História Amor Contra Vontade - Jikook ABO - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Abo, Alfa Lupos, Bangtan Boys, Bts, Jikook, Jimin, Jungkook, Kookmin, Ômega, Yaoi
Visualizações 529
Palavras 1.768
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


EU SUMI? SUMI!!!!!
ME PERDOEM, ME PERDOEM MESSMOOO!!!
Já dei minha justificativa, espero não ser mais preciso 🌚 mas no fundo, espero que me perdoem por esse sumiço 💔
Mas agora, APROVEITEM ESSE CAPÍTULO BEM GOSTOSINHO, vocês vão gostar e ficar cheio de dúvidas 😎

Boa Leitura 📖

Capítulo 8 - Matando a saudade


Fanfic / Fanfiction Amor Contra Vontade - Jikook ABO - Capítulo 8 - Matando a saudade

Alegre.

Jimin se sentia alegre, e aquele sentimento se justificava por estar caminhando em direção a entrada da lanchonete. Aquele cheiro de ovos mexidos, de sucos naturais, daria para sentir de longe por conta do costume de estar quase todos os dias ali fazendo companhia a sua mãe e ate mesmo lhe ajudando, sem se importar se receberia um pagamento no final do dia ou do mês.

O barulho do sino após adentrar, ecoava pelo local. Olhou ao redor, a procura de sua mãe com aqueles olhos castanhos um pouco claros. 

Seus olhos encararam um ponto fixo daquele local, e lá estava sua mãe, com o cabelo amarrado como de costume, e um sorriso nos lábios enquanto conversava com uma moça e preenchia uma xícara de café, provavelmente sendo para um cliente qualquer.

Não pensou muitas vezes antes de ir em direção ao balcão e simplesmente se apoiar ali, com um enorme sorriso no rosto, feliz em vê-la.

— Eu gostaria de um suco de laranja... 

Fez seu pedido, notando sua mãe simplesmente travar e logo olhar para o lado, não acreditando que seu filho estava ali em sua frente, pertinho como de costume. 

Não fazia muito tempo que não se viam, não fazia nem mesmo uma semana, mas acostumados a estarem sempre juntos, era quase um incômodo ficarem ate mesmo alguns poucos dias longe um do outro. Era um amor enorme entre aqueles dois ômegas, e sempre seria assim, pelo menos, assim pensavam. 

— Jimin!!!! — passou pela portinha de madeira de “vai e vem” daquela bancada e abraçou o platinado, com certa força e saudades — O que faz aqui filhote?! 

Shoon-he segurou o rosto do seu filho com as duas mãos e olhou no fundo do seus olhos com um enorme sorriso, antes de abraça-lo mais uma vez e logo em seguida deixar o rosto daquele ômega recheado de beijos, sentindo o cheirinho doce do mesmo. 

— Vim lhe ver omma. Fazer uma surpresa e saber se gostaria da minha ajuda. — sorria.

Aqueles dois pareciam realmente que faziam muito tempo que não se viam, mas ignoravam quem pensasse que aquele amor seria um “exagero”. Se importavam tanto um com o outro, que sua mãe ainda sentia aquele sentimento de culpa toda vez que o via, e não satisfeita, sempre que deitava sua cabeça em seu travesseiro, chorava, era uma péssima ômega por ter aceitado aquela proposta a anos atrás. 

O amor daquela ômega por seu filhote havia crescido, sem ao menos a mesma notar, e quando percebeu, já estava abraçada com Jimin em uma cama apertada, dormindo com o platinado após seu primeiro cio doloroso e assustador naquele porão escuro de sua casa. 

— Ohhh meu amor, hoje sua companhia esta de bom tamanho. 

Shoon-he beijou a testa esbranquiçada e um pouco “tampada” por aquele cabelo de fios platinados. 

Estavam felizes, seus lobos estavam felizes.

[...] Horas mais Tarde [...]

Jimin ajudava sua mãe a carregar algumas sacolas enquanto caminhavam em direção de sua antiga residência. Conversavam animadamente sobre qualquer assunto que vinham-lhes a cabeça, estavam a aproveitar aquele momento único de mãe e filho, e como seu pai não estaria em casa, aproveitaria para passar um tempo por lá, pois não imaginaria em qual horário Jeon sairia de sua empresa.

Com a ideia de jantar com sua mãe, não imaginou uma possibilidade de avisar Jungkook e nem se preocupou, por não achar que fosse preciso. Estava animado, feliz por estar ali com sua mãe naquela pequena casinha onde morou por longos anos. 

A conversa continuava a se prolongar enquanto retiravam as poucas compras da sacola e guardavam em seus respectivos lugares, para logo depois serem usados para a janta. 

— Mas Jimin, conte-me, esta sendo muito ruim a convivência com Jeon? — perguntou meio retoricamente, com uma certa angústia em sua fala. 

— Esta sendo normal omma. — deu de ombros, não sendo muito a vontade daquela assunto.

Amava sua mãe, mas perguntava o porque da mesma ter concordado com tais propostas e nunca ter lhe falado se o amava tanto. Todo aquele assunto parecia ser um enorme segredo e isso lhe incomodava de certa forma, era agoniante, e Jimin era curioso demais. 

Gostaria de saber mais, porém, ao mesmo tempo o medo lhe batia na porta.

— Filhote, eu... 

Jimin automaticamente lhe interrompeu. 

— Esta tudo bem omma, não se preocupe. Não precisamos tocar nesse assunto novamente, o que esta feito, esta feito!

Parecia ter soado frio, porém, se era um assunto que não iria para frente e nem ao mesmo ajudaria o a descobrir algo a mais, preferia ignorar tudo o que já havia se feito e tocar sua vida como planejado. 

Queria ser feliz, não havia tirado aquele objetivo de sua cabeça. 

Sua mãe suspirou, guardando as sacolas em uma gaveta para um utilizo futuramente. O clima havia ficado um pouco tenso, mas para a felicidade de ambos, fora cortado por alguém ou algo batendo na porta da frente da casa. Ambos se olharam e franziram a sobrancelha, se perguntando mentalmente quem seria.

— É o papai? — arqueou somente uma sobrancelha, escondendo seu receio em meio de sua expressão. 

Não gostaria de vê-lo tão cedo. 

— Não, ele foi viajar hoje de manhã e volta somente na sexta. 

Shoon-he determinada e curiosa seguiu em direção a porta de sua casa, abrindo sem receio, notando ser um rapaz com roupas de formalidade parado em frente a sua porta, com as mãos nos bolsos enquanto esperava alguém abrir para si. 

Era Jeon Jungkook. 

O moreno franziu os lábios, logo os estralando, parecendo um pouco sem graça. Nunca havia falado diretamente com a mãe de seu ômega, e aquilo era um pouco incomodante para si, não saberia como agir com alguém de quem comprou o ômega e não fez um mínimo de esforço para fazer isso por conta própria e sem envolver dinheiro. 

Mas a culpa não era de si, o mesmo deveria se lembrar, assim como seu alfa o alertava em seu interior. A culpa era de seus pais, e quando isso tudo foi planejado, Jungkook era somente uma criança envolvida com seus brinquedos em seu quarto, enquanto uma reunião era feita na sala da sua enorme residência.

— Er... — coçou a nuca, buscando um pouco mais de determinação — Jimin esta aí? 

Shoon-he franziu o cenho. 

— Sim, ele esta. — o encarou de cima abaixo, como se avaliasse.

Alias, extintos de mães ômega sempre eram os mesmos, a proteção de seus filhotes vinham em primeiro lugar. E naquele momento, não estava sendo muito diferente, por mais que Jimin ja estivesse na mão daquele homem. 

— Entre, por favor. — deu espaço para o moreno — Só não repara, diferente de sua casa, aqui é mais bagunçado e pequeno. 

Jungkook sorriu pequeno, mostrando seu lado simpático, passando seu olhar pela sala e logo notando Jimin aparecer ali naquele cômodo. O platinado pareceu se envergonhar, e logo suas orelhas pareciam se abaixarem, se reprovando, esperando que levaria algum certo de xingamento vindo do mesmo. 

— Estava em sua procura, quase fiquei preocupado. — se aproximou do ômega — Acho que devo lhe dar um celular. 

Jimin o encarou, um pouco curioso, mas levantou seu rosto para fitar seus olhos negros. Não estava com medo e nem ao menos envergonhado naquele momento, apenas sentia tranquilidade, e seu lobo novamente parecia agitado e animado. 

— Gostaria de jantar com a gente? 

Shoon-he “atrapalhou” a conversa do casal, com um sorriso singelo no rosto, parecendo ate mesmo gostar da pouca harmonia que ali continha no meio dos dois. Era bom ver que Jungkook parecia uma pessoa boa para seu filhote. 

Jimin encarou sua mãe ao mesmo tempo que Jungkook, que parecia ter um certo rubor enfraquecido formado em suas bochechas, passando sua língua ao redor do seus lábios, demonstrando estar um pouco nervoso. 

— Seria legal sua companhia. — Jimin acrescentou, voltando a encarar o alfa. 

— Eu estava pensando em jantar em um restaurante, mas por mim tudo bem. 

Jimin sorriu agradecido, seria interessante ter a companhia daquele alfa em sua casa, assim poderia lhe conhecer melhor a sua pessoa por fora de todo aquele poder que o mesmo demonstrava em ter quando estavam mais a sós, enfrentando o dia a dia. 

[...]

Jungkook, por certa coincidência ou por educação — o pouco que sua mãe lhe proporcionou — secava os pratos e os guardava em seus devidos lugar, enquanto Jimin lavava toda aquela louça suja. Não “trabalhavam” em completo silêncio, os três conversavam entre si, não parecendo se estranhar, mas sim se darem bem. 

Era estranho, as coisas pareciam estar indo bem demais, e aquilo deixava uma pulga atrás da orelha de Jimin.

— Prontinho omma, tudo lavado e secado. 

Bateu suas mãos nas calças jeans que usava naquele dia, em um ato para que a água saísse de suas mãos e as mesmas se “secassem”. 

— Obrigada filhote. E inclusive, obrigada a você também Jungkook, sua visita foi muito bem vinda aqui. — sorria simpática.

Jungkook dobrou o pano o qual havia secado todo aquela louça lavada, o deixando sob o balcão da pia e virando para sorrir suavemente para a mãe de Jimin, que ainda o encarava tranquilamente.

— Eu que agradeço pela janta, estava muito bom... — olhou em seguida para Jimin — Gostaria de ir ou ficar mais um pouco? 

Jungkook parecia se importar com o bem estar e os gostos daquele ômega, e aquilo se tornava estranho aos olhos do platinado. O mesmo havia uma ficha de conhecimento por demais pessoas por ser alguém rude e sério demais, não demonstrando afeto por outras pessoas e nem demonstrando certa importância em seus atos sob elas, sem contar em sua fama de pegador

O que não se ofuscava em sua mente, era: por que consigo estava sendo totalmente diferente? Deveria aproveitar? Ou deveria desconfiar? 

— Podemos ir, já incomodei minha omma suficiente por hoje. — sorriu singelo. 

A despedida entre eles acabou sendo rápida, sem muitos rodeios. Um abraço ali e um pequeno aperto de mão foram o suficiente para se despedirem totalmente e entrarem no carro dirigido por aquele alfa. Não demorou muito para estarem em casa e um certo clima no ar ser incômodo para aquele ômega. 

O mesmo parecia sentir Jungkook um pouco estressado. Seria consigo? 

— Lhe darei um celular, não sou obrigado a ficar correndo atrás de um ômega por precaução para continuar vivo! 

Jimin engoliu em seco, sem muito entender, abaixou sua cabeça. Não entendia o que estava acontecendo, estaria enganado sobre o Jungkook que veria na casa de sua mãe e naquela madrugando quando o incomodou. 

— De...desculpa-me. 

Jungkook suspirou fortemente, passando a mão em seu cabelo, parecendo pensar ou ate mesmo contar ate 10 antes de tomar qualquer tipo de atitude. Estaria estressado, ate demais. 

Mas seria consigo, ou com o seu trabalho? 


Notas Finais


Estou pensando em fazer um capa para os capítulos, para ver se fica mais arrumadinho e bonitinho.
Mas verei isso melhor futuramente, sem contar que estou desejando fazer outra capa também.

OBRIGADA A TODOS OS FAVORITOSSSS, e inclusive aos poucos comentários ❤️

O capítulo foi meio pequeno, mas recompensarei vocês melhor depois.

» O que vocês acham? Vocês acham que Jungkook é bonzinho ou ele é ruim e rude como Jimin “descobriu”?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...