele escondesse isso dos seus pais por muito tempo. Os pais do Jungkook faziam parte do Conselho e eles rejeitariam completamente a ideia do seu sangue misturado com o de uma humana.  

No final das contas, ela sabia que só lhe restavam duas opções – abortar ou fugir. Mas só de pensar em remover o pequeno montinho de células crescendo em seu útero e privá-lo de uma chance de viver, a deixava enjoada.  

Fuja – uma vozinha incessante ganhava volume em sua mente.  

Se Yunah ficasse e desse à luz, podia até imaginar o que aconteceria. Jungkook iria fazer a “coisa certa”. Ele iria assumir e tentar proteger a criança, com todas as suas forças. Ele iria perder o posto de alfa líder e provavelmente, seus pais iriam cortar todas as relações entre ele. Jungkook iria ignorar o preconceito e sofrer calado com a rejeição do seu povo. Ele iria pedi-la em casamento e eles até iriam conseguir segurar as pontas no início. Mas depois de um tempo, o peso de todos os sacrifícios iria destroçar o relacionamento deles aos poucos, até virar pó.  

Fuja!! – a voz parecia gritar.  

E então, numa tarde de sexta-feira – antes que ela pudesse mudar de ideia – Yunah casualmente saiu da casa do Jungkook, entregou sua carta de demissão e foi direto para o aeroporto. Ela comprou a passagem mais barata que tinha disponível, para outro continente. Só depois de receber o ticket em mãos, que ela mandou uma mensagem para seu irmão, explicando o que tinha acontecido e para onde iria.  

 

Contra todas as possibilidades, sua gravidez foi tranquila. Yunah deu à luz em um pequeno hospital, numa cidadezinha na Turquia, onde ninguém se importava em fazer perguntas caso você tivesse dinheiro para dar. Jeon Sorah – três quilos, quarenta e nove centímetros; absolutamente perfeita. 

Demorou para ficha cair. Mas depois de noites sem dormir, de centenas de fraudas sujas e peito dolorido de tanto amamentar a gulosa, Yunah começou a se dar conta que agora ela era mãe de verdade. Existia alguém que dependia inteiramente do seu cuidado e do seu amor. Era aterrorizante e incrível ao mesmo tempo. 

Semanas viraram meses e meses se tornaram anos. Sorah estava crescendo tão rápido que mal dava para acompanhar. A falta que o Jungkook fazia era marcante. À noite, quando a correria do dia cessava, a saudade vinha visitá-la. O lado vazio da cama sempre à lembrava do calor que emanava do corpo do Jungkook, entrelaçado ao seu. Sorah estava ficando grande e toda vez que ela olhava para sua filha, enxergava ele nos olhos da pequena. 

Yunah tentou convencer a si mesma, que tinha feito a escolha certa de deixar sua vida em Busan para trás. Ela tentou administrar a culpa e saudade que sentia com a ausência dele. E por mais que sua escolha tivesse doído, ela estava feliz.  Como é que ela poderia não estar? Sua filha era linda, saudável e conseguia preencher todo o vazio em seu coração. A vida que elas levavam estava longe de ser perfeita ou ideal, mas Yunah estava contente.  

 

** 

 

Começou devagar. Primeiro, ela percebeu os olhos da Sorah mudarem de cor, igual aos do Jungkook quando ele sentia uma emoção muito intensa, ou estava prestes a se transformar. Depois, Yunah notou os caninos da Sorah se alongarem discretamente, antes de alguma refeição. Ela sabia que sua filha era especial, mas não imaginou que Sorah herdaria todos os traços de lobo do Jungkook.  

A partir daí, ficou difícil de se manter em um lugar por muito tempo. Pode se dizer que, Yunah não foi a única a notar que sua filha era diferente. Ela era apenas uma humana e não sabia ensinar a Sorah como se controlar, então, a única alternativa foi continuar em movimento, antes que alguém fizesse perguntas que ela não pudesse responder.  

Elas conseguiram se virar por um tempo e Yunah pensou que tudo ficaria bem, até as coisas piorarem novamente. Um dia, ela notou que alguns roxinhos e arranhões na Sorah não estavam cicatrizando – o que não deveria acontecer. Principalmente sabendo que ela tinha herdado as habilidades do pai, deveria ser o contrário, ela deveria cicatrizar mais rápido do que humanos. Mas depois de dias, os pequenos roxos viraram hematomas e os arranhões, feridas maiores. 

Yunah nunca sentiu tanto medo e impotência na vida. 

Sem pensar duas vezes, ela voltou para Coreia do Sul e ligou para única pessoa que poderia ajudá-la naquele momento. Jin. Dentre o círculo de amigos do Jungkook, o omega era a pessoa que Yunah tinha maior proximidade, já que seu irmão e ele compartilhavam uma amizade inusitada. Com certeza ela conseguiria convencer o Jin a guardar segredo por um tempo. Mas acima de tudo, o omega era formado em medicina e trabalhava no Hospital Geral de Busan.  

Ele tinha conhecimento tanto do corpo humano, quanto do corpo de lobos e talvez, pudesse dizer o que havia de errado com a Sorah. Contudo, depois de vários exames, Jin apenas conseguiu chegar à uma resposta vaga. Sua hipótese, era que os genes lupus herdados do Jungkook se mantiveram suprimidos nos primeiros anos de vida da Sorah e seu corpo estava em harmonia. Mas algum fator ambiental ou intrínseco, estimulou a ativação do gene e isso desencadeou um processo autoimune.  

Basicamente, as células sanguíneas humanas da Sorah estavam sendo atacadas pelas células lupus e uma possível alternativa era recorrer à uma transfusão de sangue. Jin acreditava que se células sanguíneas humanas da Sorah fossem substituídas pelas do Jungkook, as chances de rejeição seriam mínimas e talvez ajudasse no processo de cicatrização. 

Yunah faria qualquer coisa para ajudar sua filha. Ela enfrentaria a ira do Jungkook e qualquer outra repercussão das escolhas que fez há cinco anos atrás. Claro que sua determinação, não tornou as coisas mais fáceis. Suas mãos estavam suadas e trêmulas, quando apertou a campainha do Jungkook.  

Foi extremamente difícil se manter em pé ali, parada na frente dele, e ignorar a vontade de se jogar nos seus braços. Mas Jungkook não era mais seu. Ele jamais seria e quando Sohee colocou a mão sobre o ombro do alfa, Yunah fez o máximo para manter uma expressão neutra. Ele não é mais seu

— Eu preciso de sua ajuda. – mas Jungkook não estava olhando para ela. Os bracinhos da Sorah abraçaram a sua perna com mais força e Yunah podia enxergar o alfa ligando todos os pontos.  

E simplesmente assim, mais uma vez, tudo mudou em sua vida. 


Notas Finais


O que estão achando?

Obrigada por favoritar: fanfikeira2pt0 <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...